Acordos com a Fenaban, Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal serão assinados nesta quinta-feira (30/10)

São Paulo – As assinaturas das Convenções Coletivas de Trabalho (CCT) de todos os bancários e os aditivos do Banco do Brasil e da Caixa Econômica Federal acontecem nesta quinta-feira, dia 30, em São Paulo (Veja tabelas abaixo).
Após dez dias da formalização, os trabalhadores receberão a primeira parcela (50%) da Participação nos Lucros e Resultados (PLR). No Banco do Brasil, além do crédito da PLR semestral também será pago o bônus de 200 anos aos bancários.

As diferenças nos salários e demais verbas serão depositadas com no crédito de novembro.

Aprovação – Os funcionários de bancos privados, da Nossa Caixa e do BB decidiram em assembléias realizadas no dia 22, encerrar a greve e aceitar as propostas apresentadas. Já os empregados da Caixa encerraram o movimento na assembléia realizada no dia 24.

O presidente do Sindicato, Luiz Cláudio Marcolino, destaca que as conquistas que serão ratificadas nesta quinta são fruto da garra dos bancários durante a greve. “Foram mais de duas semanas de uma batalha desigual. Os banqueiros usaram vários artifícios para tentar acabar com o movimento – a violência policial, o abuso dos interditos proibitórios, os contingenciamentos, o assédio moral, até caríssimos helicópteros –, mas os bancários foram muito mais fortes que tudo isso. E os resultados são, entre outros avanços sociais, o aumento real pelo quinto ano seguido e melhora na PLR”, avalia.

Proposta aprovada –
O reajuste salarial varia entre 10% e 8,15%, o que significa aumento real entre 2,66% e 1%. A Participação nos Lucros e Resultados (PLR) também será maior: a regra básica (80% do salário mais R$ 878) foi alterada para 90% do salário mais R$ 966. Além disso, os bancos que distribuírem menos de 5% do lucro líquido passam a pagar PLR de 2,2 salários – até o ano passado o limite era de 2 salários.

“Há tempos queríamos alterar esse modelo que já está ultrapassado e essa é a primeira mudança importante da regra básica desde 1997”, diz Marcolino, ressaltando que a conquista fará parte da Convenção Coletiva de Trabalho, “ou seja, ninguém tira esse aumento dos trabalhadores”. A regra da parcela adicional – conquista de 2006 – continua igual e, de acordo com o crescimento do lucro, pode atingir o teto de R$ 1.980.

 

Proposta Fenaban Aprovada

Item

Valor – em R$

Reajusta salarial

10% até 2.500
8,15 acima de 2.500

PLR*

90% + 966

Adicional à PLR**

1.320 até 1.980

Piso – Portaria

706,23

Piso – Escritório

1.013,64

Piso – Caixa

1.416,51

Piso – Tesoureiro

1.416,51

Gratificação de Função

55%

Auxílio-Refeição

15,92

Cesta-Alimentação

272,93

Auxílio-Creche/Babá

196,18

Requalificação Profissional

784,24

13ª Cesta-Alimentação

272,93

*O teto da PLR é de R$ 6.301. Se distribuir menos que 5% do lucro, paga 2,2 salários com teto de R$ 13.862.
** Pagamento da parcela adicional está vinculado ao crescimento do lucro líquido do banco de 2007 para 2008

Elaboração: DIEESE Subseção SESE/Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região

Específica Caixa Federal

Aplicação de 10% em todas as referências salariais do PCS das carreiras administrativas e profissionais, mantendo os percentuais entre as referências salariais. Dessa forma, o piso da tabela do PCS (Referência 201) passará de R$ 1.244 para R$ 1.369.
Será iniciada negociação para a construção de proposta para o PCC. O projeto será discutido até 30 de junho de 2009, a implantação começa no segundo semestre de 2009 e finalizada até dezembro de 2009.

O valor descontado relativo ao dia 30 de setembro será devolvido aos bancários até o dia 20/11. O banco afirmou que a paralisação do dia 23, terá o mesmo tratamento dado aos demais dias de greve pela proposta da Fenaban, ou seja, compensação. No entanto, a compensação seria feita até o aé 16/12.

Específica Banco do Brasil

PLR – Veja exemplos abaixo

O BB manterá o modelo utilizado nos semestres anteriores. Apesar de o pagamento continuar sendo semestral, o acordo a ser assinado terá validade de um ano.
Módulo Fixo –

O modelo prevê pagamento de 4% do lucro líquido, distribuídos de forma linear, o que garante o valor de R$ 1.916,54, além do valor fixo de R$ 483,00 (a metade do valor fixo da Fenaban).
Ainda no módulo fixo, será garantido o valor de 45% do VP do E6 para os escriturários, o que significa R$ 614,93. Para os caixas executivos, 45% do VP do E6 mais comissão de caixa, totalizando R$ 886,61. Para os demais cargos, 45% do VR.

 

Módulo bônus – Para os demais cargos comissionados, será pago um valor a título de bônus conforme a função, de forma que o montante totalize os percentuais divulgados pelo banco, que variam de 1,70 até 3,0 VRs. Esse complemento está condicionado ao cumprimento do ATB no semestre, havendo pagamento de valores proporcionais em tabela a ser divulgada para aqueles que não cumpriram integralmente o ATB.

Bônus 200 anos

O banco distribuirá o valor de R$ 120 milhões, divididos de forma linear entre os funcionários, o que dará em torno de R$ 1.300.

Plano Odontológico

O BB concordou em implantar o Plano Odontológico da Cassi até 30 de junho de 2009, sem ônus para os funcionários. O custo da implantação será arcado pelo banco.
Para os procedimentos que não forem cobertos pelo plano da Cassi, continuará existindo o financiamento pelo PAS.

 

Isonomia

PAS – Auxílios e adiantamentos. Pela proposta do BB, os funcionários terão direito a todos os benefícios previstos, garantindo a isonomia entre antigos e novo.
Ausências legais – Todos os funcionários passam a ter direitos iguais, acabando com as discriminações entre pós e pré-98. Exceto para licença-prêmio, férias de 35 dias após 20 anos de trabalho e acumular ou vender os 5 dias de bônus anuais. Esses pontos continuam sendo reivindicados pelos bancários.

 

Mesas temáticas

O BB concorda com a instalação de mesas temáticas para tratar de assuntos definidos em comum acordo entre as partes, dentre os quais terceirização, assédio moral, PCCS (lateralidade, remuneração etc.). Nos próximos 15 dias, será instalada a mesa que tratará dos assuntos referentes à incorporação do Besc.

Alguns exemplos de PLR – em R$

Cargo

45%

4% LL

Fixo Fenaban

Total

Escriturário

614,93

1.916,54

483

3.014,47

Caixa

886,61

1.916,54

483

3.286,15

Asneg

1.074,47

1.916,54

483

3.474,01

Ger. Seg. II

3.388,10

1.916,54

483

5.787,55*

* Valor sem Bonus
Elaboração: DIEESE Subseção SESE/Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região

Fonte: SEEB/SP