SÃO PAULO – A venda e o uso dos remédios Prexige e Arcoxia estão proibidas no País por determinação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). O registro do antiinflamatório Prexige (Lumiracoxibe) de 400 mg e do Arcoxia (Etoricoxibe) de 120 mg foi cancelado pela agência.  

O Prexige é fabricado pelo laboratório Novartis e o Arcoxia é produzido pela Marck Sharp e Dohme. A Anvisa alega que os riscos dos medicamentos superam os benefícios e a determinação deve ser publicada no Diário Oficial da União (DOU) na segunda-feira, 6. 

A agência recomenda que os pacientes que fazem uso dos medicamentos consultem seus médicos para saber qual remédio tomar sem interromper o tratamento. 

O Prexige era indicado para o tratamento da osteoartrite, da dor aguda e da cólica menstrual. Já o Arcoxia é recomendado no tratamento de reumatismo, gota, artrite, dor articular, cólica menstrual e em pós-operatórios.  

Em nota, a Novartis afirma que já estava reembolsando os pacientes que haviam comprado o Prexige desde que a decisão da Anvisa de suspender temporariamente a venda do remédio. A empresa alega que caso algum lote ainda esteja em circulação, os compradores serão reembolsados. Além disso, o laboratório afirma que o medicamento é eficaz e segura contra dores. A empresa informa os pacientes que, em caso de dúvida, podem ligar para o número 0800-888-3003. 

O laboratório Marck Sharp e Dohme afirma que vai cumprir a decisão da Anvisa e interromper a comercialização do Arcoxia 120 mg, mas que as fórmulas de 90 mg e 60 mg continuam à disposição dos pacientes, que devem conversar com seus médicos para saber o que fazer. A empresa lamenta a decisão da Anvisa e afirma que o remédio tem benefícios aos pacientes que o utilizam. O laboratório deve informar nos próximos dias qual será o procedimento para recolhimento do remédio e que, em caso de dúvidas, os pacientes podem entrar em contato pelo telefone 0800-01202232.

Fonte: http://www.estadao.com.br/

Postado por Erismar Carvalho, às 16h28.

Anúncios