Arquivo da tag: WHITNEY HOUSTON

Grammy 2012 celebra vida e obra de Whitney Houston e consagra Adele com seis prêmios

morte inesperada de Whitney Houston, na noite de sábado (11), não abalou a festa do Grammy 2012, a maior premiação da música nos Estados Unidos. A cerimônia, que aconteceu neste domingo (12) no Staples Center de Los Angeles, lembrou a cantora em diversos momentos, mas também serviu de pano de fundo para a reunião dos veteranos Beach Boys e o retorno aos palcos de Adele com a consagração de seu trabalho.

Adele levou todos os seis prêmios a que concorria: canção do ano (“Rolling In The Deep”), melhor performance solo pop (“Someone Like You”), melhor álbum pop com vocal (“21″), melhor clipe (“Rolling In The Deep”), melhor gravação (“Rolling in the Deep”) e álbum do ano (“21″). “Quero agradecer aos médicos que trouxeram minha voz de volta”, disse ela, lembrando que estava afastada dos palcos desde outubro, após uma operação nas cordas vocais que a obrigou a cancelar seus compromissos pelo resto do ano.
O Foo Fighters, que também concorria a seis gramofones, ficou logo atrás, com cinco prêmios. A banda de Dave Grohl levou os prêmios de melhor performance de rock (“Walk”), melhor performance de hard rock/metal (“White Limo”), melhor canção de rock (“Walk”), melhor álbum de rock (“Wasting Light”) e melhor filme musical (“Foo Fighters: Back And Forth”).
Jennifer Hudson ficou responsável pela homenagem à Whitney Houston, cantando “I Will Always Love You” acompanhada apenas por um piano. Amy Winehouse, que morreu aos 27 anos em julho do ano passado, ganhou um prêmio póstumo de melhor dueto pela música “Body And Soul”, que gravou junto com Tony Bennett. O troféu foi recebido pelos pais dela, Mitch e Janis, que subiram ao palco e lembraram quando a filha venceu, em 2008, cinco categorias no Grammy.
Kanye West, que liderava as indicações em sete categorias, levou apenas quatro prêmios: melhor performance rap (“Otis” com Jay-Z), melhor colaboração rap (“All Of The Lights” com Rihanna, Kid Cudi e Fergie), melhor canção rap (“All Of The Lights”) e melhor álbum de rap (“My Beautiful Dark Twisted Fantasy”). A cerimônia televisionada do Grammy durou cerca de três horas e meia.
Shows e homenagens
A cerimônia do Grammy 2012 começou a ser transmitida ao vivo pela televisão às 23h com Bruce Springsteen e a E Street Band tocando “We Take Care of Our Own”. O rapper LL Cool J entrou em cena na sequência lamentando a morte de Whitney Houston e fazendo uma prece à cantora, que teve sua imagem exibida em um telão cantando o hit “I Will Always Love You”.
Vestido com terno dourado, Bruno Mars também homenageou Whitney em sua apresentação, ao som de “Runaway Baby”. Bonnie Raitt e Alicia Keys fizeram uma homenagem a Etta James, que morreu em janeiro deste ano, com “A Sunday Kind of Love”. Também se apresentaram Jason Aldean e Kelly Clarkson cantando “Don’t You Want to Stay?”, e Chris Brown com “Turn Up the Music” e “Beautiful People”.
Em uma área externa do Staples Center, o Foo Fighters foi apresentando por Jack Black para tocar “Walk”, single que ganhou prêmio de melhor canção de rock. Rihanna subiu ao palco cantando “We Found Love”, e em seguida dividiu o palco com Coldplay ao som de “Princess of China”. Chris Martin e banda ainda apresentaram “Paradise” sozinhos.
O aguardado retorno dos Beach Boys, que se apresentaram após 20 anos sem trabalhar juntos para comemorar os 50 anos de formação do grupo, teve Maroon 5 abrindo a apresentação com um trecho de “Surfer Girl” e a banda de indie pop Foster The People com o clássico “Wouldn’t It Be Nice”. Depois das homenagens, os veteranos apresentaram “Good Vibrations”.
Na sequência, Stevie Wonder apresentou o show de Paul McCartney, com participação de Diana Krall ao piano e Joe Wals, que cantou “My Valentine”. Outra esperada apresentação foi de Adele, que subiu ao palco entoando “Rolling In The Deep” à capella antes de entrar sua banda acompanhada por backing vocals. A cantora foi aplaudida de pé e por longos minutos.
O cantor Glen Campbell foi homenageado com um prêmio honorário. Ele, que foi diagnosticado com Alzheimer em junho de 2011, se apresentou ao vivo ao lado de Blake Shelton e The Band Perry, cantando “Like a Rhinestone Cowboy”. Junto com ele, o brasileiro Tom Jobim, a estrela da música country George Jones, a cantora Diana Ross, e o grupo Allman Brothers Band também receberam homenagens pela contribuição à música. LL Cool J, ?uestlove e David Guetta juntaram-se em um tributo a Don Cornelius. The Civil Wars, Taylor Swift, Katy Perry, Carrie Underwood com Tony Bennett, e Nicki Minaj também se apresentaram no palco do Grammy.

