Arquivo da categoria: Sociedade

Itaú paga fortunas para bancar o assédio moral e as demissões

Para manter azeitada a máquina do assédio moral e das demissões, o Itaú Unibanco paga um preço muito alto. São pouco mais de 15 diretores que elaboram o planejamento e monitoram a execução da política cruel de corte de custos e aumento das vendas de produtos.

 
Abismo

 
São dois pesos e duas medidas. Num lado da balança estão os milhares de demissões, extinção de vagas, metas inatingíveis, insegurança e doenças do trabalho.

 
No outro lado da mesma balança, pouco mais de 15 diretores. Cada um deles recebe mais de 754 mil reais por mês. Esse valor, segundo o Dieese (Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos) é 234 vezes o que ganha um bancário que recebe o piso salarial. Quem ganha o piso precisaria trabalhar 19 anos para receber o que ganha um desses diretores do banco.

 
Demissões em massa

 
Há uma distância estratosférica, um fosso abissal, entre o piso salarial e o céu dos ceos (executivos). Lá de onde estão eles determinam os percentuais das metas, que, cada vez maiores, engordam suas bolsas. Decidem também o volume de corte de custos pela via das demissões.

 
Neste ano, só nos primeiros três meses foram eliminadas 708 vagas. Em 2012, cada um desses senhores recebeu, em média, R$9,05 milhões, segundo matéria do Valor Econômico de 11 deste mês, com base em documentos da Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

 
No mesmo ano de 2012, o Itaú eliminou 7.935 postos de trabalho, reduzindo em 8,08% o quadro de empregados. Somados às demissões de 2011, foram destruídos 13.699 empregos. Tudo isso contra um resultado recorde de R$14,043 bilhões no ano passado.

 
Paradoxos

 
Ao comentar esses dados, a diretora executiva da Secretaria de Imprensa do Sindicato, Vera Luiza Xavier, destacou o aspecto paradoxal que reside nessas informações. “Os números não mentem, provam que o Itaú não fala sério quando diz que condena o assédio moral. Pois, em vez de punir os mentores dos atos abomináveis cometidos contra os bancários, premia-os com salários e bonificações estratosféricos”, protestou.

 
O diretor de Imprensa da entidade Ronald Carvalhosa condenou as atitudes contraditórias do Itaú: “O bancário é demitido, quando deixa de bater a meta. O balanço do primeiro trimestre deste ano mostra que o Itaú não cresceu. No entanto, os executivos foram premiados por sua incapacidade de fazê-lo crescer”, disse.

 

Via http://www.bancariosrio.org.br/

Susana Werner é assaltada em Fortaleza: ‘Com arma na cabeça’

Susana Werner e o marido Júlio César

Susana Werner passou por um susto na noite de ontem. Na madrugada desta quinta-feira, 20, a atriz contou, em seu Facebook, que foi assaltada em Fortaleza, Ceará.

“Me levaram tudo, com arma na cabeça. Obrigada, meu Deus, por estar viva. Não sei como voltarei para o Rio amanhã, essa noite vai ser longa. Sem passaporte, sem identidade, sem carteira de motorista, sem cartões de crédito, sem dinheiro, porém com vida. Isso em Fortaleza, na Avenida Virgílio Távora. Não se pode sair de casa à noite pelo Brasil”, escreveu.

Susana acompanhou a partida entre Brasil e México pela Copa das Confederações, em Fortaleza, na tarde de quarta-feira, 19. O marido da atriz Julio César, é goleiro da Seleção Brasileira de Futebol.

Link: http://ego.globo.com/famosos/noticia/2013/06/susana-werner-e-assaltada-em-fortaleza-com-arma-na-cabeca.html

Pierre Ramon: “vândalo” que depredou a Prefeitura de SP, paga fiança e é liberado pela polícia

por Ricardo Gouveia

O estudante Pierre Ramon Alves de Oliveira, que havia sido detido suspeito de participar da depredação da fachada da prefeitura de São Paulo, foi liberado por policiais do Departamento de Investigações sobre Crime Organizado na noite desta quarta-feira. O Deic não revelou se o jovem de 20 anos pagou fiança para ser solto.

De acordo com a investigação da polícia, é ele quem aparece de máscara e camisa branca em imagens mostradas pelas TVs usando um pedaço do alambrado de ferro para quebrar o vidro da entrada do edifício. Segundo o delegado Antonio de Olim, Pierre Ramon confessou ter participado dos atos de vandalismo que danificaram o prédio.

O jovem disse ainda que foi à manifestação organizada pelo Movimento Passe Livre com outros quatro amigos, que também serão ouvidos pela polícia.

Link: 

http://colunas.radioglobo.globoradio.globo.com/platb/blogdoamarelinho/

Homem que depredou Prefeitura de SP não é o mesmo que rasgou notas do Carnaval

Ramon Pierre Alves (o vândalo) e Tiago Ciro Tadeu (o acusado inocente)

Polícia diz que prendeu Tiago Ciro Tadeu Faria por causa de denúncias espalhadas no Facebook. Não se trata do homem de camisa branca e máscara que depredou a prefeitura

Imagem: rapaz infiltrado nas manifestações que estimulou minoria a cometer atos de vandalismo

A Polícia Civil de São Paulo deteve um suspeito de ser o rapaz que aparece depredando o prédio da Prefeitura de São Paulo, e incentivando outras pessoas a fazer o mesmo, durante o protesto contra o aumento das tarifas de transporte público na capital paulista nesta terça-feira (18). A atitude do rapaz foi o estopim para uma série de depredações e saques no centro de São Paulo. Um carro da Rede Record foi incendiado no tumulto. Entretanto, o homem detido foi liberado por falta de provas.

Segundo o delegado Osvaldo Nico Gonçalves, divisionário do Departamento de Capturas e Delegacias Especializadas (Decade), mensagens de internautas no Facebook informavam que o homem flagrado destruindo os vidros do prédio da Prefeitura na manifestação contra o aumento da tarifa do transporte público seria o autônomo Tiago Ciro Tadeu Faria – o mesmo que, em 2012, rasgou votos na apuração do desfile das escolas de samba do carnaval de São Paulo.

Tiago foi preso nesta quarta-feira, 19, e prestou depoimento no 3º Distrito Policial, na Santa Ifigênia, e foi liberado porque não é o homem de máscara de gás e camiseta branca que depredava a Prefeitura. “Minha equipe foi prendê-lo como suspeito porque estavam postando mensagens no Facebook de que ele seria o vândalo, mas vimos que não é”, disse o delegado.

SpressoSP. Edição: Pragmatismo Politico

A VERDADE SOBRE O CASO:

Tiago Ciro Tadeu é inocente, o “vândalo criminoso” se chama Pierre Ramon Alves

Link: http://dialogospoliticos.wordpress.com/2013/06/20/tiago-ciro-tadeu-e-inocente-o-vandalo-criminoso-se-chama-pierre-ramon-alves-2/

SÃO PAULO – Um dos responsáveis por atos de vandalismo na frente da Prefeitura no sexto protesto contra o aumento da tarifa em São Paulo, nessa terça-feira, 18, foi detido e presta depoimento na sede do Departamento de Investigações sobre Crime Organizado (Deic). O universitário Pierre Ramon Alves de Oliveira, de 20 anos, é estudante de arquitetura da FMU. Ele atacou a Prefeitura e ajudou a queimar um carro da Record, segundo a polícia.

 

Ramon Pierre Alves

Os policiais civis procuram outros quatro amigos de Oliveira, que também teriam participado dos atos de vandalismo. O universitário  foi detido por volta das 13h próximo ao Aeroporto de Congonhas, na zona sul da capital. Quando os policiais o abordaram, o universitário ajudava o pai a entregar uma carga de máquinas. Ainda segundo a polícia, além de ajudar o pai na empresa de entregas, Oliveira faz “bicos” como garçom. 

Segundo o advogado Antônio de Olim, Oliveira disse que não é ligado a partidos políticos nem ao Movimento Passe Livre. O jovem deverá ser indiciado por dano ao patrimônio, um crime que permite que ele saia da prisão ao pagar fiança. A polícia fez o pedido de prisão temporária para a Justiça, mas não teve resposta até o início da noite.

(Bruno Paes Manso e Breno Pires – O Estado de SP)

Folha de SP divulga informação errônea sobre Tiago Ciro Tadeu 

Segundo havia noticiado a Folha, Tiago Ciro Tadeu havia sido identificado como um dos vândalos que destruiu vidraças da Prefeitura de São Paulo, ontem.

A Secretaria de Segurança de SP divulgou que o acusado  era identificado como Tiago – o sobrenome não foi divulgado nem a idade. Os policiais foram até a casa dele, mas ele não dormiu no local. Segundo a polícia, ele continua sendo procurado”.
Ainda segunda a reportagem o cidadão seria o mesmo que ficou conhecido por “melar” o resultado do desfile do Carnaval paulistano no ano passado e se chamava Tiago Ciro Tadeu Faria.
Quem havia identificado o cidadão foi o grupo anarquista BlackBloc, que divulgou no Facebook:
Gostaria de deixar claro que o Black Bloc não teve nada a ver com os atos na prefeitura de SP, como foi noticiado na Rede Record. Isto inclui o cara de branco quebrando os vidros da prefeitura, e incitando os manifestantes a fazerem o mesmo. Através de nossas pesquisas, o nome do mesmo é Tiago Ciro Tadeu Faria, o cara que rasgou os votos da apuração das escolas de samba no canaval de SP em 2012.
Segundo a denúncia Tiago portava uma máscara antigás e fazia parte de um grupo de cerca de dez provocadores que incitava à depredação.

Crédito: 

http://saraiva13.blogspot.com.br/

 com adaptações

Barra Music: Casa de shows, no Rio, é fechada por impacto negativo no trânsito

A casa de shows Barra Music, na Zona Oeste do Rio, que tem capacidade para milhares de pessoas e costuma abrigar jogadores de futebol em noitadas, será fechada a partir desta quinta-feira (20). A determinação partiu da Secretaria Municipal de Ordem Pública (Seop) que suspendeu o alvará de funcionamento da casa.

O motivo, segundo o secretário de Ordem Pública Alex Costa, é o impacto negativo no trânsito da Barra da Tijuca. “Enquanto a casa de espetáculos não encontrar soluções para o problema, cabe à Prefeitura intervir em eventos mal planejados que possam vir a causar impactos negativos no entorno da região”, disse o secretário.

O local — que já teve shows de MC Anitta, Naldo e Planet Hemp — é um dos preferidos dos boleiros. Entre os flagrados, Ronaldinho Gaúcho, Adriano Imperador e Romário.

A assessoria de imprensa da casa, no entanto, nega que tenha sido informada da decisão. Até agora, recebeu apenas uma notificação da CET-Rio, na segunda (17), e promete promover ajustes e obras para reestruturar o local.

(G1 Rio)

Em Fortaleza, vizinhos de estádio ‘padrão Fifa’ convivem com ‘padrão periferia’

Arena Casteção “padrão FIFA” e vizinhança “padrão periferia”.

Basta cruzar a avenida Alberto Craveiro, que passa em frente ao estádio Castelão, em Fortaleza, para verificar que o “padrão de primeiro mundo” exigido pela Fifa para as arenas da Copa do Mundo está até agora restrito ao lado de dentro do estádio.

“Acabando a Copa, no ano que vem, nós ficaremos esquecidos de novo em nossa realidade típica da periferia de Fortaleza”, disse à BBC Brasil o professor Raimundo João da Silva, de 55 anos, cuja casa, na rua Primeiro de Abril, fica a poucas dezenas de metros do estádio.

A reportagem da BBC Brasil visitou a rua na manhã desta quarta-feira, poucas horas antes da partida entre Brasil e México, disputada no estádio pela Copa das Confederações, e ouviu queixas de que as obras para o torneio não só não resolveram os inúmeros problemas com os quais eles convivem diariamente como criaram novos problemas.

“Desde que começaram as obras para a avenida (Alberto Craveiro), minha casa passou a alagar sempre que chove”, reclamou a trabalhadora doméstica Lucineide Cavalcanti Lima, de 31 anos. “A Copa não ajudou em nada os moradores, só piorou nossa situação.”

Segundo ela, o problema pode ter sido causado pelo trabalho de terraplanagem para a construção da avenida e pela instalação de um estacionamento adjacente aos fundos de sua casa, que levaram à retirada da vegetação que cobria o local.

Acesso de torcedores

“Em vez de sermos beneficiados, fomos prejudicados”, reclamou o taxista Paulo Sérgio Araújo, de 41 anos. Morador da região há 18 anos, ele diz que as obras no local do estádio privilegiaram somente a rota de acesso dos torcedores, sem se preocupar com o entorno.

“Além disso, o que fizeram foi feito às pressas, com gambiarras”, disse ele, apontando para um buraco no calçamento da avenida ao lado do estádio (do lado de sua rua, não há calçada). O calçamento foi terminado nesta semana, após a inauguração oficial da avenida, no último sábado.

Nos últimos dias, foi intensa a movimentação de operários na região para terminar o acabamento da avenida. O canteiro central na frente do estádio só foi finalizado na tarde de terça-feira, com a colocação de tapetes de grama.

Na noite de terça-feira, a reportagem da BBC Brasil pôde ver também carros-pipa lavando a avenida na frente do estádio, acompanhados de funcionários com esfregões.

A lavagem da avenida provocou revolta entre os moradores, que reclamam ter passado semanas sem água encanada durante as obras para a avenida. A maioria das casas no local também não tem sistema de esgoto.

“As pessoas tinham que buscar água em outros lugares. Era comum ver gente circulando por aqui carregando baldes de água”, comentou o ajudante de depósito Joaciran Alves, de 42 anos.

Para o professor Raimundo João da Silva, mesmo as obras que foram feitas, como o alargamento da avenida, correm o risco de serem abandonadas depois. “As obras estão aí, não vão demolir. Mas não vai haver manutenção”, disse.

“Quero ver o que vai acontecer quando começarem a aparecer os buracos no asfalto, se virão tampar.”

Para ele, mesmo o estádio do Castelão, que tem capacidade para 60 mil pessoas e cuja reforma consumiu R$ 520 milhões, corre o risco de ser subutilizado depois.

“Aqui não há grandes times e não temos estrutura para grandes eventos. O estádio vai ficar vazio.”

(Notícias Uol, via BBC Brasil)

Globo burla código da Fifa e mostra torcedores com cartazes de protesto em Fortaleza

Fifa avisou, nesta quarta-feira, que não seriam admitidas manifestações dentro dos estádios da Copa das Confederações. A Rede Globo, porém, mostrou, no início da transmissão de Brasil x México, cartazes que citavam os protestos que ocorrem, desde a semana passada, em todo o país.

As mensagens mostradas burlavam o Código de Conduta da Fifa – que vem impresso nos ingressos e proíbem manifestações do tipo. A frase escrita nos cartazes era: “Esse protesto não é contra a seleção, mas sim contra a corrupção”. Os torcedores ainda usavam a hashtag #ogiganteacordou, que está sendo usada em redes sociais para falar do assunto.

Ao longo do jogo, a Globo fez questão de afirmar que era ela, e não a Fifa, que estava mostrando os cartazes proibidos: as imagens foram mostradas duas vezes, com a ênfase de que eram câmeras exclusivas: “Essas são imagens exclusivas da Globo, mostramos todos os detalhes do jogo e buscamos também isso, pois passamos por um momento importante”, afirmou, no meio do primeiro tempo, o narrador Galvão Bueno.

