Arquivo da categoria: Religião e Espiritualidade

VII Evangelizar é Preciso, 18 de outubro 2014, na Praia de Iracema, em Fortaleza

A Polícia Militar e a Autarquia Municipal de Trânsito, Serviços Públicos e Cidadania de Fortaleza (AMC) preparam esquema especial para a 7ª edição do Evangelizar é Preciso, que acontece no aterro da Praia de Iracema no dia 18. O encontro, que contará com a presença do padre Reginaldo Manzotti, deve receber, segundo os organizadores, cerca de um milhão de pessoas para os shows, eventos culturais, missas e orações.

A primeira atividade desta edição acontece na sexta-feira, 17, a partir das 19 horas, quando o padre Antônio Furtado presidirá a missa para os três mil voluntários. No dia 18, durante a manhã, acontecerão atividades culturais e shows. O padre Antônio Furtado, da Comunidade Shalom e organizador do encontro, também conduzirá o Terço da Misericórdia às 15 horas.

Dom José Antônio Tosi, arcebispo de Fortaleza, presidirá a celebração eucarística do evento às 17 horas. Em seguida, Reginaldo Manzotti conduzirá momento de bênção com o santíssimo sacramento. Logo após, o sacerdote apresentará o seu show “Faça-me Crer”.

O Comando de Policiamento Metropolitano atuará com 326 policiais durante o dia do evento religioso. A ação do efetivo, porém, se estenderá ainda ao dia 17. Além do aterro, o policiamento será distribuído nas ruas que dão acesso ao local, contando com o apoio de um helicóptero e da cavalaria. O Corpo de Bombeiros fornecerá viaturas de combate a incêndio, ambulância, bote de salvamento e homens de prontidão para emergências. A AMC terá 70 agentes orientando o trânsito na região. Será proibido estacionar nas proximidades do aterro e o trânsito na Avenida Historiador Raimundo Girão será bloqueado entre a Rua Ildefonso Albano e a Avenida Barão de Studart.

Evento

Para o evento, a novidade este ano é que as atividades começarão a partir das 8 horas, com alvorada de fogos. Além do padre Manzotti, as atrações são a Irmã Kelly Patrícia e a cantora Suely Façanha. Katielly Carneiro, freelancer de Publicidade e Propaganda, já foi a duas edições do encontro. Segundo ela, “o evento é muito rico em espiritualidade. O fato de ter um sacerdote à frente faz toda a diferença. Não é só um show católico, mas um momento de oração e evangelização, tanto para crianças, quanto para jovens e adultos”. 

Para quem está na organização do evento, a alegria de receber os milhares de fiéis é um dos momentos mais marcantes, segundo o padre Antônio Furtado. “Nesta edição trazemos a experiência de sete outras. A cada ano a estrutura cresce, amenizamos os problemas e superamos as dificuldades”. 

Serviço

VII Evangelizar é Preciso, com padre Reginaldo Manzotti

Quando: 18 de outubro

Onde: aterro da Praia de Iracema (aberto ao público)

Mais informações: (85) 3261 4444

 

Programação

8h – Alvorada de fogos

8h10min – Abertura oficial

8h15min – Apresentação cultural

12h – Terço Mariano – Obra Evangelizar é Preciso

12h30min – Show musical – Ana Gabriela

13h10min – Show musical – Suely Façanha

13h40min – Pregação

14h30min – Show musical – Irmã Kelly Patrícia

15h10min – Hora da Misericórdia com o padre Antonio Furtado

16h30min -Ministério Evangelizar é Preciso

17h – Missa presidida por dom José Antônio Tosi, arcebispo de Fortaleza

19h – Adoração ao Santíssimo Sacramento – padre Reginaldo Manzotti

20h – Show “Faça-me Crer”, do padre Reginaldo Manzotti

21h30min – Encerramento

(Igor Cavalcante, O Povo)

O que os candidatos à presidência propõem à população LGBT

Da Agência Brasil
Por Carolina Gonçalves
As reivindicações, os protestos e as denúncias sobre a violação de direitos e os crimes cometidos contra a população de lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transexuais e transgêneros (LGBT) ganharam destaque maior no cenário eleitoral nas últimas semanas.
A polêmica sobre o posicionamento de candidatos à Presidência da República a respeito do tema foi aquecida no último fim de semana, quando Levy Fidelix (PRTB) classificou, em um debate na televisão, a homossexualidade como distúrbio psicológico, comparou homossexuais a pedófilos e chegou a conclamar a sociedade a “enfrentar” esse segmento da população.
Os direitos dessa população e os desafios enfrentados pela discriminação já compunham os programas de governo de grande parte dos candidatos. Veja, abaixo, o que os 11 presidenciáveis propõe sobre o tema.
Nas propostas apresentadas pelo candidato Aécio Neves (PSDB) à Justiça Eleitoral, o tucano se compromete a buscar uma renovação dos princípios de igualdade, segurança e paz e garante que irá priorizar as políticas afirmativas voltadas para as populações mais vulneráveis, entre elas, a população LGBT, assim como mulheres, idosos, crianças e afrodescendentes. Além de criar uma rede que concentre informações de assassinatos no país, Aécio afirma que vai implementar políticas contra qualquer tipo de intolerância e estimular pesquisas acadêmicas sobre a questão étnico-racial e de diversidade sexual. Para o candidato, é preciso estimular os movimentos, como o LGBT, e organizar protocolos de prevenção da discriminação dessa população. O tucano ainda promete ampliar a participação dessa população nos debates do Programa Brasil sem Homofobia, articular o programa com as iniciativas estaduais e municipais e criar debates permanentes com seus representantes para organizar as reivindicações no Fórum Nacional de Diálogo.
Dilma Rousseff (PT) afirma que a luta pelos direitos humanos esteve presente nos quatro anos de seu governo e será mantida como prioridade, caso seja reeleita. Segundo ela, essa meta só cessará quando não existir mais brasileiros “tratados de forma vil ou degradante, ou discriminados por raça, cor, credo, sexo ou opção sexual”. Dilma promete políticas que garantam mais empoderamento, autonomia e violência zero para as mulheres, com a implementação da Casa da Mulher Brasileira, apoio à luta contra a discriminação e a promoção da igualdade racial e da política de cotas e a continuidade da implementação do Viver sem Limite, que garante igualdade de oportunidades aos portadores de deficiência. Não há medidas específicas voltadas para a população LGBT.
Com uma seção dedicada ao tema “Cultura de paz”, Eduardo Jorge (PV) trata dos direitos de indígenas e afrodescendentes e reafirma o apoio à liberdade de orientação sexual, aos direitos ao casamento de pessoas do mesmo sexo e à adoção de crianças por casais do mesmo sexo. Ele defende a criminalização da homofobia, nos mesmos moldes em que hoje são punidos os crimes de racismo. Segundo o ambientalista, o PV está tradicionalmente na vanguarda das questões que fazem parte da defesa dos direitos humanos no país.
Eymael (PSDC) não apresenta proposta específica para a população LGBT. O candidato defende igualdade de oportunidades entre os brasileiros, de forma geral. No que diz respeito a promessas relacionadas aos direitos humanos, ele se compromete com “imediatas e necessárias providências para assegurar ao deficiente físico o pleno exercício de seus direitos de cidadão”, além de defender políticas voltadas para a infância e juventude.
Autor da declaração que aqueceu a polêmica em torno do posicionamento de candidatos à Presidência da República sobre o tema, Levy Fidelix (PRTB) não faz qualquer referência, em suas propostas de governo, à população LGBT e não cita promessas relacionadas aos direitos humanos.
Luciana Genro (PSOL) define como um dos três eixos de seu governo, caso eleita, a ampliação “radical” dos direitos e das liberdades de trabalhadores e dos setores “socialmente mais vulneráveis e oprimidos”. Ao lado das questões relacionadas ao combate ao racismo e à violência contra as mulheres, Luciana afirma que também destacará o combate à homofobia. “Os ataques homofóbicos têm sido cada vez mais frequentes e a luta por direitos, como o casamento civil igualitário, ganha força principalmente junto à juventude”, afirmou.
Marina Silva (PSB) destaca, em seu programa de governo, que o país não pode mais permitir que “os direitos humanos e a dignidade das minorias sexuais continuem sendo violados em nome do preconceito. Para ela, o direito de “vivenciar a sexualidade e o direito às oportunidades devem ser garantidos a todos, indistintamente”. Entre as promessas de governo, a ex-senadora afirma que vai garantir os direitos da união civil entre pessoas do mesmo sexo e o direito de adoção, e vai apoiar o Projeto de Lei da Identidade de Gênero Brasileira, conhecida como a Lei João W. Nery, que regulamenta o direito ao reconhecimento da identidade de gênero das “pessoas trans”. Marina Silva também pretende normatizar e especificar o conceito de homofobia na administração pública, criar mecanismos para identificar os crimes homofóbicos no país e incluir o combate ao bullying, à homofobia e ao preconceito no Plano Nacional de Educação.
Mauro Iasi (PCB) elenca, entre suas prioridades, a apuração e punição de todos os crimes contra os direitos humanos. O candidato declarou ser contrário à homofobia, assim como ao racismo, ao machismo e à xenofobia. Com a promessa de garantir direitos e políticas específicas para as mulheres e a população indígenas, Iasi lamenta que o país viva hoje “uma profunda individualização da vida, o reaparecimento e fortalecimento de estigmas e preconceitos, como o recrudescimento do machismo, da homofobia, da xenofobia e do racismo e da intolerância religiosa”.
Com um tópico específico sobre os direitos das famílias, Pastor Everaldo (PSC) se compromete a acabar com o uso do aparelho estatal para o que define como “promoção de atos que não coadunam com a tradição da sociedade brasileira” e a criar políticas inovadoras que “estimulem a recriação dos laços afetivos, morais e econômicos das famílias”. Ao tratar das liberdades civis, o candidato evangélico defende os direitos individuais e a liberdade irrestrita de expressão. Segundo ele, o Estado deve garantir tratamento isonômico para toda a sociedade a partir de políticas “que garantam que os menos afortunados possuam condições para o exercício do autodesenvolvimento, sem distinção de cor, credo ou de qualquer outra forma de discriminação”.
Rui Costa Pimenta (PCO) elenca compromissos com os direitos das mulheres, defendendo a descriminalização do aborto, os direitos da população negra, dos sem-terra e dos trabalhadores, mas não trata especificamente da população LGBT em seu programa de governo.
Zé Maria (PSTU) limita suas propostas relacionadas a direitos humanos ao fim do racismo e à equiparação salarial entre homens e mulheres.

Vaticano anuncia prisão de ex-arcebispo por pedofilia

Jornal GGN – O Vaticano, pela primeira vez, anuncia a prisão de acusado de pedofilia. O anúncio foi feito nesta terça-feira e o acusado é o ex-arcebispo Jozef Wesolowoski. A acusação é que, quando servia como embaixador papal na República Dominicana, teria pago para fazer sexo com crianças.

No comunicado feito, o Vaticano diz que o polonês foi deposto por um tribunal em junho e está em prisão domiciliar à espera de um julgamento criminal. O ex-arcebispo, de 66 anos, é a mais importante figura da Igreja a ser preso desde que Paolo Gabriele, o mordomo papal, foi condenado em 2012 por roubo e vazamento de documentos privados do papa emérito Bento XVI.

Wesolowaski, no entanto, não está detido na prisão do Vaticano, um conjunto de quartos anexos ao tribunal local, mas sim em prisão domiciliar em um apartamento, por motivos médicos.

Ele retornou ao Vaticano ano passado, ainda como diplomata em Santo Domingo. Foi dispensado de suas funções após a imprensa dominicana divulgar casos de pedofilia. Wesolowski vivia livremente em Roma, até que as vítimas de abuso pediram por sua prisão, com medo que fugisse.

O ex-arcebispo pode ser condenado a até 12 anos de prisão no primeiro julgamento a ser realizado dentro da Cidade do Vaticano, por abuso sexual. Ele também está sendo investigado na República Dominicana pelas acusações de pagamento a meninos para realizar atos sexuais.

Segundo o Vaticano, a prisão refletiu os desejos do Papa Francisco “que um caso grave e delicado como tal deve ser tratado sem demora, com justiça e o rigor necessários”. O Papa prometeu tolerância zero contra clérigos católicos que abusam sexualmente de crianças, tratando tais crimes como “horríveis” e os comparou a “uma missa satânica”. Francisco disse, em julho, às vítimas, que a Igreja “deve chorar e fazer reparação” pelos crimes.

Com informações do jornal O Globo.

Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil vai decidir entre Marina Silva e pastor Everaldo

A Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil (CGADB) está para se decidir entre dar apoio para à candidata Marina Silva (PSB) ou ao Pastor Everaldo (PSC), ambos são membros da Assembleia de Deus.

Em entrevista à Agência Estado, o pastor Lelis Washington Marinhos, presidente da comissão política da CGADB, afirmou que a denominação ainda não decidiu o candidato e que irá conversar com a ex-senadora para poder se posicionar.

“O apoio vai ficar entre esses dois, entre Marina e o Pastor Everaldo, já há esse consenso”, garante. A decisão só não foi tomada porque a liderança da CGADB ainda não conseguiu conversar com Marina Silva depois que ela se tornou a candidata do PSB, com a trágica morte de Eduardo Campos no dia 13 de agosto.

“Alguns posicionamentos dela, a gente gostaria que fossem mais objetivos, mas temos que respeitar a tudo e a todos”, disse o pastor se referindo a temas como casamento gay, aborto e outros.

Antes da morte de Eduardo Campos a CGADB cogitava até mesmo apoiar o candidato Aécio Neves (PSDB), já que em 2010 a convenção apoiou José Serra. Mas diante de dois candidatos evangélicos, algo inédito na política nacional, eles escolherão entre estes.

“Como a igreja tem um projeto que contempla e que dá preferência a evangélicos, não faria sentido apoiar um candidato que não é da igreja”, afirmou o pastor Lelis.

Marina Silva e Everaldo visitam AD Belém em SP

Em 4 de agosto Marina e Eduardo Campos estiveram na sede da Assembleia de Deus Belém em São Paulo para participarem de um encontro com os obreiros e líderes da igreja. Marina Silva – que era vice na chapa do PSB – teve também a oportunidade de falar, mas fez apenas uma ministração deixando que o então candidato à presidência falasse sobre a parte política.

pastor everaldo na ad CGADB vai decidir entre Marina Silva e pastor Everaldo

Com sua Bíblia nas mãos, ela recebeu a oportunidade de falar com os presentes do pastor José Wellington Bezerra da Costa, presidente da CGADB. Na ocasião ela falou sobre sua conversão aos 37 anos de idade e pregou sobre o texto de Mateus 27:11.

O pastor Everaldo Pereira também esteve na AD Belém no evento e falou aos presentes minutos antes da chegada de Marina e Eduardo Campos.

No dia 3 de setembro o candidato do PSC participou de um encontro da CGADB, dessa vez na cidade de Uberlândia, Minas Gerais, durante a 4ª Escola Bíblica Nacional (EBN) de Obreiros. Apesar de ter a oportunidade de falar, o blog do pastor José Wellington deixou claro que a presença de Everaldo não significa que a igreja já definiu seu candidato.

Via http://noticias.gospelprime.com.br/cgadb-marina-silva-pastor-everaldo/

Pela terceira vez em cinco anos, África do Sul nega visto ao Dalai Lama

Do Diário de Notícias de Lisboa

África do Sul volta a negar visto ao Dalai Lama

Dalai Lama
Dalai LamaFotografia © EPA

O Dalai Lama cancelou uma viagem prevista para outubro à África do Sul, para assistir à gala anual de prémios Nobel da Paz, depois de o Governo sul-africano lhe ter negado um visto, informou hoje o diário Cape Times.

Trata-se da terceira visita em cinco anos que o líder religioso tibetano cancela devido à não-concessão de visto para entrada no país africano, que mantém estreitas relações com a China.

“Para já, o Dalai Lama decidiu cancelar a sua viagem à África do Sul”, disse ao jornal Nangsa Choedon, representante do líder religioso no país africano.

Nangsa Choedon indicou que representantes do Ministério dos Negócios Estrangeiros sul-africano lhe comunicaram na semana passada que não seria concedido visto ao Nobel da Paz em 1989, embora ainda não tenha recebido uma confirmação escrita da decisão.

Porta-vozes do ex-presidente sul-africano Frederik de Klerk e do arcebispo Desmond Tutu, ambos Nobel da Paz, protestaram contra a negação do visto.

A XIV edição da Conferência Mundial de Prémios Nobel da Paz realiza-se de 13 a 15 de outubro na Cidade do Cabo.

 

Dilma defende a criminalização da homofobia

Roberto Stuckert Filho/PR

RIO – No encerramento do segundo debate entre os candidatos na TV, a presidente Dilma Rousseff (PT), candidata à reeleição, defendeu a criminalização da homofobia – proposta no Projeto de Lei nº 122/2006, que desde dezembro do ano passado tramita juntamente com a reforma do Código Penal.

— Eu sou contra qualquer forma de violência contra pessoas. No caso especifico da homofobia, eu acho que é um ofensa ao Brasil. Então, fico triste de ver que temos grandes índices atingindo essa população. Acho que a gente tem que criminalizar a homofobia, que não é algo com o que a gente pode conviver — disse a presidente, segundo comunicado do partido.

O assunto foi discutido intensamente nas redes sociais no último fim de semana, quando a candidata do PSB, Marina Silva, anunciou uma “errata” em suas propostas de campanha, retirando o apoio à legalização do casamento de homossexuais e ao aumento das punições aos crimes motivados por preconceito de orientação sexual.

(O Globo)

Marina Silva apresenta projetos frágeis e recua em relação aos direitos gays

É como se um terremoto de grande magnitude tivesse abalado a cabeça de parte do eleitorado brasileiro. De uma hora para outra, Marina Silva, que substituiu o ex-governador pernambucano Eduardo Campos, morto em acidente aéreo, como candidata à presidenta pelo PSB, virou favorita na sucessão presidencial.

Após a morte de Eduardo Campos, dia 13 de agosto, Marina subiu como um foguete nas pesquisas eleitorais. Em levantamento mais recente, feito pelo “Datafolha”, Marina empata com Dilma no primeiro turno, ambas com 34%. Se houver segundo turno, segundo a mesma pesquisa, ela venceria a atual presidenta por 50% a 40%.

Ao mesmo tempo em que Marina (foto) se torna favorita, vai deixando atrás dela um rastro de um dos maiores oportunismos eleitorais que já se viu nas últimas eleições presidenciais no Brasil. Marina tem feito de tudo para agradar determinados setores da sociedade, mesmo que suas propostas sejam falsas.

O último sinal do “carreirismo” eleitoral de Marina ocorreu neste sábado (30/8). Em menos de 24 horas, mudou radicalmente a proposta apresentada na véspera sobre direitos gays. Em seu programa de governo, defendeu casamento gay, adoção de crianças por homossexuais e lei para criminalizar a homofobia.

Mas bastaram declarações contrárias do influente e conservador pastor evangélico Silas Malafaia, contra leis que criminalizem a homofobia, para que a candidata voltasse atrás. Diante da ameaça de Malafaia, retirou quase tudo o que estava antes no seu programa de governo referente aos direitos dos gays.

O recuo de Marina em relação aos gays demonstra, acima de qualquer peso do tema junto à sociedade brasileira, que é falso e puramente oportunista o discurso da candidata quando quer o apoio de determinados segmentos sociais. Para conquistar o apoio dos gays, ela abraçou suas propostas. Diante da reação evangélica, mudou rapidamente de opinião. Afinal, de que lado está Marina?

Apoio do agronegócio

Outros sinais de ambiguidade no discurso de Marina já haviam sido percebidos em sua tentativa de apoio do agronegócio. Na entrevista que deu ao Jornal Nacional, da Rede Globo, durante a semana, Marina havia atribuído a uma “lenda” a versão de que ela tinha posição contrária à agricultura transgênica.