Veja os vencedores das categorias principais:

Disco do Ano
Adele – “21″
Foo Fighters – “Wasting Light”
Lady Gaga – “Born This Way”
Bruno Mars – “Doo-Wops & Hooligans”
Rihanna – “Loud”

Gravação do Ano
“Rolling In The Deep” - Adele

“Holocene” – Bon Iver
“Grenade” – Bruno Mars
“The Cave” – Mumford & Sons
“Firework” – Katy Perry

Artista Revelação
Band Perry
Bon Iver
J. Cole
Nicki Minaj
Skrillex

Melhor Performance Pop
“Fu**in Perfect” – Pink
“Someone Like You” – Adele
“Firework” – Katy Perry
“Grenade” – Bruno Mars
“Yoü and I” – Lady Gaga

Melhor Performance Pop solo
Adele – Someone Like You
Lady Gaga – “You and I”
Bruno Mars – “Grenade”
Katy Perry – “Firework”
Pink – “F***in’ Perfect”

Melhor Álbum Pop
Adele – “21″

Cee Lo Green – “The Lady Killer”
Lady Gaga – “Born This Way”
Bruno Mars – “Doo-Wops & Hooligans”
Rihanna – “Loud”

Melhor Perfomance de Rap
“Look At Me Now”, Chris Brown
“Otis” -  Jay-Z & Kanye West 
“The Show Goes On” - Lupe Fiasco
“Moment 4 Life” - Nicki Minaj & Drake
“Black & Yellow” - Wiz Khalifa

Melhor Performance de Rock
“Every Teardrop Is A Waterfall” – Coldplay
“Down By The Water” – Decemberists
“Walk” – Foo Fighters
“The Cave”, Mumford & Sons
“Lotus Flower”, Radiohead

Melhor Álbum de R&B
“F.A.M.E.” – Chris Brown

“Second Chance” – El DeBarge
“Love Letter” - R. Kelly
“Pieces Of Me” - Ledisi
“Kelly” – Kelly Price

Música do Ano (prêmio para compositor)
“All Of The Lights” – Kanye West e Rihanna
“The Cave” – Mumford & Sons
“Grenade” – Bruno Mars
“Holocene” – Bon Iver
“Rolling in The Deep” – Adele

Melhor Álbum Country
“Own The Night” – Lady Antebellum 

“My Kinda Party” – Jason Aldean
“Chief” – Eric Church
“Red River Blue” – Blake Shelton
“Here For a Good Time” – George Strait
“Speak Now” – Taylor Swift