A primeira exibição aconteceu antes do início da partida, após o hino nacional brasileiro. Enquanto as outras emissoras que transmitem a Copa das Confederações, Band e SportTV, usavam o sinal oficial da Fifa, a Globo mostrou quatro pessoas com a mensagem – no intervalo do jogo, o SporTV mostrou a mesma mensagem e também falou dos protestos.

No momento em que os manifestantes entraram na imagem da emissora carioca, Galvão Bueno emendou um discurso que falava sobre os protestos: “Aí você vê cartazes dizendo que as manifestações não são contra a seleção. Elas são contra o aumento das passagens, contra, talvez, o excesso de dinheiro em alguns estádios em detrimento de se gastar mais com educação e saúde e também contra a corrupção”.

O mais icônico da mensagem é que ela veio logo após o hino nacional, que não foi tocado em sua totalidade, mas acabou cantado por todo o estádio. Ironicamente, no início da transmissão o próprio narrador disse que estava “tudo dentro da santa paz e muita ordem” no Castelão, ignorando os problemas enfrentados por torcedores nos arredores do estádio.

Em resposta ao UOL Esporte, a Comunicação da Globo explicou: “Assim como as vaias, que o UOL Esporte considerou altamente jornalísticas a ponto de cobrar o fato de que elas não estavam no pacote distribuído aos não detentores de direitos, os cartazes da torcida também são um fato jornalístico, como outro qualquer. E, por esse motivo, foram mostrados na transmissão. O código que o UOL menciona se refere à conduta dos torcedores, não dos jornalistas, cuja obrigação é cobrir os eventos”.

O episódio dos cartazes chega um dia depois de outra ação marcante da emissora na resposta aos protestos pelo Brasil. Na terça-feira, William Bonner, apresentador do Jornal Nacional, voltou para a bancada do telejornal após passar quatro dias acompanhando a seleção brasileira.

A decisão foi explicada em um editorial, lido pelo próprio Bonner: “Você viu que, nos últimos dias, eu estive acompanhando a seleção brasileira na Copa das Confederações. Aliás, como foi planejado com quase dois anos de antecedência. Mas, à medida que as manifestações de protesto foram se espalhando, foram crescendo pelo Brasil, automaticamente elas foram cada vez mais ocupando o noticiário do Jornal Nacional. É verdade que, mesmo à distância, eu e os colegas aqui da redação do Jornal Nacional temos total condição de trabalhar juntos, com a ajuda da tecnologia. Mas, depois dos acontecimentos de ontem, eu preferi voltar para cá e participar ainda mais de perto desta cobertura”, disse Bonner.

(Uol Esporte)

Tiago Ciro Tadeu é inocente, o “vândalo criminoso” se chama Pierre Ramon Alves

Ramon Pierre Alves (o meliante) e Tiago Ciro Tadeu (o inocente)

SÃO PAULO – Um dos responsáveis por atos de vandalismo na frente da Prefeitura no sexto protesto contra o aumento da tarifa em São Paulo, nessa terça-feira, 18, foi detido e presta depoimento na sede do Departamento de Investigações sobre Crime Organizado (Deic). O universitário Pierre Ramon Alves de Oliveira, de 20 anos, é estudante de arquitetura da FMU. Ele atacou a Prefeitura e ajudou a queimar um carro da Record, segundo a polícia.

Ramon Pierre Alves

Os policiais civis procuram outros quatro amigos de Oliveira, que também teriam participado dos atos de vandalismo. O universitário  foi detido por volta das 13h próximo ao Aeroporto de Congonhas, na zona sul da capital. Quando os policiais o abordaram, o universitário ajudava o pai a entregar uma carga de máquinas. Ainda segundo a polícia, além de ajudar o pai na empresa de entregas, Oliveira faz “bicos” como garçom. 

Segundo o advogado Antônio de Olim, Oliveira disse que não é ligado a partidos políticos nem ao Movimento Passe Livre. O jovem deverá ser indiciado por dano ao patrimônio, um crime que permite que ele saia da prisão ao pagar fiança. A polícia fez o pedido de prisão temporária para a Justiça, mas não teve resposta até o início da noite.

(Bruno Paes Manso e Breno Pires – O Estado de SP)

Folha de SP divulga informação errônea sobre Tiago Ciro Tadeu 

Segundo havia noticiado a Folha, Tiago Ciro Tadeu havia sido identificado como um dos vândalos que destruiu vidraças da Prefeitura de São Paulo, ontem.

A Secretaria de Segurança de SP divulgou que o acusado  era identificado como Tiago – o sobrenome não foi divulgado nem a idade. Os policiais foram até a casa dele, mas ele não dormiu no local. Segundo a polícia, ele continua sendo procurado”.
Ainda segunda a reportagem o cidadão seria o mesmo que ficou conhecido por “melar” o resultado do desfile do Carnaval paulistano no ano passado e se chamava Tiago Ciro Tadeu Faria.
Quem havia identificado o cidadão foi o grupo anarquista BlackBloc, que divulgou no Facebook:
Gostaria de deixar claro que o Black Bloc não teve nada a ver com os atos na prefeitura de SP, como foi noticiado na Rede Record. Isto inclui o cara de branco quebrando os vidros da prefeitura, e incitando os manifestantes a fazerem o mesmo. Através de nossas pesquisas, o nome do mesmo é Tiago Ciro Tadeu Faria, o cara que rasgou os votos da apuração das escolas de samba no canaval de SP em 2012.
Segundo a denúncia Tiago portava uma máscara antigás e fazia parte de um grupo de cerca de dez provocadores que incitava à depredação.

Crédito: http://saraiva13.blogspot.com.br/  com adaptações

Tiago Ciro Tadeu é inocente, o “vândalo criminoso” se chama Pierre Ramon Alves

Ramon Pierre (o meliante) e Tiago Ciro Tadeu (o inocente)

SÃO PAULO – Um dos responsáveis por atos de vandalismo na frente da Prefeitura no sexto protesto contra o aumento da tarifa em São Paulo, nessa terça-feira, 18, foi detido e presta depoimento na sede do Departamento de Investigações sobre Crime Organizado (Deic). O universitário Pierre Ramon Alves de Oliveira, de 20 anos, é estudante de arquitetura da FMU. Ele atacou a Prefeitura e ajudou a queimar um carro da Record, segundo a polícia.

Ramon Pierre Alves

Os policiais civis procuram outros quatro amigos de Oliveira, que também teriam participado dos atos de vandalismo. O universitário  foi detido por volta das 13h próximo ao Aeroporto de Congonhas, na zona sul da capital. Quando os policiais o abordaram, o universitário ajudava o pai a entregar uma carga de máquinas. Ainda segundo a polícia, além de ajudar o pai na empresa de entregas, Oliveira faz “bicos” como garçom. 

Segundo o advogado Antônio de Olim, Oliveira disse que não é ligado a partidos políticos nem ao Movimento Passe Livre. O jovem deverá ser indiciado por dano ao patrimônio, um crime que permite que ele saia da prisão ao pagar fiança. A polícia fez o pedido de prisão temporária para a Justiça, mas não teve resposta até o início da noite.

(Bruno Paes Manso e Breno Pires – O Estado de SP)

Folha de SP divulga informação errônea sobre Tiago Ciro Tadeu 

Segundo havia noticiado a Folha, Tiago Ciro Tadeu havia sido identificado como um dos vândalos que destruiu vidraças da Prefeitura de São Paulo, ontem.

A Secretaria de Segurança de SP divulgou que o acusado  era identificado como Tiago – o sobrenome não foi divulgado nem a idade. Os policiais foram até a casa dele, mas ele não dormiu no local. Segundo a polícia, ele continua sendo procurado”.
Ainda segunda a reportagem o cidadão seria o mesmo que ficou conhecido por “melar” o resultado do desfile do Carnaval paulistano no ano passado e se chamava Tiago Ciro Tadeu Faria.
Quem havia identificado o cidadão foi o grupo anarquista BlackBloc, que divulgou no Facebook:
Gostaria de deixar claro que o Black Bloc não teve nada a ver com os atos na prefeitura de SP, como foi noticiado na Rede Record. Isto inclui o cara de branco quebrando os vidros da prefeitura, e incitando os manifestantes a fazerem o mesmo. Através de nossas pesquisas, o nome do mesmo é Tiago Ciro Tadeu Faria, o cara que rasgou os votos da apuração das escolas de samba no canaval de SP em 2012.
Segundo a denúncia Tiago portava uma máscara antigás e fazia parte de um grupo de cerca de dez provocadores que incitava à depredação.

Crédito: http://saraiva13.blogspot.com.br/ com adaptações

Repórter do UOL apanha da polícia de CID Gomes e relata armadilha contra manifestantes em Fortaleza

Estou em viagem acompanhando a seleção brasileira há duas semanas. Hoje me senti um correspondente de guerra. Escalado para cobrir a manifestação em Fortaleza, que reuniu cerca de 15 mil pessoas, vivi situações assustadoras. Bombas de efeito moral, gás de pimenta, gritos de pessoas desesperadas, e pedras voando.

Sobrou até pra mim: por volta das 13h30, precisava seguir para o estádio. Havia uma barreira policial, para conter o protesto. De longe, mostrei minha credencial. Um dos guardas acenou em sinal de ‘pode vir’. Bem rente ao muro, passei. Fui surpreendido com uma ‘borrachada’ na bunda. “O que eu fiz, amigo?”, questionei ao policial que me agrediu. “Passou, levou”, respondeu ele. Com dor, saí andando.

Foi só um dos problemas encontrados desde as 9h, quando cheguei para cobrir a manifestação, que naquele horário tinha cerca de 100 pessoas. Por volta do meio-dia, quando a multidão chegou ao encontro da barreira policial, tudo ainda era pacífico. Quem protestava pedia passagem. Os militares faziam a segurança. Por algum tempo, tudo seguiu sem violência. Eu avistei, então, alguns membros da cavalaria pedindo para a torcida passar. Era uma armadilha: quando poucos avançaram, bombas de efeito moral foram disparadas. O cheiro era horrível. Segundo alguns policiais, foi só um ‘revide’ a pedras que teriam sido lançadas anteriormente.

Saí correndo, com a mochila nas costas e telefone na mão, passando retorno à redação do UOL, em São Paulo, do que acontecia. Por 30 segundos, não consegui enxergar nada, e respirava com muita dificuldade. Gás de pimenta também tinha entrado na história. Vi muita, muita gente desesperada. Os donos das casas nos arredores abriam suas portas cedendo abrigo, distribuíam água e vinagre, para amenizar os efeitos.

Fui um dos abrigados. Uma senhora me entregou uma garrafa de vinagre. “Joga na roupa e respira. Me devolve a garrafa”, gritava. Fiquei ali por dois minutos. O cheiro começou a chegar até ali e nem mesmo o vinagre era suficiente mais. Corri e cheguei a uma avenida onde mais manifestantes se aglomeravam. Sentei na sombra, vi gente passando mal ao meu lado. De lá, ouvi bombas explodirem.

Após 20 minutos, parecia que a situação tinha acalmado. Levantei e fui me informar como seguir para o Castelão. Avistei, de longe, muita fumaça. Cheguei perto, vi que um carro da polícia havia sido incendiado. Manifestantes faziam festa, como se fosse um prêmio e uma resposta à violência.  De onde eu estava, vi pedras, chinelos e o que mais estivesse pela frente sendo jogados nos militares.

De novo, me afastei. Esperei o tumulto acalmar. Manifestantes recuaram e começaram a se dirigir para o ponto de onde tinham partido. Achei que era o momento de ir à Arena Castelão. Com medo, passei pela frente do protesto. Pessoas, ajoelhadas, gritavam “sem violência”. Após tomar o golpe de cassetete, andei cerca de dois quilômetros e cheguei ao estádio. Cansado, e ainda com os efeitos do gás e das bombas. Pelo menos agora consigo respirar.

POSIÇÃO DA POLÍCIA MILITAR

  • Integrante do comando da operação da Polícia Militar do Ceará que entrou em confronto com manifestantes no entorno do Castelão, o coronel Cesar Augusto afirmou que é um “caso isolado” a agressão sofrida pela reportagem do UOL Esporte e por pessoas que participavam do protesto em Fortaleza. “Você (jornalista) viu como estava a polícia aqui”, afirmou o coronel, numa referência ao que ele aponta como prudência para qualquer ação que fosse tomada. “Se aconteceu, vamos averiguar”, completou.

POSIÇÃO DO GOVERNADOR, CID GOMES

  • “Eu lamento profundamente o que aconteceu com você. A polícia, desde o começo, em nenhum momento tentou impedir a manifestação. Mas tinham pessoas com ingressos comprados que tinham o direito de ir ao jogo. A polícia tinha o dever de deixar que isso acontecesse. São pessoas agredidas também. Tomaram pedradas. Mas, de novo, lamento o que aconteceu”

Link: http://copadomundo.uol.com.br/

(Luis Paulo Montes, Do Uol, em Fortaleza)

Contraste entre estádio e rua marca vitória do Brasil em Fortaleza

A tranquilidade do lado de dentro da Arena Castelão, em Fortaleza, durante o jogo entre Brasil e México na tarde desta quarta-feira, não poderia contrastar mais com o cenário de guerra vivido a poucos quilômetros dali – onde cerca de 30 mil pessoas participaram de um protesto contra os gastos públicos para a Copa do Mundo de 2014.

O protesto começou às 10h e somente foi dispersado quando o jogo já estava em andamento, por volta das 16h30.

Nos momentos de maior tensão, entre 12h30 e 13h30, carros foram queimados e pedras atiradas por manifestantes na direção da polícia, que respondeu com bombas de gás lacrimogênio e de efeito moral, além de spray de pimenta e balas de borracha. Houve feridos dos dois lados.

A vitória sobre o México, por 2 a 0, foi o segundo jogo do Brasil na Copa das Confederações – competição que serve como espécie de ensaio para a Copa do Mundo do ano que vem, com o teste dos estádios e da infraestrutura preparados para o torneio.

Entre os 60 mil torcedores dentro do estádio, havia um mar de camisas amarelas do Brasil, algumas poucas centenas de camisas verdes do México e apenas um punhado de cartazes com apoio às manifestações.

Os organizadores do protesto haviam pedido para que os torcedores levassem para dentro das arenas da Copa das Confederações as manifestações que vêm marcando a competição do lado de fora.

Medo

O protesto popular, concentrado numa das barreiras policiais ao redor do Castelão, a três quilômetros de distância do estádio, chegou a assustar alguns torcedores. Eles tiveram que atravessar a manifestação e o cordão de isolamento da polícia para chegar à arena, depois de caminhar por mais de meia hora sob o sol escaldante de Fortaleza a uma temperatura de 30 graus.

“Deu um pouco de medo de passar pelos manifestantes, mas eles foram respeitosos e estavam deixando os torcedores passar”, disse à BBC Brasil o vendedor mexicano Juan José Ghibesi, de 30 anos, que está acompanhando os três jogos da seleção de seu país na Copa das Confederações.