O Brasil está caindo de saber que Marina sempre foi contra a agricultura transgênica – usada em larga escala em todo o mundo, mas sempre contestada por ambientalistas. Pois na mesma semana da entrevista à Globo, Marina se encontrou com o agronegócio como se sempre defendesse os transgênicos.

Mais do que fazer fortes afagos com os milionários empresários do setor do agronegócio, Marina foi mais longe ao dizer que não priorizaria, caso seja eleita, a política do atual governo de investimento no pré-sal, que pode fazer com que o país se torne um dos maiores produtores de petróleo do mundo.

Ao se manifestar contra o pré-sal, Marina quis agradar o agronegócio com a promessa de investir mais na produção do álcool combustível e de ter uma política de melhores preços para o setor. Ocorre que, com esta sua proposta, Marina, caso seja eleita, pode matar um dos negócios que mais podem trazer dinheiro para o Brasil. E o Brasil não pode jogar esta riqueza fora.

Somente em 2014, a exploração do pré-sal – petróleo extraído em águas profundas do mar, abaixo da camada do pré-sal – já levou a Petrobrás a extrair em média mais de 500 mil barris diários de petróleo. Esta produção de petróleo, que vai trazer extraordinária riqueza para o Brasil, promete agora ser deixada de lado por Marina. É como se ela enterrasse um grande tesouro.

Marina é assim mesmo. Ao mesmo tempo em que ganha votos e aparece como favorita, ela deixa muito a desejar na autenticidade do que fala e prega. Em outras propostas para o setor econômico e financeiro, ela abriu outro foco de atritos com o candidato Aécio Neves (PSDB), que acusa de plagiar seu programa de governo, em especial os temas econômicos e financeiros.

Texto publicado originalmente no blog noBalacobaco.

Projeto na Câmara debate o conceito de família

Do Brasil de Fato

Enquete sobre Estatuto da Família bate recorde de votos e amplia debate na sociedade

Pergunta no site da Câmara mostra que maioria concorda com conceito do texto que considera família como “união entre homem e mulher”; na prática, PL pode restringir direitos de casais homossexuais

Desde o dia 11 de fevereiro, o site da Câmara dos Deputados levou ao ar uma enquete que traz à tona uma reflexão sobre a sociedade brasileira: o conceito de família. A pergunta “Você concorda com a definição de família como núcleo formado a partir da união entre homem e mulher, prevista no projeto que cria o Estatuto da Família?”, tem sido a mais acessada na história do site e, até ontem (30), foi respondida por mais de um milhão e meio de pessoas. Mais da metade dos internautas responderam “sim”, enquanto pouco mais de 43% responderam “não”.

A questão levantada é baseada no texto do PL nº 6583 de 2013, o chamado Estatuto da Família, de autoria do deputado Anderson Ferreira (PR-PE), que define o conceito de família como um “núcleo social formado a partir de uma união entre homem e mulher”. O deputado, que também foi relator do projeto de lei da “cura gay” na Comissão de Direitos Humanos e que deu parecer favorável ao mesmo, argumenta que “a família vem ‘sofrendo’ com as rápidas mudanças ocorridas em sociedade”.

Em debate realizado junto ao relator do PL, deputado Ronaldo Fonseca (Pros-DF), na TV Brasil, em maio, o deputado federal Jean Wyllys (PSOL-RJ) rebateu o texto questionando a exclusão das famílias homoafetivas do Estatuto. “Não é por vontade do deputado Ronaldo Fonseca e nem pela bancada de fundamentalistas religiosos da Câmara dos Deputados que os casais homoafetivos (…) vão desaparecer. Eles existem e precisam ser protegidas pelo Estado. Não é por uma visão de mundo estreita e preconceituosa que concebe a família só como aquela do comercial de margarina que as famílias reais, e na sua diversidade, vão desaparecer”, rebateu.

Em 2011 o Supremo Tribunal Federal (STF) reconheceu, por unanimidade, a união estável homoafetiva. Mas, caso aprovado, o Estatuto da Família pode restringir os direitos jurídicos dos casais homoafetivos como, por exemplo, proibi-los de adotar crianças.

Atualmente, o projeto está sendo apreciado por uma Comissão Especial da Câmara que tem até o final do ano para discutir e aprovar um parecer sobre o mesmo.

A enquete pode ser acessada no site da Câmara.

Pouca Palestina resta, pouco a pouco, Israel está apagando-a do mapa

Por Eduardo Galeano – de Montevidéu

As vítimas civis chamam-se danos colaterais, segundo o dicionário de outras guerras imperiais

Desde 1948, os palestinos vivem condenados à humilhação perpétua. Não podem sequer respirar sem autorização. Têm perdido a sua pátria e as suas terras. Para justificar-se, o terrorismo de Estado fabrica terroristas: semeia ódio e colhe álibis. Tudo indica que esta carnificina de Gaza, que segundo os seus autores quer acabar com os terroristas, conseguirá multiplicá-los.

Desde 1948, os palestinos vivem condenados à humilhação perpétua. Não podem nem sequer respirar sem autorização. Têm perdido a sua pátria, as suas terras, a sua água, a sua liberdade, tudo. Nem sequer têm direito a eleger os seus governantes. Quando votam em quem não devem votar, são castigados. Gaza está sendo castigada. Converteu-se numa ratoeira sem saída, desde que o Hamas ganhou legitimamente as eleições em 2006. Algo parecido tinha ocorrido em 1932, quando o Partido Comunista triunfou nas eleições de El Salvador.

Banhados em sangue, os habitantes de El Salvador expiaram a sua má conduta e desde então viveram submetidos a ditaduras militares. A democracia é um luxo que nem todos merecem. São filhos da impotência os rockets caseiros que os militantes do Hamas, encurralados em Gaza, disparam com desleixada pontaria sobre as terras que tinham sido palestinas e que a ocupação israelense usurpou. E o desespero, à orla da loucura suicida, é a mãe das ameaças que negam o direito à existência de Israel, gritos sem nenhuma eficácia, enquanto a muito eficaz guerra de extermínio está a negar, desde há muitos anos, o direito à existência da Palestina. Já poucaPalestina resta. Pouco a pouco, Israel está a apagá-la do mapa.

Os colonos invadem, e, depois deles, os soldados vão corrigindo a fronteira. As balas sacralizam o despojo, em legítima defesa. Não há guerra agressiva que não diga ser guerra defensiva. Hitler invadiu a Polônia para evitar que a Polônia invadisse a Alemanha. Bush invadiu o Iraque para evitar que o Iraque invadisse o mundo. Em cada uma das suas guerras defensivas, Israel engoliu outro pedaço da Palestina, e os almoços continuam. O repasto justifica-se pelos títulos de propriedade que a Bíblia outorgou, pelos dois mil anos de perseguição que o povo judeu sofreu, e pelo pânico que geram os palestinos à espreita. Israel é o país que jamais cumpre as recomendações nem as resoluções das Nações Unidas, o que nunca acata as sentenças dos tribunais internacionais, o que escarnece das leis internacionais, e é também o único país que tem legalizado a tortura de prisioneiros.

Quem lhe presenteou o direito de negar todos os direitos? De onde vem a impunidade com que Israel está a executar a matança em Gaza? O governo espanhol não pôde bombardear impunemente o País Basco para acabar com a ETA, nem o governo britânico pôde arrasar Irlanda para liquidar a IRA. Talvez a tragédia do Holocausto implique uma apólice de eterna impunidade? Ou essa luz verde vem da potência ‘manda chuva’ que tem em Israel o mais incondicional dos seus vassalos? O exército israelense, o mais moderno e sofisticado do mundo, sabe quem mata. Não mata por erro. Mata por horror. As vítimas civis chamam-se danos colaterais, segundo o dicionário de outras guerras imperiais.

Em Gaza, de cada dez danos colaterais, três são meninos. E somam milhares os mutilados, vítimas da tecnologia do esquartejamento humano, que a indústria militar está a ensaiar com êxito nesta operação de limpeza étnica. E como sempre, sempre o mesmo: em Gaza, cem a um. Por cada cem palestinos mortos, um israelita. Gente perigosa, adverte o outro bombardeamento, a cargo dos meios massivos de manipulação, que nos convidam a achar que uma vida israelense vale tanto como cem vidas palestinianas. E esses meios também nos convidam a achar que são humanitárias as duzentas bombas atômicas de Israel, e que uma potência nuclear chamada Irã foi a que aniquilou Hiroshima e Nagasaki.

A chamada comunidade internacional, existe? É algo mais que um clube de mercadores, banqueiros e guerreiros? É algo mais que o nome artístico que os Estados Unidos assumem quando fazem teatro? Ante a tragédia de Gaza, a hipocrisia mundial destaca-se uma vez mais. Como sempre, a indiferença, os discursos vazios, as declarações ocas, as declamações altissonantes, as posturas ambíguas, rendem tributo à sagrada impunidade. Ante a tragédia de Gaza, os países árabes lavam as mãos. Como sempre. E como sempre, os países europeus esfregam as mãos.

A velha Europa, tão capaz de beleza e de perversidade, derrama uma ou outra lágrima enquanto secretamente celebra esta jogada de mestre. Porque a caça aos judeus foi sempre um costume europeu, mas desde há meio século essa dívida histórica está a ser cobrada dos palestinos, que também são semitas e que nunca foram, nem são, antissemitas. Eles estão a pagar, em sangue, na pele, uma conta alheia.

Eduardo Galeano, é escritor e jornalista uruguaio.

Assembleia de Deus celebra 100 anos no Ceará com batizado de 3 mil fiéis no mar

No próximo domingo, 3, acontecerá a celebração dos 100 anos das Assembleias de Deus no Ceará. O evento, que começa às 7h30, no aterro da Praia de Iracema, próximo ao Ideal Clube, é gratuito e espera-se um público de mais de 15 mil religiosos.

A cerimônia, que conta com o batizado de cerca de 3 mil pessoas no mar, será ministrada pelo pastor e presidente da Igreja Assembleia de Deus Templo Central em Fortaleza, Pastor Antonio José Azevedo Pereira.

O evento ainda terá a presença dos 240 líderes que dirigem as igrejas da Capital.

O batizado em massa será o momento mais esperado da celebração. Além disso, louvores e mensagens sobre o batismo farão parte da ação.

Os batizados das Assembleias acontecem mensalmente. Para comemorar o aniversário, todos os batizados, desde janeiro deste ano, foram deixados para serem feitos no dia 3 de agosto.

A festa final de celebração será realizada no dia 6 de setembro, na Arena Castelão, em Fortaleza.

Redação O POVO Online

Padre Fábio de Melo é atração da festa dos 165 anos de emancipação de Acaraú

O padre Fábio de Melo é a principal atração da festa dos 165 anos de emancipação da cidade de Acaraú. A partir das 21 horas desta quinta-feira, na Praça do Centenário.

A presença do religioso, um dos que mais  vendem CD entre os padres católicos, já está mobilizando a formação de várias caravanas de municípios do Vale do Acaraú.

(Blog do Eliomar)

20 coisas surpreendentes sobre o templo da Igreja Universal

São Paulo – Na próxima quinta-feira será inaugurado o novo – e enorme – templo da Igreja Universal. O Templo de Salomão, construído na região do Brás, em São Paulo, é uma réplica do templo de mesmo nome descrito na Bíblia.

Veja a seguir alguns detalhes sobre o novo Templo de Salomão:

1. O Templo foi construído em um terreno de 35 mil metros quadrados – o equivalente a 5 campos de futebol.

2. O Templo de Salomão assume o posto de maior espaço religioso do país em área construída, que é 4 vezes maior do que o Santuário Nacional de Aparecida (SP). Aparecida tem 23,3 mil m² de área construída, enquanto o Templo Salomão tem 100 mil m².

3. A obra durou 4 anos e custou R$ 680 milhões.

4. O Bispo Edir Macedo mandou vir de Hebron, em Israel, 40 mil metros quadrados de pedras usadas na construção e decoração do Templo.

5. Doze oliveiras foram importadas do Uruguai para reproduzir o Monte das Oliveiras.

6. A capacidade do novo templo é de 10 mil pessoas.

7. As cadeiras que vão acomodar os milhares de fiés foram trazidas da Espanha, segundo a Veja SP.

8. Cerca de 40 imóveis foram comprados no Brás por conta da obra, também segundo a Veja SP.

9. No altar, há uma esteira rolante destinada a carregar o dízimo pago pelos fiéis diretamente para uma sala-cofre, de acordo com a Veja SP.

10. Dez mil lâmpadas de LED foram instaladas no teto do salão principal.

11. Nas paredes há grandes menorás – candelabros de sete braços.

12. Na área construída há ainda espaço para 60 apartamentos de pastores que estão a trabalho no templo – incluindo um para o Bispo Edir Macedo.

13. O altar foi construído no formato da Arca da Aliança, local onde teriam sido guardados os Dez Mandamentos, segundo a Bíblia.

14. Cem metros quadrados de vitrais dourados foram instalados acima do altar, segundo a Veja SP.

15. O estacionamento do templo conta com 2000 vagas para carros, 241 para motos e 200 para ônibus.

16. Por enquanto, no período inaugural e de testes, só se poderá ir ao Templo em caravanas. Este foi um acordo com as autoridades, para que avaliasse o impacto no trânsito da região. Depois, qualquer pessoa, com seus próprios meios, poderá ir ao templo.

17. Além do Templo, há também um museu, chamado de Memorial. Lá, 12 colunas explicam a origem das 12 tribos de Israel.

18. Para as mulheres, é vetado o uso de “minissaias ou outros tipos de roupas curtas, decotadas ou sensuais”. Já os homens deverão deixar no armário as camisetas de times de futebol, bermudas, regatas e chinelos.

19. Foram usadas na obra 2.600 toneladas de ferro e 145 mil sacos de cimento.

20. Segundo a assessoria de imprensa da Igreja, a presidente Dilma Rousseff estará presente na inauguração do Templo. O ex-presidente Lula, o governador de São Paulo Geraldo Alckmin e o prefeito Fernando Haddad também são esperados.

(Exame Online)

“Os que dizem que o homossexual é doente são os que estão doentes”

Don Raúl Vera López

Por , da  Cidade do México

Raúl Vera, (Acámbaro, Guanajuato, 1945) é o bispo mais ameaçado do México. Um prelado que saiu vivo de mais de um atentado, e cujo trabalho em favor dos desaparecidos, migrantes, menores, indígenas, prostitutas e párias de todos os tipos lhe granjeou ódios ferozes, incluindo a letal inimizade do narcotráfico. Mas as ameaças não parecem lhe afetar. Engenheiro de carreira e filho intelectual de Maio de 68, forjou uma lenda de indomável.

Seu primeiro desafio veio em 1995 quando João Paulo II lhe enviou como coadjutor para Chiapas, em plena efervescência zapatista. Tinha como missão colocar em ordem a diocese de San Cristóbal de las Casas, dirigida pelo carismático Samuel Ruiz, um seguidor das teses indigenistas e da teologia da libertação. Logo depois de chegar, aquele comissário político que todos consideravam como conservador e cujo destino era levar a mitra para Ruiz, acabou apoiando o clero local. Roma não esqueceu. Quatro anos depois foi enviado, como castigo, para o árido bispado de Saltillo, em Coahuila, no norte do país. De pouco adiantou. Dali voltou para as trincheiras. Fez frente aos desmandos do Governo e também ao terror dos Los Zetas.

Seu discurso, de forte conteúdo social, irredutível na luta contra a desigualdade e furioso contra o “capitalismo liberal”, o deixa longe do aristocrático e ortodoxo episcopado mexicano. Uma distância que engrandeceu ainda mais sua atitude para com as mulheres partidárias do aborto e sua defesa dos direitos dos homossexuais. Durante muito tempo, Raúl Vera foi a ovelha negra, o desobediente, o antiquado esquerdista, até que o terremoto ideológico provocado pela chegada doPapa Francisco à cátedra de São Pedro deu nova força para sua voz. Agora, os outros bispos param para escutá-lo.

Eu faria o Papa visitar uma prisão, a periferia, a rota dos migrantes”

Pergunta. O que aconselharia que o Papa visitasse quando vier ao México?

Resposta. Para começar, que conhecesse a rota dos migrantes. Também o faria visitar uma prisão, porque ele gosta de ir a prisões; o levaria à periferia de uma cidade grande, porque ele diz que temos que visitar as periferias. Organizaria uma visita de acordo com o que ele nos pede que façamos. E faria com que as pessoas da primeira fila fossem os indígenas, fossem os pobres…. Isso é algo que não se costuma fazer, colocar os pobres na frente.

P. Há pouco tempo, o senhor batizou a filha de um casal lésbico. O que pensa da homossexualidade?

R. A homossexualidade, ai… É um tema que temos negado. Os que dizem que o homossexual é doente são os que estão doentes. Tenho um amigo que foi sacerdote e que é homossexual. Ele diz que não reconhecer os homossexuais é como julgar pelas regras do rúgbi os que jogam futebol, e aí dizer a eles que além de tudo estão violando as regras. A Igreja precisa aproximar-se deles não com condenação, mas com diálogo. Não podemos anular toda a riqueza de uma pessoa somente por sua preferência sexual. Isso é doentio, é não ter coração, é não ter senso comum.

P. E com o aborto não acontece a mesma coisa?

R. Sobre o aborto penso como pensa a igreja, que é um assassinato. As diferenças estão em como tratar, como penalizar. O aborto, como o matrimônio entre os homossexuais, nos serviu de subterfúgio para dizer que temos moral na Igreja. Mas não somos capazes de defender os direitos dos trabalhadores. É muito fácil ir contra uma mulher defensora do aborto, não causa problemas e ainda por cima somos apoiados pela ultradireita conservadora. Veja, aqui houve uma campanha nacional contra o aborto, a favor da vida. E o que eu fiz? Organizei rosários com toda a população para meditar sobre a defesa da vida dos migrantes, a defesa da vida dos mineiros, a defesa da vida das mulheres e da defesa da vida do não nascido. Mas somos uns hipócritas… Parece que as únicas regras morais são condenar os matrimônios homossexuais, condenar as defensoras do aborto. E com isso, já somos perfeitos cristãos.

P. Legalizaria a prostituição?

R. Não, isso seria legalizar a exploração feminina. Eu acredito na dignidade das mulheres. A prostituta é uma mulher condenada, em suma, mas jamais deve perder sua dignidade e o direito ao respeito. Estamos chegando a limites espantosos no fenômeno do tráfico de mulheres e a exploração.

P. O senhor é socialista?

R. Não me considero socialista. Não li Marx, não militei no socialismo e nunca gostei da tese da conversão em ditadura. Todos temos os mesmos direitos e a mesma dignidade, mas também temos liberdade. Mas veja bem, nunca apoiei os métodos do capitalismo, Deus me livre. O verdadeiro sentido da vida é a comunidade, o cuidado dos mais fracos e a participação por igual dos bens da terra. Tudo isso, eu aprendi com o mundo indígena, dos pobres e dos camponeses. Eles me ensinaram o valor da vida humana e também sua capacidade para a alegria. Eles me ensinaram a rir.

P. O senhor enfrentou o narcotráfico publicamente. Teme por sua vida?

R. Em Chiapas, aprendi que deveria arriscar a vida se quisesse ficar do lado dos pobres. De outra forma, não teria conseguido ficar ali enquanto os paramilitares matavam estes irmãos de catequese.

P. E aqui no Estado de Coahuila, que é território dos Los Zetas?

R. Aprendi que para defender a vida humana deve-se colocar a sua no meio. Não há outra maneira de ser pastor.

P. No México há oficialmente mais de 13.000 desaparecidos. Em Coahuila, 1.800. Somente em dois povoados do norte, os narcotraficantes levaram em poucos dias e em plena luz do dia 300 pessoas sem que as autoridades fizessem nada. O que acredita que está ocorrendo?