Melhor performance metal/hard rock
“White Limo” – Foo Fighters

“On The Backs Of Angels” – Dream Theater
“Curl Of The Burl” – Mastodon
“Public Enemy No. 1″ – Megadeth
“Blood In My Eyes” – Sum 41

Melhor música de rock
“Walk” – Foo Fighters

“The Cave” – Mumford & Sons
“Down By The Water” – The Decemberists
“Every Teardrop Is A Waterfall” – Coldplay
“Lotus Flower” – Radiohead

Melhor álbum de rock
“Wasting Light” - Foo Fighters

“Rock ‘N’ Roll Party Honoring Les Paul” - Jeff Beck
“Come Around Sundown”— Kings Of Leon
“I’m With You” - Red Hot Chili Peppers
“The Whole Love” - Wilco

Melhor clipe-documentário
“Foo Fighters: Back And Forth” – Foo Fighters

“I Am…World Tour” – Beyoncé
“Talihina Sky: The Story Of Kings Of Leon” – Kings Of Leon
“Beats, Rhymes & Life: The Travels Of A Tribe Called Quest” – A Tribe Called Quest
“Nine Types Of Light” – TV On The Radio

Melhor clipe
“Rolling In The Deep” – Adele

“Yes I Know” – Memory Tapes
“All Is Not Lost” – OK Go
“Lotus Flower” – Radiohead
“First Of The Year (Equinox)” – Skrillex
“Perform This Way” – “Weird Al” Yankovic

Melhor álbum alternativo
“Bon Iver” - Bon Iver

“Codes And Keys” – Death Cab For Cutie
“Torches” - Foster The People
Circuital — My Morning Jacket
The King Of Limbs— Radiohead

Melhor álbum country
“Own The Night” – Lady Antebellum

“My Kinda Part”y – Jason Aldean
“Chief” – Eric Church
“Red River Blue” – Blake Shelton
“Here For A Good Time” – George Strait
“Speak Now” – Taylor Swift

Melhor performance country solo
“Mean” – Taylor Swift

“Dirt Road Anthem” – Jason Aldean
“I’m Gonna Love You Through It” – Martina McBride
“Honey Bee” – Blake Shelton
“Mama’s Song” – Carrie Underwood

Melhor música country
“Mean” – Taylor Swift, songwriter (Taylor Swift)

“Are You Gonna Kiss Me Or Not” – Jim Collins & David Lee Murphy, songwriters (Thompson Square)
“God Gave Me You” – Dave Barnes, songwriter (Blake Shelton)
“Just Fishin’” – Casey Beathard, Monty Criswell & Ed Hill, songwriters (Trace Adkins)
“Threaten Me With Heaven” – Vince Gill, Amy Grant, Will Owsley & Dillon O’Brian, songwriters (Vince Gill)
“You And Tequila” – Matraca Berg & Deana Carter, songwriters (Kenny Chesney Featuring Grace Potter)

Melhor álbum folk
“Barton Hollow” - The Civil Wars

“I’ll Never Get Out Of This World Alive” - Steve Earle
“Helplessness Blues” - Fleet Foxes
“Ukulele Songs” - Eddie Vedder
“The Harrow & The Harvest” - Gillian Welch

Melhor álbum de blues
“Revelator” – Tedeschi Trucks Band

“Low Country Blues” – Gregg Allman
“Roadside Attractions” - Marcia Ball
“Man In Motion” - Warren Haynes
“The Reflection” - Keb’Mo’

Melhor álbum de rap
“My Beautiful Dark Twisted Fantasy”, Kanye West

“Watch The Throne”, Jay-Z & Kanye West
“Tha Carter IV”, Lil Wayne
“Lasers”, Lupe Fiasco
“Pink Friday”, Nicki Minaj

Melhor colaboração de rap
“All Of The Lights” — Kanye West, Rihanna, Kid Cudi & Fergie