Ghibesi já havia assistido ao jogo entre México e Itália no domingo, no Rio de Janeiro, mas disse que não chegou a ver as manifestações que também ocorreram nas proximidades do Maracanã antes daquela partida. “Não esperava encontrar um protesto desses pela frente”, disse.

Vestido com roupas típicas mexicanas, incluindo um sombrero gigante, e carregando uma enorme bandeira de seu país, o comerciante Amancio Vilchis, de 51 anos, lamentou a realização dos protestos. “Nós viemos aqui nos divertir, mas temos que enfrentar essas dificuldades”, comentou.

Apesar disso, ele afirmou que os brasileiros têm sido amáveis com ele e que os problemas maiores têm sido de organização e falta de informações. “Estou vendo a mesma desorganização aqui que havia na Copa do Mundo da África do Sul”, disse ele, que já havia acompanhado a seleção mexicana no último mundial, em 2010.

Vilchis disse já ter desistido de seu plano de acompanhar novamente uma Copa do Mundo, no ano que vem. “Tive muitos problemas, esperei quatro horas no aeroporto do Rio para retirar meus ingressos, perdi meu voo no Rio por falta de informações e estou achando tudo muito caro. Acho que na Copa do Mundo vai ser ainda pior e tudo estará mais caro ainda”, afirmou.

‘Miséria’

Do lado dos manifestantes, muitos faziam questão de afirmar que os protestos não eram contra a realização da Copa no Brasil, mas contra o uso de verbas públicas para as obras relacionadas ao torneio – enquanto muitos serviços públicos sofrem com falta de investimentos.

“A gente pode viver sem a Copa, mas não sem saúde e educação. Ninguém aqui é contra a Copa, mas sim contra os gastos públicos para a Copa, que são um desrespeito à população”, disse o porteiro José Armando Gomes , de 37 anos.

Para o ambulante Gutnir Guimarães, de 35 anos, a realização da Copa do Mundo no Brasil “só serve para roubarem dinheiro”. “Enquanto isso, não temos investimentos no nosso país e o povo vive na miséria nas áreas da saúde e da educação”, afirmou.

Entre os torcedores brasileiros, muitos se diziam solidários com os protestos, mas preferiram cumprir com a determinação da Fifa, responsável pela Copa das Confederações e pela Copa do Mundo, de não permitir manifestações políticas dentro dos estádios.

Outros se diziam céticos com as manifestações. “O Brasil não se tornou corrupto por causa da Copa. Já havia corrupção antes e vai haver depois”, afirmou o médico Átila Campos, de 39 anos, enquanto caminhava para o Castelão com a mulher, a também médica Vivian Cristine Campos, de 36 anos.

Para Átila Campos, a preparação da Copa trouxe também alguns benefícios. “Em cinco meses, a prefeitura alargou e ampliou esta avenida ao lado do estádio. Isso não teria acontecido se não fosse a Copa”, disse. Ainda assim, ele observa que é justo que as pessoas “briguem para que, assim como liberaram verbas rapidamente para a Copa, liberem para a saúde, para a educação, para todo o resto”.

Apoio à seleção

Dentro do Castelão, os torcedores novamente enfrentaram os problemas já verificados no jogo anterior do Brasil, como longas filas nas lanchonetes, falta de comida e bebida e telefonia instável.

Durante o jogo, os torcedores brasileiros manifestaram um grande apoio à seleção brasileira, que correspondeu com uma vitória relativamente tranquila contra a maior pedra no sapato do Brasil na última década.

Desde 2001, as duas seleções haviam se enfrentado 11 vezes, com seis vitórias do México e apenas três do Brasil. Nenhuma outra seleção ganhou tanto do Brasil nesse período.

No sábado, a seleção brasileira volta a campo, desta vez em Salvador, para enfrentar a Itália na última rodada da fase de classificação da Copa das Confederações.

Mais uma vez, as atenções devem estar divididas entre a atuação da equipe dentro de campo e os arredores do estádio Fonte Nova, onde são esperados novos protestos.

(Portal Terra)

Como foi a manifestação em Fortaleza nesta quarta-feira, por Lucas Almeida

Via http://papodelagarto.blogspot.com.br

 

 

 

 

Eu fui. Eu participei. Eu vi. Eu gritei. Eu aclamei. Eu me revoltei. Eu pedi apelo. Eu estava entre os aproximados 80 mil protestantes que participaram da manifestação que ocorreu na manhã desta quarta-feira (19) próximo a Arena Castelão.

 

 

 

 

Para quem ainda não tem conhecimento, os motivos estão relacionados diretamente na área da educação, segurança, saúde e meios de transporte coletivo, além de críticas à realização das Copas das Confederações e do Mundo. 

 

 

 

 

A manifestação começou ainda no terminal da Parangaba, quando centenas de pessoas já deixaram claro que o movimento não era qualquer um. Eram gritos de guerra. Eram gritos de quem acredita em futuro melhor.

 

 

 

 

Nesta manifestação eu vi tudo o que a mídia não veicula, como por exemplo, policial rodoviário aplaudindo; mulheres grávidas pulando e lutando pela a vida de quem ainda não veio ao mundo; jovens, estudantes, intelectuais que levam a sério todo tipo de luta em prol de melhorias; mexicanos não só apoiando, mas gritando e protestando; cadeirantes reivindicando os seus direitos; homossexuais e héteros contra a “cura gay”; motoristas saindo de seus veículos e seguindo a manifestação; centenas de pessoas que não estavam brincando, não estavam brincando.

 

 

 

 

As pessoas saíram do facebook e foram às ruas com palavras de ordem e cartazes. Deixaram de ser “ativistas de sofá”. As pessoas bloquearam, literalmente, a BR-116, a avenida Craveiro e Paulino Rocha. As pessoas chamaram a atenção de todos que passavam entre nós. As pessoas… Serão estas que mudarão o atual sistema. 

 

 

 

 

 

Eu acredito na juventude…

 

 

 

 

 

 

 

‘Inspirado’ por manifestantes, Neymar dá vitória ao Brasil sobre o México

Neymar marcou o primeiro gol e deu uma assistência: seu melhor jogo pelo Brasil

Os protestos que transformaram o Brasil e a Copa das Confederações em um caos despertaram Neymar. Horas depois de postar numa rede social sua indignação com o que está acontecendo no seu país, e dizendo que isso faria ele entrar em campo “inspirado”, o atacante teve sua melhor atuação com a camisa da seleção brasileira.

Ele fez o gol da vitória, deu o passe para o segundo e comandou o time nacional no triunfo sobre o México por 2 a 0, em Fortaleza, pela segunda rodada da Copa das Confederações.

“Também quero um Brasil mais seguro, mais saudável e mais HONESTO”, escreveu Neymar, com a palavra honesto em letras maiúsculas mesmo.

A equipe nacional pode garantir ainda nesta quarta-feira a sua vaga nas semifinais. Para isso, basta que o Japão não vença a Itália em Recife. Os mexicanos, com duas derrotas, estarão eliminados se os italianos somarem pelo menos um ponto.

Antes da bola rolar, o Castelão, que custou quase R$ 600 milhões, viu seu sistema de som falhar e tornar quase impossível ouvir os hinos dos dois países. Mas o público, para orgulho de Felipão, cantou o hino brasileiro a plenos pulmões.

Atmosfera perfeita para o Brasil começar bem. E foi o que aconteceu, com Neymar e Marcelo inspirados pelo lado esquerdo do ataque. Aos 4 minutos, Oscar marcou, mas estava impedido e o gol foi anulado pelo juiz inglês Howard Webb.

O México só ameaçava no contra-ataque, e logo no seu primeiro chute, Júlio César, como aconteceu contra o Japão, mostrou insegurança.

Mas a pressão brasileira não demorou para dar resultado. Aos 9 minutos, Daniel Alves avançou pela direita e cruzou. A zaga mexicana cortou, mas o rebote sobrou para Neymar, que de sem pulo bateu forte com a perna esquerda para abrir o placar. Foi o segundo gol do jogador do Barcelona na Copa das Confederações.

A seleção jogava a melhor partida da segunda era Felipão. O goleiro mexicano Corona sofria para não levar o segundo gol. Neymar dava show, como aos 23 minutos, quando driblou dois e chutou forte: a bola passou só um pouco acima do travessão.

Mas o segundo gol não saia, e o calor da capital cearense parece ter cansado o Brasil, que depois dos 30 minutos diminuiu o ritmo.

Se brilhava no ataque, o lateral esquerdo Marcelo era facilmente envolvido pelos mexicanos, e era por esse setor que o rival brasileiro criava suas melhores chances.

O Brasil ainda jogou boa parte dos minutos finais da primeira etapa com um homem a menos, já que David Luiz sofreu um corte no rosto e precisou de longos minutos até que os médicos conseguissem estancar o sangue.

E o que era um massacre no início se transformou em um jogo equilibrado. Segundo as estatísticas da Fifa, o Brasil teve 51% da posse de bola contra 49% do México.

O segundo tempo começou com o barulho das bombas que a polícia lançava para brecar os manifestantes do lado de fora do Castelão. E com outro barulho que começa a virar rotina nesta Copa das Confederações: o pedido da torcida pela entrada de Lucas.

Neymar novamente começou de forma infernal, driblando, chutando e assumindo a responsabilidade de lever o time nas costas.

Com Oscar acontecia o contrário. Novamente apagado, ele foi o primeiro a ser substituído. Aos 17 minutos, Hernanes entrou no seu lugar. Felipão ainda colocou Jô e Lucas, mas só Neymar jogava bem de verdade

E não foi fácil segurar a vitória até o apito final, com o México, que ganhou só um dos dez jogos que havia disputado em 2013, pressionando.

Mas a genialidade de Neymar apareceu antes do jogo terminar. Ele fez jogada espetacular pela esquerda, se livrou de dois zagueiros e tocou para Jô fazer o segundo. O ex-santista foi ovacionado.

A seleção encerra sua participação na primeira fase no próximo sábado, em Salvador, contra a Itália. No mesmo dia, o México pega o Japão.

FICHA TÉCNICA:.
BRASIL 2 X 0 MÉXICO

Data: Quarta-feira, 19 de junho de 2013
Local: Castelão, em Fortaleza 
Árbitro: Howard Webb (ING)
Público: 50.733
Cartões Amarelos: Guardado, Herrera e Rodríguez (MEX); Thiago Silva e Daniel Alves (BRA)
Gols: Neymar, aos 9min do primeiro tempo; Jô, aos 48min do segundo tempo

Brasil: Júlio César; Daniel Alves, Thiago SIlva, David Luiz e Marcelo; Luiz Gustavo, Paulinho e Oscar (Hernanes); Neymar, Fred (Jô) e Hulk (Lucas)
Técnico: Luiz Felipe Scolari

México: Corona; Flores (Herrera), Moreno, Rodríguez e Salcido; Meier, Torrado (Jimenez), Guardado, Torres e Giovani dos Santos; Hernández 
Técnico: José Manuel de la Torre

Via http://temporeal.espn.com.br/

Zagueiros e até árbitro se emocionam com apoio da torcida em Fortaleza: ‘Uma das melhores sensações da vida’

Vários protestos no entorno do estádio Castelão marcaram o duelo entre Brasil e México nesta quarta-feira. Dentro do estádio, cartazes exigindo melhoras no país também foram vistos. No entanto, antes de a bola rolar, os torcedores brasileiros se concentraram em apoiar a equipe de Luiz Felipe Scolari. Já no momento do hino nacional, o público cantou com muita força, fato que deixou jogadores, comissão técnica e até o árbitro Howard Webb muito emocionados.

“Foi emocionante (o apoio da torcida desde o momento do hino nacional), de arrepiar, uma das melhores sensações da minha vida. Podendo ver o estádio inteiro cantando o hino com paixão, todos juntos, isso nos deu um incentivo maior ainda para entrar dentro de campo. Pode até quebrar o nariz, que por esse povo a gente vai correr sempre”, disse o zagueiro David Luiz, que fraturou o nariz durante o embate.

“Nosso povo merece que a gente represente da melhor maneira possível. A entrega e a determinação vão acontecer sempre, vamos deixar em campo o nosso suor. Acho que fizemos um jogo inteligente, conseguimos uma grande vitória. O México vinha sendo um tabu. É bom ganhar de qualquer adversário, a sensação de dever cumprido é a melhor que tem”, continuou David Luiz.

O capitão Thiago Silva foi outro jogador que se emocionou com o que viu em Fortaleza. “Desde o momento em que pisei aqui, me arrepiei. A torcida aqui tem um calor diferenciado. Estamos chamado o torcedor para o nosso lado. Foi assim no Rio de Janeiro, Porto Alegre e Brasília”, lembrou.

O técnico Luiz Felipe Scolari revelou que até mesmo o árbitro inglês Howard Webb ficou impressionado. “Sempre tive um excelente relacionamento com o Howard Webb na Europa e fui cumprimentá-lo no vestiário. Ele me disse que nunca tinha visto algo igual na vida dele, de a música parar e o estádio inteiro continuar cantando, com voz muito mais elevada do que antes. Ele me disse: ‘Felipe, fiquei emocionado’. E isso partiu de um inglês”, comentou o treinador.

Por ESPN.com.br com agência Gazeta Press

STF derruba limitações aos protestos em Minas

Ministro do Supremo, Luiz Fux defendeu, em decisão divulgada na tarde desta quarta-feira, o direito de movimentos sociais protestarem nas ruas; ele suspendeu decisão do Tribunal de Justiça de Minas Gerais, da última segunda-feira, que impedia manifestantes de interditar ruas durante protestos no estado, que têm se concentrado em críticas ao aumento na passagem, à corrupção e aos investimentos para a Copa do Mundo

Débora Zampier
Repórter da Agência Brasil

Brasília – O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luiz Fux defendeu, em decisão divulgada nesta tarde (19), o direito de movimentos sociais protestarem nas ruas. Ele suspendeu decisão do Tribunal de Justiça de Minas Gerais, da última segunda-feira (17), que impedia manifestantes de interditar ruas durante protestos no estado.

De acordo com Fux, o direito de reunião é um “componente indispensável à vida das pessoas e à própria existência de um substancial Estado Democrático de Direito”. O ministro respaldou seu entendimento em decisão anterior da Corte, que revogou normas editadas no Distrito Federal em 2009 contra manifestações nas ruas de Brasília.

Fux defendeu a participação ativa dos cidadãos na vida pública para estimular a reflexão sobre temas jurídicos, políticos e econômicos em pauta no país. “É preciso abrir os canais de participação popular para que os rumos da nação não sejam definidos exclusivamente ao talante [desejos] dos governantes eleitos”, registrou.

O ministro criticou o uso de violência. Para ele, é contraditório protestar contra o mau uso do dinheiro público depredando prédios e bens que pertencem a toda a sociedade. “Esse tipo de conduta não deve ser tolerada, seja pelo seu caráter violento, seja porque não é capaz de transmitir qualquer tipo de mensagem útil ao debate democrático”.

