SÃO PAULO – A eleição para prefeito na capital paulista mostrou que o PT precisa melhorar seu diálogo com a classe média, segundo avaliação do presidente do diretório estadual do partido e prefeito de Araraquara (SP), Edinho Silva. “Essas eleições mostraram que temos esse desafio a superar. Setores da classe média ainda tem resistência ao PT”, disse.

Segundo Edinho, uma das dificuldades para a candidata do PT à Prefeitura de São Paulo, Marta Suplicy, foi o fato de seu adversário no segundo turno, Gilberto Kassab (DEM), estar à frente da Prefeitura. “A reeleição está institucionalizada”, apontou. Para ele, a possibilidade de reeleger um governante transforma a sua recondução ao cargo após o primeiro mandato em uma “avaliação” de seu governo, o que dificulta o trabalho de seus oponentes.

O fato de Kassab ser aliado do governador do Estado, José Serra (PSDB), também pesou contra a campanha de Marta, de acordo com o prefeito de Araraquara. “Nós enfrentamos a máquina da Prefeitura e do governo do Estado”, ressaltou. Além disso, ele acredita que a campanha do prefeito possuía uma “tática eleitoral extremamente bem construída” e uma política de comunicação bem-sucedida. Neste contexto, o presidente do diretório estadual do PT acredita que Kassab conseguiu algo que o PT não alcançou: construir um diálogo com a classe média, através de projetos como o Cidade Limpa.

Apesar de não ter levado a Prefeitura da capital, Edinho fez um balanço positivo da eleição para o PT em São Paulo. Ele chamou atenção para o resultado que o partido obteve na Grande São Paulo, com um total de onze prefeitos eleitos. “Nada substitui a capital”, reconheceu. Ainda assim, ele acredita que o PT saiu fortalecido no Estado. “É impossível você avaliar o cenário de 2010 sem entender que um dos pólos da eleição com certeza vai ser o PT.”

Ele evitou, entretanto, especular sobre possíveis candidatos ao governo do Estado. “O importante agora é fazermos um balanço, que eu penso que é um balanço positivo, um balanço que sinaliza para o futuro, para unificarmos o PT em prol de uma proposta”, disse. Para Silva, a idéia é fazer um “bom diagnóstico do Estado de São Paulo, inclusive da capital” e formular uma proposta de governo que contemple as diversas regiões de São Paulo.

Fonte: Blog do Favre

Anúncios