“Party” — Beyoncé & André 3000
“I’m On One” — DJ Khaled, Drake, Rick Ross & Lil Wayne
“I Need A Doctor” — Dr. Dre, Eminem & Skylar Grey
“What’s My Name?” — Rihanna & Drake
“Motivation” — Kelly Rowland & Lil Wayne

Melhor música de rap
“All Of The Lights” – Kanye West, Rihanna, Kid Cudi & Fergie

“Black And Yellow” – Wiz Khalifa
“I Need A Doctor” – Aftermath
“Look At Me Now” – Chris Brown, Lil Wayne & Busta Rhymes
“Otis” – Jay-Z & Kanye West
“The Show Goes On” – Lupe Fiasco

Melhor álbum pop instrumental
“The Road From Memphis” – Booker T. Jones

“Wish Upon A Star” – Jenny Oaks Baker
“E Kahe Malie” – Daniel Ho
“Hello Tomorrow” – Dave Koz
“Setzer Goes Instru-Mental!” – Brian Setzer

Melhor Gravação Eletrônica
Scary Monsters And Nice Sprites – Skrillex

“Raise Your Weapon” – Deadmau5 & Greta Svabo Bech
“Barbra Streisand” – Duck Sauce
“Sunshine” – David Guetta & Avicii
“Call Your Girlfriend” – Robyn
“Save The World” – Swedish House Mafia

Melhor álbum eletrônico
“Scary Monsters And Nice Sprites” – Skrillex/Atlantic

“Zonoscope” – Cut/Copy
“4×4=12″ – Deadmau5
“Nothing But The Beat” – David Guetta
“Body Talk, Pt. 3″ – Robyn

Melhor álbum pop de vocal tradicional
“Duets II” – Tony Bennett & Various Artists

“The Gift” – Susan Boyle
“In Concert On Broadway” – Harry Connick Jr.
“Music Is Better Than Words” – Seth MacFarlane
“What Matters Most” – Barbra Streisand

(MUSICA UOL)

Cantoras da nova geração lamentam morte de Whitney Houston

Algumas das divas da geração mais jovem da música pop foram as primeiras a lamentar a morte da cantora Whitney Houston, citada por todas elas como uma de suas principais inspirações.

Post de Rihanna sobre Whitney (Foto: Reprodução)

“Sem palavras. Apenas lágrimas #DearWhitney”, escreveu Rihanna em seu perfil oficial no Twitter. “”Eu honestamente não consigo pensar em mais nada”.

“NÃOOOOO”, postou Katy Perry. “Devastador demais. Nós sempre a amaremos, Whitney, R.I.P.”, completou a norte-americana, fazendo uma referência em inglês a “I will always love you”, um dos maiores sucessos da cantora. Mais tarde, Perry publicou um vídeo de Whitney cantando a música “I’m Every Woman”, e disse: “Whitney era tudo. Reformulando: é tudo!”.

“Que perda. Uma das maiores vozes do nosso tempo. Mando minhas orações para a sua família”, escreveu Jennifer Lopez. Christina Aguilera também comentou a morte da cantora que a inspirou. “Nós perdemos outra lenda. Amor e orações à família de Whitney. Ela fará falta”, postou.

Mais repercussões
Mas elas não foram as únicas. O músico Lenny Kravitz também publicou suas condolências em seu perfil no microblog: “Whitney. Descanse em paz. Nunca haverá outra como você. Lenny”.

Mariah Carey trocou o seu perfil no Twitter para uma foto em que está com Whitney Houston (Foto: Reprodução)

Cantoras contemporâneas também lamentaram sua morte. Mariah Carey se disse “de coração partido e em lágrimas pela chocante morte de minha amiga, a incomparável Whitney Houston. Ela nunca será esquecida como uma das grandes vozes que já estiveram na Terra”.

Aretha Franlkin, madrinha de Whitney Houston, também publicou uma mensagem no Twitter. “Eu não consigo falar sobre isso agora. É tão terrível e inacreditável. Eu não conseguia acreditar no que eu estava lendo na TV”.

