archives

Contraf-CUT

Esta tag está associada a 3 posts

Contraf-CUT recebe prêmio Cidadania em Respeito à Diversidade

A Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financiero (Contraf-CUT) receberá o Prêmio Cidadania em Respeito à Diversidade concedido pela Associação da Parada do Orgulho GLBT de São Paulo (APOGLBT). A entrega será feita em São Paulo, no Sesc Pompéia, dia 4 de junho, às 20h, durante a 10ª cerimônia promovida pela entidade.

O presidente da Contraf-CUT, Carlos Cordeiro irá receber o prêmio em reconhecimento à luta do movimento sindical bancário, que conquistou na Convenção Coletiva de Trabalho de 2009 a cláusula de isonomia de tratamento para casais homoafetivos.

“A cláusula de isonomia aos casais homoafetivos foi uma das grandes conquistas da campanha salarial de 2009. É uma inovação da categoria que cada vez mais torna a categoria bancária vanguarda na luta contra todas as formas de preconceito”, afirma Carlos Cordeiro, presidente da Contraf-CUT.

“Consideramos que a atuação da Contraf-CUT foi fundamental para que o debate sobre o tratamento igualitário para casais homoafetivos tenha sido colocado em pauta. Por isso, a entidade é merecedora do prêmio”, afirma Francione Oliveira Carvalho, diretor artístico do 10º Prêmio Cidadania em Respeito à Diversidade.

“Receber a premiação de uma organização que mobiliza cerca de 10 milhões de pessoas coroa uma luta iniciada há mais de 10 anos na categoria”, afirma Deise Recoaro, secretária de políticas sociais da Contraf-CUT.

Prêmio Cidadania em Respeito à Diversidade

O prêmio foi criado em 2001 com o objetivo de lembrar e divulgar pessoas, instituições e os fatos mais significativos no cenário político, social e cultural para a comunidade LGBT, contribuindo na promoção dos direitos humanos.

Promovido pela APOGLBT, localizada na cidade de São Paulo, seu surgimento é concomitante com o de outros dois eventos relacionados à Parada do Orgulho. O Gay Day e a Feira Cultural LGBT, resultando na oficialização do calendário do Mês do Orgulho LGBT de São Paulo.

“Este prêmio é um importante momento de divulgação e valorização das atividades que contribuíram com o movimento na consolidação do respeito à diversidade, bem como um estímulo às práticas socialmente responsáveis”, afirma Francione.

“Mesmo com todas as conquistas, ainda testemunhamos atitudes retrógradas, como a demissão da agente comercial Márcia Cristina Tomé Líbano, funcionária do Itaú Unibanco no Rio de Janeiro, logo após seu gerente saber que ela possuía uma companheira”, afirma Deise. “A demonstração de imaturidade do banco, contradizendo o próprio acordo assinado no ano anterior, demonstra que ainda há muito por avançar na busca pelo fim do preconceito”, completa Deise.

* Saiba mais: Itaú Unibanco discrimina e demite bancária homossexual no Rio

“Ao receber este prêmio, não podemos deixar de fazer referência à Vera de Oliveira, ex-coordenadora da Comissão de Gênero, Raça e Orientação Sexual (CGROS), da então Confederação Nacional dos Bancários (CNB). Ela foi uma das pioneiras na abordagem deste tema durante a campanha em 1998″, lembra Deise.

“Além da Vera, destacamos também o empenho do Nilson Garcia, Fetraf/MG e atualmente da Maria Isabel (Bel), Fetec/SP e de Jair Sanches, Fetec/PR. Eles mostraram de uma forma bastante didática que a orientação sexual está associada as questões de direitos humanos”, afirma Deise. “Com isso, podemos afirmar que o desafio das direções sindicais está alinhado a proposta de Paulo Freire: o pensar certo exige aceitação do novo e a rejeição a qualquer forma de discriminação”, conclui Deise.

(Contraf-CUT)

Assembleia da Classe Trabalhadora propõe projeto de desenvolvimento

Mais de 22 mil trabalhadores e trabalhadoras de todo o Brasil estiveram reunidos nesta terça-feira, 1º de junho, para a Assembleia Nacional da Classe Trabalhadora. Realizado no estádio do Pacaembu, em São Paulo, o evento aprovou a Agenda da Classe Trabalhadora, documento unificado das centrais sindicais com propostas políticas e econômicas que os trabalhadores querem ver implementadas no Brasil no próximo período.

“Nosso maior desafio é não permitir o retrocesso, a volta daqueles que implementaram as políticas neoliberais na década de noventa”, disse Artur Henrique, presidente da CUT antes de abrir a votação.

O documento reúne 249 propostas organizadas em seis eixos estratégicos: Crescimento com Distribuição de Renda e Fortalecimento do Mercado Interno; Valorização do Trabalho Decente com Igualdade e Inclusão Social; Estado Como Promotor do Desenvolvimento Socioeconômico e Ambiental; Democracia com Efetiva Participação Popular; Soberania e Integração Internacional; e Direitos Sindicais e Negociação Coletiva.

