130131454_1029537434Apesar de a troca de presentes ter se tornado uma prática comum após o Natal, o Código de Defesa do Consumidor não obriga os logistas a trocarem as mercadorias, a não ser que elas estejam com defeito.

O presidente do Instituto Brasileiro de Estudo e Defesa das Relações de Consumo (Ibedec), Geraldo Tardin, explicou que a lei vale para qualquer tipo de produto. Segundo ele, o ideal é que o consumidor se previna e pergunte, no ato da compra, se é possível realizar a troca por outros motivos.

‘Se o lojista faz a promessa de troca, o ideal é que o consumidor peça que ele coloque na nota fiscal as condições [da troca]’, sugeriu Tardin.

A enfermeira Rosa Maria afirmou que não tem o hábito de perguntar sobre as condições de troca das mercadorias, mas ela nunca teve problemas. ‘Nunca tive problemas com troca nas lojas que eu compro. Se acontecesse da loja não trocar a peça, eu pensaria duas vezes antes de voltar ao estabelecimento’, contou.

Fonte: http://correio24horas.globo.com/

Anúncios