Gloria Stefan, em princípio, também não quis acreditar. “Alguém por favor me diga que não é verdade que Whitney Houston faleceu! Um talento tão impressionante”, publicou. Em seguida, completou: “Chocada que tenhamos perdido a imensamente talentosa Whitney Houston! Enviando orações para sua família, amigos e fãs. Que perda!”.

Toni Braxton declarou que seu coração estava “chorando”, e ressaltou que Whitney “abriu o caminho para todos os cantores na indústria. Icônica, lendária, inovadora, impressionante, humilde…número 1 e melhor do mundo”.

No Brasil
Ivete Sangalo também se manifestou noTwitter. “O que? Whitney Houston morreu? Não acredito. Poxa, que notícia triste. Eu era uma fã fervorosa da sua voz e brilho. Deus guarde essa diva!”, disse. “Uma voz incrível, interprete única. Simplesmente diva! Whitney criou um estilo, inspirou muitas cantoras, músicos e fãs. Técnica e emoção somados ao brilho nato dessa estrela. Fico triste”, completou a cantora.

Sandy escreveu no microblog que Whitney Houston marcou sua infância e adolescência. “RIP Whitney. Que triste. Grande cantora. Marcou minha infância e adolescência. Ela fez história. Que agora possa descansar em paz”.

“Whitney Houston, uma das vozes mais lindas do mundo. Triste, que ela descanse em paz”, declarou Preta Gil. Claudia Leitte também lamentou a notícia no Twitter: “Whitney Houston morreu? Como assim? Estou chocada. Aquela voz… aos 48?”, publicou.

O cantor Alexandre Pires lembrou que já assistiu a um show de Whitney. “Tive o privilégio de assistir e ouvir sua linda voz ecoando no estádio do Benfica em Lisboa em 1998! Foi um dos dias mais felizes da minha vida!!! Uma voz única!! Fantásticamente linda!!”.

O rapper Gabriel O Pensador falou sobre a morte da cantora em entrevista à Globo News. “O que consola quando alguém da música morre é que as pessoas podem ter a obra eternizada. Outras gerações estão vindo aí para ouvir as músicas, vão ver os vídeos e continuar curtindo no futuro”, diz Gabriel.

Também à Globo News, o músico Ed Motta falou sobre Whitney. “Ela tinha um canto muito sofisticado. Um canto com técnica. Às vezes, a técnica pode ser chata, de tirar parte da emoção. Mas ela tinha uma técnica a serviço da arte e da música. Vejo isso bem pouco hoje”, avalia.

(GP SÃO PAULO)

Whitney Houston: Os altos e baixos de uma estrela da música

Whitney Houston foi a queridinha da indústria musical americana de meados dos anos 1980 ao fim dos 90. Mas, depois de anos no topo, sofreu uma queda espetacular.

MORTA AOS 48 ANOS, CANTORA CHEGARA AO TOPO DA BILBOARD 30 VEZES, VENDERA 200 MILHÕES DE DISCOS E TINHA SEIS GRAMMYS; É CONSIDERADA A CANTORA SOUL MAIS BEM SUCEDIDA DA HISTÓRIA

12 de Fevereiro de 2012

Cassius Oliveira _247 – Na noite deste sábado, o mundo da música perdeu uma de suas vozes mais grandiosas. Whitney Houston foi encontrada morta aos 48 anos de idade em um quarto de hotel na Califórnia, uma noite antes da entrega do Grammy, maior prêmio da música americana. Nos anos 80 e 90, a cantora era considerada pela indústria fonográfica uma verdadeira fonte de sucesso. Com um estilo inspirado no gospel, a artista encantou o mundo inteiro com um timbre inigualável. Além de se destacar como cantora de R&B e soul, Whitney também atuou no cinema e fez carreira como modelo.