R. A impunidade permitiu que isso acontecesse. O desaparecimento vem acompanhado da eliminação de todo o indício que permita a perseguição: desaparecem com as pessoas e então com os corpos. E tudo vira hipótese, porque ninguém sai vivo. E se alguém se depara com esses grupos, é pessoa morta. No caso de Allende o fizeram na luz do dia, sem que houvesse a menor reação por parte das autoridades.

P. A legalização das drogas não seria uma solução para acabar com o narcotráfico?

R. Não é uma solução.

P. Por que não?

R. Absolutamente não. As drogas são ligadas com a depreciação da vida humana. A decomposição do homem não vem da droga; o uso da droga, assim como o álcool, ocorre por outro motivo. Para uns a vida não tem sentido e necessitam da droga para viver esta falta de sentido, e existem outros que não têm nem onde cair mortos. Legalizando a droga não se soluciona o problema pelo qual as pessoas se drogam. E bastaria proibir umas para que se descobrissem outras.

O bispo Vera fala suavemente. Aos 69 anos, está tranquilo. Acabada a entrevista, se dirige ao seu escritório, repleto de livros, para mudar de vestimenta.

Ao lado está seu quarto. Não lhe importa que olhem dentro. Com seu computador e a mesa desorganizada parece o quarto de um universitário, exceto pela cama, pequena, velha e sem colchão, de frade dominicano.

Via http://brasil.elpais.com/brasil

Festival Halleluya 2014: Confira a programação de atrações

A organização do Festival Halleluya divulgou nesta segunda-feira (14) a programação diária do evento. O Festival Halleluya será realizado de 23 a 27 de julho, no Condomínio Espiritual Uirapuru, e lembrará um ano da Jornada Mundial da Juventude no Rio de Janeiro. A entrada é gratuita. A cada dia, a programação terá início às 18h. ( Confira a programação das atrações abaixo).

Segundo os organizadores, a expectativa é reunir cerca de 200 mil pessoas por dia. A edição deste ano do Halleluya terá diferentes ritmos e atrações. O forró de Batista Lima e Naldo José, o rock do Rosa de Saron, o soul pop de Davidson Silva e o pop rock de Ana Gabriela e Missionário Shalom.
Entre as novidades deste ano, estão a participação do cantor goiano Tony Alysson, o lançamento do cd “180 Graus” do Ministério Missionário Shalom. Outras atrações confirmadas no Festival Halleluya são Cosme, Diego Fernandes, Eros Biondini, Dunga, Adriana Arydes, Ziza Fernandes, Irmã  Kelly Patrícia e as bandas Comunidade Recado, Dominus e Adoração e Vida. Neste ano, o público pôde escolher uma atração para cantar no palco principal do evento. O vencedor foi o cantor Nilton Junior, de São Paulo.
Confira a programação completa do Festival Halleluya 2014:
Quarta-feira (23):
Tony Allysson
Batista Lima
Adriana Arydes

Quinta-feira (24):
Naldo José
Diego Fernandes
Ziza Fernandes
Rosa de Saron

Sexta-feira (25):
Comunidade Recado
Davidson Silva
Nilton Júnior
Banda Dominus

Sábado (26):
Eros Biondini
Missionário Shalom
Irmã Kelly Patrícia
Ana Gabriela
Alto Louvor
Cosme

Domingo (27):
Suely Façanha
Dunga
Adoração e Vida

(G1 Ceará)

Festival Halleluya acontece em Fortaleza e está com inscrições abertas

O maior festival de artes integradas do país chega à sua 17ª edição. O Halleluya é realizado pela Comunidade Católica Shalom e faz parte do calendário oficial de eventos de Fortaleza (CE). Neste ano, o festival acontecerá de 23 a 27 de julho no Condomínio Espiritual do Uirapuru (CEU).

Para promover novos talentos, a organização criou o Festival de Artes Integradas de Música, Teatro e Dança, dando a oportunidade para os três melhores colocados em cada categoria apresentar-se no palco principal do evento.

Para participar basta se inscrever no site http://www.festivalhalleluya.org , efetuar o pagamento da inscrição e levar os documentos exigidos no regulamento para a secretaria do Festival, localizado na Escola de Artes Shalom (Colégio Shalom) – Rua Professor Dias da Rocha, nº 800, Aldeota, ou enviá-los via Correios.

Os grupos/artistas selecionados passarão por etapas eliminatórias no Espaço Cultural, localizado na Arena Halleluya, local criado especialmente para o Festival de Artes. Um júri formado por cinco pessoas de renomada experiência na área artística estará avaliando as apresentações. O primeiro colocado de cada categoria se apresentará na última noite do evento no palco principal do Halleluya.

As inscrições para o Festival de Artes Integradas podem ser feitas até o dia 30 de junho, através do site http://www.festivalhalleluya.org . Em caso de dúvida basta encaminhar e-mail para festival@comshalom.org ou ligar para o número (85) 9601.5006.

Por A12, com Arquidiocese de Fortaleza 

MPF recorre de decisão em que juiz alegou que umbanda e candomblé não são religiões

São Paulo – O Ministério Público Federal (MPF) no Rio de Janeiro recorreu da decisão do juiz Eugenio Rosa de Araújo, da 17ª Vara Federal, que negou pedido de remoção de vídeos de cultos evangélicos do site YouTube que foram considerados intolerantes e discriminatórios contra práticas religiosas de umbanda e candomblé. No entanto, o que causou mais espanto ao MPF foi a argumentação do magistrado, de que “manifestações religiosas afro-brasileiros não se constituem religião”.

Na decisão, do último dia 28 de abril, o magistrado defendeu que faltam a esses cultos certos traços necessários para serem considerados religião: um texto-base (Corão, Bíblia etc.), uma estrutura hierárquica e a veneração de um deus único.

Com base nisso, o juiz negou pedido cautelar de remoção do vídeos, afirmando que “não há nos autos prova de que tais ‘cultos afro-brasileiros’ – expressão que será desenvolvida no mérito – estejam sendo efetivamente turbados pelos vídeos inseridos no Google”. Muito embora, em um dos vídeos, um pastor afirma que os participantes do culto podem “fechar os terreiros de macumba do teu bairro” e que quebrou imagens de São Jorge “indo pedaços por todos os lados”.

O procurador regional dos Direitos do Cidadão, Jaime Mitropoulos, autor da denúncia, argumenta, no pedido de agravo, que a decisão do juiz causou perplexidade. “Não apenas porque negou a liminar, mas também porque o juiz da causa arvorou-se a dizer o que é e o que não pode ser considerado religião, chegando a ponto de estabelecer, de acordo com sua compreensão, que as manifestações religiosas afro-brasileiras não são religiões, porque, de acordo com esse seu entendimento, não possuiriam uma estrutura hierárquica e um Deus a ser venerado.”

Em sua argumentação, Mitropoulos elenca diversos dispositivos legais nacionais e internacionais, sob os quais deve prevalecer a proteção à diversidade, inclusive religiosa. E questiona também a defesa deliberdade de opinião, de reunião e religiosa, feitas pelo magistrado, para defender a manutenção dos vídeos na internet, que considera “estarrecedores”.

O MPF fez uma relação com 17 vídeos com os respectivos links para embasar o pedido de que sejam retirados do ar. Por enquanto, a Google não os retirou de sua página de videos – Youtube – na internet, afirmando, que “tais vídeos nada mais são do que a manifestação da liberdade religiosa do povo brasileiro” e que os vídeos “não violam as políticas da empresa”.

Para Tata Kejessy, do terreiro de Candomblé Ylê Axé de Yansã, em Araras, interior de São Paulo, o problema é que as pessoas tendem a observar as religiões de matriz africana com uma perspectiva judaico-cristã. “Não somos obrigados a ser monoteístas. Nossa religião está baseada em uma multiplicidade de deuses, ligados à natureza, e não ao princípio ocidental do cristianismo”, afirmou. Baseado nesse parâmetro, segue ele, “outras religiões, como Budismo, Kardecismo ou Hinduísmo, também não poderiam ser consideradas como tais”.

Para Tata, não é possível desconsiderar ritos e práticas e definir que uma fé só pode ser caracterizada pela existência ou não de um livro-guia. “Os princípios de nossos conhecimentos filosóficos se dão por meio da vivência e da oralidade, não precisam de um livro. As pessoas observam, ouvem, vivem e aprendem. Não concebemos a ideia de uma norma escrita e geral.”

Segundo Kejessy, o candomblé se originou de uma multiplicidade de povos e manifestações, espalhados por todo o continente africano. Assim, não há um esquema restrito de como se deve realizar as práticas religiosas.

Outro ponto em que não se pode fazer comparações, segundo Tata Kejessy, é a definição de hierarquia na religião. “Quem vivencia a religião de matriz africana sabe qual é a hierarquia. Mas ela também é distinta das religiões judaico-cristãs.”

A estrutura seria: no topo, Doné ou Tata (líder religioso, comumente chamado mãe ou pai de santo), as ekedis e os ogãs – que têm certo tempo de casa e funções definidas – e os yaos – iniciantes. “Dentro dessas divisões há ainda uma série de funções desempenhadas dentro da comunidade, relativas ao tempo de casa, ao domínio do conhecimento, ou ao desígnio espiritual de casa pessoa”, completa Kejessy.

(Rodrigo Gomes, Rede Brasil Atual)

Tribunal do Sudão condena grávida cristã à forca por abandonar islã

(Imagem de arquivo): sudanesa segura o filho nas costas; uma mulher do país africano foi condenada à morte por se converter ao cristianismo -

A Justiça do Sudão condenou à morte por enforcamento uma mulher muçulmana acusada de apostasia – abandono da religião – depois que ela se afastou do Islã para se casar com um cristão.

“Demos a você três dias para se retratar mas você insiste em não voltar para o Islã. Sentencio você a ser enforcada até a morte”, disse o juiz, segundo a agência de notícias AFP, se referindo ao prazo dado para que a mulher aceitasse o islamismo.

O grupo de defesa de direitos humanos Anistia Internacional condenou a decisão e afirmou que a sentença é “espantosa e repugnante”.

A imprensa local informou que, como a mulher está grávida, a sentença só será executada dois anos depois do nascimento da criança.

A mulher foi identificada como Meriam Yehya Ibrahim Ishag e alega que é cristã.

A maioria da população sudanesa é muçulmana e o país segue as leis islâmicas. Segundo estas leis, a apostasia é um crime.

Chibatadas
Embaixadas de países ocidentais e grupos de defesa de direitos humanos pediram que o governo do Sudão respeite o direito da mulher de escolher a própria religião.

As embaixadas dos Estados Unidos, Canadá, Grã-Bretanha e Holanda divulgaram uma declaração conjunta na qual afirmaram que os países estavam muito preocupados com o caso e pediram que o governo do Sudão respeite a liberdade de religião.

Mas, além da pena de morte, o juiz do caso também sentenciou a mulher a receber 100 chibatadas por adultério, já que o casamento com o homem cristão não é considerado válido segundo a lei islâmica.

A sentença das chibatadas será executada assim que a mulher se recuperar do parto.
A condenação por adultério se deve ao fato de, segundo a lei islâmica do Sudão, uma mulher muçulmana não pode se casar com homens de outra religião. Meriam se casou com um cristão do Sudão do Sul.

Durante a audiência, Meriam, cujo nome islâmico é Adraf Al-Hadi Mohammed Abdullah, foi interrogada por um clérigo islâmico e disse ao juiz que era uma “cristã e nunca cometi apostasia”.
Segundo a Anistia Internacional, a mulher foi criada como cristã ortodoxa, a religião da mãe, pois ela teria tido um pai ausente durante a infância.

A Anistia informou que a mulher foi presa e acusada de adultério em agosto de 2013 e a Justiça sudanesa adicionou a acusação de apostasia em fevereiro de 2014, quando Meriam disse que era cristã.

O pesquisador da organização especializado em assuntos ligados ao Sudão, Manar Idriss, condenou a sentença e afirmou que apostasia e adultério nem deveriam ser considerados crimes.

“O fato de uma mulher ter sido sentenciada à morte por sua escolha religiosa e à chibatadas por adultério por ser casada com um homem que, supostamente, tem outra religião, é espantoso e repugnante”, disse.

A condenação gerou polêmica no país de acordo com a AFP. Pequenos grupos de manifestantes, contra e a favor da sentença, se reuniram em frente à corte onde Meriam foi julgada.

O correspondente da BBC em Cartum Osman Mohamed, afirmou que sentenças de morte raramente são executadas no Sudão.

E um dos advogados de Meriam disse à AFP que vai entrar com um recurso em instâncias superiores.

(Portal Terra)

 

Veja o que fecha e o que abre em Fortaleza durante o feriado da Semana Santa

De acordo com o Sindicato do Comércio Varejista e Lojista de Fortaleza (Sindilojasfor), as lojas do comércio de Fortaleza não funcionam nesta Sexta-Feira Santa (18). Na segunda-feira (21), feriado de Tiradentes, os estabelecimentos também estarão fechados. Já neste sábado e domingo (19 e 20), as lojas abrem normalmente.

Supermercados
Segundo a Associação Cearense de Supermercados (Acesu) os supermercados em todo o estado abrem normalmente neste feriado prolongado.

Mercado Central
O espaço do Mercado Central estará fechado nessa sexta-feira (18) e na segunda-feira (21). No sábado, o funcionamento é das 8h às 16h e no domingo, das 8h às 12h. O Mercado Central fica na Rua Alberto Nepomuceno, 199, no Bairro Centro, em Fortaleza.

Postos de Combustíveis
De acordo com o Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo do Estado doCeará (Sindipostos) os postos de combustíveis do Ceará funcionam normalmente durante esse feriado prolongado.

Agências bancárias
A Associação de Bancos do Estado do Ceará (Abance) as agências bancárias do estado lembra que as agências não funcionam nesta sexta-feira (18) e nem na segunda-feira (21). Os trabalhos voltam normalmente na próxima terça-feira (22).

Cagece
A Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece) trabalha em regime de plantão neste feriado da Semana Santa e no Dia de Tiradentes. Os clientes podem fazer qualquer reclamação ou solicitação pelo telefone 0800 2750 195. O número funciona 24 horas.

Coelce
A Companhia Energética do Ceará (Coelce) trabalha em regime de plantão nesse feriado. Os clientes podem entrar em contato com a empresa através do telefone 0800 2850196. O número funciona 24h. O contato também pode ser feito pelas redes sociais da Coelce.

(G1 Ceará)

Reginaldo Manzotti diz que decisão de deixar Evangelizar Dom Bosco foi “de comum acordo”

Em nota divulgada à imprensa nesta terça-feira (25), o padre Reginaldo Manzotti falou sobre o fim da parceria com a rádio Dom Bosco FM na realização do evento Evangelizar Dom Bosco, que acontece todos os anos e atrai milhares de cristãos.

A partir de agora, Manzotti estará ao lado do Sistema Jangadeiro de Comunicação, que realizará o evento “Evangelizar é preciso”. Atualmente o programa de rádio já é transmitido através da Rede Jangadeiro. 

“Todos  temos os nossos carismas, assim tanto nós, Evangelizar é Preciso, como a Evangelizar Dom Bosco, seguem realizando seus eventos na busca da evangelização, propagar a Boa Nova, a Palavra de Deus. De comum acordo, a partir de 2014, as instituições realizarão seus eventos independentes, engrandecendo ainda mais as festividades religiosas de Fortaleza. Afinal, Deus age através da união do Povo (Salmo 133)”, disse o padre Manzotti por meio de nota.

Via http://www.cearanews7.com.br

Mães evangélicas boicotam vacinação de filhas contra HPV

Recentemente, o Ministério da Saúde brasileiro lançou uma campanha nacional para vacinação de adolescentes contra o papilomavírus humano (HPV), vírus tido pelos especialistas como uma das principais causas de câncer no colo do útero. Porém, a campanha, que tem como público alvo meninas entre 11 e 13 anos, tem recebido resistência por parte de algumas religiosas antes mesmo de iniciar.

Marcada para começar no dia 10 de março de 2014, a vacinação das adolescentes estaria sendo boicotada por um grupo de mães evangélicas, que querem evitar que suas filhas tomem a vacina afirmando que a mesma pode incentivar a prática sexual.

Segundo uma matéria que tem circulado na internet (supostamente do Estado do Espírito Santo), algumas mães afirmam que, com a vacina, suas filhas “se sentiriam imunizadas e tentariam experimentar o novo”. Uma das defensoras desse ponto de vista seria a pastora e psicanalista Raquel Diniz Jantorno, 38 anos. Mão de duas meninas atualmente com 10 e 3 anos de idade, ela afirma que não permitirá que as filhas recebam a vacina quando tiverem idade para isso.

- Não tenho nada contra o cuidado do Ministério da Saúde com o povo brasileiro, mas acho que essa vacina é desnecessária. A melhor forma de prevenir Doenças Sexualmente Transmissíveis (DSTs) é a fidelidade no casamento – afirma a pastora.

- Essa é uma idade em que os hormônios estão à flor da pele e tudo desperta curiosidade. Com a vacina, elas se sentiriam imunizadas e tentariam experimentar o novo – completa.

A opinião de Raquel é defendida também pela evangélica Elizângela Gomes, 28, mãe de uma menina de 7 anos, que também afirma não haver necessidade da filha receber a vacina quando estiver na idade.

- O que previne mesmo as meninas mesmo do HPV é a relação com um só parceiro. Desde já converso com ela, na linguagem simples que ela entenda, sobre a sexualidade – defende a dona de casa.

Segundo a reportagem, o presidente da Associação de Pastores Evangélicos da Grande Vitória, Enoque de Castro, também se pronunciou sobre o assunto, dizendo acreditar que a vacina é uma boa solução para a doença, mas que concorda que a melhor prevenção é a fidelidade.

Veja abaixo a reprodução da matéria:

(Gospel+)

A ética na era da banalização da vida

 
Por Wellington Fontes Menezes
 
É sintomático que em tempos de crise, os padrões de uma ética e moralidade são colocados em cheque. Agora, o diretor carioca José Padilha que alcançou o estrelado filmando os bons “Tropa de Elite I e II”, além de “Robocop”, segue sua dramaturgia ao desejar filmar a vida do colombiano Pablo Emilio Escobar Gaviria, o Pablo Escobar (1949-1993), fundador do poderoso Cartel de Medelín, considerado o mais impiedoso, o mais bilionário e mais poderoso traficante de todos os tempos que reinou absoluto no eixo Estados Unidos, México e Colômbia, mas que influenciou todo o comércio do gênero em, praticamente, toda a América Latina. 

Pablo Escobar e sua macabra indústria da cocaína levaram a Colômbia a um profundo mar de sangue na medida em que abastecia narizes vorazes de consumidores, em especial, os estadunidenses. Derivou-se daí toda uma arquitetura a respeito de políticas anti-drogas nos Estados Unidos, de intensa repressão, e o mar de violência espalhou pela América Latina. Para se mostrar um homem generoso, distribuía dinheiro, simpatia e ajudar a comunidade local em Medelín, além de fomentar o futebol, sua segunda paixão após os negócios. A tática obvia era de se passar por um “homem bom” que se preocupava com o sofrimento alheio em troca do silêncio e da proteção da população a sua volta contra seu maior temor: ser pego e extraditado para os Estados Unidos.  Após longa caçada e cerco, em 1993, Pablo Escobar foi morto em sua fortaleza em Medelín em combate contra as tropas colombianas apoiadas pelo governo estadunidense. 
O anti-herói que ganha contornos míticos. O mesmo sentido que desperta do público pelo ilícito, pela transgressão, pela degeneração escatológica do ser humano. Somos assim, hipócritas por natureza, onde tem aqueles que reclamam acidamente quando polícia vem interromper o festivo consumo de alucinógeno, mas, por outro lado, também os mesmos reclamam da polícia com a mesma veemência quando algo é furtado do inquieto consumidor de pó. 

