Roberto Freire, o ex-comunista que perseguiu tanto o presidente Lula, hoje vê seu partido desaparecer. Na reportagem do Estadão: “Pagamos um preço por romper com o governo Lula”, observou Bueno. “Toda oposição sofre sempre. Todos os governos se transformam em majoritários”, ponderou Freire. As perdas do PPS vêm ocorrendo ao longo dos últimos anos e não se restringem às prefeituras: em 2006, o partido elegeu 24 deputados e hoje conta com apenas 14. Roberto Freire espera reverter o quadro das eleições municipais, quando elegeu 57,1% menos prefeitos do que em 2004.

Fonte: Blog Desabafo Brasil