Edição: Beto Coura

Hackers quebram sigilo e divulgam dados na internet de mais de 600 políticos

Dados divulgados pelo Anonymous expõem os últimos endereços da presidente Dilma e quatro apartamentos no nome de Lula, três em São Bernardo do Campo (SP) e outro em Natal (RN), todos declarados à Receita Federal; também alvo dos hackers, o senador Blario Maggi (PR-MT) é um dos mais ricos da lista divulgada, com patrimônio pessoal de mais de R$ 140 milhões; ainda aparecem na lista o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), e o ministro da Fazenda, Guido Mantega 

19 DE JUNHO DE 2013  

247 – O grupo de hackers ‘Anonymous’ espalha pela internet um documento que contém informações como CPF, endereço e declaração de renda de mais de 600 autoridades brasileiras, entre elas a presidente Dilma Rousseff e o ex-presidente Lula, informa o colunista Claudio Humberto. Na lista também estariam vários governadores, senadores, deputados federais e estaduais, prefeitos e vereadores.Os dados divulgados pelo Anonymous expõem os últimos endereços da presidente Dilma e quatro apartamentos no nome de Lula, três em São Bernardo do Campo (SP) e outro em Natal (RN), todos declarados à Receita Federal. Também alvo dos hackers, o senador Blario Maggi (PR-MT) é um dos mais ricos da lista divulgada. Seu patrimônio pessoal ultrapassa os R$ 140 milhões.Também tiveram os dados divulgados o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL) e o líder do governo na Casa, Eduardo Braga (PMDB-AM). A lista conta ainda com os ministros Celso Amorim (Defesa), Guido Mantega (Fazenda), Paulo Bernardo (Comunicações) e Jorge Hage (CGU). Também aparecem dados do prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, so falecido ex-vice-presidente da República José Alencar e dos ex governadores Paulo Souto (Bahia), Ronaldo Lessa (Alagoas), Waldez Góes (Amapá), Jorge Viana (Acre) e Reinaldo Tavares (Maranhão).

Ainda aparece na lista os ex-ministros Marina Silva, Márcio Thomaz Bastos, Patrus Ananias, Walfrido dos Mares Guia, Luiz Marinho, Silas Rondeau, Luiz Furlan, Waldir Pires e Gilberto Gil.

(Brasil 247)

“Cura Gay”: OAB critica aprovação do projeto em comissão na Câmara

O presidente da Comissão Nacional de Direitos Humanos da OAB, Wadih Damous, afirmou hoje (19), ao comentar a aprovação da chamado “cura  gay“, que tratar a homossexualidade como doença é “mais um dos absurdos cometidos pela chamada de Comissão de Direitos Humanos da Câmara dos Deputados”. 

Segundo Damous, o papel do Congresso é propor leis para garantir direitos, não para restringir ou criminalizar o direito à livre orientação sexual. “É lamentável uma proposição como essa justamente no momento em que o país assiste a uma mobilização social capaz de enfrentar práticas fundamentalistas e dar efetividade à defesa e garantia dos direitos humanos”, afirmou.

O chamado projeto de lei “cura gay” foi aprovado, nesta terça-feira, na Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados. De autoria do deputado João Campos (PSDB/GO) o projeto suspende os artigos da Resolução 1/99 do CFP (Conselho Federal de Psicologia).O objetivo da proposta do “cura gay” é autorizar que psicólogos possam propor o tratamento da homossexualidade para seus pacientes. A relatoria ficou a cargo do deputado Anderson Ferreira (PR/PE), um dos defensores da aprovação da proposta.

Antes de seguir para votação em Plenário na Câmara, o texto do projeto será analisado pelas comissões de Seguridade Social e Família; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

(Jornal do Brasil)

Mídia marcha sem rumo diante das manifestações

Quanto mais forte e ágil a mobilização dos manifestantes que toma o país e chega até ao exterior, maior a perplexidade e as interrogações de autoridades do governo. A falta de uma liderança clara e a existência de uma pauta difusa de reivindicações se alia às ferramentas das redes sociais para consolidar uma onda de protestos imprevisível. A única certeza é a de que a indignação é generalizada e a população se identifica cada vez mais com o que acontece nas ruas.

Mas não são apenas governo e autoridades da segurança que parecem perdidos em meio às palavras de ordem dos ativistas. A própria mídia, com sua incurável mania em rotular e definir fenômenos sociais, atira a esmo, errando muitas vezes o alvo.

Jornal do Brasil, atento às tendências, decidiu abrir um canal direto com as mídias sociais criando o espaço “Tá nas redes” e mostrando como os ativistas estão se articulando. 

A gafe mais clássica talvez tenha sido a de Arnaldo Jabor. Semana passada, em sua crônica no Jornal da Globo, o comentarista questionou o protesto, comparando-o a manifestações criminosas de São Paulo. “Não pode ser por causa de vinte centavos”, decretou, afirmando ainda que a maioria dos manifestantes era de classe média. “Tudo é uma imensa ignorância política. A causa é a ausência de causas. Esses revoltosos de classe média não valem nem vinte centavos”, disparou precipitadamente para, na semana seguinte, após ser massacrado nas redes sociais, voltar atrás em sua coluna na rádio CBN: 

“Outro dia eu errei, sim. Errei na avaliação do primeiro dia das manifestações contra o aumento das passagens em São Paulo. Falei na TV sobre o que me pareceu um bando de irresponsáveis fazendo provocações por causa de 20 centavos. Era muito mais que isso”, admitiu.

Mas os erros não param por aí. Numa onda de protestos que já foi batizada como “Revolta do Vinagre”, “Primavera Carioca” e até “Salad Uprising” (Revolta da Salada), não é difícil perceber que aprisioná-la numa única definição é uma tarefa inútil.

Contudo, as tentativas persistem. Em seu blog no site de O Globo, o jornalista Merval Pereira resume de forma imperativa: “Mesmo que as reivindicações sejam várias e muitos cartazes exibam anseios mal explicados ou utopias inalcançáveis, há um ponto comum nessas manifestações dos últimos dias: a luta contra a corrupção.”

O jornalista Reinaldo Azevedo, da Veja, não ficou atrás. Hoje, em seu blog, disparou: “Movimento Passe Livre, chamado de pacífico por certa imprensa, se nega a condenar saqueadores e diz que eles são protagonistas de uma “revolta popular”. E ainda há gente que me pede para aplaudir essa gente! Não há a menor chance de isso acontecer!”, escreveu para depois ser também atacado por ativistas que lembravam as inúmeras pautas de reivindicações que estão nas ruas.

No editorial de hoje da Folha de S. Paulo, intitulado Incógnita nas ruas, o texto destaca cenas isoladas de vandalismo e a mobilização da classe média, para concluir que “…como na marcha de muitas cabeças, em São Paulo, é difícil prever onde esse caudal irá desembocar. Nem os manifestantes sabem.”

Já o Valor faz conjecturas financeiras, alertando que a economia não gosta de incerteza, que os protestos assustam os investidores e que a questão social pode entrar de vez no radar do mercado. 

Bem definiu o cientista político e professor da UFRJ Paulo Baía, em entrevista à GloboNews na noite de terça-feira: “Estamos diante de uma coisa nova. Quem tentar fazer comparações e definições estará cometendo um erro.”

(Jornal do Brasil)

Pelé pede que país ‘esqueça’ manifestações e apoie seleção

Por Renato Felipe
FUTNET

O ex-jogador do Santos, Pelé, pediu ao povo brasileiro que “esqueça” as manifestações que pedem melhorias no sistema de educação, saúde; além de redução no preço do transporte público; e até protestos contra o alto preço da Copa do Mundo no país. O pedido do craque foi por meio de um vídeo, hospedado no ‘Youtube’.

“Vamos esquecer toda essa confusão que está acontecendo no Brasil e vamos pensar que a seleção brasileira é o nosso país, é o nosso sangue. Não vamos vaiar a seleção. Vamos apoiar até o final”, disse Pelé.

Pelé ressaltou que fala neste momento como um brasileiro: 

“Vou pedir mais uma vez aos brasileiros para não confundirem as coisas. Estamos iniciando uma preparação para a Copa do Mundo. A Copa das Confederações serve muito para a gente ter uma base de como vai ser a nossa equipe. Quem está falando aqui não é o Pelé. É o Edson, do tempo da CBD, torcedor brasileiro.”

Estilistas da Dolce & Gabbana são condenados a 1 ano e 8 meses de prisão por evasão fiscal

Acostumados a ver Domenico Dolce Stefano Gabbana recebendo os merecidos aplausos após o fim de cada desfile da Dolce & Gabbana, teremos que nos acostumar a vê-los por detrás das gradas – pelo menos, esse é o desejo do Ministério Público italiano, que, nesta quarta-feira (19), condenou a dupla de estilistas a passar um ano e oito meses na prisão por “fraude fiscal sofisticada”.

De acordo com a imprensa italiana, os designers são acusados de obter vantagens sobre os impostos através da sociedade na Gado, uma empresa que seria de fachada, sediada em Luxemburgo, que é proprietária das marcas D&G e Dolce&Gabbana. O objetivo da nova companhia seria fugir do pagamento de impostos italianos. 

Através desta empresa, Stefano e Domenico não teriam declarado cerca de US$ 175 milhões entre 2004 e 2005, mesmo período em que estavam sendo investigados por terem sonegado mais de US$ 560 milhões cada um.

“Os estilistas participaram ativamente da fraude, assinando contratos de concessão das marcas. A Gado era uma empresa nebulosa, tão consistente quanto gás”, afirma Laura Pedio, promotora de justiça que atua no processo. Xiiii…

(Jornal do Brasil)

São Paulo e Rio de Janeiro suspendem aumento das tarifas de ônibus

Pressionados pelas recentes manifestações populares, que tomaram as ruas do centro da cidadeRio de Janeiro e São Paulo anunciaram a redução das tarifas de ônibus, que voltam para R$ 2,75 e R$3,00, respectivamente. O prefeito do Rio de Janeiro Eduardo Paes (PMDB) explicou que a redução vai implicar em cortes de gastos em outras áreas devido às restrições orçamentárias.

“Precisamos definir os cortes porque o custo dessa redução pode chegar a 500 milhões por ano. São escolhas sobre prioridade que vamos ter que definir. Tivemos um aumento de custo durante 18 meses e esses custos não serão repassados”, disse Paes.

Em São Paulo, o prefeito Fernando Haddad  anunciou a redução das passagens, junto com o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin. O reajuste que deveria ser feito em janeiro, explicou Haddad, foi prorrogado para junho e já tinha incorporado à desoneração do PIS/Cofins. No entanto, disse o prefeito, a necessidade do aumento deu a impressão para a população de que essa desoneração não havia sido feita.

“Nos últimos dias evoluímos o diálogo com a população de SP, ouvimos vários segmentos e tomamos essa decisão. Vamos ter consequências com relação a esse gesto e teremos que fazer cortes”, disse Haddad.

Alckmin ressaltou na entrevista coletiva que haverá cortes de investimentos, mas disse que os transportes são prioridades do governo. 

(Jornal do Brasil)

Torcedor fura barreira da PM e protesta em frente a Arena Catelão em Fortaleza

O foco do confronto entre policiais e manifestantes em Fortaleza se concentrou a cerca de dois quilômetros do estádio do Castelão, onde a partir das 16h, Brasil e México se enfrentam pela segunda rodada do grupo A da Copa das Confederações . Mas um manifestante que estava lá chegou perto do estádio com sua faixa e seu nariz de palhaço.

Yan Gioseffi foi ao protesto que teve duração de cerca de duas horas e meia e depois, a pé, seguiu até a porta do Castelão – Bruno Winckler

Yan Gioseffi, carioca de 21 anos, e há três morando no estado de Idaho, nos Estados Unidos, morou em Fortaleza dos nove aos 18 anos. De férias na cidade, onde ainda moram seus pais, ele foi ao protesto que teve duração de cerca de duas horas e meia e depois, a pé, seguiu até a porta do Castelão com uma faixa feita por ele.

“Sempre me interessei por política, pelas questões sociais, mas tive de fugir de Fortaleza por conta da violência. Estou para me formar em Business e quando terminar volto a morar aqui para tentar fazer minha parte”, disse o jovem nascido em 1991, um ano antes dos protestos que derrubaram o presidente Fernando Collor.

O pai de Yan, César, administrador de empresas, mora em Fortaleza desde 2000 e se assusta com os altos índices de violência na cidade. Ele e Yan usavam camisas do movimento “Fortaleza Apavorada”, que há uma semana levou 3 mil pessoas para as ruas da capital cearense para protestarem contra a violência na cidade, problema maquiado durante a Copa das Confederações com um aumento de efetivo de homens da Polícia Militar e das Forças Armadas.

                                                                             Bruno Winckler / iG

César Gioseffi com camisa do movimento “Fortaleza Apavorada”, que há uma semana levou 3 mil pessoas para as ruas da capital cearense para protestarem contra a violência

“Precisamos chamar atenção para isso. Essa violência está demais. Não há sossego nas nossas ruas. Educação, saúde, são problemas do país e esses protestos durante a Copa das Confederações ajuda a mostrar para a mídia que a população não está satisfeita”, disse César.

Pai e filho conseguiram ir além da barreira do choque que entrou em confronto com manifestantes porque têm ingressos para a partida da seleção brasileira. “Não somos contra o futebol, amamos o futebol, mas com o mundo olhando para o Brasil precisamos nos movimentar para mostrar nossos problemas”, disse César.

Na faixa de Yan, as palavras “Hoje tem jogo, vai ter circo. E os palhaços somos nós”. Perguntado se a faixa não seria uma contradição em relação ao fato de eles terem ingresso para o circo, Yan fez sua defesa. “O protesto é contra o dinheiro mal utilizado, o dinheiro roubado, desviado, contra corrupção. O futebol é outra coisa”, comentou.

Clima de paz

A movimentação em torno do estádio a poucas horas do jogo foi muito pacífica. Brasileiros e mexicanos se interagem e há poucas filas nas entradas ao redor de todo estádio. Voluntários bem prestativos informavam os torcedores em relação aos portões que deveriam se dirigir e havia um clima de euforia por conta do retorno da seleção brasileira à cidade depois de 11 anos.

(Bruno Wunckler, IG Último Segundo)

Viatura da AMC é incendiada por manifestantes em Fortaleza

Carro foi incendiado próximo à Arena Castelão. Foto: Alan Barros/ Diário do Nordeste Online

Uma viatura da Autarquia Municipal de Trânsito (AMC) foi incendiada durante a manifestação da manhã desta quarta-feira (19), na avenida Alberto Craveiro, a principal avenida de acesso ao Castelão. A mobilização, que era para ser pacífica, teve confronto entre policiais e manifestantes.

Os manifestantes tentaram ultrapassar a barreira do Batalhão de Choque. Em resposta, a polícia soltou bombas de gás lacrimogêneo. Um manifestante caiu em um buraco das obras da avenida Alberto Craveiro enquanto corria para se proteger da fumaça. 

Entre os manifestantes feridos, o jornalista Pedro Rocha, que está cobrindo a manifestação pelo Comitê Popular da Copa e pela produtora Nigéria Filmes. De acordo com fotos divulgadas nas redes sociais, Pedro foi atingido por uma bala de borracha no olho. 

A mobilização acontece antes do duelo entre Brasil e México, a segunda partida da seleção na Copa das Confederações 2013. Com faixas e gritos de ordem, eles pedem “menos pão e mais circo” no país.

 

O cenário é o mesmo das manifestações em outras sedes do torneio, com gritos contra a realização da Copa das Confederações e da Copa do Mundo no Brasil. Entre as faixas e gritos, estão algumas curiosas, como “Saúde e educação no padrão Fifa” e “Brasil vamos acordar, o professor vale mais que o Neymar.”

