Durval Aires
Durval Aires

Trinta e sete anistiados políticos que sofreram torturas em dependências administrativas do Ceará, no período de 1961 a 1979, receberam suas reparações financeiras nesta terça-feira (23).

 

 O governador Cid Gomes, o secretário da Justiça e Cidadania, Marcos Cals e o presidente da Comissão Especial de Anistia Wanda Sidou, Mário Albuquerque, fizeram o pagamento das indenizações, que somadas, chegam a R$ 760 mil.

A solenidade aconteceu às 15 horas, no auditório do Palácio Iracema. Entre os indenizados, está o deputado federal, Chico Lopes (PCdoB). Essa é a segunda vez no Governo Cid Gomes faz o pagamento de indenizações a ex-presos políticos.

Em 2007, o Estado destinou R$ 600 mil para reparações financeiras. A Comissão Especial de Anistia Wanda Sidou, atualmente vinculada a Secretaria da Justiça e Cidadania, foi criada em 2003 e reconhece o direito a indenização as pessoas detidas em órgãos de segurança do Estado, por motivos políticos, entre 2 de setembro de 1961 e 15 de agosto de 1979.

Os valores das indenizações variam de R$ 5 mil a R$ 30 mil e são pagas a partir da aprovação dos processos pela Comissão Wanda Sidou.

Confira a relação:

1.Antônio Augusto Martins de Medeiros, Na época dos fatos era estudante secundarista e participante do movimento estudantil.

2. Antônio Cauby Damasceno (falecido), Exercia a profissão de garçom, integrando o sindicato da categoria. Membro do PCB – Partido Comunista Brasileiro.

3. Antônio Paulino da Silva (falecido), Exercia a profissão de técnico do IBGE e era integrante do setor urbano do PC do B (Partido Comunista do Brasil).

04. Carlos César Uchoa Barreto (falecido), Era bancário e membro ativo do Sindicato dos Bancários do Ceará e integrante do PC do B. Preso na DOPS e 23º BC no ano de 1973 e submetido a torturas na chamada “Casa dos Horrores”.

05. Astrolábio Batista (falecido), Era vereador em Baturité e membro do PCB – Partido Comunista Brasileiro.

06. Clodoaldo Pinto de Castro, Era motorista e simpatizante do PCB – Partido Comunista Brasileiro.

07. Durval Aires de Menezes (falecido), Jornalista de renome, trabalhou em vários órgãos da imprensa cearense, sendo sua última ocupação no jornal Diário do Nordeste, onde era editorialista.

08. Edna Veras Ferreira, Era estudante secundarista, integrava em 1968 o combativo CESC (Centro dos Estudantes Secundaristas do Ceará).

09. Evilásio Gonzaga da Rocha, Era bancário e membro ativo do sindicato da categoria no ano de 1968, sendo um dos organizadores da célebre greve dos bancários naquele ano. Demitido do banco onde trabalhava, foi preso pelo DOPS e Polícia Federal e submetido a torturas em suas dependências.

10. Francisco Derly Pereira, Era funcionário do BNB, de onde foi demitido por exercer atividades consideradas “subversivas” pelo então regime. Preso pelo aparelho repressor do regime militar em 1973 e levado para a “Casa dos Horrores” e 23º BC.

11. Francisco Edson Pereira, Exercia a profissão de farmacêutico, diplomado pela UFC.

12. Francisco Lopes da Silva (Chico Lopes), Foi aluno do extinto Colégio Fênix Caixeral, tendo sido presidente de seu grêmio estudantil. Quando foi preso, em 1973, era contador e funcionário da Prefeitura Municipal de Fortaleza. Integrante do PC do B – Partido Comunista do Brasil, foi um dos presos na “Casa dos Horrores”.

13. Geraldo Magela Lins Guedes, Era estudante da Universidade Federal do Ceará (UFC), Faculdade de Engenharia e integrante do PC do B (Partido Comunista do Brasil).

14. Gil Fernandes Sá, Era sindicalista do segmento bancário, funcionário do BNB, e membro do PC do B – Partido Comunista do Brasil. Preso pelo aparelho repressor e levado para a “Casa dos Horrores” em 1973. Demitido, só retornou ao banco em 1989.

15. Gilberto Telmo Sidney Marques, Aluno de Física da UFC.

16. Hugo de Paiva Bezerra (falecido), Exercia a função de assistente administrativo na extinta Rede Viação Cearense (ramo ferroviário). Filiado ao PCB – Partido Comunista Brasileiro.