Alguns buscam argumentar que é “democrático” cheirar à exaustão e oferecer elementos imediatamente corrosivos para as demais pessoas, ou seja, “vicie-se, agora, na ‘onda do momento’ e todo o restante será problema inteiramente seu”. No lastro deste tipo de argumentação, ou seja, numa espécie de “ética narcísea pós-moderna”, muitas vezes confundem-se democracia com irresponsabilidade social, mas aí é um grande debate que cada vez mais vem ganhando contornos mais disformes na sociedade.  

Ademais, segundo a mesma esteira desta “ética”, qualquer desavisado que for contrário a liberação de drogas, será imediatamente tachado de forma acusatória como sendo “de direita”, “fascista”, “reacionário”, pois não estaria coadunando com os hiperflexíveis “valores da nova ética pós-moderna”.  Curiosamente, os mesmos que apontam ao dedo em riste para quem é contrária a farra do alucinógeno raramente são o mesmo que irão acolher o corpo saturado e tísico daquele desesperado por tentar sair do mesmo caminho naufrágio por onde começou a dar as primeiras braçadas. 

É bom lembrar, que muitas vezes, no debate pós-moderno, a lógica e coerência de uma dimensão hipernarcísea não são elementos fundamentais em discursos cada vez mais esburacados e pouco dados à responsabilidade social coletiva. 

É fundamental lembrar que um grande “câncer” que assola a atualidade da América Latina é a violência epidêmica derivada do narcotráfico. Pablo Escobar representou a figura do grande empresário mafioso que matou, assassinou, destroçou, corrompeu qualquer coisa que fosse obstáculo aos seus negócios ilícitos. Agora, Pablo Escobar, novamente será um “herói” em série televisiva (ele mesmo rendeu alguns filmes e também um seriado colombiano exibido em 2012, “Pablo Escobar: El Patrón del Mal”), ao estilo eloquente de outros personagens televisivos que o cinema e a TV colocaram, em tons dramáticos, lugares de privilégios e onde o telespectador, em muitas situações, sentiu, até mesmo, “pena” de cândidas figuras controversas, mesmo que um dado personagem seja um arauto do terror e responsável pela morte de milhares de pessoas.  

Neste intervim, com a hipertrofia do desejo imediatista e o cabedal de projeções a respeito das veleidades narcíseas na Pós-Modernidade, cabe sempre uma pergunta: vale a pena ser honesto, no sentido mais fundante do termo, em tempos de democracia difusa, valores desnorteados e violência banalizada?  

 
Sobre o autor:
_______________________________________________________________________
 
Wellington Fontes Menezes.
 
- Mestre em Ciências Sociais pela Universidade Estadual Paulista (UNESP).
- Bacharel e Licenciado em Física pela Universidade de São Paulo (USP).
- Professor Universitário e Professor efetivo da Rede Pública de Ensino do Estado de São Paulo. 
 
Contatos:

 

Astróloga Márcia Mattos ministrará workshop em Fortaleza

A astróloga Márcia Mattos, uma das fundadores da Sociedade de Astrologia do Rio de Janeiro (SARJ), estará em Fortaleza, pela primeira vez, para ministrar um workshop com o tema “Relacionamentos – Um estudo aprofundado de todos os indicadores de relacionamento como promessa no mapa de nascimento; uma ferramenta valiosa em tempos de crise afetiva”.

O workshop de Márcia Mattos ocorrerá nos próximos dias 21 e 22, na Life Clinic e os interessados podem se inscrever enviando email para andreamaluf@gmail.com.

SERVIÇO

Horários:
22 de fevereiro – de 18 às 21 horas
22 de fevereiro de 9 às 12 horas (manhã) e 14 às 17 horas (tarde)

Life Clínic – Rua Visconde de Mauá, 2641 – Dionísio Torres

(O Povo Online)

Homem tenta se jogar da Catedral de Fortaleza e é resgatado pelos bombeiros

Um homem subiu no topo da torre da Catedral Metropolitana de Fortaleza na manhã desta segunda-feira, 3, para se jogar do local. Porém, bombeiros do Salvamento 1 do Núcleo de Buscas e Salvamento convenceram Sílvio Dalagnol, 47 anos, a descer.

De acordo com capitão Carlos Eduardo, do Corpo de Bombeiros, Sílvio informou que estava com problema, sem emprego e, tanto a mãe, como a esposa, haviam falecido. Além disso, o capitão contou que o homem subiu ao topo da torre através de andaimes usados nas obras da Catedral.

Sílvio é de Mato Grosso do Sul e mora em Fortaleza há oito anos. Segundo o capitão, ele vive em uma ONG localizada no Centro. O sargento Gonçalves e o cabo Braga foram os responsáveis pelo resgate do homem.

Segundo Carlos Eduardo, após o resgate, Sílvio ficou com policiais militares que tentavam ligar para a ONG onde ele vive.

(O Povo)

‘Queremos Deus’ acontece dia 09 de fevereiro, no Presidente Vargas

A 25ª edição do Queremos Deus, que será realizado no próximo dia 9 de fevereiro no Estádio Presidente Vargas (PV), deve reunir 20 mil pessoas.

O evento é marcado por pregações e músicas. Entre as atrações deste ano, estão Naldo José e a banda Forró In Deus, irmã Kelly Patrícia, Salete Ferreira e o sanfoneiro Waldonys.

A pregação será comandada pelo padre Chicão e a missa será celebrada pelo arcebispo de Fortaleza, dom José Antônio Tosi.

Outras informações

O Queremos Deus 2014 terá início às 14h, mas os portões do estádio serão abertos duas horas antes. A última parte do evento será a Santa Missa, prevista para acontecer às 18h e ser encerrada por volta das 20h.

Para participar do evento, os fiéis precisam pagar R$ 2 e entregar 1 quilo de alimento, que será doado às vítimas da seca no Estado. As entradas poderão ser adquiridas nas lojas Bethseth até o dia 9. Contudo, a organização orienta a compra antecipada.

(Ceará News)

Igreja Internacional da Graça de Deus e Bradesco oferecem cartão de crédito aos fiéis

SÃO PAULO – A Igreja Internacional da Graça de Deus e o Bradesco buscam clientes e fiéis. De acordo com anúncio no site do banco, o cartão de pagamento oferecido na parceria permite, ao mesmo tempo, fazer pagamentos em até 40 dias, sem juros, e financiar parte das despesas da instituição religiosa liderada pelo comunicador R. R. Soares.

“Com o Cartão da Igreja da Graça de Deus Bradesco Visa Nacional, você ajuda a fortalecer as obras missionárias”, diz o anúncio. Essa ajuda vem por meio de fatia das anuidades pagas pelo uso do meio de pagamento, de R$ 151,20, para o titular, e de R$ 75,60, para cartões adicionais. Embora o cartão seja aceito só no Brasil, a igreja está presente em pelo menos outros 11 países.

Mas essa não é a única maneira encontrada pela Igreja Internacional da Graça de Deus para facilitar a arrecadação de dinheiro. Pagamentos de dízimos podem ser feitos pelos “patrocinadores” – como se refere aos seus colaboradores – com cartões de crédito e débito e por boleto e depósito bancários.

Por meio de nota, o Bradesco diz que “o objetivo é oferecer ao cliente a opção de adquirir um cartão de uma entidade que ele se identifique”. E, embora o cartão tenha sido criado há cinco anos, como afirma o banco, foi apenas nesta terça-feira, 28, que alguns internautas se deram conta da nova opção.

(Gustavo Santos, O Estado de SP)

Ampola com o sangue de João Paulo II é roubada de igreja na Itália

JOÃO PAULO II

Uma ampola que continha o sangue do PapaJoão Paulo II e era mantida na igreja de San Pietro della Ienca, em L’Aquila, na região italiana de Abruzzi, foi roubada junto com um crucifixo durante a noite de domingo (26), informaram fontes policiais nesta segunda-feira (27).

Cerca de 50 policiais estão participando da operação em busca do relicário e controlam toda a região do pequeno santuário.

A igreja fica perto da montanha de Gran Sasso, na cordilheira dos Apeninos, região muito querida por João Paulo II, que a visitou várias vezes nos primeiros anos de seu pontificado para meditar, passear e até esquiar.

O presidente da associação cultural San Pietro della Ienca explicou aos veículos de imprensa italianos a importância da relíquia, já que só existem três ampolas com o sangue do Papa polonês.

Os investigadores não descartam a possibilidade de o roubo ter acontecido para algum rito satânico.

Em agosto de 2012, três ladrões a bordo de um trem roubaram uma mochila de um padre que continha um relicário em forma de livro, onde estava a ampola de sangue de João Paulo II. A mochila com a ampola foi encontrada poucas horas depois, perto da estação de ferrovia de Marina di Cerveteri, no litoral de Roma.

(G1 Mundo)

Tempestade quebra dedo da estátua do Cristo Redentor

Parte do dedo da mão direita do Cristo Redentor, no Rio de Janeiro, quebrou após a forte chuva, acompanhada por muitos raios, que atingiu a cidade na noite desta quinta-feira. Segundo o padre Omar, reitor do santuário, a mão direita da estátua já estava danificada devido à alta incidência de raios.

‘Dizem que raio não cai no mesmo lugar duas vezes. Mas no Cristo cai’, brincou o padre. ‘Temos muito cuidado para que a imagem esteja sempre protegida. A imagem tem para-raios. Mas o impacto está muito forte’, completou.

De acordo com o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais, o Inpe, em todo o estado do Rio de Janeiro, caíram mais de 40 mil raios nesta quinta-feira. O especialista do Inpe, Osmar Pinto Junior, conta que o Cristo Redentor é atingido por 3 a 5 raios por ano.

Mais de 40 mil raios atingiram o Rio nesta quinta-feira (Agência O Globo)

 

‘O para-raio protege e evita tragédias, mas não protege 100% dos casos, como acontece no Cristo e em outros prédios e casas’, alertou.

De acordo com padre Omar, o Cristo Redentor vai passar por uma reforma, marcada para começar em fevereiro. Na noite desta quinta-feira, uma placa informativa, feita de mármore, também foi danificada pelos raios.

A estátua já foi atingida por raios em outros temporais (Reprodução/GloboNews)

A arquidiocese do Rio e o Centro de Operações da Prefeitura têm uma parceira para que os funcionários do Cristo Redentor sejam avisados com antecedência sobre a previsão de chuva forte e com raios na cidade, garantindo a segurança dos turistas e visitantes.

‘Já passei pela situação de estar no Cristo em um momento de chuva com muitos raios e é assustador. Mas temos um plano para tirar todos os visitantes de lá rapidamente’, afirmou padre Omar.

(Rádio Globo)

Ariel Sharon: relembre a trajetória do ex-primeiro-ministro de Israel

O ex-primeiro-ministro israelense Ariel Sharon, que morreu neste sábado, aos 85 anos, depois de passar oito anos em estado de coma, foi o idealizador de um grande projeto, o de fixar as fronteiras de Israel, algo que poderia ter modificado o rumo do conflito israelense-palestino.

Em estado vegetativo após um derrame cerebral em 4 de janeiro de 2006, Sharon nasceu em 27 de fevereiro de 1928 na Palestina sob mandato britânico e foi o braço direito do fundador histórico da direita nacionalista, Menahem Begin, que chegou ao poder em 1977, antes de revolucionar o panorama político israelense.

Como nenhum outro dirigente, este homem com fama de “falcão” colocou sob suspeita o sonho do “Grande Israel” ao ordenar a retirada da Faixa de Gaza, em 2005, após 38 anos de ocupação. Até então ninguém havia se atrevido a tocar na política de colonização para desmantelar assentamentos.

O mais surpreendente foi a decisão ter partido daquele que foi o paladino da colonização. Mas Sharon concluiu que Israel tinha que renunciar a manter todos os territórios conquistados na guerra de 1967 se desejava continuar sendo um “Estado judeu e democrático”.

Trajetória militar
Algumas decisões provocaram o ódio dos palestinos, a irritação da comunidade internacional e muitas críticas em Israel. Mas com a retirada de Gaza recebeu muitos elogios.

Antes, ele havia sido um chefe de guerra implacável. Quando era ministro da Defesa, Israel executou em 1982 uma interminável e desastrosa invasão do Líbano para tentar expulsar Yasser Arafat, o dirigente histórico palestino.

Uma investigação oficial o declarou culpado de não ter previsto nem impedido os massacres cometidos nos campos de refugiados de Sabra e Chatila em setembro de 1982 por uma milícia cristã aliada de Israel. Sharon teve que renunciar ao cargo.

Perfil
Ariel Sharon, um personagem impetuoso e tenaz, com físico imponente e humor mordaz, pouco cuidadoso com o financiamento das campanhas eleitorais, deu as costas em novembro de 2005 ao Likud para criar o partido de centro Kadima, enquanto planejava outras retiradas da Cisjordânia.

Nascido em uma família procedente da Bielorrússia, Ariel Sharon mostrou durante a longa carreira no exército, iniciada aos 17 anos e onde foi ferido em duas ocasiões, um gosto pelos métodos expeditos.

À frente da unidade 101 dos comandos e depois das unidades de paraquedistas, liderou operações de punição, a mais violenta terminou em 1953 com a morte de quase 60 civis na localidade palestina de Kibia.

Em 1969, Sharon debilitou por muito tempo a resistência palestina em Gaza com operações dos comandos.

Durante a guerra de outubro de 1973, voltou a demonstrar suas capacidades militares ao atravessar o canal de Suez e cercar o exército egípcio com uma manobra ousada.

A segunda Intifada
Em 28 de setembro de 2000, sua visita à Esplanada das Mesquitas em Jerusalém Oriental, terceiro local sagrado islã, provocou indignação. No dia seguinte explodiu a segunda Intifada.

Mas Sharon considerou a situação apenas uma pequena batalha de uma “guerra de 100 anos” contra o sionismo e Israel. Com a promessa de esmagar a revolta palestina, foi eleito de maneira triunfal primeiro-ministro em 6 de fevereiro de 2001 e reeleito em 28 de janeiro de 2003.

Ele queria a separação dos palestinos, mas segundo as condições de Israel. Esta era a missão histórica que pretendia realizar.

Pouco depois de seu derrame, o homem forte de Israel passou a cair no esquecimento, preso a uma cama de hospital e velado pela família. O nome era citado de maneira esporádica pela imprensa.

(Portal Terra)

Como o mundo islâmico quer que as mulheres se vistam?

São Paulo – Qual roupa é mais adequada para uma mulher em um país islâmico? E elas têm o direito de escolher o que vestir?

Essas perguntas foram feitas recentemente por pesquisadores da Universidade de Michigan em sete países árabes. O resultado foi divulgado pelo institutoPew Research.

Em média, 62% dos entrevistados acham que uma mulher não pode escolher o que vestir. No Egito é onde mais se pensa assim: 86%. 

Tunísia é o país mais liberal nesse sentido, onde 56% defende o direito de escolha da mulher.

O que é mais adequado?

Na pergunta “Que estilo de roupa é apropriado para mulheres em público?”, os entrevistados receberam um cartão com seis imagens (o infográfico, do Pew Research, você vê abaixo) de estilos diferentes.

Eles deveriam apontar o que achavam o mais adequado. Não havia legendas nas fotos, indicando como se chamava cada tipo de roupa.

Em 5 dos 7 países, a maioria preferiu o hijab (mulheres 3 e 4), o véu que cobre cabelo e orelhas, mas deixa todo o rosto à mostra.

Arábia Saudita é o país mais conservador, onde 63% preferem a niqab (mulher 2), que cobre todo o rosto, deixando apenas os olhos de fora.

Lá, é alta também a preferência pela burqa (mulher 1), que tampa completamente o rosto e cabeça da mulher. Elas enxergam por uma espécie de rede.

Já no Líbano, quase metade acha adequado uma mulher andar sem véu, com o cabelo solto (mulher 6). Essa porcentagem é alta, também, na Turquia.

Leis

O Alcorão, o livro sagrado do islamismo, não fala objetivamente sobre como as mulheres devem se vestir ou não.

Ele diz que elas devem se vestir de maneira “modesta e decente”. Fala, também, em cobrir corpo e cabeça durante as orações e quando estiverem em meio a homens que não são seus parentes.

O texto, assim, deixa margem para interpretação sobre o quanto e como rosto e corpo devem ser cobertos.

Em países como Afeganistão e Arábia Saudita, a interpretação é extrema e muitas mulheres usam a burqa, que cobre totalmente o corpo. É a exigência de muitos grupos extremistas que dominam diversas regiões, como o Taleban

Já em países como Egito e Líbano, mais influenciados pela cultura ocidental, mostrar o rosto ou um pouco do cabelo já é mais aceito.

(Guilherme Dearo, Exame Online)

Mercado bilionário da fé avança com novos produtos e serviços

Bárbara Ladeia, IG

De bíblias à prova d’água ou com capa com estampa de animal, passando por agências de viagens, pelo mercado da moda e da música, as vendas de produtos cristãos estão longe da acanhada taxa de crescimento da economia do Brasil. As estatísticas ainda são escassas, mas empresários do setor contam que o segmento vive uma fase favorável.

No último levantamento publicado sobre o setor, em janeiro de 2013, o professor de ciências do comportamento da ESPM (Escola Superior de Propaganda e Marketing), Mário René, chegou a cifras relevantes. Segundo a pesquisa, o mercado da fé movimenta R$ 12 bilhões por ano entre shows, eventos, produtos, entre outros.

“As compras de produtos relacionados à religião são totalmente impulsivas e emocionais” , diz o pesquisador. “Esse mercado é pouco estudado e muito pouco monitorado, então diversas informações escapam pelos dedos. “

Entretenimento

Com crescimento de 60% no número de evangélicos nos últimos dez anos, está cada vez mais lucrativo trabalhar para esse público. É apostando no cenário de crescimento do público evangélico que Leo Ganem, ex-presidente da Geo Eventos, das Organizações Globo, comemora o segundo mês da Um Entretenimento. “Quando abrimos a empresa, queríamos dar foco mas tínhamos receio de trabalhar exclusivamente com esse público, mas estamos tão felizes com o resultado que alcançamos que vejo poucas possibilidades de trabalho fora do mercado gospel”, afirma.

Ganem está à frente da Expo-cristã, evento marcado para novembro deste ano. A ideia é receber em São Paulo 120 mil pessoas, devolvendo a popularidade e o prestígio ao evento, que corria o risco de ser engolido pela Feira Internacional Cristã (FIC), produzido pela Geo Eventos, empresa que deverá encerrar as atividades em 2013. Entre os patrocinadores, nada menos que Bradesco e Mapfre Seguros. “Já sabendo que a Geo seria fechada, saí de lá e negociei um acordo de compra da marca para dar continuidade a esse trabalho.”

O executivo não é evangélico e hoje trabalha principalmente com feiras e gestão de talentos. Já conquistou a produção do Renascer Praise, além dos cantores Eli Soares e Hadassah Perez, dois expoentes da música jovem gospel, um na linha pop e a segunda na linha eletrônica.

Entre os eventos, Ganem planeja um festival de música. “O evangélico usa a música como principal meio de comunicação. Estamos buscando eventos para colocar nossos artistas na vitrine”, comenta. Para completar, o crescimento de evangélicos nos classes A e B, segundo o executivo, deve também elevar o tíquete médio de investimento em produtos evangélicos. “Eles já consomem muito livros e músicas. Dificilmente abraçam o produto pirata, o que ajuda muito.”

Viagens de fé

Leva entre dois e três meses para um cliente decidir pela compra de um pacote de viagens – o investimento é alto e exige um chamado divino. Até a assinatura dos contratos, a vendedora de pacotes de viagens Fernanda Ariana de Almeida Alves procura manter contato. “Eu chamo os clientes pelo nome, mando e-mail com mensagens bíblicas. Eles querem ser bem tratados”, diz. “Vou alimentando esse sonho deles com a Terra Santa. Não tem trabalho mais abençoado que viabilizar esse sonho.”

