american_expressA American Express, uma das maiores companhias de cartões de crédito dos EUA, conquistou a aprovação da Reserva Federal (Fed), a autoridade monetária, para converter-se num banco comercial, obtendo acesso a fundos, numa altura em que as perdas com o crédito acentuam-se.
A American Express, uma das maiores companhias de cartões de crédito dos EUA, conquistou a aprovação da Reserva Federal (Fed), a autoridade monetária, para converter-se num banco comercial, obtendo acesso a fundos, numa altura em que as perdas com o crédito acentuam-se

A Fed, que levou 30 dias para emitir uma decisão sobre o pedido da American Express, revelou, num comunicado emitido ontem, citado pela Bloomberg, que aprovou a conversão de forma unânime, “à luz das anormais e exigentes circunstâncias que estão a afectar os mercados financeiros”.

Com a conversão a banco comercial, a American Express passa a ter acesso a outras formas de financiamento, principalmente os depósitos dos seus clientes, numa altura em que as companhias de cartões de crédito não conseguem colocar dívida no mercado e as perdas com o crédito aumentam.

Segundo dados da American Express, revelados no mês passado, e citados pela Bloomberg, no terceiro trimestre, a percentagem de detentores de cartões de crédito que não cumpriram com as suas obrigações praticamente duplicou, face ao mesmo período do ano passado.

A American Express junta-se agora aos antigos bancos de investimento, Goldman Sachs e Morgan Stanley, que em Setembro recorreram à Fed solicitando a conversão dos seus negócios para a banca comercial.