 

A polícia bloqueou duas faixas do local, e o tráfego avança lentamente em apenas uma faixa. Os manifestantes tentam ocupar as vias abertas. A polícia tenta negociar para que o público possa seguir tranquilamente para o Castelão e o protesto siga de forma pacifica. 

 

O protesto com o nome “+ Pão – Circo. Copa para Quem?” quer esclarecimento sobre o uso do dinheiro público usado para as obras da Copa na cidade de Fortaleza e também sobre os investimento em saúde, educação e segurança pública. Os idealizadores da manifestação pretendem entregar ao governador Cid Gomes uma carta durante o protesto. 

(Portal CNews)

Jornalista Pedro Rocha é ferido pela polícia com tiro de bala de borracha em Fortaleza

Um jornalista ficou ferido durante a manifestação em Fortaleza nesta quarta-feira (19). Pelas redes sociais, Pedro Rocha afirmou que passa bem. “Tava todo mundo sentado e o choque abriu fogo”, escreveu nas redes sociais.

A Polícia Rodoviária Federal estima que cerca de 15 mil pessoas participam da manifestação. O grupo manifesta contra os gastos excessivos com a realização da Copa do Mundo. 

No início da tarde, parte dos manifestantes entrou em confronto com a polícia e bombas de efeito moral foram atiradas. Porém, após a confusão, o protesto foi contido e voltou a ser contido.

(Portal CNews)

Carro da TV Verdes Mares é depredado e loja saqueada durante protesto em Fortaleza

Foto: DEIVYSON TEIXEIRA/O Povo

16h28min

Agora há pouco, manifestantes saquearam uma loga de conveniência (Posto BR), localizada na altura da rotatória da avenida Alberto Craveiro. Alimentos e bebidas – inclusive cerveja – foram levadas pelos vândalos. Um carro de reportagem da TV Verdes Mares, que estava no estacionamento do supermercado Makro, foi depredado.

16h05min

Nesse momento, mais manifestantes estão chegando à avenida Paulino Rocha, um dos acessos à Arena Castelão. A Polícia continua jogando bombas de efeito moral e de gás para tentar dispersar as pessoas. Bombas também foram arremessadas quando torcedores estrangeiros tentavam passar. Agora há pouco, um novo grupo de manifestantes chegou – portando faixas e cartazes ao local – para se juntar ao protesto. Apesar dos policiais não deixarem o grupo avançar, os manifestantes não cedem e continuam ocupando a via.

 

15h20min

Nesse momento, o sentido Interior-Fortaleza, da BR-116, foi liberado pelos manifestantes. 

Manifestantes chegaram a bloquear o acesso ao Castelão pela avenida Paulino Rocha. Mas a PM conseguiu dispersar a manifestação no local, nas próximidades da Secretaria de Urbanismo e Meio Ambiente (Seuma).

Na avenida Alberto Craveiro, manifestantes retiraram placas de obras da Copa, que estavam ao longo da via – e atearam fogo. Pneus também foram utilizados para formar a barricada, montada no meio da via. Pelo menos três pessoas foram presas durante a ação. A cavalaria voltou a bloquear a rotatória do Castelão para impedir o acesso dos manifestantes.

(O Povo Online)

PM admite excesso de policial que atacou mulher com spray de pimenta

Policial ataca mulher com spray de pimenta na Praça XV, no Rio de Janeiro (Foto: Victor R. Caivano/AP)

O coronel Frederico Caldas, relações públicas da Polícia Militar do Rio de Janeiro comentou, em entrevista ao Bom Dia Rio desta quarta-feira (19), sobre a ação de um policial da Tropa de Choque queatacou uma mulher com spray de pimenta enquanto ela circulava pela Praça XV na noite de segunda-feira (17). Segundo ele, houve excesso por parte do policial.

“A gente percebe que há um excesso, principalmente, por se tratar de uma mulher sozinha e dois policiais. Não justifica absolutamente dois policiais terem esse tipo de comportamento. Agora a gente tem que analisar o contexto também. Não só em relação a esse fato em si, mas toda a mobilização dessas pessoas. Por parte de alguns manifestantes, há uma postura de absoluta hostilidade, muitos deles atacando aos policiais, é claro que nesse caso não, mas de um modo geral, o emprego da tropa da Polícia Militar tem sido em situações extremas”, explicou Caldas.

“Não estamos atuando em condições normais de um controle de distúrbio, mas sim em situações em que há um comportamento absolutamente agressivo por parte dos manifestantes e é por isso que a gente tem feito uma palestra com  os policiais para que eles tenham mais equilíbrio e mais cuidado nessa atuação”, completou.

O coronel acrescentou também que as imagens serão analisadas. “Naturalmente será feito todo o trabalho de identificação dessas imagens. Então o que quer que tenha que ser feito pela Polícia Militar, nós faremos de uma maneira muito isenta, muito responsável porque a gente sabe muito bem o papel que a polícia militar tem no sentido de conter mais não de agredir as pessoas”, coincluiu o coronel Frederico Caldas.

Flagra do leitor
A ação foi registrada em vídeo pelo fotógrafo Gustavo Domingues de Oliveira. Ele afirma que acompanhava um batalhão que passava pela Praça XV.

O leitor contou que é a mesma mulher que foi mostrada na imagem do fotógrafo da agência Associated Press Victor R. Caivano e que circulou o mundo. Gustavo usava uma câmera que fazia foto e vídeo ao mesmo tempo.

(G1 SP)

Manifestantes furam bloqueio e polícia militar contra-ataca em Fortaleza

Um grupo de manifestantes entrou em confronto com a polícia na região do Estádio do Castelão, em Fortaleza, palco da segunda partida da Seleção Brasileira pela Copa das Confederações, nesta quarta-feira.

Os manifestantes protestam contra o uso de dinheiro público na construção de estádios para a Copa do Mundo. Por volta de meio-dia, eles chegaram até a esquina entre a avenida Alberto Craveiro com a rua Pedro Dantas, onde foram impedidos de prosseguir pela polícia.

Durante 20 minutos, houve um clima de tensão nessa barreira, até que manifestantes começaram a forçar a passagem. Diante da ofensiva, homens da Polícia Militar, que formavam uma segunda barreira, contra-atacaram com bombas de gás lacrimogêneo, efeito moral e balas de borracha.

O confronto foi violento em ambos os lados, com os manifestantes usando entulho de uma obra nas proximidades para atacar os policiais – o local estava reservado com tapumes, que foram arrancados. Policiais, por sua vez, distribuíram bombas e spray de pimenta, dispersando a maior parte da manifestação. Os mais radicais, no entanto, permaneceram em confronto.

Durante o confronto, jornalistas e um grupo de manifestantes se refugiaram em um terreno ao lado do estádio. Bombas de gás lacrimogêneo foram arremessadas e até um menino, de cerca de 5 anos, inalou o gás. A criança passou mal e foi socorrida pelos próprios manifestantes, que o tiraram de lá. Após a defensiva da polícia, o grupo recuou. 

Mais cedo, o coronel Cláudio Mendonça, responsável pelo policiamento do local, disse que a orientação passada aos policiais é para apenas observar a manifestação. “Não vamos usar o uso de força. Vamos mostrar que Ceará está preparado para protestos pacíficos. Contamos coma colaboração deles e vamos fazer a nossa parte”, falou.

A preocupação do comandante tinha como pano de fundo os recentes confrontos ocorridos em outras manifestações prévias a três dos quatro jogos do torneio. Em Brasília, Rio de Janeiro e Belo Horizonte os protestos terminaram em confronto com a Polícia Militar.

Após o confronto, o clima continuou tenso na região do Castelão e parte dos manifestantes partiram para a BR-116, que fica bem próxima do local da partida entre Brasil x México.

(Jornal do Brasil)

Ex-atacante Ronaldo é xingado no protesto em Fortaleza: ‘Babaca’

Pentacampeão com a Seleção Brasileira e membro do Comitê Organizador Local (COL) da Copa do Mundo de 2014, Ronaldo foi xingado durante o protesto que acontece na manhã desta quarta-feira, em Fortaleza (CE). O ex-jogador foi chamado de ‘babaca’ por protestantes. Nesta semana repercutiu na internet um vídeo de 2011, quando ele disse que “não se faz Copa do Mundo com hospital”, para querer mostrar a importância de se investir na construção de estádios para o Mundial.

As críticas ao Ronaldo são apenas parte do protesto que ocorre na capital cearense, que recebe nesta quarta-feira, às 16h, o México, pela segunda rodada da Copa das Confederações. O público se reuniu nesta manhã, com o objetivo de chegar no Castelão ao meio-dia. Entre os gritos, além de “Ronaldo, babaca”, foram citados: “Da Copa, eu abro mão, quero dinheiro para saúde e educação!”, “Brasil, vamos acordar, um professor vale mais que o Neymar!”, e o conhecido “Eu sou brasileiro, com muito orgulho, com muito amor”.

Nesta manhã, em sua página no Twitter, o ex-jogador se defendeu das críticas que está recebendo pela afirmação de 2011. “Um pessoal postou um vídeo editado com declarações minhas sobre a Copa de dois anos atrás. Posso de fato não ter me expressado tão bem e a edição que eu vi na internet é bastante tendenciosa. Era outro contexto. Não é justo usar como se fosse dito essa semana”, afirmou Ronaldo.

(Esportes, O Povo Online)

Anac informa dificuldade em acesso ao Aeroporto de Fortaleza

 

Aeroporto Internacional de Fortaleza

 

A Secretaria da Aviação Civil da Presidência da República informou, via Twitter, que os passageiros que estão em Fortaleza e precisam ir ao Aeroporto Internacional Pinto Martins, que fica nas proximidades de onde está sendo feito o protesto e do estádio Arena Castelão, terão dificuldade de acesso ao terminal, já que a Polícia Rodoviária Federal (PRF) está fechando o acesso à BR-116, via que leva ao Aeroporto. 

A alternativa é ir ao Aeroporto pelo Montese, lado oposto à BR-116. Quem está no Aeroporto deverá também seguir em direção ao Montese para ter acesso aos bairros da Cidade.

(O Povo Online)

Raimundo Macêdo: Prefeito de Juazeiro fica sitiado por manifestantes e é salvo pela polícia

Foto: Site Miseria

Há seis horas prisioneiro da parte dos fundos da agência do Banco do Brasil da rua São Francisco, no centro da cidade, Raimundo Macedo (PMDB), 70 anos, prefeito pela segunda vez de Juazeiro do Norte, Ceará, recebeu por volta das 22h a notícia que aumentaria de vez seu desespero: do lado de fora,  ocupando todos os espaços disponíveis, tendia a crescer a multidão estimada em quatro mil pessoas disposta a passar a noite em vigília para impedi-lo de sair dali. 

Quem mandou Raimundo, de apelido Raimundão, não conseguir refrear sua curiosidade? 

No meio da tarde, ao saber que uma passeata contra ele percorria as principais ruas da cidade, Raimundo decidiu observá-la de longe. Meteu-se no carro oficial, chamou um primo para acompanhá-lo e saiu atrás da passeata. Foi seu grave erro. O alerta foi dado pelo primeiro manifestante que reconheceu o carro à distância: “Pessoal, olha o carro do Raimundão”. A multidão cercou o carro. Há muito custo, o motorista manobrou e conseguiu chegar à agência do Banco do Brasil. Raimundo e o primo desembarcaram às pressas. 

Ex-deputado federal, Raimundo faz uma administração considerada desastrosa até por correligionários dele que preferem não ser identificados. Os professores se tornaram suas principais vítimas. Simplesmente, Raimundo reduziu o salário deles em 40% e aumentou em 200 horas sua carga mensal de trabalho. O prefeito, parentes e aliados deles são personagens de histórias escandalosas que divertem a oposição e irritam quem não gosta de política e de políticos por considerá-los, indistintamente, ladrões. 

Um aperitivo: Mauro Macedo, filho do prefeito e Secretário de Governo, é casado com uma mulher dona de uma loja de roupas femininas conhecida como “A Daslu do Cariri”. Juazeiro é uma cidade cheia de buracos. Pois bem: a rua da loja da mulher de Mauro foi toda asfaltada – bem como pequenas ruas que desembocam nela. Adversários de Raimundo dizem dispor de provas de que ele e alguns secretários desviam dinheiro público e promovem licitações viciadas vencidas por empresas de amigos. 

Cerca de 100 PMs tentaram no fim da tarde resgatar o prefeito na agência bancária. Valeram-se para isso de um carro-forte. Mal o carro estacionou nas vizinhanças da agência, os manifestantes começaram a apedrejá-lo. Tentaram furar seus os pneus. E para evitar que ele servisse à fuga do prefeito, os manifestantes deitaram no chão na frente do carro, pelos lados, por detrás e debaixo dele. Repetiram a manobra por volta das 21h quando chegou à agência uma Hilux da PM. 

Às 23h12h, além da multidão, a rua São Francisco abrigava tendas e barracas onde parte dos manifestantes planejava atravessar a madrugada. Dentro da agência, Raimundo, o primo e o motorista aguardavam a visita de Mariane Gurgel, Procuradora Geral do Município. O plano de Raimundo era convencer Mariane a negociar sua liberdade com os manifestantes a tempo de ele comparecer ao Parque da Cidade para a única apresentação  da banda Aviões do Forró, contratada pela prefeitura por R$ 250 mil. 

Não foi preciso a intermediação de Mariane. Por volta das 23h30, o contingente de 100 PMs, usando e abusando de cassetetes, sprays com gás de pimenta e até escopeta, cercou o prefeito e conseguiu empurrá-lo para dentro de uma camionete policial que havia sido providenciada. Os manifestantes que tentaram impedir a saída do prefeito ficaram duramente machucados. Um soldado confidenciou que o prefeito prometeu gratifica-los com R$ 50 mil do próprio bolso. Ninguém sabe ao certo. 

(Blog do Noblat)

“Não podemos nos alinhar aos Jabores e Datenas”

Membro do Movimento Passe Livre alerta para a tentativa da direita de ‘adotar o movimento’ com interesses escusos. “O grito dos jovens está longe de bradar contra políticas de transferência de renda. O movimento é progressista por natureza”


“Somos progressistas”, diz militante do MPL em crítica à adesão de representantes dos setores conservadores ao movimento (Reprodução / Protesto em SP)

Desde o ato da última quinta-feira contra o aumento da passagem do transporte público em São Paulo, em que a violência e a repressão policial viraram notícia em todo o planeta, mais uma ameaça ronda o sucesso das manifestações organizadas pelo Movimento Passe Livre: a instrumentalização do povo.

A evidente mudança de postura da imprensa em relação aos protestos deve ser motivo de desconfiança, não de festa. Isso porque nos últimos dias imperou o comentário: “Agora até a grande mídia defende as manifestações”. Como se isso fosse algo positivo.

Por um lado, a máxima “não é só pelos 20 centavos” conseguiu convencer diversos setores da população a ir às ruas. Por outro, abriu uma questão polêmica: se o aumento da passagem foi só o estopim, o que mais nos incomoda? Quais são os reais motivos do fim da letargia política em São Paulo?