Bárbara Ladeia

Fernanda, na Terra Santa Viagens: “Você imagina a emoção de ir aos mesmos lugares que estão na Bíblia? É indescritível”

É com esse nível de profissionalismo na sedução do cliente que opera a agência da Terra Santa Viagens, localizada na Galeria Conde de Sarzedas, no Centro de São Paulo, na rua de mesmo nome – apelidada de “Rua dos Crentes” e “Crentolândia” por alguns dos frequentadores. A agência é uma das operações da Terra Santa Operadora de Israel, empresa de turismo com foco religioso.

Os destinos são diversos: de Israel até um roteiro pelas Igrejas do Apocalipse e na Grécia. Fernanda vende pouco menos de 500 pacotes por mês. A cada viagem que fecham para Israel, por exemplo, levam entre 30 e 40 pessoas. “Nós temos muita concorrência, por isso não chegamos a tantas pessoas”, diz. Um dos principais canais de venda está nas mãos dos líderes religiosos – que são atendidos com um carinho especial pela loja.

Anualmente, 20 pastores ganham a oportunidade de fazer o roteiro em Israel pela metade do preço. “Nós fazemos o preço de custo, conseguimos patrocínios para baratear o preço das viagens”, conta Fernanda.

Os pacotes variam de US$ 3,2 mil – nove dias em Israel – até US$ 5,4 mil, para o roteiro das Igrejas do Apocalipse. Todas as viagens são acompanhadas de um guia local e outro que sai do Brasil junto com o grupo, para evitar problemas com o idioma. Os roteiros incluem passagens por pontos turísticos, mas principalmente por lugares citados nos livros sagrados. “Você imagina a emoção de ir aos mesmos lugares que estão na Bíblia? É indescritível”, diz Fernanda.

Fernanda é da Assembleia de Deus. O dono da agência é judeu e também proprietário da Caminhos Sagrados, voltada para o público católico. “A gente sempre faz as viagens separados, eles têm muitas divergências”, diz Fernanda.

Sem misturar

A região central de São Paulo, ao menos para os negócios, é ecumênica. Quem desce a Conde de Sarzedas da rua Conselheiro Furtado na direção da baixada do Glicério, possivelmente não enxergará uma só loja com imagens de santos. São os cantores evangélicos que garantem o sucesso da barraca de Jarisson dos Santos Silva, que não é evangélico, mas vende CDs e DVDs piratas na “Rua dos Crentes”. “Não vendo nada de padre aqui, não. Não pode misturar, eles não gostam”, diz.

O maior sucesso são os discos de playback das músicas da cantora Aline Barros. “O pessoal quer cantar nas igrejas, então os playbacks acabam saindo bastante”, conta. O ambulante leva para casa pouco mais de R$ 60 por dia. “Dá para sobreviver”, fala.

Vestindo a camisa

Primeira dirigente da Igreja da Renovação Espiritual em Francisco Morato, Bete Vieira Rodrigues andava pela região à procura de um presente para uma aniversariante de sua comunidade.

Recém-mãe, a moça ganhará duas camisetas – uma simples, estampada, e uma outra branca cravejada de apliques metálicos com uma mensagem Cristã. “Eu gosto de vir aqui porque sempre tem muito mais opção de tudo”, diz. A filha, Aparecida Luciana da Silva, de 38 anos, faz companhia e divide os afazeres com a mãe, na função de secretária da igreja. “Aqui é tudo metade do preço”, comemora Luciana, que aproveitou a passagem pela galeria para comprar presentes para o cunhado e o seu pastor.

Foi a baiana Nara Keila Oliveira do Carmo, 35 anos, que atendeu a dupla. Ela trabalha há nove meses na Teddy Camisetas, também na Galeria Conde de Sarzedas. “Recebo muita gente aqui de fora de São Paulo que acaba comprando no atacado para vender nos seus Estados de origem”, conta. Frequentadora da Assembleia de Deus, Nara sempre esteve envolvida com o mercado gospel. Antes trabalhava no Recanto dos Evangélicos, a RDE, uma das lojas mais antigas do local.

Entre as camisetas, a maior loja da Conde de Sarzedas, é a Cia dos Séculos. Com modelos mais atrativos para a juventude, aproveita os trocadilhos com os temas jovens como o Facebook e até os rótulos do bourbon Jack Daniels, que há muito tempo já estampam camisetas do mundo do rock. “As vendas de 2013 as vendas foram bem melhores que as do ano anterior”, diz Karina Paz dos Santos, de 26 anos, que trabalha na loja há seis. Todas as camisetas custam R$ 20 no varejo e R$ 17,90 no atacado. “Vem muita gente de fora de São Paulo buscar, mas o melhor do movimento é sempre na sexta e no sábado”

Há 36 anos na região, a RDE é uma referência. Ana Lúcia de Carvalho, de 52 anos, é gerente da loja onde trabalha há 34 anos. “A gente não costuma contar quantas pessoas passam por aqui por dia, não. Tem dias que a gente da conta, mas tem dias que é muito mais corrido”, diz. Lá, os CDs de cantoras modernas como Bruna Karla fazem o maior sucesso. “Antigamente tinha bem menos diversidade que hoje, mas os clássicos ainda vendem muito”, conta a gerente da loja, que vende CDs de R$ 3 a R$ 19. Entre os clássicos, o preferido de Ana – e da maior parte dos clientes – é o cantor Ozéias de Paula. “Esse é o que mais vende entre os antigos.”

Textos sagrados

As bíblias e seus acessórios também chamam a atenção do público. Camila Causo, de 22 anos, é da Igreja Bíblica da Paz e há um ano e meio ajuda o pai na loja no Galeria Conde de Sarzedas. Entre os produtos mais vendidos da loja estão as capas para bíblias – em especial com as estampas “animal print”. “Essa de tigre faz o maior sucesso com as mulheres”, diz Camila.

Bárbara Ladeia

“Essa de tigre faz o maior sucesso com as mulheres”, diz Camila

Os livros administrativos também têm uma boa procura, especialmente para o público de fora de São Paulo, que também frequenta a região e faz compras por atacado. “Recebemos gente da Bahia, de Santa Catarina, do Rio de Janeiro, e de vários outros lugares.”

Camila afirma que agora, no segundo andar da galeria, já consegue faturar até R$ 8 mil reais. “Quando estávamos no terceiro andar, o movimento era muito fraco, não dava nem R$ 2 mil”, conta Camila. “Aqui é bem melhor, mas o aluguel também é mais caro, mas compensa.” O espaço onde a está a loja da família Causo custa R$ 2,5 mil ao mês – mais uma luva que, mesmo sendo ilegal, chega a R$ 40 mil.

Católicos fora do foco

Em Campo Grande (MS), o Judah Shopping Gospel vende produtos religiosos, mas o público evangélico é o que mais compra. Segundo Gerusa Maria de Oliveira, sócia-proprietária da loja, são cerca de 200 pessoas que vão pessoalmente às compras no local.

Apesar do nome, não se trata exatamente de um shopping, mas de uma única loja que vende todo o tipo de produto, como brinquedos. No entanto, Gerusa conta que as bíblias são as mais procuradas. “É de longe o produto mais vendido por aqui, seguido pelos CD”, afirma.

Desde que foi fundada, três anos atrás, a o fluxo de clientes quase triplicou. “Precisamos aumentar a quantidade de produtos e também foi necessário contratar funcionários”, explica Gerusa. Atualmente, trabalham cinco pessoas na loja – dois funcionários, Gerusa, o marido e mais um familiar que ajuda nas contas.

Não fosse pela Jornada Mundial da Juventude, que contou com a visita do Papa Francisco I no ano passado – e injetou R$ 1,2 bilhão na economia carioca –, o mercado de produtos católicos poderia ter tido um 2013 mais tímido. A Expo-Católica aproveitou a visita do líder religioso para impulsionar o número de visitantes. Foram seis dias de evento, com 500 mil pessoas. “Normalmente, recebemos umas 30 mil pessoas nos dias abertos ao público. Esse volume todo não vai voltar a acontecer”, diz Kiara Castro e Castro, da Promocat, que promove o evento.

Para Klara, o crescimento do mercado evangélico tem sido um fator de profissionalização também dos produtos católicos. “Agora que os padres e os músicos estão investindo em divulgação e no trabalho de marketing”, diz. A cura é tímida, mas de crescimento.

Bíblias em queda

Quem não tem muito o que comemorar são os fabricantes de bíblias. Segundo o maior fabricante do livro sagrado no País, a Sociedade Bíblica Brasileira (SBB), o número de unidades distribuídas em 2013 deve ser igual ao de 2012, de pouco mais de 7,4 milhões unidades – entre livros entre católicos, evangélicos e ortodoxos. No ano passado, o faturamento da empresa foi de R$ 88,8 milhões.

O secretário de Comunicação e Ação Social da Sociedade Bíblica Brasileira (SBB), Erní Seibert, estima que o País imprima hoje cerca de 12 milhões de bíblias por ano, considerando também a produção de outras editoras – o equivalente a um lvro a cada 2,.6 segundos.

No entanto, essas são apenas estimativas do executivo. Além de pouco profissionalizado, esse mercado não tem muito controle sobre o que é produzido e distribuído. “Eu tento fazer algum monitoramento, mas não adianta, essas empresas não têm esses números – e as que têm não divulgam”, afirma.

2014, será o ano do Cavalo no Horóscopo Chinês

De acordo com o calendário Chinês, em 31 de janeiro de 2014 terá início o ano do cavalo. A tradição chinesa diz que existem cinco elementos (Metal, Água, Madeira, Fogo e Terra) que se associam ao animal do ano, revezando-se, e 2014 será o ano do cavalo de madeira, que retorna depois de 60 anos. 

É um tempo de colheita (lembrando que colhemos aquilo que plantamos!), de renovação e de mudanças. Apreciador de novidades, o cavalo de madeira promete trazer um ano cheio de descobertas e invenções. O ano é oportuno para quem quer alcançar o sucesso e transformar a própria realidade superando questões de trabalho com determinação e coragem. Bom para quem quer abrir um negócio. O segredo é não ter medo de se arriscar e de lutar pelo que se deseja. A tendência é conseguir solucionar problemas com rapidez e eficiência.

O cavalo é um trabalhador incansável. Essa inquietude e a força desse movimento fará com que aqueles projetos engavetados há tempos saiam, enfim, do papel. Será um ano decisivo para quem estiver disposto a buscar o seu lugar ao sol e também para aqueles que procuram um bem maior: grandes causas são favorecidas com a força do cavalo. O senso de cooperação e a amizade são características do cavalo de madeira. As comunicações serão favorecidas e profissões que lidam com o público estarão em alta: comércio, atividades artísticas e intelectuais ficarão em evidência. 

No campo pessoal, será bom momento para assumir compromissos no amor, sendo muito favorável aos casamentos. As pessoas estarão mais românticas e carinhosas. Como a tendência é que as pessoas se sintam mais corajosas, não se espante se receber o tão sonhado pedido! Como é tempo de mudanças, trocar de casa ou de pele, se reinventar, vai valer a pena. Fuja do convencional. A hora da guinada é agora, não desperdice sua vida.

Como o cavalo é regido pelo elemento fogo, o ano será muito movimentado e até turbulento. Devido ao seu caráter impulsivo, o cavalo pode provocar desgastes políticos. Os anos do cavalo tem sido decisivos para o mundo: a Primeira Guerra Mundial (1918), a Grande Depressão (1930), a Segunda Guerra Mundial (1942) e a Revolução Cultural Chinesa (1966) aconteceram em anos regidos pelo cavalo. Apertem os cintos! 

No entanto a vivacidade, a disposição e a força do cavalo favorecerá o triunfo sobre possíveis adversidades. De espírito volátil, será um ano extenuante mas também gratificante. Lute pelos seus sonhos e siga os seus instintos!

Simbolismo do Cavalo no calendário chinês

O cavalo é um símbolo universal presente no inconsciente coletivo da humanidade e é conhecido por ser um grande aliado do ser humano, um trabalhador incansável, símbolo da força que quando bem direcionada pode nos levar muito longe.

No calendário chinês o cavalo é regido pelo elemento fogo e este por sua vez invoca sentimentos impulsivos, renovação, transformação. Todos devemos aproveitar a força deste ano para colocarmos em atividades projetos que estão parados, aquelas ideias que nunca saíram da gaveta, é o momento de utilizar a força do fogo para transformar intenções em atitudes e transformar algo do plano intelectual para o plano físico, momento de agir.

Curiosidades sobre o Ano do Cavalo

Como são 12 animais que representam o calendário chinês estes se revezam de 12 em 12 anos com uma particularidade que a cada ciclo eles mudam de acordo com os elementos naturais conforme explicado anteriormente. Os últimos anos do cavalo foram: 1918, 1930, 1942, 1954, 1966, 1978, 1990, 2002.

Para quem gosta de história podemos ver algumas particularidades nas datas que foram regidas pelo Cavalo, geralmente períodos de grandes transformações ocorridas no século passado, começando pela Primeira Guerra Mundial em 1918, a grande depressão americana e a queda da bolsa de 1930, o auge da Segunda Guerra Mundial em 1942, a própria China que em 1966 passou por sua Revolução Cultural lidera por Mao Tsé-Tung, a crise do petróleo em 1978, a Guerra do Golfo em 1990, o atentado ao WTC que foi em 2001 mas que repercutiu a guerra do Iraque e Afeganistão em meados de 2002.

Neste momento você deve estar se perguntando, então teremos algum grande evento mundial no ano de 2014, a resposta é que pode ser que sim, ou pelo menos algum tipo de movimentação política que possa desencadear algum grande evento muito em breve, então para você querido leitor que acompanhou este texto até aqui fique atento e comprove por você mesmo até onde a astrologia oriental ou ocidental é coincidência ou realmente influencia o mundo ao nosso redor.

Previsões para 2014

Conforme algumas dicas que já oferecemos o ano do cavalo que começará oficialmente no dia 31 de janeiro promete grandes transformações e mudanças mas não vamos pensar ou prever questões globais, vamos nos focar em você, no individuo e como a força do fogo característico do cavalo e da madeira que é o ciclo atual podem ser utilizados a seu favor.

Se você tem alguma grande ideia ou vontade de mudar algo em sua vida este é o momento certo, talvez a hora de iniciar um novo projeto, conseguir a independência financeira, iniciar um novo relacionamento, conseguir um novo emprego, dar uma guinada na carreira através de qualificação profissional ou até mesmo iniciar um ano sabático para refletir sobre o que você deseja para sua vida pessoal e profissional, enfim, se você tem planos ou ideias é hora de tirar do papel e executar amparado pela força do cavalo, pela transformação do fogo e pela maleabilidade da madeira.

A Mulher regida pelo signo do Cavalo

Se você nasceu em algum dos seguintes anos 1918, 1930, 1942, 1954, 1966, 1978, 1990, 2002 ou 2014 você é regida pelo signo do cavalo. A mulher deste signo tem a característica de ser muito atrativa, possui um certo magnetismo, uma força natural oferecida por seu signo regente.

Dona de muita saúde e vitalidade a mulher de Cavalo gosta muito de se cuidar, principalmente do corpo, gosta de malhar, ter uma aparência saudável o que melhora sua autoconfiança e principalmente sua agilidade física e mental.

Toda mulher regida pelo signo chinês do cavalo se faz notar por sua força interior, autoconfiança, aspecto físico e beleza, no meio de muitas outras se destaca e muitas vezes acaba sendo o centro das atenções. Sabendo utilizar esta força a seu favor poderá ser uma mulher de sucesso tanto no aspecto financeiro e pessoal.

O homem regido pelo signo do Cavalo

O homem nascido entre os anos 1918, 1930, 1942, 1954, 1966, 1978, 1990, 2002 ou 2014 é regido pelo signo do cavalo. O homem do signo de cavalo é distinto e expressa sua masculinidade em qualquer situação, não é o machão, é a figura mítica do sexo masculino em seu aspecto de força e virilidade que atrai as mulheres que vêem nele a figura do homem perfeito.

São grandes apreciadores das atividades físicas e é muito comum o homem de cavalo estar envolvido em serviços braçais ou atividades que exijam força física pois isso lhe atrai, faz com que esteja mais conectado ao seu ambiente natural, mesmo que trabalhe dentro de um escritório vai procurar algum hobbie onde possa exercer atividade física.

Para você que é regido pelo signo chinês do cavalo aproveite a força que o seu elemento fogo lhe proporciona para que neste ano em que seu signo estará em evidencia para colocar em atividades seus projetos e assim atingir seus objetivos na vida pessoal e profissional.

Gostos e principais características

Correspondência ao calendário ocidental: Gêmeos
Elemento: Fogo
Cor: Azul claro
Número da sorte: 45
Perfume: Jasmim
Pedra: Turquesa
Bebida ideal: Champanhe, espumantes em geral
Sabores: doces e salgados
Comida predileta: Frutos do mar
Metal: latão
Flor: Hibisco

Créditos: http://renatarose.com e http://www.esoterikha.com

Saiba qual será a sua cor pessoal para 2014, segundo a Numerologia

Veja como será o ano de 2014 para você segundo a numerologia e qual a cor a ser usada para atrair sorte ao longo do ano. Faça o cálculo a partir da fórmula: data de nascimento + mês de nascimento + 7 da (soma de 2014).

 Exemplo: Sandra nasceu em 9 de janeiro.
Fórmula: 9 + 1 + 7= 17 = 1+7 = 8

A numerologia utiliza números de 1 a 9, portanto se o resultado da fórmula for superior a 9, os dois algarismos devem ser somados, até que o resultado dê um número entre 1 e 9.

 Exemplo: Renata nasceu em 21 de Março.

Fórmula: 21 + 3 + 7= 31 = 3+1 = 4

  

Significado dos Números: 
Ano 1 – Plantando as sementes
Ano para dar início às coisas novas, e tudo o que você começar terá sucesso garantido. Mas faça uma boa avaliação dos fatos. Alcançara sucesso se for independente, criativo, seletivo e se usar sua intuição.
Use o Vermelho: é a cor da vitalidade, estimulante da sensualidade, das paixões. Ativa a circulação e o metabolismo e é também a cor das pessoas autoconfiantes, firmes, cheias de auto-estima e coragem.

Ano 2 – As sementes estão lançando raízes
Ano para ter paciência, para fazer amizades, freqüentar clubes. Não leve tudo pelo lado pessoal, nem faça tempestades em copo de água.
Use o Laranja: é cor da prosperidade, o estímulo às energias vitais do corpo. A cor ativa a digestão e a fertilidade, além de simbolizar a alegria de viver, a simpatia, a comunicação e o otimismo.

Ano 3 – Começam a aparecer os primeiros frutos. 
Ano social, saudável, com boas chances para o romance. Aproveite a vida e se divirta. Viaje. Seja visto e ouvido. Mas evite gastar muito dinheiro para não ter dificuldades no ano que vem.
Use o Amarelo é a cor símbolo da criatividade, pois estimula a capacidade mental. Também elimina as impurezas físicas e mentais. Por essas características é a cor do intelecto e do estudo.

Ano 4 – Trabalhe com afinco
Ano do trabalho, estruturação e limitações. Ano favorável para investir em imóveis, prosperar nos negócios e reformar a casa. Sucesso e felicidade virão com a autodisciplina. Não se descuide da saúde.
Use o Verde é a cor da esperança, o verde estimula e equilibra as emoções. É um ativador do poder de cura e do crescimento. Representa também o amor altruísta, a jovialidade e a regeneração.

Ano 5 – Tempo de germinar
Confie nas circunstâncias. O ritmo é acelerado e haverá mudanças súbitas de situação. Dificuldade de concentração. Explore coisas novas. Magnetismo pessoal em alta. O sucesso dependi da capacidade de adaptação.
Use o Azul é a cor da harmonia e o estímulo da compreensão. O azul neutraliza as energias negativas e diminui a ansiedade. Simboliza a confiança e o equilíbrio.

Ano 6 – O florescimento
Ano para aceitar responsabilidades e estabelecer acordos. Honre os compromissos. Seja útil aos que estão à sua volta. No entanto, não se intrometa nos assuntos alheios e não dê conselhos não solicitados. Sua felicidade neste ano depende da sua dedicação à família e à comunidade.
Use o Anil é a cor da sabedoria e que estimula as faculdades psíquicas. É um poderoso ativador da imaginação e intuição. É a representação da inspiração, concentração e discernimento.