17. João Xavier de Lacerda (falecido), Comerciante, foi preso em 1970 em operação conjunta das Polícias Federal, Militar e Civil sob acusação de dar apoio à ALN – Ação Libertadora Nacional em suas atividades no Ceará.

18. José Francisco da Silva (falecido), Era ferroviário pertencente ao sindicato da categoria.

19. José Lopes Barbosa (falecido), Era profissional alfaiate dos mais requisitados em Fortaleza e exercia a presidência do sindicato da categoria .

20. José Alves da Silva Terceiro (falecido), Exercia a profissão de escriturário da extinta RVC – Rede Viação Cearense e participava ativamente do Sindicato dos Ferroviários do Ceará.

21. José Barbosa Sobrinho (falecido), Integrava o PCB – Partido Comunista Brasileiro. Trabalhava como colaborador intelectual no O DEMOCRATA, jornal oficial do PCB.

22. José de Arimatéia de Fonseca e Brito, Exercia o cargo de auxiliar administrativo do DNOCS e tinha simpatia pelo PCB – Partido Comunista Brasileiro.

23. José Elpídio Cavalcante, Era farmacêutico bioquímico e acusado de pertencer aos quadros do PC do B – Partido Comunista do Brasil, com atuação em Iguatu.

24. José Maria Tabosa, Era diretor do Sindicado dos Sapateiros da cidade de Fortaleza, e acusado de pertencer ao MCI (Movimento Comunista Internacional).

25. José Milton Barbosa do Carmo (falecido), Era membro da diretoria do Sindicato dos Marceneiros da cidade do Crato.

26. José Hélio de Góis Pereira (falecido), Era estudante de nível médio e integrante do Grêmio Literário Carlos Câmara, da antiga Escola Técnica Industrial do Ceará, hoje CEFET.

27. José Tarcísio Costa, Era bancário do Banco do Brasil e pertencente ao sindicato da categoria. Preso na Delegacia do Crato, DOPS e 23º BC, sendo vítima de maus tratos. Teve sua ascensão profissional prejudicada pelas perseguições que continuaram por longos anos.

28. Júlio César Portela Lima, Aluno do curso de engenharia da UFC e bancário (BNB). Acusado de pertencer ao PCdoB, foi preso em 1973 pela Polícia Federal e levado para a “Casa dos Horrores” . Fez candente denúncia de torturas durante interrogatório perante o conselho de justiça da Auditoria Militar da 10ª. Circunscrição Judiciária, cujo relato consta do livro “Tortura Nunca Mais”.

29. Lourival Almeida de Aguiar (Zito), Pertencia à diretoria do CESC – Centro dos Estudantes Secundaristas do Ceará, na segunda metade dos anos 60.

30. Marcelo Mário de Melo, Era estudante atuante no movimento estudantil secundarista de seu estado natal. Militante do PCB (Partido Comunista Brasileiro) e posteriormente PCBR (Partido Comunista Brasileiro Revolucionário).

31. Maria Antonietta Duarte Silva, Era membro da JEC (Juventude Estudantil Católica) e da AP (Ação Popular) e atuava em trabalhos de educação popular pelo método Paulo Freire.

32. Maria de Fátima Rocha Maranhão, Não tinha militância política, sendo somente parente de uma ativista do PCBR, a quem deu abrigo. Presa pela DOPS, Policia Federal e 23º BC, em três ocasiões nos anos de 1969 ,1972 e 1973, e vítima de maus tratos.

33. Maria Quintela de Almeida, Atuante no movimento estudantil secundarista de Fortaleza na segunda metade dos anos 60, quando fez parte da diretoria do CESC (Centro dos Estudantes Secundaristas do Ceará).

34. Ricardo de Matos Esmeraldo, Era líder estudantil no curso de engenharia da UFC e integrante do PC do B Partido Comunista do Brasil).

35. Tarcisio Rolim Gomes, Fazia parte do movimento estudantil universitário e era membro do PC do B (Partido Comunista do Brasil).

36. Paulo Farias Veras, Era um brilhante aluno do curso de medicina na UFC. Acusado de pertencer ao PC do B – Partido Comunista do Brasil, sua passagem pela “Casa dos Horrores” deixou-lhe seqüelas permanentes, inclusive o abandono definitivo do curso.

37. Valter Pinheiro,  Quando de sua prisão em 1971 era estudante universitário da UECE. Preso por acusação de pertencer a um grupo denominado MCI – Movimento Comunista Internacional.

Fonte: Coordenadoria de Imprensa do Governo do Estado

Matéria adaptada do site: http://www.antonioviana.com.br/

Anúncios