É fato, o reajuste do preço transporte só provocou a revolta necessária para que o paulistano percebesse o óbvio: política se faz nas ruas. No entanto, a recusa ao modelo de sociedade atual tem de ser deixada clara. Isso porque os perigos da apropriação do movimento são reais.

Na sua última edição, Veja contrariou sua linha editorial e se posicionou a favor das manifestações. Quando um veículo que representa o que há de mais reacionário na sociedade apoia movimentos sociais, há no mínimo um ponto de extrema relevância para refletir.

Mas as páginas de Veja só revelam a nova postura dos veículos da imprensa dominante: já que não podem mais controlar ou evitar a multidão, manipulam seus objetivos. De acordo com a revista, o descontentamento dos manifestantes se deve também à corrupção, à criminalidade…Falácia.

É evidente que essas questões também são importantes, mas os jovens que estão nas ruas estão preocupados com questões muito mais profundas. A juventude está mostrando que não quer compartilhar dos valores individualistas, consumistas e utilitaristas da geração de seus pais.

O grito dos jovens está longe de bradar contra os “mensaleiros”, contra a inflação, contra as políticas sociais de transferência de renda. O movimento é progressista por natureza e agora tem de saber lidar com uma ameaça feroz: a direitização.

O aparelho midiático que serve a esses interesses já foi acionado. A grande imprensa já está mobilizada para maquiar o movimento de acordo com um ideário conservador, por isso o povo precisa fazer seu recado ser entendido.

Sob hipótese nenhuma podemos nos alinhar aos Datenas, Jabores e Pondés.

O que queremos é derrubar as barreiras entre ricos e pobres, quebrar os muros entre centro e periferia, consolidar o povo como um ator político de importância ímpar e lutar por um Brasil com justiça social, sem desigualdade e com oportunidades iguais para todos e todas. Nada mais. E nada menos.

Vamos à luta!

Por Paulo Motoryn, militante do MPL. Publicado na revista Vaidapé e republicado no site Diário do Centro do Mundo

47 são presos por praticarem saques e depredações no Centro de SP

Ao menos 47 pessoas foram presas por saques e depredações de lojas no centro da capital paulista, na noite desta terça-feira (18). Segundo a polícia, o grupo é formado por moradores de rua e usuários de droga. Entre os produtos apreendidos com os detidos estão televisores de plasma, micro-ondas, jogos de copos e talheres, roupas e até um fogão de quatro bocas, que era carregado em plena Praça da Sé. 

Nos últimos minutos de ontem, a Polícia Militar informou em sua conta o Twitter que a Tropa de Choque atuava em atos isolados de vandalismo na Rua Augusta. Há um esforço da corporação em distinguir grupos radicais da maioria de manifestantes pacíficos na Avenida Paulista. O prefeito Fernando Haddad (PT) dará coletiva às 10h desta quarta-feira para comentar os protestos.

(Agência Estado)

Globo e Veja viram alvo de manifestantes em novo ato em SP

Jornalista da Globo é expulso pelos manifestantes
Jornalista da Globo é expulso pelos manifestantes

A revista Veja e a Rede Globo foram alvo de manifestações no começo da noite desta terça-feira, em mais um ato contra o aumento da passagem de ônibus em São Paulo. “Veja, Globo, o povo não é bobo”, era um dos gritos entoados pelos manifestantes na Praça da Sé, na região central da capital. 

Assim como no protesto de ontem, os repórteres da Globo foram acompanhar a marcha com seus microfones descaracterizados, numa tentativa de evitar que sejam hostilizados. No ato de segunda, no Largo da Batata, o jornalista Caco Barcelos e a equipe do Profissão Repórter foram expulsos do local por manifestantes com gritos de gritos de “Fora Globo” e “Central Globo de Mentiras”. 

 

(Marina Novaes, Portal Terra)

Brasil joga em Fortaleza onde o ‘quase pronto’ impera

A promessa de entregar estádios prontos para os jogos  da Copa das Confederações parece ser coisa de outro mundo. Em Fotaleza, na Arena Castelão, basta dar uma volta ao entorno do estádio e a expressão de espanto é notória. As obras deixam a desejar.

A principal rua que leva ao Castelão, a Alberto Craveiro ainda está em obras. Os operários correm contra o tempo para aprontá-la para o jogo desta quarta-feira, entre Brasil e México.

Caso haja protestos antes do jogo, como ocorreu em Brasília e no Rio, a situação poderá ficar muito perigosa, visto que há entulhosespalhados pelo caminho.

As demais ruas próximas ao estádio ainda recebem asfalto. Ainda é possível ver trechos que terão grama no barro e calçadas em fase de construção.

O Castelão foi o primeiro estádio a ser entregue para a Copa das Confederações, contudo, o lado externo carece de agilidade na conclusão das obras. O secretário municipal de Infraestrutura de Fortaleza, Samuel Dias, havia prometido que entregaria tudo a tempo, na véspera do jogo, o que não aconteceu.

Mesmo com a correria para a finalização das obras parece que tudo ficará pronto mesmo para a Copa, a Copa do Mundo .

Crédito: http://www.espbr.com/noticias/brasil-joga-fortaleza-onde-quase-pronto-impera

Fortaleza: Milhares de manifestantes podem impedir realização do jogo Brasil x México

Pelo Facebook, 31 mil pessoas já confirmaram presença no ato “Pão + Circo – Copa para quem?”; ato parte do centro da capital cearense em direção ao Castelão, onde a seleção brasileira enfrenta nesta quarta-feira a equipe do México; policiais podem aderir ao protesto; jovens escreveram carta aberta ao governador Cid Gomes; leia o documento:

Um ato previsto para a cidade de Fortaleza, nesta quarta-feira, poderá ter consequências imprevisíveis. Pelo Facebook, 31 mil jovens confirmaram presença no evento “Pão + Circo – Copa para quem?”, com concentração às 10 horas no centro da capital cearense, de onde todos partirão para a Arena Castelão, onde o Brasil deverá enfrentar o México, pela Copa das Confederações. 

O protesto tem como um dos seus objetivos evitar a realização da partida, marcada para as 16h, ou impedir a chegada dos torcedores. O dado mais significativo é que policiais prometem aderir à manifestação, que contesta gastos da Copa. O Castelão foi reformado por R$ 516 milhões. 

Leia, abaixo, carta aberta que os jovens escreveram ao governador Cid Gomes: 

“À V. Ex.ª Governador do Estado do Ceará, Cid Gomes. 

Carta de Reivindicação. 

Nós, população de Fortaleza, viemos, através dessa, solicitar de V.Exa., medidas emergenciais que visam a melhoria da qualidade de vida dos cidadãos desta tão estimada cidade, no que diz respeito aos investimentos em segurança, saúde, educação, transporte, lazer e qualidade de vida. 

Queremos pedir transparência na prestação de conta dos gastos públicos e deixar claro que não aprovamos e não apoiamos o sistema de governo adotado por V.Exa. Cujo prioriza obras que não visam a melhoria da qualidade de vida dos mais necessitados. Não visam a real necessidade do povo.

Queremos expressar, por meio, não apenas dessa carta, mas por meio do protesto ocorrido hoje (19/06/2013), que não estamos de acordo com os milhões investidos em obras que nunca ficam prontas, em estádios e estradas. E que queremos mais investimentos nos hospitais públicos, que estão sucateados, com falta de médicos e enfermeiros, enquanto a população morre à míngua nos corredores super-lotados das unidades de saúde não apenas de Fortaleza, bem como de todo Estado. Queremos investimentos na educação, que sofre com a falta de estruturação das escolas e a desvalorização dos profissionais da educação. Queremos pedir policiamento e segurança nas ruas, nos ônibus, nos terminais rodoviários. Queremos um plano, claro e objetivo, de enfrentamento à seca e combate à falta d’água no interior do Estado. 

Não queremos uma polícia repressiva e sim uma polícia preventiva. Queremos de V.Exa. um plano emergencial de combate a impunidade e de transparência política. Exigimos, como cidadãos contribuintes, a prestação de contas do estado para conosco de forma limpa e clara; de forma a ser compreendida pela população e de fácil acesso através de links na Internet.” 

Fonte: Brasil 247

Capitão Wagner convoca população de Fortaleza para manifestação nesta quarta, na Arena Castelão

Nesta terça-feira, 18, o vereador Capitão Wagner Sousa usou a Internet para convocar a população de Fortaleza a participar da manifestação na Arena Castelão. Recentemente envolvido com denúncias de chefiar suposta milícia na Polícia Militar, o vereador publicou um vídeo no Youtube em que pede aos policiais e manifestantes que evitem agressões ou confrontos.

concentração do protesto acontece na manhã desta quarta-feira, às 10 horas, próximo ao supermercado Makro. No vídeo de cerca de dois minutos, Capitão Wagner chama os fortalezenses para exercerem sua cidadania. “Eu vou estar lá e convido você para manifestar-se de forma ordeira”, enfatiza.

O vereador afirma que o chamado é destinado, principalmente, aos policiais, que devem agir de forma pacífica, evitando confrontos. Ele diz que os policiais devem colocar-se no lugar do cidadão que está se manifestando, deixando assim, que o protesto ocorra da melhor forma possível.

Para o Capitão Wagner, todos que estão indignados “com todo e qualquer fato errado, como corrupção, investimentos inadequados do governo do estado federal e da prefeitura” estão convidados.

(O Povo Online)

Artistas opinam em redes sociais sobre as manifestações pelo país

Fernando Anitelli, líder do Teatro Mágico, contou que o grupo cancelou uma tarde de autógrafos que faria em Ponta Grossa, no Paraná:

“Escrevo para pedir desculpas pois mediante as manifestações que tem ocorrido na minha cidade (SP), não poderei comparecer ao evento! Após conversa com Gustavo Anitelli e com o grupo, achamos de vital importância estarmos todos unidos e presencialmente fortalecendo o Ato que acontecerá amanhã! Grande parte do nosso público também está nas ruas levando tiros e maus tratos da polícia! Do Gov. Alckmin já se esperava a falta de noção e responsabilidade, triste e decepcionado fiquei com o Pref. Haddad a quem dei meu voto! Por isso iremos às ruas pra cobrar dessa gestão uma postura digna! É chocante ver que a mídia só se sensibiliza quando os próprios jornalistas são alvejados num ato de barbárie! Até então, eram os vândalos, os baderneiros… os tais vinte centavos! Pois então… Não se trata disso! O direito de se manifestar pacificamente nas ruas do nosso país não pode ser cerceado por truculência e violência gratuita! Espero comparecer numa outra oportunidade para este encontro com o pessoal de Ponta Grossa, ok?
Obrigado pela compreensão!

Marcelo D2, líder do Planet Hemp:

“Acordei hoje pensando em quanta gente vai pra rua e como isso pode mudar o Brasil … (…) me emocionei por que é exatamente o que acho que cada um pode fazer pra que essa mudança aconteça … abra seu coração e vá pra rua fazer essa mudança faça sua parte … se não puder ir pra rua faça isso nas suas redes sociais mas não perca a oportunidade de participar e melhorar o Brasil … FAÇA mas principalmente vá em PAZ …!

Marcelo Yuka, ex-baterista do Rappa:

“SINTO A LUCIDEZ POR PARTE DO MOVIMENTO COM CONFIANCA NO FUTURO , SE FOR INGENUIDADE QUE SEJA ,MAS SEI QUE O PODER E SEUS COMPARSAS TAO ACUSANDO O GOLPE E ISSO E’ LINDO DE SE VER..”

O músico Leoni compôs uma música sobre os protestos e lançou um vídeo com imagens das manifestações dos últimos dias:

“Para quem reclama que a causa dos protestos tinha que ser outra. #vemprarua com sua bandeira. Indignação sem ação é inútil”.

Marcelo Tas, humorista e apresentador do CQC:

“E vamos protestar com paz, dignidade, alegria e segurança #TamoJunto #ProtestoBrasil”

A cantora Elza Soares cantou palavras de apoio durante seu show em Ribeirão Preto, SP, no último sábado:

“20 centavos, eu não pago, não. É covardia, meu irmão”. Veja o vídeo aqui.

Os músicos da Nação Zumbi também manifestaram seu apoio:

“Isso tem que acabar! Respeito pelos cidadãos e boas condições de vida são primordiais, como o direito a protestar sem uso da força”.

Pitty, que mora em São Paulo, confirmou sua participação na manifestação no Largo da Batata:

“Bom, eu não sei vocês, mas eu vou pra rua”.

Atriz de Amor à vida, Paula Braun criticou os artistas que publicaram fotos com olho roxo em apoio às manifestações.

“Desculpa aí colegas, mas protestar é tirar a bunda do sofá e ir pra rua. Adoraria ver algum colega que tirou foto maquiado na rua. Se eu vir calo a minha boca”, disse, no Twitter. Mais tarde, ela voltou a falar sobre o tema. “Não falo mais sobre o assunto: não quis alfinetar ninguém. Só disse que tenho vontade de ver todos na rua. É o que mais vale no momento, acho”.

Luiza Possi, cantora:

“A minha torcida é por um país mais justo e preocupado com o que realmente é importante”.

Crédito: http://www.palmaresfest.com.br/noticias-intro/

Manifestantes em protesto cercam prédio de Fernando Haddad, em SP

247 – Depois de saber, por assessores, da depredação da fachada da Prefeitura de São Paulo, onde trabalha, o prefeito Fernando Haddad teve o edifício em que mora cercado por um grupo estimado em 100 manifestantes, no bairro do Paraíso. Haddad deixou a sede municipal, por volta das 18h00, de helicóptero. Foi para um encontro, no aeroporto de Congonhas, com a presidente Dilma Rousseff. Durante a conversa, a marcha de estudantes que saíra da Praça da Sé chegou à sede da Prefeitura, cercando o prédio e praticando cenas de vandalismo.

Logo após Haddad ter voltado à sua casa, cerca de 100 manifestantes se concentraram diante do prédio em que ele mora, no bairro do Paraíso. O prefeito comunicou a situação a assessores, pedindo reforço na segurança. Nessa situação, ele falou com o portal UOL, pelo telefone. “Eu e minha família podemos ser retaliados”, disse o prefeito. Mas adiantou que não irá revogar o aumento de R$ 0,20 nas passagens de ônibus. Ele acentuou que contas feitas pela ministra-chefe do Gabinete Civil, Gleise Hoffmann, de que seria possível reduzir a tarifa em R$ 0,23, em razão de desonerações feitas pelo governo federal, foram retificadas por ela.

Mesmo depois de se encontrar com a presidente Dilma, Haddad confirmou seus cálculos de que a revogação do aumento significaria a necessidade de concessão de R$ 1,4 bilhão em subsídios municipais este ano. O prefeito tem viagem marcada para Brasília nesta quarta-feira 19, mas a viagem poderia ser cancelada em razão das depredações e saques ocorridos no centro da cidade.

Além do cerco à sua própria residência, Haddad se mostrou preocupado, em contato com assessores, com uma possível invasão sobre o Teatro Municipal, depois do quebra-quebra diante da sede da Prefeitura. Esse risco, no entanto, não se confirmou. No momento em que manifestantes picharam as paredes do teatro, ameaçando uma invasão, cerca de 300 pessoas assistiam à opera Rake´s Progress.