Ano 7 – As plantas dão frutos
Ano para introspecção e atividades intelectuais. Resolva os conflitos emocionais. Afaste-se da superficialidade e da agitação. Evite a busca materialista, pois quanto menor a ambição, maior o ganho, e vice-versa. Não descuide da saúde. Não ligue para as decepções e evite mal-entendidos.
Use o Violeta poes representa a espiritualidade, a expansão da consciência. Sua ação purifica a aura e elimina as impurezas astrais. É a cor da intuição, devoção e contemplação.

Ano 8 – A hora da colheita
Ano dinâmico; o dinheiro talvez venha de uma fonte inesperada, mas também há despesas a considerar. Os negócios deverão prosperar. Melhora de condição financeira. Neste ano, lute pelo que acha que merece. Bom senso, ambição, eficiência é que lhe trarão sucesso e felicidade.
Use o Rosa é a cor que representa a emotividade, o amor e a fidelidade. Sua ação harmoniza a aura, equilibra o chakra cardíaco e elimina as impurezas do sangue.

Ano 9 – Tempo de regar a terra depois da colheita e de preparar um novo plantio. 
Ano de purificação, situado entre o fim de um ciclo e o inicio de outro. Acabe com relacionamentos desgastados, prepare o terreno para o novo. Não é um bom ano para começar coisas novas, mais favorece o aprendizado, o ensino. Conclua seus projetos. O sucesso vira com a solidariedade, o desapego emocional e o abandono de tudo o que já começa a sair da sua vida.
A cor é o Branco que representa a paz, a purificação, a calma e a virtude. É a união de todas as cores. Sua ação clareia os pensamentos e equilibra a mente.

Via http://www.paiogun.com/numerologia.htm

 

O que esperar de 2014? Ano regido por Xangô e Iansã

O novo ano se aproxima, vamos nos despedindo 2013, ano em que Saturno(Obaluayè) planeta regente de 2013, não foi muito condescendente, muitos sentiram sua força, foi para muitos um ano difícil, de dores, despedidas inesperadas, de fogo, de tragédias…mas também um ano em que as amizades verdadeiras, a união em grupos, nas famílias, fortaleceu-se as relações, mostrando-nos que sozinhos, tudo fica mais difícil, e que em união tudo fica mais forte!


Em breve 2014 se fará real, será um ano regido por Júpiter (Xangô), o planeta da prosperidade e da fartura, que chega nos trazendo um alento, um ano muito diferente com relação à energia anterior, nos trará reflexão e inspiração, inspirando-nos ao trabalho comunitário, uma maior dedicação na busca e compreensão da religiosidade, fortalecendo a nossa luta contra a intolerância religiosa favorecendo a mobilização das consciências.

 

Júpiter com seu brilho intenso trará mais luz a nossa busca por iluminação espiritual, mostrará os valores éticos, religiosos e intuitivos. A energia de Júpiter despertará a visão ampla, proporcionando mais prosperidade e cultura.

 

Se Saturno (Obaluayè) nos deixou um tanto “mexidos” talvez estressados, ou quem sabe até um pouco traumatizados, devido a sua forte Exigência…Júpiter trará uma energia mais suave para refazermos nossas forças, séria, justa, forte também, mas, mais leve, mais sutil!!!

 

No que se refere as orientações recebidas em nosso grupo, por nossos Guias e orientadores, os regentes do Ano de 2014, serão Xangô e Iansã, devido a regência do Planeta Júpiter, este planeta é dedicado a estes Orixás, Júpiter é o maior dos planetas em termos de dimensão, representa, de maneira unificada, as figuras É símbolo da grandeza de espírito, da sabedoria e generosidade, do sentido de justiça e da elevação espiritual.

 

Júpiter é representado por uma meia-lua crescente (símbolo da consciência da alma) unida a uma cruz (a matéria). É planeta de natureza masculina, positiva, regente de Sagitário e Peixes.

 

Teremos uma passagem por Oxossi, orixá da cura e conhecimento, que vem amenizando as vibrações às vezes exacerbadas de Xangô e Iansã, e Xapanã(*)(Obaluayè), regerá carmicamente em função de saturno permanecer ainda em escorpião, Um ano então, de Xangô e Iansã, com passagem por Oxossi e influencia de Xapanã (Obaluayè) e Oba – simbólicas do pai, do patriarca e do rei, ( Xangô é Rei).

 

De maneira geral, de ano sob estas influencias, devemos esperar um ano de transformações espirituais, estas energias trazem-nos uma predisposição para a busca de conhecimento, quem quer transformar a vida e elevar-se de alguma forma, este é o ano da busca interior e exterior. Todas estas influencias voltadas as filosofias e inteligência. Xangô rege o que justo, correto, as leis, e todo o movimento energético de Iansã, também indicam que uma revisão deve ser feita, é tempo de aprimoramentos, de busca pra melhorar o conhecimento, de estudar mais, ler mais, se enturmar com pessoas selecionadas e andar com vencedores.

 

Sob a influencia do orixá da Justiça, a ignorância, arrogância ,os preconceitos, e destempero só trarão prejuízos as pessoas. Aqueles que apenas querem se aproveitar, humilhar subjugar os mais fracos, ou os considerados “diferentes”, tendem a se dar mal nesse ano que é um ano de Xangô, ano de justiça.

 

As movimentações sociais, as minorias se levantando, se organizando é mais que esperado, porem a regência de Xangô, trará um comportamento social, mais equilibrado e inteligente, os protestos e manifestações, melhor organizados, mais bem direcionados, sem violência e com objetivos claros e não tão egoístas como estão acontecendo agora.

 

A promessa é de que 2014 seja um ano para expansão, crescimento, principalmente para o dialogo, sua vibração não é voltada apenas ao material, muito pelo contrário, o crescimento, o aprimoramento esta ligado ao SER de acordo com Norberto Peixoto (Triângulo da Fraternidade): 

 

É esperado “que Xangô propicie um melhor perceber-se e perceber o outro, melhorando o diálogo inter e intrarreligioso. É o ano de 2014 de muita mobilização na esfera de busca dos direitos e igualdade, notadamente contra a intolerância.

 

Passagens por Oxossi, isto ocorre em função de o dia da semana, Quarta feira, ser o dia destinado a Oxossi. Então, entrar o ano de verde em homenagem a este forte orixá do conhecimento, verdade e da cura, nos trará energias benfazejas! Podemos colocar um cristal de esmeralda, na mesa, junto a frutas e flores, acender uma vela verde para Oxossi, pedindo saúde para nossa família!!

 

Que venha 2014, que possamos agir com verdade, com firmeza de caráter, para que as Leis, as forças que nos acompanharão durante todo o ano, estejam a nosso Favor!!

 

Um desejo sincero, de paz profunda, união e verdade para todos nós!

 

Texto original compilado do blog:

Raios de Luz – Umbanda Esotérica.

(*)Nota: Xapanã é um Inkice, originalmente uma divindade da nação Angola, que aqui no RS é sincretizado com Obaluayè/Omulu, divindade nagô yorubana, por influência notadamente da nação Cambinda, que veio da África com o sincretismo de ambas as nações. Ocorre que o espaço territorial dos antigos “Cambindas” foi absorvido pelo império nagô que o conquistou em disputa territorial, daí advindo este “hibridismo”. Cabe a reflexão que, quando falamos em cultura africana, na verdade são diversas culturas que na diáspora  foram preservadas e hoje estão  imbricadas entre si, em muitos terreiros e notadamente no modo de ser do brasileiro e na cultura popular. Podemos concluir que, todo esforço que objetiva a “pureza” doutrinária, e a não mistura, é uma grande ilusão e perda de tempo.  Norberto Peixoto.  

 Via http://www.triangulodafraternidade.com/2013/11/orixas-regentes-de-2014-o-que-esperar.html

Xangô e Iansã serão os orixás regentes de 2014

De acordo com o jogo de búzios e os estudos realizados por mim,Edinho D´Ogun, o ano de 2014 será regido por Xangô e Iansã. Se observarmos na astrologia Júpiter é o planeta regente do ano novo, que corresponde à Xangô. Primeiro de janeiro de 2014 cai numa quarta-feira de Lua Nova, dia consagrado aos mesmo Orixás para não ter dúvida que é o casal do dendê que vai reger o nosso próximo ano.

Xangô é um Orixá forte, inteligente e criativo. As pessoas que tem sua proteção podem se considera vencedoras. Costumam tomar decisões certeiras graças à audacia e à justiça que possuem. Gostam de receber elogios pelas coisas que fazem. Xangô também é considerado o Orixá do fogo, já que é poderoso, autoritário e inspira respeito por aonde passa. Extremamente sensual, ele teve três esposas: Iansã, Oxum e Obá. Como nunca se sentia derrotado, toda sua conquista era realizada de peito aberto. Seu senso de justiça é representado pelo raio e pelo trovão. Embora passe uma imagem repressiva, Xangô sempre soube separar o bem do mal. A mentira e a falsidade são coisas que seus filhos não admitem. Mesmo autoritários e dominadores, sabem muito bem separar o certo do errado e adoram curtir prazeres que a vida oferece. Diante de qualquer problema, às vezes chegam a criar inimizades pela maneira franca de dizer tudo o que pensam. Mas mesmo assim, são adorados pela maioria das pessoas.

Dia da Semana:
 Quarta-feira

Saudação: Kaô Kabiesilê

Cores: Vermelho e branco

Símbolo: Oxé ( machado de duas laminas )

Alimento Principal: Amalá

Iansã é a Deusa dos ventos e das tempestades, este Orixá oferece muito otimismo e ainda auxilio nas grandes paixões. Possui um espírito aventureiro como nenhum outro e ama a liberdade acima de qualquer coisa. É alegre e esta sempre de bem com a vida. Considerada a mãe da ventania e dos trovões, Iansã impressiona pela sua independência. Quando os Orixás se apresentam nas cerimônias, a primeira entidade feminina a surgir é Iansã. Sua imagem está ligada à uma mulher guerreira, que defende tudo com unhas e dentes, mas o amor e a alegria que ela espalha em todos os momentos são também grande características sua. A rainha dos ventos, dos raios e das tempestades tem um temperamento apaixonado, dominador e corajoso. Essa sua força pode ser mal-interpretada e passa a imgem de autoritarismo. Seus filhos podem se mostrar pessoas mal-humoradas e extremamente geniosas. São capazes de mudar suas vidas em nome de um grande amor ou de um ideal. Extrovertidas e leais, elas geralmente nao consegume esconder suas alegrias e tristezas.

Dia da Semana: Quarta-feira

Saudação: Epahei!

Cores: Marrom-abermelhado

Símbolo: Chifre de búfalo, Alfanje, Adaga, Eruesin (confeccionado com pelos de rabo de cavalo)

Alimento Principal:
 
Acarajé

O que esperar de 2014?

De acordo com os Orixás a política vai passar por uma grande reforma e acerto de contas, para no final de 2014 entrar nos eixos. Xangô vem para fazer a justiça ser cumprida, valer a pena, e nada irá passar despercebido de seus olhos, por tanto quem realmente quiser viver bem 2014 terá que andar na linha, isso mesmo, cumprir com suas obrigações e deveres, procurar o máximo possível em agir corretamente para não ter problemas no final e nada de fazer as coisas sem pensar e sim fazê-la com os pés no chão para não sofrer as conseqüências, as pessoas estarão bem mais vivas e atentas do que o normal e qualquer falha ou erro, por mais bobo que seja será motivo de briga e desentendimento.

No ano de Iansã as pessoas estarão mais propensas a se libertar dos preconceitos e velhos hábitos. Existirá um índice maior de separação afetiva por traição do que o normal, será muito comum ver as pessoas trocando de parceiros, vão estar mais preocupadas em se fazerem felizes do que dar ouvidos no que os outros vão falar. Será muito comum ver as pessoas mais independentes, felizes, lutando por seus ideais.

 

Cores e dicas dos Orixás para 2014:

Xangô: Para ter a proteção desse Orixá na virada do ano use uma peça de roupa na cor vermelha, que também poderá ser mesclado com o branco.
Iansã: Tons de rosa ou laranja na roupa seria o ideal para obter sua proteção. Mulheres poderão usar jóias e acessórios que contém o cobre e pedras preciosas: (quartzo rosa, coral ou olho de tigre).

Alcance seus objetos com ajuda de Xangô em 2014:

Material:

6 cocadas
6 paçocas
12 quiabos
1 vela branca
1 prato

Escreva num papel branco os pedidos que deseja alcançar em 2014, coloque no centro do prato, em volta os doces intercalado com os quiabos, arrume tudo com cuidado e ofereça ao Orixá Xangô com uma vela branca acesa no centro, em sua casa, depois que a vela terminar de queimar entregue na natureza, de baixo de uma árvore frondosa ou numa pedreira.

Fique atraente e sedutor(a) com ajude de Iansã:

Ingredientes:

1 pacote pequeno de aniz estrelado (reduzir a pó)
1 pacote pequeno de canela em pó
1 pacote pequeno de cravo da índia (reduzir a pó)
250 gramas de açúcar mascavo.
2 quartzo rosa

Misture todos os ingredientes e reserve dentro de um vidro com tampa mas os quartzo rosa. Para fazer o banho de Iansã se utiliza uma colher da mistura para um litro de água morna, não precisa ferver, o banho é feito do pescoço para baixo, de preferência nas partes íntimas e erógena. O banho pode ser feito três vezes durante a semana, procure deixar aceso no banheiro uma vela vermelha ao Orixá, depois pode apagá-la e repetir todas as vezes que for refazer. Esse banho também é ideal para casais que querem esquentar a relação que anda fria.

 

 

Banho de Limpeza Espiritual com Iemanjá:

Com um saquinho de um kilo de arroz, quem tiver oportunidade de estar na beira da praia, ou em contato com a natureza, onde se tenha água, seja ela do mar ou não, deve-se ficar descalço e colocar os pés na água, pegue o arroz e vá despejando aos poucos em sua cabeça, pedindo para Iemanjá que limpe seu corpo físico, emocional, mental, de toda canseira acumulada no ano, que leve para o fundo do mar toda carga negativa que possa estar atrapalhando ou incomodando. Peça para Iemanjá que lhe dê cabeça para resolver seus problemas, paz de espírito e proteção para seus caminhos. Esse banho pode ser feito a qualquer hora e dia da semana, final de ano ou começo de ano.

 

Símbolo OM XANGÔProteção e pedidos de Justiça.

Símbolo do Orixá Xangô, o grande guerreiro que procura sustentar a paz e a justiça na terra. Ligado ao poder do Conselho dos Orixás, insere nas situações e nas invocações a capacidade de transmutação das forças negativas. Com OM XANGÔ podemos afastar fluídos negativos de diversas origens e parâmetros temporais, como também efetuar o ancoramento de todas as falanges que atuam diretamente em subordinação à esse Orixá.
É um poderoso símbolo de poder e ponto riscado para pedidos de justiça, limpeza espirituais, quebra de fluidos e magias.
Para utilizá-lo você deve imprimir o símbolo numa folha de papel sulfite, em tamanho grande, coloque-o sobre ele no centro uma foto, nome completo seu ou de quem deseja trabalhar e arrie no chão, ascenda uma vela no meio e faça seus pedidos ao Orixá, ao terminar descarte tudo. Esse trabalho tem efeito muito rápido, quase que instantâneo, promovendo uma sensação de paz e equilíbrio interno.

 (EDINHO D´OGUN – CONSULTOR ESOTÉRICO, via http://www.paiogun.com)

Imagem da Virgem Maria defecando provoca indignação na Espanha

Virgem Negra de Monserrat retratada como ‘caganer’, em foto de 15 de novembro (Foto: Lluís Gene/AFP)

Uma figura de Nossa Senhora defecando está provocando protestos de católicos na Espanha.

A região da Catalunha tem uma tradição de produzir estatuetas defecando, os chamados “caganers”. As figuras de cerâmica são vendidas desde o século XVIII, para serem colocadas nos presépios na época do Natal.

Inicialmente, elas retratavam agricultores, mas nos últimos tempos passaram a representar celebridades, inclusive brasileiras, como Neymar e a presidente Dilma Rousseff. Acredita-se que elas atraem boa sorte para a colheita e em geral.

Mas, neste ano, alguns católicos se sentiram ultrajados quando a Virgem Negra de Monserrat, uma representação de Maria com o Menino Jesus, foi retratada como “caganer”.

A estátua original da Madona fica na abadia de Santa Maria de Montserrat, próximo a Barcelona. Um dos ícones religiosos mais famosos da Catalunha, ela é conhecida popularmente como “La Morenita”, por conta de sua cor.

“Usar a imagem da Virgem de Montserrat para este boneco grotesco nos parece um sinal de insensibilidade e falta de respeito a muitas pessoas que podem sentir que sua crença está sendo ferida”, disse o prior da abadia, Ignassi Fossas.

Uma organização católica, os “e-Cristianos”, disse à France Presse que planeja processar os fabricantes por “atacar o respeito e a dignidade de símbolos religiosos”.

A empresa disse que não teve intenção de ofender ninguém. “Fizemos com boas intenções e afeição pela personagem, que é tão catalã”, disse Marc Alos, da empresa familiar Alos y Pla, que faz os caganers.

(AFP)

“Discutir África não é coisa fácil nas escolas”, diz professora da UERJ

Da BBC

 

Ensino da cultura negra ainda sofre resistência nas escolas

 

Maurício Moraes

 

Da BBC Brasil em São Paulo

 

Atualizado em  20 de novembro, 2013 – 06:52 (Brasília) 08:52 GMT

 

Embora metade da população brasileira se identifique como preta ou parda, a história das raízes africanas do Brasil ainda é tema pouco tratado nas salas de aula. Promulgada há dez anos, a lei 10.639, que determina o ensino da cultura afro-brasileira, esbarra na falta de capacitação dos professores e até no racismo velado que permeia a sociedade, segundo apurou a reportagem da BBC Brasil. Mas há avanços.

 

Hoje com 19 anos, Michael Sodré é mais um estudante tenso com as provas do vestibular. Nos primeiros anos do colégio, no entanto, o motivo de tensão era outro. Único garoto negro em sua sala de aula, em um famoso colégio de elite na zona sul do Rio de Janeiro, o menino era alvo frequente de bullying por parte dos colegas.

 

“Chamavam ele de Bombril por causa do cabelo”, disse a mãe adotiva, Celina Sodré. Em uma conversa dura com a coordenadora da escola, o diálogo acabou em uma recomendação insólita:

 

“Ela simplesmente me disse que a solução do problema era que meu filho fosse estudar na escola pública, porque ai ele saberia onde era o seu lugar”.

 

Cenas de bullying por parte dos colegas e racismo por parte do próprio sistema se reproduzem em escolas de todo o Brasil. Mais de um século após o fim da escravidão, o país que mais recebeu trabalhadores negros ainda trata esses cidadãos como se fossem subalternos, segundo especialistas ouvidos pela reportagem.

 

A lei 10.639, promulgada em 2003, foi criada justamente com o intuito de valorizar as raízes africanas do país e superar o racismo.

 

“É preciso superar a visão do negro apenas como escravo. É assim que ele geralmente aparece nos livros escolares”, conta Rafael Ferreira da Silva, Coordenador do Núcleo de Educação Étnico-Racial da Secretaria Municipal de Educação de São Paulo.

 

A prefeitura paulistana fez neste ano um levantamento inédito na rede de ensino da cidade para ver o alcance da aplicação da lei.

 

“O levantamento mostrou que há avanços. Mais da metade das escolas trabalham o tema. Mas na maior parte dos casos, é geralmente iniciativa isolada de um professor que gosta do tema. E também há o problema da descontinuidade. Se o professor deixa a escola, muitas vezes o assunto deixa de ser abordado”, disse.