Em seu primeiro disco, lançado em 1985, a cantora já conseguiu um estrondoso sucesso. E “Whitney” se tornou o álbum de estreia mais vendido por uma artista feminina de todos os tempos com os hits “Saving all my love for you” e “How will I know”. O disco já colhia seus frutos no ano seguinte, quando a cantora ganhou o Grammy com “Saving All My Love For You”. Ela ainda foi escolhida a artista do ano pela revista Billboard. Em toda a sua carreira, a diva vendeu aproximadamente 200 milhões de álbuns e chegou 30 vezes ao topo das paradas da Billboard, além de ter ganhado seis Grammys e 22 American Music Awards. No fim dos anos 1980, já havia se tornado uma das artistas mais vendidas do mundo e a cantora soul mais bem-sucedida da história.

O auge veio juntamente com sua estreia em Hollywood. Em 1992, ela estrelou “O Guarda Costas”, sucesso de bilheteria que arrecadou mais de 150 milhões de dólares. A produção colocou a artista novamente no topo das paradas, com a canção-tema ‘I Will Always Love You’. O princípio do declínio de Whitney Houston aconteceu após dois filmes estrelados pela artista. ‘Falando de Amor’ e ‘Um Anjo em Minha Vida’, que também derivaram em álbuns de trilhas sonoras, foram lançados em 1995 e 1996 respectivamente. No entanto, nesta época Whitney havia começado a usar excessivamente drogas como cocaína, maconha e medicamentos. A queda aconteceu juntamente com seu casamento problemático com o rapper Bobby Brown, uma união recheada de consumo de drogas, álcool, violência e brigas. Devido ao seu vício, a cantora internou-se duas vezes em clínicas de reabilitação. Em 2009, precisou interromper sua turnê europeia devido a problemas de saúde.

Neste ano, já totalmente livre das drogas, Whitney Houston preparava uma volta por cima e o lançamento de um novo álbum. Ao saber a notícia de sua morte, Bobby Brown não cancelou o show que faria na noite deste sábado, mas fez diversas declarações de amor à ex-mulher. “Eu gostaria de dizer que eu te amo, Whitney! A coisa mais difícil para mim foi subir neste palco esta noite”, disse o cantor durante a festa que antecede o Grammy. Muitas celebridades lamentaram o falecimento da cantora pelo Twitter. “Sem palavras. Apenas lágrimas #DearWhitney”, escreveu Rihanna em seu perfil oficial no microblog. “Devastador demais. Nós sempre a amaremos, Whitney, R.I.P.”, postou Katy Perry.

Menos de 24 horas depois de sua morte, a cantora já surgiu no topo da lista dos álbuns mais vendidos do iTunes. Nos Estados Unidos, dos dez discos mais comercializados, The Greatest Hits, lançado em 2000, é o líder. Outros álbuns que compõem a lista dos 10 mais são Whitney Houston, de 1985, e The Bodyguard – trilha sonora do filme –, de 1992. Na lista das músicas mais vendidas, “I Will Always Love You” lidera.

(BRASIL 247)


 

Whitney Houston: Morre a diva da música pop americana

A cantora pop Whitney Houston, 48 anos, foi encontrada morta no sábado num quarto do Beverly Hills Hotel, informou a polícia.

As causas da morte ainda não foram esclarecidas e não se sabe se estão ou não relacionadas com o uso de álcool ou drogas. Os resultados da necropsia só devem sair dentro de algumas semanas.

“Às 15h55 Whitney Houston foi declarada morta no Beverly Hilton Hotel”, informou Mark Rosen, um porta-voz da polícia.

“Lamentavelmente, é verdade”, confirmou o agente Jill Fritzo em um correio eletrônico, também sem dar maiores detalhes.

Rosen informou que a polícia recebeu uma ligação de emergência de alguém da equipe da cantora, aparentemente seu guarda-costas, e os agentes encontraram Houston caída no chão de seu quarto no quarto andar do hotel. Os paramédicos tentaram ressuscitá-la em vão.