 

Brasil 247

Grupo aproveita ato e saqueia lojas e bancos no centro de SP; 8 são detidos

Um grupo de manifestantes saqueou estabelecimentos comerciais na região central de São Paulo na noite desta terça-feira (18) durante o sexto ato contra o aumento da tarifa de ônibus na capital paulista. Oito pessoas foram detidas, segundo a Secretaria da Segurança Pública do Estado de São Paulo. 

Ao menos três dos detidos eram moradores de rua, como informou uma equipe da PM que trabalhava na região no momento dos saques. As pessoas foram pegas com microondas, televisores, brinquedos, bicicletas, roupas e dois coletes à prova de balas. 

Os manifestantes invadiram e depredaram duas agências do Itaú e outra da Caixa Econômica e chegaram a levar com eles teclados e computadores. A invasão também aconteceu nas lojas Marisa, Americanas e Claro. A reportagem do UOLpresenciou pessoas com eletrodomésticos, video-games e até televisores de LED. É a primeira vez que saques são registrados na onda de protestos pela redução das tarifas de transporte coletivo em São Paulo. Antes desta terça, houve outros cinco dias de protestos.

Praticamente todas as lojas da rua Direita, na região da Sé, foram saqueadas pelos vândalos, que mais cedo tentavam invadir o prédio da Prefeitura de São Paulo. Pessoas que passavam pelo local também aproveitaram para se beneficiar dos saques. O centro de São Paulo se transformou em um cenário de destruição. 

Um número reduzido de policiais iniciou a ação contra os participantes, mas, por volta das 21h10, a Tropa de Choque chegou para reforçar a segurança e usou bombas de efeito moral e gás lacrimogêneo, mas não impediu que os vândalos continuassem a agir. 

Em nota, a Secretaria de Segurança Pública informou que os “poucos episódios de depredação registrados nas manifestações são fatos isolados, provocados por uma pequena minoria” e garantiu que “os responsáveis estão sendo monitorados e serão investigados”.

A pedido da Prefeitura a PM, segundo a SSP, havia posicionado uma equipe da Força Tática no interior do prédio, mas avaliou que intervir em meio à multidão poderia prejudicar parte da maioria pacífica de manifestantes. 

Paralelamente ao ato de vandalismo de uma a minoria, um grupo maior participava de passeata pacífica na avenida Paulista, que ocupava desde a rua da Consolação até a Brigadeiro Luis Antonio.

(Uol)

Raimundo Macêdo, prefeito de Juazeiro do Norte, é cercado por manifestantes em agência bancária

Protesto contou com a participação de professores municipais e estudantes da região Foto: Normando Sóracles/miseria.com

Já dura 4 horas a permanência do prefeito de Juazeiro do Norte, Raimundo Macedo, dentro de uma agência do Banco do Brasil. Manifestantes cercam o local, após protesto na cidade que envolveu 8 mil pessoas.

De acordo com a Polícia Militar, a situação no local segue de forma pacífica e tranquila desde o início da tarde desta terça-feira (18). 

Em meio à série de protestos organizados por todo o Brasil, na tarde desta terça-feira, cerca deoito mil pessoas, segundo a Polícia Militar, fizeram uma manifestação em Juazeiro do Norte. Os professores da rede municipal e estudantes da região protestaram contra as recentes alterações na Lei do PCCR (Plano de Cargos, Carreira e Remuneração) e ainda pediram a saída do prefeito Raimundo Macedo (PMDB). 

O protesto aconteceu em frente à sede da Prefeitura e da Câmara Municipal. A manifestação teve início na Rua São Pedro, no bairro Santa Teresa, por volta das 15h30 e seguiu até a praça Padre Cícero, no Centro da cidade.

Os manifestantes também cobraram maior investimento em merenda escolar e pediram o não fechamento dos ambulatórios médicos durante o período noturno. A categoria continua em greve, mas informou que será feita na próxima semana, uma assembleia para avaliar a continuidade do movimento.

Prefeito nega redução em salário dos professores

Em coletiva nesta manhã, o prefeito Raimundo Macedo rebateu as críticas relacionadas à aprovação do projeto de Lei que alterou o PCCR. Raimundão classificou que houve um equívoco na repercussão do caso.

O prefeito alegou que, na verdade, 10% do que era de gratificação foram incorporados ao salário dos professores, além de negar que existiu perdas salariais. “É só constatarem os contracheques e perceber que não houve redução. As gratificações caíram de 40 para 30%, mas essa diferença foi incorporada ao salário”, esclareceu.

Cerca de mil pessoas protestam na Câmara de Iguatu

No município de Iguatu, a 380 km da Capital, cerca de mil manifestantes ocuparam o prédio da Câmara Municipal . O protesto no Centro-Sul do Estado foi pacífico e se mostrou contra a proposta do Executivo de implantar o Regime Próprio de Previdência Social do Município. Os manifestantes pediram aos vereadores respeito nos direitos dos servidores municipais.

A manifestação também pediu a melhoria nos setores de saúde e educação. Inicialmente, os manifestantes estiveram reunidos na Praça Gonçalves de Carvalho, no centro da cidade. Depois percorreram ruas e foram até a sede do legislativo municipal.

Com informações da correspondentes Elizângela Santos e Honório Barbosa

(Via Diário do Nordeste)

Juiz volta atrás e manda Sky distribuir Record News e MTV

O juiz Tales Krauss Queiroz, da Justiça Federal em Brasília, determinou hoje (18/6) que a Sky cumpra norma da Anatel e passe a carregar emissoras abertas consideradas redes nacionais, como a Record News, MTV, Mix, CNT, Rede Brasil e TV Aparecida, além de canais públicos obrigatórios como a TV Senado e TV Câmara.

Queiroz deu dez dias para a Sky cumprir a medida.

O juiz indeferiu pedido de tutela antecipada interposto pela segunda maior operadora de TV por assinatura do país, com mais de 5,3 milhões de clientes. Revogou, assim, decisão dele próprio, de duas semanas atrás, que, provisória e acautelatória, congelava a obrigatoriedade da Sky de carregar as seis redes nacionais e os canais obrigatórios.

Record News, MTV, Mix, CNT, Rede Brasil e TV Aparecida foram consideradas redes nacionais pela Anatel porque estão presentes em todas as regiões e cobrem pelo menos um terço da população. Quatorze redes estão nessa situação, e a Sky já carrega oito delas: Globo, Record, SBT, Band, Rede TV!, Rede Vida, TV Canção Nova e RIT.

A Sky alegou na Justiça Federal que o carregamento de todas essas emissoras abertas e canais públicos seria inviável técnica e economicamente. Sem espaço no satélite, a Sky argumentou que teria de comprimir o sinal dos canais pagos que já carrega ou substituí-los. Isso reduziria a qualidade de seus pacotes, e a operadora perderia mercado.

O juiz ouviu a Anatel e concluiu que a Sky pode aumentar o espaço em seu satélite cortando 20 canais “de interesse menos significativo” (como os que trazem interatividade, informações sobre programação, classificação indicativa, mosaico e autoatendimento) e dez de áudio.

Queiroz considerou em sua decisão também que a Sky já carrega oito redes nacionais e que não distribuir os outras seis geraria uma “assimetria” no mercado, uma vez que outras operadoras de DTH, como Oi e GVT, já irradiam todas as emissoras determinadas pela Anatel.

Crédito: http://noticias.r7.com/blogs/daniel-castro/j

Carro da TV Record é depredado e incendiado durante protesto em SP

Carro de transmissão da TV Record é incendiado no centro de São Paulo (SP)

Uma van usada para as transmissões ao vivo da TV Record foi incendiada por manifestantes que depredavam o prédio da prefeitura de São Paulo durante mais um dia de protestos contra o aumento da passagem de ônibus. O grupo também atirava pedras em uma base da Polícia Militar localizada ao lado da prefeitura. 

Por volta das 20h30 desta terça-feira, policiais da Ronda Ostensiva com Apoio de Motocicletas (Rocam) chegavam ao local para tentar abrir caminho para que uma equipe do Corpo de Bombeiros pudesse apagar as chamas. 

A Tropa de Choque também foi acionada para conter os manifestantes, que tentaram invadir o prédio da prefeitura. 

Em nota, a Rede Record de Televisão informou que nenhum dos profissionais que trabalhavam na cobertura dos protestos pela empresa ficou ferido no incêndio do caminhão. 

De acordo com a emissora, “antes que o carro saísse, um grupo atacou o veículo com pedras e depois colocou fogo nos equipamentos”. “A Record tem a certeza de que foi atacada por uma minoria de vândalos”, afirma a empresa na nota. 

A Record lamentou o ocorrido causado, segundo a emissora, por “pequenos grupos” que tentam “impor as suas ideias pela violência”. 

Cenas de guerra nos protestos em SP
A cidade de São Paulo enfrenta protestos contra o aumento na tarifa do transporte público desde o dia 6 de junho. Manifestantes e policiais entraram em confronto em diferentes ocasiões e ruas do centro se transformaram em cenários de guerra. Enquanto policiais usavam bombas e tiros de bala de borracha, manifestantes respondiam com pedras e rojões.  

Durante os atos, portas de agências bancárias e estabelecimentos comerciais foram quebrados, ônibus, muros e monumentos pichados e lixeiras incendiadas. Os manifestantes alegam que reagem à repressão opressiva da polícia, que age de maneira truculenta para tentar conter ou dispersar os protestos. 

Segundo a administração pública, em quatro dias de manifestações mais de 250 pessoas foram presas, muitas sob acusação de depredação de patrimônio público e formação de quadrilha. No dia 13 de junho, bombas de gás lacrimogêneo lançadas pela Polícia Militar na rua da Consolação deram início a uma sequência de atos violentos por parte das forças de segurança, que se espalharam pelo centro. 

​O cenário foi de caos: manifestantes e pessoas pegas de surpresa pelo protesto correndo para todos os lados tentando se proteger; motoristas e passageiros de ônibus inalando gás de pimenta sem ter como fugir em meio ao trânsito; e vários jornalistas, que cobriam o protesto, detidos, ameaçados ou agredidos. 

No dia seguinte ao protesto marcado pela violência, o governador Geraldo Alckmin (PSDB) declarou que via “ações coordenadas” oportunistas no movimento, reiterou “a defesa do direito de ir e vir” da população, mas garantiu que não permitirá que os manifestantes prejudiquem a circulação de veículos e pessoas. No mesmo dia, o prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT), afirmou que a polícia deve ser investigada por abusos cometidos, mas não deixou de criticar a ação dos ativistas. 

As agressões da polícia repercutiram negativamente na imprensa e também nas redes sociais. Vítimas e testemunhas da ação violenta divulgaram relatos, fotografias e vídeos na internet. A mobilização ultrapassou as fronteiras do País e ganhou as ruas de várias cidades do mundo. Dezenas de manifestações foram organizadas em outros países em apoio aos protestos em São Paulo e repúdio à ação violenta da Polícia Militar. Eventos foram marcados pelas redes sociais em quase 30 cidades da Europa, Estados Unidos e América Latina. 

As passagens de ônibus, metrô e trem da cidade de São Paulo passaram a custar R$ 3,20 no dia 2 de junho. A tarifa anterior, de R$ 3, vigorava desde janeiro de 2011. Segundo a administração paulista, caso fosse feito o reajuste com base na inflação acumulada no período, aferido pelo IPC/Fipe, o valor chegaria a R$ 3,40. “O reajuste abaixo da inflação é um esforço da prefeitura para não onerar em excesso os passageiros”, disse em nota. 

O prefeito da capital havia declarado que o reajuste poderia ser menor caso o Congresso aprovasse a desoneração do Programa de Integração Social (PIS) e da Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins) para o transporte público. A proposta foi aprovada, mas não houve manifestação da administração municipal sobre redução das tarifas.

(Portal Terra)

31 mil pessoas confirmam participação no Manifesto “Mais Pão, Menos Circo”, nesta quarta, em Fortaleza

Fortaleza recebe a partida entre Brasil e México na Arena Castelão, nesta quarta-feira, 19, e os manifestantes já se organizaram para mais um protesto, o ‘+ Pão – Circo – Copa para Quem?’. A concentração está marcada para o mesmo dia do jogo, a partir das 10h, no pátio do Makro (Av. Alberto Craveiro). A saída em direção a Arena Castelão está prevista para as 12h, porém, o trajeto da manifestação não foi divulgado. Até o momento, 33.895 pessoas já confirmaram presença no evento criado na rede social Facebook para divulgar a manifestação.

Os organizadores do movimento criaram uma carta que será encaminhada ao governador Cid Gomes durante o protesto. Segue abaixo a carta na íntegra:

“À V. Ex.ª Governador do Estado do Ceará, Cid Gomes.

Carta de Reivindicação.


Nós, população de Fortaleza, viemos, através dessa, solicitar de V.Exa., medidas emergenciais que visam a melhoria da qualidade de vida dos cidadãos desta tão estimada cidade, no que diz respeito aos investimentos em segurança, saúde, educação, transporte, lazer e qualidade de vida.

Queremos pedir transparência na prestação de conta dos gastos públicos e deixar claro que não aprovamos e não apoiamos o sistema de governo adotado por V.Exa. Cujo prioriza obras que não visam a melhoria da qualidade de vida dos mais necessitados. Não visam a real necessidade do povo.

Queremos expressar, por meio, não apenas dessa carta, mas por meio do protesto ocorrido hoje (19/06/2013), que não estamos de acordo com os milhões investidos em obras que nunca ficam prontas, em estádios e estradas. E que queremos mais investimentos nos hospitais públicos, que estão sucateados, com falta de médicos e enfermeiros, enquanto a população morre à míngua nos corredores super-lotados das unidades de saúde não apenas de Fortaleza, bem como de todo Estado. Queremos investimentos na educação, que sofre com a falta de estruturação das escolas e a desvalorização dos profissionais da educação. Queremos pedir policiamento e segurança nas ruas, nos ônibus, nos terminais rodoviários. Queremos um plano, claro e objetivo, de enfrentamento à seca e combate à falta d’água no interior do Estado.

Não queremos uma polícia repressiva e sim uma polícia preventiva. Queremos de V.Exa. um plano emergencial de combate a impunidade e de transparência política. Exigimos, como cidadãos contribuintes, a prestação de contas do estado para conosco de forma limpa e clara; de forma a ser compreendida pela população e de fácil acesso através de links na Internet.”

Na classificação do protesto, eles descrevem como uma manifestação sem vínculo a nenhum partido político e pacifista.

A manifestação é aberta para todos que querem protestar. Movimentos como Fortaleza Apavorada e o Comitê Popular da Copa Fortaleza/Ceará apoiam a iniciativa do ‘Copa para Quem?’ de ir a rua protestar. 

Vários movimentos estão ocorrendo pelo Brasil. A maioria dos protestos é direcionada contra os altos investimentos para a Copa no Brasil. Os jogos da Copa das Confederações no país já começaram e, em todas as cidades onde foram realizadas partidas (Brasília, Belo Horizonte, Rio de Janeiro e Recife), houveram protestos.

Serviço – Manifestação ‘Copa para Quem?’