 

Mitos aceitos e mitos ocultos

 

“Discutir África não é coisa fácil nas escolas”, diz Stela Guedes Caputo, pesquisadora do tema e professora na UERJ (Universidade Estadual do Rio de Janeiro).

 

Além dos casos concretos de preconceito registrados em sala de aula, ela diz que quando a lei é cumprida, há casos em que “pais se reúnem com os filhos e vão à escola questionar e criticar professores que querem discutir a história da África”.

 

Stela também questiona a ausência de elementos de origem afro nos livros escolares. A questão se torna especialmente delicada quando se tratam de personagens ligados às religiões afro-brasileiras.

Nesse caso, a ocultação desse capítulo da cultura nacional não é apenas prerrogativa das escolas. Em muitos casos, as próprias crianças escondem a religiosidade para não sofrerem preconceito por parte dos colegas.

 

“Os mitos que as crianças aprendem nos terreiros de candomblé não são aceitos na escola, os itans (os mitos da cultura iorubá), as histórias africanas que conhecem, são das mais belas criações literárias humanas e elas precisam escondê-las. Seu conhecimento é negado. Porque na escola é tão comum mitos gregos, romanos e outros, e mitos africanos são demonizados?”, questiona.

 

Avanço

 

Editais do MEC exigem que livros didáticos tenham conteúdo sobre a história afro-brasileira

Professora de formação, Macaé Maria Evaristo do Santos conta que há mais de dez anos, quando ainda dava aula em um colégio de Belo Horizonte (MG), a visiblidade da cultura afro-brasileira era bem menor.

“Uma vez cheguei em uma sala do Ensino Médio e perguntei aos alunos quantos haviam lido um livro com personagens negros. Alguns levantaram a mão. Depois de mais de dez anos de escolaridade, eles citaram a Tia Nastácia, o Saci Pererê, o Negrinho do Pastoreio… Nem Zumbi dos Palmares fazia parte do repertório”, conta.

 

Macaé hoje é Secretária de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão do Ministério da Educação (MEC). Uma década após a promulgação da lei, ela ainda vê desafios, mas comemora os resultados.

 

“Essa é uma temática que vai ganhando relevância. Antes só se falava nisso no Dia da Consciência Negra. Aos poucos vai se integrando no projeto pedagógico das escolas”, diz.

A secretária conta que em 2012, o curso mais solicitado pelos diretores de escolas do país na Rede Nacional de Formação Continuada do MEC foi justamente o que capacita professores para o ensino de cultura afro-brasileira.

 

Na última década, os editais para o desenvolvimento de livros didáticos financiados pelo MEC também exigem esse conteúdo.

Viçosa do Ceará tem novo ponto de devoção romeira

Viçosa do Ceará Romeiros de diversas regiões do Brasil passam por este município nos próximos dias 1 e 2 de novembro para visitar a Cruz do Finado Cesário. O local virou roteiro para turismo religioso devido ao grande número de depoimentos de graças e favores alcançados em nome do jovem de 17 anos, Cesário Luiz dos Santos. Em 1925, acusado de um crime que não cometeu, ele foi barbaramente assassinado. Desde então, após a injustiça, seu nome vem sendo relacionado a possíveis curas e graças alcançadas. A romaria em sua devoção chega a mobilizar cerca de cinco mil pessoas em datas como o Dia de Finados, no sábado.

Na localidade de Lagoa do Carnaubal, zona rural do município, foi erguida uma capela no túmulo onde o jovem Cesário foi sepultado pela primeira vez. Todo ano há missa no Dia de Finados FOTO: JÉSSYCA RODRIGUES

A devoção despertou o interesse de estudantes de Arquitetura da Universidade Federal do Ceará (UFC). No próximo sábado, eles estarão apresentando aos romeiros e à população um projeto base para a implantação de um Centro de Romaria no lugar onde já se encontra a uma cruz e uma capela, na localidade de Lagoa do Carnaubal, zona rural do município. Foi lá onde, Cesário Luiz foi assassinado.

Anualmente, a população se reúne em procissão à localidade, numa caminhada de 9km, da Vila Padre Vieira até o local considerado sagrado. São comuns depoimentos emocionados de pessoas que tiveram atendidos seus pedidos, alcançando curas, realizando conquistas materiais e profissionais.

No local são expostos ex-votos, peças de madeira simbolizando as partes do corpo humanas saradas por força dos possíveis milagres alcançados em nome do finado Cesário.

Fotos de desejos realizados e manifestações escritas pelos romeiros certificando as graças alcançadas podem ser vistas dentro da capela erguida no túmulo onde foi sepultado, pela primeira vez, o jovem.

O agricultor Antônio Passos de Araújo é responsável por repassar a história de Cesário, considerado mártir pela maneira como morreu. Seu Antônio, como é conhecido pelos romeiros, conversou com um dos moradores que presenciou o fato na época e é responsável hoje pela manutenção do lugar, bem como pela transmissão da história oral.

Ele conta que a maior parte dos romeiros vem de outros Estados, principalmente Piauí, mas que chegam pessoas até do Estado do Amazonas. “A maioria é dona de casa, agricultor, comerciantes. Eles passam por aqui no caminho para outras peregrinações, como Canindé´”.

As dificuldades para chegar até o local são muitas, motivo apontado por Antônio para o número de romeiros não ser ainda maior. Mas essas dificuldades estão sendo estudadas e o primeiro passo já foi dado. Numa parceria do município com a Secretaria de Infraestrutura do Estado (Seinfra), já está sendo feita a instalação de luz elétrica por todo o caminho.

A estrada ainda não é asfaltada e falta água encanada. Nas proximidades da capela, onde é rezada a missa anual, não há estrutura para alimentação ou hospedagem. Esses são alguns dos pontos que estarão sendo cobertos pelo projeto da UFC, que visa a implantação de um Centro de Romaria com um redário, estabelecimentos que ofereçam alimentação e a melhoria da infraestrutura.

O professor coordenador do projeto, Marcondes Araújo, explica que a universidade já possui um bom contato com a Prefeitura. “O local apresenta uma precariedade estrutural muito grande para a recepção dos romeiros, o projeto é montar ali um espaço para fé, onde se possa ser realizada uma missa campal, um memorial, um local para guardar ex-votos e até um redário”, disse. A aluna Marilia Aguiar é umas das 30 universitárias que trabalham no projeto.

Ela destaca que na apresentação no sábado haverá uma conversa com a população e os visitantes. “Vamos apresentar a base do projeto e ter esse diálogo a fim de identificar quais as necessidades particulares de cada um dos públicos”.

O vereador José Nivaldo Soares explica que esse projeto é um grande avanço para a comunidade, que já recebeu inclusive o Sebrae para conversar sobre empreendedorismo. “Trouxemos um técnico do Sebrae aqui que esteve em contato com a comunidade para apresentar as diversas oportunidades comerciais, como lanchonete e estabelecimentos para vender artesanato”´.

Mais informações:
Prefeitura Municipal de Viçosa do Ceará, Pça. Clóvis Beviláqua

Telefone: (88) 3632.1144
Faculdade de Arquitetura UFC Fortaleza – (85) 3366.7300 

JESSYCA RODRIGUES
COLABORADORA

Fique por dentro

Fiéis atribuem poder de cura ao jovem

No ano de 1925 foi assassinado o jovem Cesário Luiz dos Santos, acusado de engravidar a filha de seu patrão. Os irmãos da moça perseguiram Cesário após ele se recusar a casar, amarrando-o em um jumento e fazendo com que fosse arrastado até próximo ao local de sua morte. Depois de arrastado e machucado, Cesário foi obrigado a subir um alto, onde por fim o atiraram e o mataram, jogando seu corpo em uma pequena caverna de 30 pés de profundidade. Ele foi encontrado dois dias depois em uma posição como se estivesse sentado. Com a crendice que sua alma era milagrosa, muitas pessoas passaram a visitar o local de sua morte, deixando donativos. Por não haver nenhuma segurança, os objetos eram roubados. O morador Manoel José da Silva tomou a iniciativa de construir a capela de São Francisco. Ele pediu licença para tirar os restos mortais do finado Cesário, sepultando em um canto da capela. Desde então, missa anual é celebrada no local de devoção.

(Diário do Nordeste) 

 

Igreja Mundial pede que fiéis finjam que foram curados

Uma carta da Igreja Mundial pede a fiéis que, em testemunhos nos programas da TV da igreja e em viagens a templos, finjam que foram curados de doenças e que são ex-drogados ou ex-aleijados, de modo que assim incentivem o aumento das contribuições, o suficiente para ajudar na compra do canal 32, da MTV. A Editora Abril estaria vendendo a emissora por R$ 500 milhões.

O colunista Daniel de Castro, do Uolinformou que várias cópias da carta foram encontradas em uma sala do templo da Mundial da Avenida João Dias, na zona sul de São Paulo. Nela, há um espaço em branco para que o fiel coloque o seu nome [ver reprodução abaixo].

A carta diz que se trata de um pedido “feito diretamente pelo apóstolo Valdemiro Santiago” (foto) e que haverá uma “ajuda de custo” no caso de viagem. Acrescenta que quem não puder colaborar deve destruir o impresso, sem falar dele para ninguém.

A Mundial foi questionada pelo portal Uol, e o bispo Jorge Pinheiro, da direção da igreja, apenas respondeu que “a informação não procede”, deixando de explicar, portanto, a origem das cópias da carta encontradas no templo.

A Mundial está sob forte crise financeira em decorrência, entre outros motivos, de desvio do dízimo por parte de alguns de seus próprios pastores. Um deles seria Josevaldo, que até recentemente era o segundo na hierarquia da denominação. Ele cuidava das finanças e da administração da Mundial. Valdemiro o transferiu para bem longe, Portugal.

De acordo com um porta-voz da Igreja que falou à Istoé, o que houve é que uma “quadrilha de pastores ladrões se infiltrou na Igreja” e que Josevaldo nada tem a ver com isso. Contudo, o ex-segundo da Igreja tem se mantido calado, longe de jornalistas, apesar das insinuações publicadas na imprensa e internet que envolvem o seu nome.

No caso da carta que pede a fiéis que enganem telespectadores, com relatos de curas milagrosas, trata-se de um crime que deveria ser apurado pelo Ministério Público.

Íntegra da carta

Paulopes, com UOL

Peregrinação dos muçulmanos a Meca é afetada por medo do coronavírus

Muçulmanos rezam neste domingo na Grande Mesquita de Meca, na Arábia Saudita. REUTERS/Ibraheem Abu Mustafa

Quase 2 milhões de peregrinos muçulmanos, um terço a menos que no ano passado, iniciaram hoje a primeira fase da peregrinação anual a Meca, na Arábia Saudita. O rito marca o início do feriado religioso conhecido como ‘hajj’, considerado um dos cinco pilares da religião islâmica. Este ano a peregrinação é cercada de medidas sanitárias, devido à epidemia do coronavírus, uma síndrome respiratória que já matou 51 pessoas na Arábia Saudita.

As autoridades sauditas reduziram em 20% a participação dos fiéis estrangeiros, para evitar que eles se contaminem com o coronavírus e transportem a doença a seus países de origem. Alegando obras de ampliação do santuário, o governo também restringiu o número de fiéis sauditas.

A epidemia do novo coronavírus Mers (sigla para Síndrome Respiratória Coronavírus do Oriente Médio) já matou 60 pessoas no mundo, a maioria no território saudita. O ministro da Saúde Abdala al Rabia declarou que nenhum caso da doença foi constatado entre os participantes.

Os peregrinos começaram a se reunir neste domingo no vale de Mina, nos arredores de Meca. A peregrinação é uma obrigação para todos os muçulmanos pelo menos uma vez na vida, caso sejam capazes de fazê-la. Eles chegam a Mina de carro, de trem ou a pé. Seguindo a tradição, os homens usam amplas túnicas brancas e as mulheres vão cobertas da cabeça aos pés, à exceção do rosto e das mãos.

Nas 45 mil tendas instaladas no vale de Mina, os peregrinos rezam e descansam antes de se reunir nesta segunda-feira no monte Arafat, perto da Grande Mesquita de Meca, ponto alto da peregrinação.

Devido à tensão no Oriente Médio, provocada pela guerra civil na Síria, as autoridades sauditas reforçaram a segurança da festa religiosa e advertiram que não vão tolerar uma instrumentalização política da peregrinação. Mais de 100 mil soldados e policiais estão a postos para garantir a segurança dos fiéis. A Arábia Saudita fornece armas para os rebeldes que lutam para derrubar o regime de Bashar al-Assad.

A peregrinação termina no dia 18 de outubro.

Via http://www.portugues.rfi.fr/mundo/20131013-peregrinacao-dos-muculmanos-meca-e-afetada-por-epidemia-do-coronavirus

“Meu avô teria me fuzilado”: a incrível história da neta negra de um carrasco nazista

Jennifer Teege

“Muita gente não consegue acreditar que essa história não é ficção”, comenta Jennifer Teege. Parece, de fato, um tanto absurdo uma mulher de pele escura, de 40 e poucos anos, contar que descobriu que seu avô era um notório criminoso nazista. Trata-se de Amon Leopold Göth, ex-comandante do campo de concentração de Plaszów, nas cercanias da Cracóvia.

O nome é conhecido até hoje. O filme A lista de Schindler, de 1993, narra a história de dois homens: enquanto Amon Göth mata judeus no campo de concentração, Oskar Schindler salva centenas deles, ao recrutá-los para trabalhar em sua fábrica, livrando-os, assim, do campo de extermínio.

Schindler foi honrado em Israel como “Justo entre as Nações”; Göth foi enforcado como criminoso de guerra na Polônia, em 1946. Um alemão e um austríaco, ambos nascidos em 1908: num deles a guerra enfatizou o lado bom; no outro, o mau.

Uma cena do filme de Steven Spielberg, em especial, fica marcada na memória: a partir da varanda de sua casa em Plaszów, Göth dispara contra os presos do campo. Sem mais nem menos. Ainda em vida, esse homem era considerado a acepção do assassino nazista sádico.

Jennifer, neta de Göth, registrou a saga de suas origens no livro Amon. Mein Grossvater hätte mich erschossen (“Meu avô teria me fuzilado”, em tradução livre), recém-lançado na Alemanha.

Choque de identidade

O pai dela é nigeriano e a mãe, alemã. Jennifer foi criada por uma família adotiva. Ela sabe bem o que acontece quando uma pessoa chama a atenção por ser diferente. “Já quando eu era criança havia comentários, também sobre a cor da minha pele, e na época isso mexia comigo”, relata à DW.

Ela estudou em Israel, onde também conheceu muitos sobreviventes do Holocausto. Lia para eles em alemão, e ficava feliz por, mesmo assim, nunca ser percebida como alemã. Ninguém poderia ter imaginado em Israel que justamente essa mulher de pele escura fosse descendente direta de um criminoso nazista.

Durante muito tempo, a própria Jennifer nada sabia de seu histórico familiar. Ela fora entregue ainda pequena à família de criação. No começo, sua mãe natural e a avó ainda a visitavam, depois o contato foi suspenso.

Somente aos 38 anos ela encontrou, por acaso, um livro onde reconheceu sua mãe. O tema era Amon Göth, capitão da SS e comandante de campo de concentração, e sua filha Monika – a mãe natural de Jennifer.

Culpa de geração para geração

Nesse ponto começa o livro escrito por ela juntamente com a jornalista Nikola Sellmair. Com o drástico título, a obra é o relato íntimo da busca de Jennifer por uma identidade, e fala do silêncio do pós-Guerra, cujos efeitos se estendem até hoje.

“Assumam o passado de vocês!”, exigiram as gerações mais jovens aos que haviam vivenciado ativamente o nacional-socialismo. “O que o próprio avô fez, muitos não sabem”, aponta a jornalista, que no livro situa historicamente a trajetória individual de Jeniffer. “Muitos filhos de nacional-socialistas de destaque oscilam entre a glorificação dos pais e o ódio ilimitado aos seus genitores.”

O filho de Rudolf Hess, vice de Adolf Hitler, passou a vida tentando reabilitar o pai. A sobrinha-neta do comandante supremo da força áerea nazista, Hermann Göring, preferiu esterilizar-se – “para não gerar mais um monstro desses”, como afirmou.

Monika Göth, a mãe de Jennifer, deu uma série de entrevistas sobre seu pai, onde oscilava entre o ódio a ele a justificação de seus atos. “Os filhos ainda processavam, elaboravam os crimes de seus pais. Já os netos reavaliam os comprometimentos de suas famílias”, analisa Nikola Sellmair.

Esse processo mantém os descendentes orbitando em torno da culpa de suas famílias; somente ao reavaliar o passado, os netos encontram o caminho para se libertar dele.

Vítima do silêncio

“É bem fácil se distanciar de Amon Göth, um símbolo tão forte do mal, e dizer: eu sou diferente”, admite Jennifer. “Mas existem nuances, o ser humano não é ‘bom’ ou ‘mau’.” Ela considera essa distinção importante, justamente para evitar a demonização. Pois, afinal, foi precisamente isso o que nutriu o nazismo.

Jennifer Teege assume a própria história familiar, olha as fotografias da avó – que passava temporadas com Amon Göth em sua casa no campo de concentração –; viaja para a Cracóvia, local dos crimes de seu antepassado; encontra-se com testemunhas da época; lê tudo o que lhe caia nas mãos a respeito do passado nazista; conversa com psicólogos.

“As pessoas pensam que aquilo sobre que não se fala não tem consequências. Mas, no meu caso, o silêncio teve um efeito destrutivo”, resume. Durante toda a vida, ela teve surtos de depressão, e hoje se sente bem. “A origem é fundamental para a própria identidade”, conclui.

Até o momento, a história familiar alemã esteve em primeiro plano para Jennifer. Mas, no futuro, ela pretende também conhecer a África. E viajar para a Nigéria, a pátria de seu pai natural.

Publicado originalmente na DW Brasil.

Irmã Teresa Forcades: Freira mais radical do mundo sacode a Espanha

O mosteiro de St. Benet está entre os mais belos e tranquilos lugares. Para chegar lá, você precisa rumar pelas paisagens lindas da montanha sagrada de Montserrat.

A irmã Teresa Forcades, estrela improvável de programas de entrevistas, do Twitter e do Facebook, tem tido dificuldade em parar de pregar. Tão grande é a demanda por seu tempo e sua bênção que o email de seu secretário aqui no mosteiro sempre retorna uma resposta automática de que a caixa de entrada está cheia.

Irmã Teresa parece sempre estar em pelo menos dois lugares ao mesmo tempo. Ela tem os olhos brilhantes, é confiante, quase alegre. Sua inglês perfeito – aprimorado nos anos que estudou na Universidade de Harvard – parece de alguma forma fora de lugar nos claustros humildes deste local sereno.

Não há nenhum político parecido com ela. Ela nunca está sem o hábito de freira e diz que tudo que faz vem de uma profunda fé cristã e devoção. No entanto, tem sido crítica da Igreja e dos homens que a dirigem.

Os seguidores de seu movimento, Proces Constituint, com aproximadamente 50 mil catalães, são principalmente esquerdistas não-crentes. Ela não quer um cargo e diz que não vai criar um partido político, mas é inegavelmente uma figura política em uma missão – derrubar o capitalismo internacional e alterar o mapa de Espanha.

Seu programa de 10 pontos, elaborado com o economista Arcadi Oliveres, pede:

• A estatização de todos os bancos e medidas para coibir a especulação financeira

• O fim de cortes de empregos, salários mais justos e pensões, menos horas de trabalho e pagamentos para os pais que ficam em casa

• Uma “democracia participativa” genuína e medidas para coibir a corrupção política

• Habitação decente para todos e um fim a todas as execuções de hipotecas

• A reversão de cortes de gastos públicos e renacionalização de todos os serviços públicos

• Direito de um indivíduo ser dono de seu próprio corpo, incluindo o direito da mulher de decidir sobre o aborto

• Políticas econômicas “verdes” e a nacionalização das empresas de energia

• O fim da xenofobia e a revogação das leis de imigração

• Meios de comunicação públicos sob controle democrático, incluindo a internet

• “Solidariedade” internacional, sair da Otan e a abolição das forças armadas em uma futura Catalunha livre

Com um talento natural para falar em público, e mente afiada de uma militante, ela não teria superado a vida monástica? Suas irmãs não estariam cansadas das visitas constantes, eu me pergunto?

