San Salvador, 29 out (EFE).- Dezenove dos chefes de Estado e do Governo de 22 países ibero-americanos participarão da 18ª Cúpula Ibero-Americana, de 29 a 31 de outubro, em San Salvador, o que a tornará uma das mais movimentadas.

Só descartaram sua participação por diferentes motivos os presidentes venezuelano, Hugo Chávez; uruguaio, Tabaré Vázquez; cubano, Raúl Castro, e português, Aníbal Cavaco Silva -que será representado pelo primeiro-ministro José Sócrates, cujo país sediará a próxima reunião anual.

Dos 19 governantes, só faltam confirmar o horário de chegada o boliviano Evo Morales, esperado hoje pela organização, e o nicaragüense Daniel Ortega, que deve desembarcar amanhã na capital salvadorenha.

A cúpula também ressalta a numerosa participação de representantes de organismos internacionais, um total de 16, e de países alheios à comunidade ibero-americana como a Itália, na qualidade de convidada especial.

Chávez, assíduo a este tipo de reuniões desde que chegou ao poder em 1999, alegou para não viajar a El Salvador por não ter garantida sua segurança, alegando temor de sofrer um atentado.

Essa pode ser uma das razões da ampla participação de delegados de organismos como Banco Mundial, Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE), ONU, Organização dos Estados Americanos (OEA), Organização das Nações Unidas para a Agricultura e a Alimentação (FAO), União Européia e Parlamento Europeu.

Outro motivo pode ser -caso prospere uma proposta- a futura incorporação de outros países, com a categoria de “observador associado”, e o convite de organismos internacionais com a categoria de “observador consultivo”.

Fonte: Portal G1

Anúncios