> Clique aqui para acessar a Agenda da Classe Trabalhadora

Artur também comemorou a unidade demonstrada pela participação de cinco centrais sindicais no ato (CUT, Força Sindical, CGTB, CTB e Nova Central). “A união das centrais é histórica. Agora os trabalhadores participam e são ouvidos pelo governo e por isso conquistamos itens como a valorização do salário mínimo e redução na tabela do imposto de renda. O governo anterior e mesmo o de São Paulo têm visões preconceituosas do movimento sindical. Somos recebidos com a polícia e a tropa de choque”, explica.

Para Carlos Cordeiro, presidente da Contraf-CUT, que participou do evento, a assembleia é uma importante demonstração da unidade da classe trabalhadora. “Varias centrais participaram, o que representa um alto grau de unidade e amadurecimetno dos trabalhadores fundamental para que nossas reivindicações sejam levadas a serio”, avalia.

Carlão explica que um dos objetivos dos trabalhadores expresso na Agenda da Classe Trabalhadora é mudar o foco do debate público do crescimento econômico para a busca de um real desenvolvimento social, com inclusão, geração de empregos e distribuição de renda.

“As manchetes dizem que o PIB vai crescer, mas isso pode acontecer com contração de renda e corte de postos de trabalho. A riqueza do país precisa ser distribuída e isso acontece com aumento do poder de compra dos trabalhadores e geração de emprego”, afirma. “Nesse sentido, é muito importante ter crédito mais barato e direcionado para políticas que possam de fato gerar emprego e renda. Para isso, é fundamental o que está colocado na plataforma sobre um outro sistema financeiro, com fortalecimento dos bancos públicos”, defende.

(Contraf)

Contraf-CUT negocia com Bradesco, Itaú Unibanco e Santander nesta terça

A Contraf-CUT tem negociações com as direções dos três maiores bancos privados em atividade no país nesta terça-feira, 18. A representação dos trabalhadores buscará melhores condições de trabalho e remuneração para os bancários de Itaú Unibanco, Bradesco e Santander. Os três encontros acontecem em São Paulo.

No Itaú Unibanco, o principal tema em discussão é o Programa de Complementação dos Resultados (PCR). Em negociação ocorrida nesta segunda-feira, o banco recuou de sua decisão e garantiu o pagamento do PCR para todos os bancários sem desconto de outros programas próprios de remuneração variável. A empresa ficou de apresentar nesta terça, às 18h, nova proposta com valores maiores do que os R$ 1.600 oferecidos até o momento e rejeitados pelos bancários.

> Clique aqui para saber mais sobre a negociação com o Itaú Unibanco

A reunião com o Bradesco para a retomada do processo de negociação ocorre, às 16h30. Os bancários cobrarão reivindicações da Campanha de Valorização dos Funcionários, desenvolvida pelo movimento sindical no ano passado. Entre as principais itens estão auxílio-educação, Plano de Carreira, Cargos e Salários, livre acesso de dirigentes sindicais aos locais de trabalho e realização dos cursos do Treinet dentro da jornada de trabalho.

> Clique aqui para saber mais sobre a negociação com o Bradesco

Às 15h, acontece nova reunião do Comitê de Relações Trabalhistas (CRT) do Santander, fórum de negociação permanente conquistado no acordo aditivo à convenção coletiva. Estarão em discussão os temas que ficaram pendentes da última reunião, ocorrida no dia 29 de abril, como emprego, condições de trabalho e previdência complementar, dentre outros.

> Clique aqui para saber mais sobre a negociação com o Santander

(Contraf-CUT)

VISITANTES TOTAIS

  • 8,671,275 visitas

VISITANTES ON-LINE

SAUDAÇÕES

Sejam tod@s muito bem vind@s!

O blog diálogos políticos é uma iniciativa da Secretaria de Formação do Sindicato dos Bancários do Ceará. Nosso objetivo é possibilitar o intercâmbio de informações entre as pessoas interessadas nos mais diversos temas da conjuntura brasileira.

MEDIADOR

. Geógrafo e Funcionário da Secretaria de Formação do SEEB/CE. Atua na CCP-Banco do Brasil e CCV-Caixa. Diretor da AESB e Delegado Sindical do SINTEC-CE.

MÚSICA

Direito a Liberdade de Expressão

"Todo o indivíduo tem direito a liberdade de opinião e de expressão, o que implica o direito de não ser inquietado pelas suas opiniões e o de procurar, receber e difundir, sem consideração de fronteiras, informações e idéias por qualquer meio de expressão". Art.19 da Declaração Universal dos Direitos do Homem, promulgada em 10 de dezembro de 1948.
free counters