A Contraf/CUT vai cobrar dos presidentes do Itaú e do Unibanco, respectivamente Roberto Setúbal e Pedro Moreira Salles, que assumam por escrito o compromisso de que não haverá fechamento de agências e nem demissões de bancários em da fusão entre os dois bancos. Os dos banqueiros assumiram o compromisso na entrevista coletiva que concederam na segunda-feira para anunciar a fusão, que resultará no maior banco do hemisfério sul.

A Contraf/CUT já acertou reunião com os dois bancos para discutir os impactos da fusão, mas a data ainda está pendente. “Queremos que o Itaú e o Unibanco façam esse acordo por escrito com os bancários, de que não haverá fechamento de postos de trabalho com a fusão”, afirma Vagner Freitas, presidente da Contraf/CUT.

Vagner considera necessário o acordo por escrito porque o Itaú já descumpriu compromissos semelhantes feitos nas aquisições anteriores do banco. Nas compras do Banerj, Banestado, Bemge e Beg, o Itaú cortou 13.409 empregos, segundo cálculo do Dieese a partir dos dados da Itaú Holding e do Banco Central.

Fonte: http://www.contrafcut.org.br/