De acordo com o canal CNN, foi o companheiro da cantora, o cantor Ray-J, foi quem fez a ligação de emergência.

“Não havia sinais óbvios de tentativa criminosa no local, que está sendo investigado pelo departamento de polícia de Beverly Hills”, acrescentou.

Whitney se encontrava em Beverly Hills para participar na pré-festa de gala do Grammy Award, o prêmio da indústria da música americana que será entregue neste domingo. O evento de sábado aconteceu no mesmo Beverlly Hilton e foi organizada pelo veterano produtor Clive Davis, que descobriu a cantora na década de 80.

As versões são variadas sobre as condições de saúde da cantora, que teria sido vista esta semana saindo transtornada de uma boate e com ferimentos nas pernas.

Mensagens de pêsames logo começaram a ser postadas no Twitter de fãs chocados com a notícia e famosos entristecidos pela perda da artista.

“Coração partido e lágrimas pela morte chocante de minha amiga… Ela nunca será esquecida como uma das maiores vozes que encantaram a Terra”, escreveu Mariah Carey.

“Perdemos outra lenda. Amor e orações para a família de Whitney. Sentiremos sua falta”, afirmou Christina Aguilera, enquanto Rihanna simplesmente postou: “Sem palavras! Só lágrimas #QueridaWhitney.”

Os organizadores do Grammys não se pronunciaram a respeito, mas devem incluir algum tipo de tributo a Houston na festa que acontece na noite deste domingo no Staples Center, em Los Angeles, de acordo com a CNN.

Dona de uma voz poderosa, Houston dominou o cenário musical americano nos anos 1980 e 1990 como a cantora pop-soul conhecida como “the Voice” e a “Rainha do Pop.” Ela também atuou em filmes de sucesso como “Falando de amor” e “O guarda-costas”.

Seu último filme foi “Um anjo em minha vida”, de 1996, e ela deveria participar do musical “Sparkle”, inspirado na história do grupo The Supremes, o que seria sua volta às telas e a retomada de sua carreira.

Filha de uma família musical, que incluía sua mãe Cissy Houston, uma cantora gospel, e Dionne Warwick, sua prima, Whitney Houston começou adolescente a trabalhar como modelo.

Sua impressionante beleza afroamericana a levou a ser a primeira garota negra a posar para a capa da conhecida revista “Seventeen”.

Mas sua passagem pelos corais da igreja logo revelariam sua maior vocação: a música. Seu sucesso foi imediato e avassalador e ela dominou todos os hit parades com êxitos como “How Will I Know,” “Saving all My Love for You” e “I Will Always Love You.”

“Ela era uma lenda. Dessas pessoas que não se encontra com frequência”, declarou o apresentador e produtor musical Simon Cowell, do American Idol, falando à CNN. “Ninguém sabia vender uma música como Whitney. Ela nasceu para ser uma diva…”, acrescentou.

Houston conquistou seis Grammy, incluindo dois de melhor álbum do ano, e vendeu mais de 170 milhões de álbuns.

A cantora, que nasceu em 9 de agosto de 1963, em Nova Jersey, no auge da carreira também expressou seu apoio ao movimento anti-apartheid de Nelson Mandela, e fez campanha pela libertação do líder negro sul-africano.

Posteriormente, sua carreira sofreu um baque quando ela admitiu sua dependência de drogas e uma relação abusiva com seu ex-marido Bobby Brown. Assim, passou a chamar mais a atenção por seus problemas com as drogas e sua carreira desabou, sendo superada por uma nova geração, como Beyoncé e Rihanna.

Brown fez sucesso como cantor de rhythm and blues nos anos 1980 e 90, mas ficou mais conhecido como marido de Houston e por seu envolvimento constante com drogas e a lei.

A relação com Brown teve total influência na vida de Whitney. Ela chegou a um tal grau de dependência das drogas que chocou o público com a visível decadência de sua aparência.