Local da concentração: Makro-BR 116, na Av. Alberto Craveiro
Quando: quarta-feira, 19
Horário: 10h

(O Povo Online)

Policiais vão apoiar manifesto em Fortaleza, antes do jogo Brasil x México

Policiais cearenses vão engrossar a manifestação convocada para esta quarta-feira pelo Comitê Popular da Copa em Fortaleza. O protesto terá início às 10h no Castelão, palco da segunda partida da seleção brasileira na Copa das Confederações. Às 16h, o time comandado por Luiz Felipe Scolari enfrenta o México, no estádio reformado por R$ 518 milhões e que ainda passa por obras em seu entorno.

Presidente da Associação dos Profissionais de Segurança Pública do Estado do Ceará, o vereador Capitão Vágner (PR) disse que policiais vão engrossar o ato.

“A polícia está completamente ao lado do povo. Já ocorreram duas manifestações aqui na última semana, tudo transcorreu sem conflito. Iremos lá para dar o nosso apoio e mediar qualquer tipo de conflito”, disse o vereador, que é policial militar.

No ano passado, Capitão Vágner liderou uma greve de policiais que durou seis dias. De acordo com o vereador, os policiais estão descontentes com o descumprimento da pauta de reivindicações por parte do governo.

Na segunda, cerca de 300 manifestantes protestaram em frente ao hotel da seleção brasileira, em Fortaleza, contra os altos gastos governamentais para a realização da Copa do Mundo. Antes, o protesto pacífico reuniu cerca de 3 mil pessoas no centro de Fortaleza. O hotel da seleção fica numa área isolada da cidade.

(Folha de SP)

UFC parte para interior do Brasil, mas lamenta: “faltam arenas”

UFC Fortaleza – 09/06/2013

O UFC pretende realizar sete eventos no Brasil em 2013. Três deles foram feitos em São Paulo, Jaraguá do Sul e Fortaleza, um já está com vendas abertas no Rio de Janeiro e outros três devem ser agendados. Note que, após apostar em grandes capitais na chegada, as lutas começam a acontecer no interior do país. Um movimento para aumentar e capitalizar a popularidade das artes marciais mistas entre os brasileiros. O porém: falta infraestrutura.

“Nós precisamos de arenas. Hoje, temos dificuldade em ir para todas as cidades que gostaríamos justamente porque não temos arenas construídas com condições para que possamos fazer eventos. Tentamos trabalhar ao máximo com o que a gente tem, mas nem sempre dá”, conta Grace Tourinho, representante exclusiva do UFC no Brasil, uma espécie de “CEO” da filial brasileira, contratada em março deste ano para tocar a operação por aqui.

A executiva esteve em São Paulo na manhã desta quinta-feira (13/06) para o anúncio de que a Netshoes irá operar o e-commerce do UFC no Brasil. A loja virtual terá 2 mil produtos relacionados a lutas, sendo 400 deles com a marca do UFC, disponíveis para consumidores de todo o país. Na prática, a Netshoes fará o que já faz com a NBA: assume a responsabilidade de administrar o e-commerce e entregar em todo o Brasil produtos comprados pela internet, especialmente porque, agora, com eventos organizados no interior do país, a tendência é haver mais demanda.

Eis os principais trechos da entrevista com Grace Tourinho ao NEGÓCIOS FC.

Quantos produtos o UFC terá no e-commerce?

Os fãs vão conseguir comprar produtos com qualidade muito mais facilmente, e haverá uma gama enorme. Hoje temos 400 produtos com a marca UFC e queremos ter o dobro até o fim do ano. No total, o site vai ter 2 mil itens.

Quais serão os fornecedores?
Vão ser diversos fornecedores. Este é um trabalho da Nesthoes: conseguir os melhores fornecedores, com os melhores prazos e preços, para atender bem todos os fãs do UFC no Brasil.

E qual a expectativa de venda de vocês com o e-commerce?
A nossa expectativa é que o Brasil, junto com o restante da América Latina, atinja o nível de vendas dos Estados Unidos em um espaço de tempo muito breve.

Um ano? Dois?
Para ter tranquilidade e atingir minha meta, eu diria que três anos.

Quanto gera o e-commerce nos Estados Unidos?
Como somos uma empresa de capital fechado, não divulgamos esses números.

Quais são as principais metas para o Brasil em 2013?
Teremos sete eventos. Três já entregues, em São Paulo, Jaraguá do Sul e Fortaleza. Abrimos a venda no Rio de Janeiro e vamos entregar mais três outras cidades. Esta é nossa meta principal. Também estamos trabalhando muito para trazer novos assinantes para o Canal Combate. Por meio deste canal, identificamos quem gosta mesmo de ver lutas.

Por que investir em cidades além das principais capitais?
Para atingir o fã de norte a sul, de leste a oeste. Nas cidades menores, percebemos que a cidade se veste de UFC. As pessoas se juntam, se mobilizam para o evento, mudando inclusive o dia a dia da cidade, os horários dos restaurantes. É impressionante. O apoio que recebemos foi muito positivo.

Como vocês identificam quais cidades devem receber eventos? A base de assinantes do Canal Combate lhe ajuda nesse aspecto?
A gente mapeia pelos assinantes, sim. É um bom ponto que utilizamos. Mas também precisamos de arenas. Hoje, temos dificuldade em ir para todas as cidades que gostaríamos justamente porque não temos arenas construídas com condições para que possamos fazer eventos. Tentamos trabalhar ao máximo com o que a gente tem, mas nem sempre dá.

Faz tempo que o UFC fala em fazer um grande evento em um estádio, então este é um problema que também acontece nas capitais.
Este é um grande sonho que um dia espero realmente trabalhar para realizá-lo. Eu gosto de entregar, então, quando entregarmos, falamos sobre o desafio que foi para chegar a tal ponto.

A Copa do Mundo incentivou reformas e construções de estádios em todo o Brasil. Isso irá lhes ajudar, de certo modo?
Facilita. Mas, quando fazemos sete eventos, precisamos de arenas menores, porque o custo de operação em uma arena grande é muito maior. Nós queremos arenas de 10 mil, 15 mil lugares.

O que vocês fazem para tentar conseguir mais arenas? Vocês têm alguma negociação com o poder público, por exemplo?
Acredito que agora, até com esse calor do esporte no Brasil, pela Copa do Mundo e pela Olimpíada, as coisas vão acontecer, porque o brasileiro precisa se preparar para 2016. Acreditamos que alguns investimentos serão feitos, e isso vai beneficiar todos do setor de entretenimento, não só o de lutas.

(Rodrigo Capelo, Época Negócios)

Adidas espera faturar 2 bilhões de euros em vendas com Copa do Mundo no Brasil

A adidas reuniu ontem na Alemanha representantes da mídia mundial para anunciar seus planos para 2014, ano de Copa do Mundo, momento em que, geralmente a empresa tem seus melhores resultados, principalmente pela venda de réplicas da bola oficial e camisas de seleções. Por isso a estimativa não é nada modesta: atingir 2 bilhões de euros em vendas somente com produtos da categoria futebol, o que daria o primeiro lugar absoluto para a marca.

Para alavancar as vendas, além de ativar com força o patrocínio oficial da Copa do Mundo e de algumas das principais equipes (principalmente em mídias sociais, segundo os executivos), a empresa vai lançar diversos produtos durante o segundo semestre, sempre com foco em inovação e tecnologia – quais produtos e os diferenciais deles não foram revelados, todavia.

Desde 2002 a marca vem crescendo dois dígitos por ano em vendas no mercado latinoamericano, por isso a Copa do Mundo no Brasil é tão aguardada. A expectativa é que o recorde em receita da empresa no futebol seja batido no ano que vem, entrando para a história da companhia. 

Abaixo um infográfico divulgado pela empresa que mostra como 2013 já vem sendo um ano mágico em conquistas, com Messi sendo eleito o melhor jogador do mundo, Chelsea vencendo a Europa League e o Bayern no topo da Champions League. Um bom sinal para Espanha, Japão, Nigéria e México na Copa das Confederações?

Via http://terramagazine.terra.com.br/jogodenegocios/blog/2013/06/18/adidas-espera-bater-recorde-em-vendas-com-copa-do-mundo-no-brasil/

Fifa já vendeu 757 mil ingressos para Copa das Confederações, mas 80 mil não foram recolhidos

A Federação Internacional de Futebol (Fifa) informou hoje (18) que já vendeu 757 mil ingressos para os jogos da Copa das Confederações. De acordo com a assessoria de imprensa da Fifa, cerca de 80 mil ingressos ainda não foram recolhidos pelos torcedores.

A Fifa alerta que os ingressos não podem ser recolhidos no dia do jogo. Por isso, os torcedores devem retirá-los em postos da federação. Ainda há cerca de 100 mil ingressos disponíveis para os jogos restantes da Copa das Confederações.

A competição começou sábado (15) em Brasília, com a partida entre Brasil e Japão. A Copa das Conderações é um teste para a Copa do Mundo de 2014, que também será disputada no Brasil, e conta com a participação de seleções de oito países, que conquistaram, juntas, 12 títulos mundiais.

(Agência Brasil)

Austrália, Irã e Coreia do Sul se classificam para a Copa do Mundo

Os jogadores da Austrália comemoram a classificação para o Mundial de 2014, no Brasil Saeed Khan / AFP 

Três seleções da Ásia garantiram a classificação para a Copa do Mundo do Brasil, em 2014, na rodada desta terça-feira (18) pelas Eliminatórias da Copa. Austrália, Irã e Coreia do Sul se somam ao Japão entre os já classificados para o mundial, além do Brasil, classificado automaticamente por sediar a competição. 

A Austrália, que desde 2006 disputa os torneios pela confederação da Ásia, e não da Oceania, conquistou a vaga após vencer o Iraque, em Sydney, por 1 a 0. O gol foi feito por Joshua Kennedy aos 38 minutos do segundo tempo. O Iraque já não tinha mais chances de classificação.

Irã e Coreia do Sul também jogaram nesta terça, na cidade coreana de Ulsan. O Irã venceu os coreanos por 1 a 0 com gol de Reza Ghoochannejhad, aos 15 minutos do segundo tempo. O resultado classificou as duas seleções. O Irã alcançou a primeira colocação na chave com 16 pontos, enquanto os sul-coreanos ficaram com a liderança do grupo A com 14 pontos.

Será a terceira Copa do Mundo consecutiva para a Austrália, e a quarta participação no mundial para os iranianos, que jogaram sua última Copa em 2006, na Alemanha, quando foram eliminados na primeira fase. Já a Coreia do Sul se classifica para a sua nona Copa do Mundo. O melhor resultado dos sul-coreanos foi em 2002, quando ficaram em quarto lugar.

(Época com Agência EFE)

SEEB-CE realiza assembleia sobre adesão à CCV do Banco do Brasil

No dia 9 de julho, às 18h30 em primeira convocação ou às 19h em segunda convocação, na Sede do Sindicato dos Bancários do Ceará haverá uma assembleia para discutir a adesão do SEEB/CE ao acordo que estabelece a Comissão de Conciliação Voluntária. A assembleia estava marcada para esta terça-feira, dia 18/6, mas foi adiada.

A Comissão de Conciliação Voluntária (CCV) é um instrumento que tem o objetivo de tentar solucionar, antes da instância judicial, passivos trabalhistas entre funcionários da ativa e o BB, sendo o Sindicato o local onde o bancário protocolará a demanda. A assembleia está marcada para às 18h30, na sede do Sindicato (Rua 24 de Maio, 1289, Centro).

“É importante frisar que a CCV é uma mesa de conciliação. Cabe agora aos sindicatos fazerem ou não a adesão ao acordo, conforme a decisão soberana da assembleia”, afirma Carlos Eduardo Bezerra, presidente do Sindicato dos Bancários do Ceará.
 
Segue abaixo o novo edital:
  EDITAL REMARCAÇÃO ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA

O Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos Bancários no Estado do Ceará, inscrito no CNPJ/MF sob o nº. 07.340.953/0001-48 e Registro Sindical nº 208.327-59, por seu presidente, no uso de seus poderes e no desempenho das atribuições que lhe são conferidas pelo Estatuto Social da Entidade, resolve REMARCAR a data da Assembleia Geral Extraordinária Específica dos empregados do BANCO DO BRASIL S.A (sobre Comissão de Conciliação Voluntária – CCV), anteriormente marcada para o dia 18 de junho de 2013, para o dia 09 de julho de 2013, às 18h30min, em primeira convocação, mantido os demais termos do edital.

Fortaleza-CE, 18 de junho de 2013.

Carlos Eduardo Bezerra Marques
PRESIDENTE

(Sindicato dos Bancários do Ceará)

Arnaldo Jabor e Cia agora pedem desculpas?

Marco Antonio Araujo, em seu blog

Agora todo mundo apoia a mobilização que tomou as ruas do País. Começo a ficar preocupado. Tudo conspira para que o movimento seja enterrado vivo logo mais, ao alvorecer deste dia 17. Até o Arnaldo Jabor voltou atrás em suas críticas peçonhentas aos “vândalos” e “arruaceiros”. Então tô fora.

Simbolicamente, ao retirar todas as canalhices que disse contra a garotada, Arnaldo Jabor está enfiando um punhal nas costas de quem finge apoiar.Quando vi as revistas semanais (inclusive a tonitruante Veja) baixarem o tom acintosamente, passando a desdizer tudo que dias antes afirmavam categoricamente, suspirei, mas não me deixei abater. O que fizeram os barões da mídia com todos oseditoriais que pediam mais rigor (portanto, mais violência) contra os rebeldes sem causa que ocuparam as avenidas e os noticiários? Quanta cara de pau! Mas ok.

Logo em seguida, Geraldo Alckmin entrou na fila da penitência e, desavergonhadamente, sem pedir desculpas nem nada, informou que a PM não vai mais usar balas de borracha contra o povo de São Paulo. Parou por quê? Por que parou? E, sem perceber o ridículo da sua decisão, também informou que seriam distribuídos coletes de identificação aos jornalistas que se cadastrassem para cobrir o “evento”. Fiquei sem entender: e que abadá o cidadão comum usaria para não levar porrada da polícia? Ato falho, governador!

Comecei a ficar cabreiro. Algo muito grave estava acontecendo. Claro! Esses caras são profissionais. Não à tôa estão no poder há séculos. Devem estar tramando algo bem sórdido, agora que se viram acuados, desmascarados, corajosamente desafiados pelo povo “ordeiro e pacífico”. Lascou.

Eu posso falar de cara limpa que sempre enxerguei o tsunami que vinha logo atrás da marolinha da turma do Passe Livre. Antes de a pancadaria comer solta, defendi a importância vital dessa gente que não aceita ser tratada como gado em ônibus e estações do metrô.

Então, peço licença para me retirar. Ao menos, me permito olhar com profunda desconfiança para essa unanimidade que se criou. Se deixo os inimigos marcharem ao meu lado, sabendo o quanto são poderosos, burro sou eu. Querem pegar carona no fusquinha do povão? Ah, vá. Parasitas. Tudo tem limite.

Simbolicamente, ao retirar todas as canalhices que disse contra a garotada, Arnaldo Jabor está enfiando um punhal nas costas de quem finge apoiar. Se oportunistas como Jabor não forem barrados no baile da cidadania, farão o que sempre fazem: vão ficar de camarote vendo o povo apanhar na rua, para depois desceram no campo de batalha e lamentar os mortos e feridos. Crocodilagem pura.

Sai pra lá, Jabor e companhia! O povo não é bobo. O povo não é bobo. Conhece esse refrão?