O Jornal Folha de S. Paulo publicou que 22% dos candidatos ao cargo de vereador na cidade de São Paulo apresentaram antecedentes criminais à Justiça Eleitoral. As acusações mais freqüentes são de lesão corporal e estelionato, porém há casos mais graves como tentativa de homicídio e homicídio culposo, que não tem intenção de matar, como os casos de acidente de trânsito.

Nas certidões criminais, que indica qualquer tipo de investigação ou acusação relacionado diretamente à pessoa, entregues pelos 1.077 candidatos considerados aptos a concorrer ao pleito, 241 candidatos apresentaram antecedentes criminais.

Ao todo, estes 22% respondem a 267 inquéritos policiais e a 175 processos. Na maioria dos casos, a investigação já foi arquivada ou o candidato foi absolvido, porém há processos que estão em andamento, bem como algumas condenações.

As certidões são públicas e estão disponíveis nas cedes da Justiça Eleitoral e na ficha dos candidatos no site da Folha de S. Paulo.

Partidos
Ainda segundo a Folha de S. Paulo, o PRB é a sigla com maior proporção de nomes com antecedentes por candidatos que lançou, que é 42%. Em segundo vem o PMDB com 33% e em terceiro o PMN com 32%. Em número absoluto, o PSDB é o partido com maior número de candidatos nessa situação: 25. Em seguida vem o PTR com 24 e o PMN com 18.

Segundo a promotoria eleitoral, a pessoa que já ocupou cargo público tem maior possibilidade de ser enquadrado em ações por improbidade administrativa. Porém, inquéritos e processos por crimes de outra natureza devem receber tratamento rigoroso. “Estelionato, crime contra o patrimônio público, tráfico e roubo são os mais graves e, por mais que a lei permita que suspeitos disso possam concorrer, cabe ao eleitor escolher quem vai representá-lo”, disse.

A Justiça Eleitoral de São Paulo lembra que a Constituição Federal possibilita a candidatura de políticos que estejam sendo investigados ou estejam respondendo a processo, porém salienta que é necessário uma mudança urgente. “A sociedade deve se mobilizar para que a legislação seja alterada, buscando meios de se proibir essas candidaturas”.

Fonte: http://www.tribunadonorte.com/

Postado por Erismar Carvalho, às 09h52.

Anúncios