O casal estrelou um reality show, “Being Bobby Brown”, que falava de seu casamento.

Brown foi preso diversas vezes, como em 1996, por dirigir bêbado, e em 2003, por bater em Houston.

Os dois, que tiveram uma filha, Bobbi Kristina, se divorciaram em 2007.

Em 2009, após anos afastada do mundo da música, lançou um novo álbum, “I look to you”.

“Posso resistir à dor, mas minha vida não se limita a isto”, canta em “Nothin’ but love”.

Em 2010 foi obrigada a cancelar parte de uma turnê europeia e teve que ser hospitalizada em Paris por uma infecção respiratória, ao mesmo tempo que lutava contra as drogas.

A última aparição pública aconteceu na quinta-feira, quando foi vista em uma discoteca de Hollywood, desorientada, segundo o canal ABC.

Os organizadores do Grammy anunciaram que a cerimônia deste domingo será radicalmente modificada para homenagear a artista.

(VEJA ONLINE)

Whitney Houston está falida e vive de empréstimo dos amigos

A cantora Whitney Houston, 48, superou o vício em cocaína e em crack, mas acabou gastando toda a sua fortuna e agora está sendo ajudada financeiramente pela sua gravadora Arista, que lhe deu um adiantamento para seu próximo álbum.

“A fortuna de Whitney desapareceu. O pessoal da indústria musical está a ajudando. Sua gravadora adiantou o pagamento de seu próximo álbum, mas ninguém sabe quando ele vai ser lançado … Ela poderia ficar sem casa se as pessoas não tentassem salvá-la. Ela está quebrada mesmo!”, uma fonte disse ao “RadarOnline”. Houston já esteve no topo da lista da revista “Forbes” como uma das artistas mais poderosas e ricas do mundo na década de 1990.

Acredita-se que Whitney teve que recorrer também aos amigos para arranjar pequenos empréstimos. A fonte acrescentou: “Ela ligou para alguém para pedir 100 dólares. É tão triste! Ela deveria ter o dinheiro que Mariah Carey tem, mas ela está falida.” Em agosto de 2001, Whitney assinou o maior acordo recorde na história da música até o momento com a Arista / BMG, renovando seu contrato com a gravadora por 100 milhões dólares para entregar seis novos álbuns. Ela lançou seu último LP ‘I Look to You’ em agosto de 2009.

(TRIBUNA DA BAHIA)

ADELE bate Beatles e Pink Floyd e iguala-se em recordes à WHITNEY HOUSTON

Ela não está cansada quebrar recordes e desta vez Adele escreveu de uma vez por todas seu nome na indústria fonográfica norte-americana. A cantora revelação e mais bem sucedida de 2011 igualou nessa semana um recorde para poucos, Adele atingiu a 16ª semana no topo das paradas com seu útlimo álbum “21″ igualando-se a ícones da música americana.

Nos últimos 20 anos apenas quatro artistas chegaram a esta marca: Whitney Houston com a trilha de “O Guarda-Costas” (1992), Garth Brooks, com o álbum “Ropin’ the Wind” (1991); Billy Ray Cyrus, com “Some Gave All” (1992), e a trilha sonora de “Titanic” (1997), composta por James Horner contendo a icônica “My Heart Will Go On”, de Céline Dion.

O recorde coincide com o aumento das vendas de álbuns pop em relação aos de rock. Segundo dados divulgados pela Official Charts Company na última segunda, 16, foi a primeira vez em sete anos que o gênero foi ultrapassado, com uma queda de comercialização de 31,2% para 29,4%, o número mais baixo desde 2003.

Isto significa que Adele ultrapassou nomes como os Beatles e os Pink Floyd: Sgt Pepper’s Lonely Hearts Club Band e The Wall tinham ambos passado 15 semanas no topo da tabela norte-americana. 21 já vendeu mais de 17 milhões de exemplares em todo o mundo.

( Portal Freakout e Portal Blitz)