O Banco do Brasil fechou nesta quinta-feira a compra da Nossa Caixa, banco estadual de São Paulo. A negociação foi concluída por R$ 5,386 bilhões e é o primeiro passo do BB no sentido de retomar a liderança de mercado perdida após a fusão entre o Unibanco e o Itaú.

O pagamento será realizado em espécie dividido em 18 parcelas de R$ 299,250 milhões a partir de março de 2009, corrigidas pela taxa Selic até o pagamento das respectivas parcelas. Pelo acordo, cada ação foi avaliada em R$ 70,63.

De acordo com o banco federal, a negociação envolve 71,25% do capital na Nossa Caixa, o que dá o controle ao Banco do Brasil. A instituição informou ainda que dará aos acionistas minoritários as mesmas condições que ofereceu ao governo do Estado.

O Banco do Brasil negocia ainda a compra do BRB (Banco Regional de Brasília) e de metade do banco Votorantim, de propriedade da família Ermírio de Moraes. Caso concretize esses negócios, poderá voltar a ser a maior instituição financeira do país. a instituição aprovou a compra do Banco do Piauí.

Na última terça-feira (18), o presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou que o governo quer que o Banco do Brasil volte a ser o maior banco do país, posto que ele perdeu com a fusão do Itaú com o Unibanco.

“O Banco do Brasil era o principal banco do Brasil e com a fusão do Itaú e do Unibanco passou a ser o segundo. Nós queremos que o Banco do Brasil seja muito maior do que qualquer outro banco no Brasil”, disse Lula na terça-feira.

Na semana passada, durante a divulgação dos resultados do BB, o presidente da instituição, Lima Neto afirmou que o banco tem interesse em crescer no mercado de São Paulo — maior do país e onde o BB ocupa a 4ª colocação em número de agências– e além da expansão orgânica (por meio dos próprios negócios) no país. Ele antecipou isso só ser possível com aquisições e que tal posição já existia antes mesmo do início da crise financeira e da fusão Itaú-Unibanco

Unibanco e Itaú anunciaram no começo do mês a fusão de suas operações financeiras, o que formará o maior banco do país e o maior grupo financeiro do Hemisfério Sul. A união é resultado de 15 meses de negociação.

Segundo as duas instituições, o total de ativos combinado é de mais de R$ 575 bilhões –contra R$ 403,5 bilhões do Banco do Brasil, e R$ 348,4 bilhões do Bradesco, de acordo com dados de junho do Banco Central.

A compra da Nossa Caixa pelo BB também frustra os planos do Bradesco, que também se moveu em direção ao banco estadual, vista como uma das poucas possibilidade de ampliar sua presença no mercado. Com a fusão entre Itaú e Unibanco, o Bradesco deixou de ser a maior instituição financeira privada do país.

A possibilidade de compra de bancos estaduais, sem licitação, foi possível por meio de um medida provisória, que permite ao BB e à Caixa Econômica Federal adquirem outras instituições financeiras.

Fonte: Folha On Line

Anúncios