Escrito por José Roberto de Toledo

Mito 1 – PMDB é o grande vencedor da eleição municipal

Fato – O PMDB é um dos principais vencedores na eleição municipal. Entre mortos e feridos, o partido cresceu em número de prefeituras, em eleitorado a governar e conquistou cidades importantes, como o Rio de Janeiro. Tudo isso deve ajudar os peemedebistas em 2010 a elegerem mais deputados federais e estaduais, e, talvez, senadores e governadores.

A eleição não mudou o fato de o PMDB ser uma confederação de partidos regionais. Tampouco supriu a carência de uma liderança nacional ou produziu um presidenciável óbvio. O partido segue no papel de aliado indispensável do presidente, seja ele quem for. Parece impossível, mas é muito mais difícil governar sem o PMDB do que com ele. O PMDB ganhou, mas seu crescimento não transformou-o em um polo de poder, como são o PT e o PSDB. O partido pode até ganhar o Oscar, mas ainda como ator coadjuvante.

Mito 2 – Lula perdeu a eleição

Fato – O partido do presidente ganhou 1/3 a mais de prefeituras
, aumentou sua votação e viu crescer seu eleitorado a governar. Outros partidos da base governista, como PMDB e PSB, também tiveram um crescimento significativo. Mais prefeitos e vereadores significa ter uma máquina de poder mais capilarizada, um instrumento para eleger mais aliados daqui a dois anos. De quebra, esse crescimento se deu em cima do encolhimento dos adversários: PSDB, DEM e PPS. Como efeito colateral, as principais lideranças petistas que poderiam disputar com ele a hegemonia no partido ou a precedência para indicar seu sucessor foram derrotadas na eleição e perderam cacife.

Mito 3 – Lula é o grande vencedor da eleição municipal

Fato – O 2º turno mostrou que a capacidade de transferência de popularidade do presidente é limitada. Seus candidatos foram derrotados em São Paulo, em Porto Alegre, em Salvador, entre outras grandes cidades. Para piorar, a aliança de Lula com o principal aliado, o PMDB, saiu trincada das eleições na Bahia e no Rio Grande do Sul, onde houve confronto direto com o PT, em Belo Horizonte, onde estiveram em lados opostos do palanque, e em São Paulo, onde Orestes Quércia (PMDB) emplacou a vice de Gilberto Kassab (DEM). De quebra, o crescimento eleitoral do PMDB vai se traduzir em exigências de mais contrapartidas por parte do aliado, seja em cargos e verbas federais, seja em espaço na eleição de 2010.

Mito 4 – Serra é o grande vencedor da eleição municipal

Fato – O PSDB rachou em São Paulo. Embora mantenham o maior número de prefeituras no Estado, os tucanos perderam em várias das principais cidades: São Paulo, Campinas, São Bernardo do Campo, Guarulhos, Osasco, Ribeirão Preto, entre outras. A reeleição de seu ex-vice Kassab foi uma aposta do governador José Serra que deu certo. Mas não agrega nenhum voto além dos que ele já tinha na cidade tendo em vista a eleição de presidente da República em 2010. O PSDB segue muito concentrado em São Paulo, Minas Gerais e no Ceará, o que é problemático para uma campanha nacional. Seus aliados estratégicos, DEM e PPS, saíram enfraquecidos do pleito municipal.

A melhor notícia sobre a eleição municipal para Serra ele próprio explicitou quando Kassab lhe dedicou a vitória: os resultados mostraram que o PT não conseguiu conquistar a hegemonia de poder que pretendia. O PT viu sua rejeição crescer em centros importantes como São Paulo e Porto Alegre. E, mais importante, ainda não foi capaz de produzir um sucessor carismático para Lula. Serra sai como favorito a 2010 mais por falta de adversário do que por mérito próprio.

Mito 5 – O DEM está se reciclando e se modernizando

Fato – O DEM está encolhendo. O partido perdeu quase três centenas de prefeituras, que lhe farão falta em 2010. Tornou-se apenas o quinto partido em municípios no Nordeste, Norte e Centro-Oeste. É o sexto no Sul. Sua melhor situação é no Sudeste, mesma região onde os tucanos mantêm seu principal reduto. O encolhimento municipal deve lhe custar deputados federais e estaduais em 2010. O DEM ganhou a prefeitura de São Paulo, mas perdeu a do Rio de Janeiro. Kassab é apontado como o símbolo da renovação do partido, tanto quanto Cesar Maia o foi quando elegeu-se prefeito do Rio.

Mito 6 – 2008 foi a eleição da reeleição

Fato – 2008 foi a eleição da reeleição: 2 em cada 3 prefeitos candidatos à reeleição voltaram ao cargo, tanto em metrópoles quanto nas pequenas cidades, tanto de oposição quanto da situação (em relação ao governo federal). Essa permanência pode ser atribuída a um mix da boa situação econômica geral, o que estimula o sentimento de “time que está ganhando não se mexe”, com a boa avaliação da maioria dos prefeitos onde há medição pública.

Fonte: http://blogeleicoes2008.blog.terra.com.br/

Anúncios