O Comando Nacional dos Bancários realiza na próxima terça-feira 2 a segunda rodada de negociações da campanha salarial de 2008 com a Fenaban. A expectativa é que na primeira parte do encontro seja concluído acordo visando combater o assédio moral/violência organizacional nos bancos, antes da instalação das mesas temáticas sobre saúde e condições de trabalho, igualdade de oportunidades e segurança bancária.

O calendário de negociações foi fechado na primeira rodada, dia 27 de agosto, quando os bancários já começaram a discutir o assédio moral, que estava pendente desde a campanha salarial do ano passado.

O Comando Nacional defendeu a necessidade de se estabelecer uma política permanente de combate ao assédio moral/violência organizacional, que vise não apenas a punição de chefias que a pratiquem, mas que tenha como foco a mudança da cultura das empresas.

Os representantes dos bancários defenderam a elaboração de um documento estabelecendo diretrizes para o combate do assédio moral, que faça parte da Convenção Coletiva dos Bancários. Essas diretrizes devem prever a implementação de um manual de conduta com orientações explícitas para se evitar a prática do assédio moral/violência organizacional nos locais de trabalho, além de reconhecer o direito de os bancários poderem denunciar os casos de abusos diretamente aos sindicatos.

Ficou acertado que na terça-feira o Comando Nacional e os representantes dos bancos construirão um texto conjunto sobre o tema para ser incluído na Convenção.

Cesta-alimentação

Na primeira rodada, o Comando Nacional também reafirmou aos bancos o seu entendimento de que o pagamento da décima-terceira cesta-alimentação vale para todos os bancários, inclusive aos afastados. E defendeu que esse entendimento deve estar explicitado na Convenção Coletiva que será assinada este ano.

“Consideramos que houve avanços nessa primeira rodada de negociações com a Fenaban, uma vez que conseguimos estabelecer uma dinâmica que permitirá discutir em profundidade as reivindicações dos bancários”, avalia Vagner Freitas, presidente da Contraf/CUT e coordenador do Comando Nacional.

Fonte: http://www.contrafcut.org.br/noticias.asp?CodNoticia=14317

Postado por Erismar Carvalho, às 08h29.