Ela interrompe a nossa primeira entrevista para cumprimentar uma delegação de ativistas pela independência da Catalunha, que vieram prestar homenagem ao mosteiro. Enquanto espero, as irmãs que param para conversar não têm dúvida de que o seu talento e sua fama são “dons de Deus” e que ela está abrindo caminho para um futuro mais jovem e mais feminista para a Igreja Católica.

Elas são apenas três dezenas de mulheres que vivem uma vida tranqüila de oração, mas esta é a base do poder político da Irmã Teresa. Ela é a embaixatriz delas para o mundo secular, e muitas vezes turbulento, para além da montanha. Diferentemente da maioria dos partidos políticos, movidos pela rivalidade, o círculo íntimo de Irmã Teresa a ama incondicionalmente.

Quando eu viajo para vê-la buscando apoio para o novo movimento em uma praça da cidade, o lugar está lotado. Ela agarra a multidão com idéias radicais que assustam muitos políticos tradicionais na Espanha. Ela admira Gandhi e algumas das políticas do falecido Hugo Chávez, na Venezuela, e de Evo Morales, da Bolívia.

Mas é o modelo econômico secular das monjas beneditinas, criando bens úteis para vender, que ela cita mais apaixonadamente.

Depois de um intervalo de duas semanas, eu subo a estrada sinuosa para o mosteiro para uma última visita. Irmã Teresa foi a uma conferência religiosa no Peru, onde é inverno, e voltou para casa com um resfriado. Bispos fiéis ao Vaticano têm criticado suas posições radicais sobre tudo, do aborto aos bancos.

Tornou-se uma batalha por onde passa. Pelo menos por enquanto, seu bispo em casa não a proibiu de continuar.

Na capela, ela cumprimenta minha esposa e os dois filhos pequenos calorosamente. Ela me disse que, quando era adolescente, abraçou o celibato.

É outra contradição que percebo: ela está perdendo uma vida em que pode amar livremente e tudo o mais que isso implica?

Ela me diz que se apaixonou três vezes desde que se tornou freira, mas sua devoção a Deus e ao mosteiro continua forte como sempre.

“Enquanto a minha vida religiosa for cheia de amor, eu vou estar aqui”, ela diz. “Mas no momento em que esta vida se transformar num sacrifícios… Então é será meu dever abandoná-la.”

Por ora, ao que parece, o caso de amor da Catalunha com talvez a figura política mais improvável do mundo vai muito bem.

Conteúdo BBC

O abuso de autoridade de Feliciano ao mandar prender as ativistas gays

Kiko Nogueira, Diário do Centro do Mundo

A prisão de duas jovens num culto do pastor deputado Marco Feliciano é um retrato acabado de sua pregação do ódio e do abuso de poder.

Joana Palhares e Yunka Mihura, que são namoradas, foram expulsas do evento Glorifica Litoral, em São Sebastião. Elas foram flagradas por ele enquanto se beijavam durante um protesto. Do palco, Feliciano acionou a segurança, disse que elas elas “não têm respeito ao pai, à mãe e à mulher” e lhes deu voz de prisão: “A Polícia Militar, que aqui está, dê um jeitinho naquelas duas garotas que estão se beijando. Aquelas duas meninas têm que sair daqui algemadas. Não adianta fugir, a guarda civil está indo até aí”.

As duas estavam se manifestando num lugar arriscado. Ok. Mas Feliciano não pode dar ordens para a polícia. Não tem autoridade para ordenar que ninguém seja algemado, detido ou multado. As garotas afirmam que foram agredidas. “Eles tiraram a gente do meio do povo e colocaram para dentro da grade. A partir do momento em que levaram a gente para debaixo do palco, me jogaram de canto na grade, deram três tapas na minha cara e começaram a torcer meu braço”, disse Joana ao G1. Daniel Galani, advogado das duas, pretende abrir uma representação contra MF. Como ele tem foro privilegiado, eventuais processos contra ele são encaminhados para o STF.

O Código Penal prevê como crime “impedir ou perturbar cerimônia ou prática de culto religioso”. Mas também condena o ato de “vilipendiar publicamente ato ou objeto de culto religioso”, algo que Feliciano faz diuturnamente em suas pregações, especialmente contra a umbanda.

A predileção de Feliciano pelo rancor ainda vai levar a muitas situações como essa. Um homem que tem como norte o confronto e a intolerância não deve esperar outra coisa. Enquanto as moças eram arrastadas para debaixo do palco pelos policiais, ele falava para sua plateia: “Cachorrinho que está latindo é assim: você ignora, ele para de latir”.

Recentemente, MF esteve em Boston com uma pequena delegação de estafetas. Sua agenda, alegou, era atender os imigrantes brasileiros que estariam sofrendo maus tratos. Como o DCM apurou, durante a viagem houve uma única reunião para tratar disso — na casa de um pastor. No resto do tempo, ele pregou e encontrou outras lideranças evangélicas.

Feliciano, um sujeito que se definiu “da paz”, incitou a violência contra um casal de mulheres que se beijava. E se os fieis resolvessem partir para cima delas? Ele não se importa. MF só descansará quando puser na fogueira todos os pecadores, salvando apenas aqueles que financiam os pecados dele.

21 fotos que irão restaurar sua fé na humanidade

As pessoas nem sempre são terriveis. De vez em quando, podem até cometer alguns atos maravilhosos. Vou mostrar 21 fotos que vão te lembrar disso.

 1 – Cristãos em Chicago que apareceram numa marcha do orgulho gay para pedirem desculpas pela homofobia na Igreja.

Da esquerda para direita: "Nos desculpem por como os cristãos julgaram vocês", "Nos desculpem por como os cristãos evitaram vocês", "Me desculpem por como a igreja tratou vocês", "Eu era um homofóbico cego pela bíblica, me desculpem!"

 Da esquerda para direita: “Nos desculpem por como os cristãos julgaram vocês”, “Nos desculpem por como os cristãos evitaram vocês”, “Me desculpem por como a igreja tratou vocês”, “Eu era um homofóbico cego pela bíblica, me desculpem!”

…e a reação dos integrantes da marcha.

 2. Essa história sobre senhores idosos japoneses que se voluntariaram para cuidar da crise nuclear em Fukushima para que os jovens não tivessem que se submeter à radiação

Aposentados japoneses são voluntários para lidar com a crise nuclear
Yasuteru Yamada disse que pessoas de todas as faixas etárias são benvindas no grupo.
Um grupo de mais de 200 aposentados japoneses estão se voluntariando para lidar com a crise nuclear em Fukushima
Os Habilidosos Corpos Veteranos, como eles chamam a si mesmos, é composto por engenheiros aposentados e outros profissionais, todos com mais de 60 anos.
Eles dizem que eles devem encarar os perigos da radiação, não os jovens.

3 – Essa foto de 2 noruegueses resgatando uma ovelhinha do oceano.

 4. A placa dessa livraria espetacular

 Durante os horários comerciais, os livros na faixada são 50 centavos cada, ou 5 por 2 dólares.
Quando o estabelecimento estiver fechado,  sintam-se livres para pegá-los emprestado ou comprá-los e me pagar depois.
A qualquer hora: Se você não tem dinheiro para comprar livros e precisa ou quer ler, sinta-se à vontade.
Aceitamos doações.

 

 5. Esse resultado de como Snooki deveria nomear seu filho.

“Eu sinceramente não ligo.”

 

6. O momento em que essa atleta em Ohio parou para ajudar uma competidora machucada a atravessar a linha de chegada numa “track meet”

Meghan Vogel, 17 anos, ficou em último lugar na corrida de 3200 metros quando ela alcançou a competidora Arden McMath, cujo corpo já não aguentava mais correr. AO invés de ultrapassá-la para não ficar em última, Vogel colocou o braço de McMath nos seus ombros, carregou 30 metros, e então empurrou-a para a linha de chegada antes de atravessá-la.

 

7. Essa troca de cartas entre uma garota de 3 anos e um shopping center.

Algo como:

Querido Sainsssssssssssssssbbbbbbbbbbbbbbbbbbburyyys
Por que o nome do “pão tigre” é pão tigre?
O nome devia ser “pão girafa”.
Com amor, Lily Robinson idade 3 e meio

Muito obrigado pela sua carta. Eu acho que renomear o pão tigre para pão girafa é uma idéia brilhante – parece muito mais com as pintas de uma girafa do que com as listras de um tigre, não é?
É chamado de pão tigre por que o primeiro padeiro que fez o pão há muuuuuuuuito tempo achou que parecesse listrado como se fosse um tigre. Talvez ele fosse meio bobo.

Realmente gostei de ter lido sua carta, então achei que deveria te mandar um presentinho. Coloquei um vale de 3 euros com essa carta, se você pedir pra sua mamãe ou seu papai te levar para Sainsbury’s você poderia usar para comprar alguns dos seus próprios tiger breads (e talvez se sua mamãe e seu papai deixarem você pode comprar uns doces também!). Por favor, peça a um adulto para esperar 48 horas antes de usar esse cartão.

Fico orgulhoso que você tenha escrito para nós e espero que você goste de gastar seu vale. Te vejo na loja em breve.

Atenção ao “Chris King (27 anos e meio)”

(puta que pariu né? hauhauhauha quando eu for dono da minha empresa quero ser igual ele!)

 

8. Esse bilhete que foi deixado para um garçom junto de uma nota de 20 dólares por uma senhora anciã no restaurante em que ele trabalhava.

Luke,
A gorgeta que te dei foi por que você me lembra muito meu filho, Deron, que morreu 15 anos atrás.Talvez você pareça um pouco com ele, mas é seu tipo, sua gentileza, sua consciência, seu espírito cortês que fez essa conexão. Obrigado pela lembrança amarga e doce ao mesmo tempo. Que deus te abençoe, querido!

 

9. Essa excelente placa nesse Subway.

Refeições gratuitas para os moradores de rua todas as sextas, das 3 às 5 da tarde.

 

10. Essa foto de um camponês carregando gatinhos encalhados para terra seca durante enchentes na Cidade de Cuttack, na Índia.

 

 

11. A espetacular placa dessa loja secadora de roupas

Se você está desempregado e precisa de uma roupa limpa para uma entrevista, a gente lava DE GRAÇA

Plaza Cleaners em Portland, OR, ajudou mais de 2000 desepregados que não conseguiam bancar as lavagens a seco. O dono da loja estimou que isso custou cerca de 32 mil dólares para a companhia.

 

12. Essa fotografia de um homem dando suas sandálias para uma moradora de rua no Rio de Janeiro.

 

 

13. Essa foto de um bombeiro administrando oxigênio para um gatinho resgatado num incêncio domiciliar

14. E essa.

 

15. essa interação entre uma garota da Guatemala e esse turista que ela acabou de conhecer.

This interaction between a Guatemalan girl and a tourist she just met.

 

 

16. Esse gesto do vizinho.

This gesture from a neighbor.

Olá Vizinho.
Meu nome é Mohammad, um muçulmano, morando em (riscado).
Estamos fazendo jejum pelo mês do Ramadâ.
Domingo, 7 de agosto às 8 da noite, gostaria convidar você e sua família para quebramos o jejum. Serviremos um jantar.
Por favor me ligue para confirmar, e me diga quantos membros da sua família virão.

 

17. Essas fotos de duas crianças cooperando para resgatar um cachorro que caiu em um desfiladeiro

These photos of two children collaborating to rescue a dog who had fallen into a ravine.

 

 

18. Esse recado na conta de uma jovem família

This note on a young family's check.
Alguém pagou nosso jantar quando éramos pais jovens, o que realmente nos marcou.
O fundamento desse gesto é a boa paternidade.
Continuem fazendo um bom trabalho… o tempo passa muito rápido.

Minha esposa, meu bebê de 1 ano e eu fomos jantar e isso era o que estava escrito na nossa conta.

 

19. Essa interação entre um protestante e um militar durante um protesto no Brasil.
This exchange between a protester and a soldier during a protest in Brazil.

Durante um protesto no Brasil, um general disse: “Por favor, não lutem, não no meu aniversário…” 
Então um grupo de protestantes fizeram uma surpresa para ele.
Fé na humanidade: restaurada.

 

20. Essas fotos de um cara pulando em águas agtadas para resgatar um cachorro da raça Shih Tzu de estrangeiros em Melbourne

These pictures of a man jumping into rough waters to rescue a stranger's Shih Tzu in Melbourne.

Sue Drummond estava andando com seu amado Shih Tzu, Bibi, num píer em Melbourne, quando uma forte ventania o levou e o derrubou nas águas agitadas da baía. Um transeuntee, Raden Soemawinata, que por acaso estava no pier aquele dia para  espalhar as cinzas da avó, não perdeu tempo: tirou a roupa e mergulhou na baía para resgatar o animal.

 

21. E essa foto de 2 melhores amigos num balanço.

And this photograph of two best friends on a swing.

Retirado e adaptado de Buzzfeed

Via http://luxolana.wordpress.com

Pesquisadores desfazem o mito de generosidade e altruísmo de Madre Teresa de Calcutá

Do blog Sociedade Racionalista

O mito de altruísmo e generosidade que envolve Madre Teresa foi desfeito em um paper de Serge Larivée e Genevieve Chenard, do Departamento de Psicoeducação da Universidade de Montreal e por Carole Sénéchal, da Faculdade de Educação da Universidade de Ottawa. O paper, que será publicado na pauta de março do periódico Estudos em Religião/ Ciências religiosas, é uma análise dos escritos publicados sobre Madre Teresa. Assim como o jornalista e autor Christopher Hitchens, amplamente citado em suas análises, os analistas concluem que sua imagem santificada – que não é sustentada pela análise dos fatos – foi construída, e que sua beatificação foi orquestrada por uma eficiente campanha de assessoria de imprensa.

“Enquanto procurávamos documentos sobre o fenômeno do altruísmo para um seminário de ética, um de nós deparou-se com a vida e o trabalho da mulher mais celebrada da igreja católica e agora parte da nossa imaginação coletiva – Madre Teresa – cujo nome real era Agnes Gonxha”, diz o professor Larivée, que liderou a pesquisa. “A descrição era tão extática que atiçou nossa curiosidade e nos levou a pesquisar mais a fundo.”

Como resultado disso, os três pesquisadores coletaram 502 documentos sobre a vida e o trabalho de Madre Teresa. Depois de eliminar 195 duplicatas, eles consultaram 287 documentos para conduzir sua análise, o que representa 96% da literatura sobre a fundadora da Ordem dos Missionários da Caridade (OMC). Fatos derrubam o mito de Madre Teresa.

Em seu artigo, Serge Larivée e seus colegas citam também uma série de problemas que não foram levados em conta pelo Vaticano durante o processo de beatificação de Madre Teresa, como “seu um tanto quanto duvidoso jeito de cuidar dos doentes, seus contatos políticos questionáveis, a administração suspeita das enormes quantias de dinheiro que ela recebeu e suas visões excessivamente dogmáticas em relação a, particularmente, aborto, contracepção e divórcio.”

Os doentes devem sofrer como Cristo na cruz

À época da sua morte, Madre Teresa havia aberto 517 missões que acolhiam os pobres e os doentes em mais de 100 países. As missões foram descritas como “casas para os moribundos” por médicos que visitaram diversos desses estabelecimentos em Calcutá. Dois terços das pessoas que iam a essas missões tinham esperança de encontrar um médico para tratá-las, enquanto um terço agonizava sem receber o cuidado apropriado. Os médicos encontraram uma significativa falta de higiene, condições impróprias, falta de cuidado de fato, comida inadequada e ausência de analgésicos. O problema não era falta de dinheiro – a Fundação criada por Madre Teresa arrecadou milhões de dólares – mas uma concepção um tanto peculiar de sofrimento e morte: “Há algo de belo em ver os pobres aceitarem sua sina, sofrer como na Paixão de Cristo. O mundo ganha muito com seu sofrimento”, foi a resposta dela a críticas, como cita o jornalista Christopher Hitchens. Não obstante, quando Madre Teresa solicitou cuidados paliativos, ela os recebeu em um moderno hospital americano.

Política questionável e contabilidade obscura

Madre Teresa era generosa com seus oradores, mas um tanto miserável com os milhões que iam à sua fundação no que tangia ao sofrimento humano. Durante numerosas enchentes na Índia ou após a explosão de uma fábrica de pesticidas em Bhopal, ela ofereceu muitas orações e medalhinhas da Virgem Maria, mas nenhuma ajuda direta ou financeira.  Por outro lado, ela não teve escrúpulos ao receber a Legião de Honra e uma doação do ditador haitiano Duvalier. Milhões de dólares foram transferidos para as diversas contas bancárias da OMC, mas a maioria das contas era mantida em segredo, diz Larivée. “Dada a administração parcimoniosa dos trabalhos de Madre Teresa, é de se perguntar para onde foram os milhões de dólares enviados para os pobres.”

O grande plano da mídia para a santidade

A despeito desses fatos perturbadores, como Madre Teresa conseguiu construir uma imagem de santidade e infinita bondade? De acordo com os três pesquisadores, um encontro que ela teve em 1968 com Malcom Muggeridge,  um jornalista antiaborto da BBC que compartilhava de seus valores de direita católica, foi crucial. Muggeridge decidiu promover Teresa, que consequentemente descobriu o poder da mídia de massa. Em 1969 ele fez um filme elogioso à missionária, promovendo-a ao atribuir-lhe o “primeiro milagre fotográfico”, quando ele deveria ter sido atribuído ao novo estoque de filmes comercializado pela Kodak. Mais tarde, Madre Teresa viajou o mundo e recebeu diversos prêmios, incluindo o Prêmio Nobel da Paz. No seu discurso de aceitação, falou sobre o assunto de mulheres bosnianas que haviam sido estupradas por sérvios e agora solicitavam o aborto: “eu sinto que o grande destruidor da paz hoje é o aborto, porque é uma guerra direta, uma matança direta – assassinato direto pela própria mãe.”

Após a sua morte, o Vaticano decidiu aguardar os usuais cinco anos para dar início ao processo de beatificação. O milagre atribuído a Madre Teresa foi a cura de uma mulher, Monica Besra, que vinha sofrendo de intensa dor abdominal. A mulher testemunhou ter sido curada depois que uma medalha abençoada por Madre Teresa foi posta em seu abdômen. Seus médicos pensavam diferente: o cisto no ovário e a tuberculose dos quais ela vinha sofrendo foram curados pelos medicamentos que eles haviam lhe dado. O Vaticano, ainda assim, concluiu que era um milagre. A popularidade de Madre Teresa era tamanha que ela tornou-se intocável para a população, que já a declarava santa. “O que poderia ser melhor do que a beatificação seguida de canonização deste modelo para revitalizar a Igreja e inspirar os fiéis, especialmente em uma época em que as igrejas estavam vazias e a autoridade romana em declínio?” Larivée e seus colegas questionam.

Efeito positivo do mito de Madre Teresa

Apesar da forma duvidosa de cuidar dos doentes ao glorificar seu sofrimento ao invés de aliviá-lo, Serge Larivée e seus colegas apontam para um efeito positivo do mito de Madre Teresa: “Se a extraordinária imagem de Madre Teresa transmitida ao imaginário coletivo encorajou iniciativas humanitárias que são genuinamente comprometidas com aqueles atingidos pela pobreza, nós só temos a celebrar. É provável que ela tenha inspirado muitos trabalhadores humanitários cujas ações verdadeiramente aliviaram o sofrimento dos destituídos e se voltaram às causas da pobreza e isolamento sem terem sido exaltados pela mídia. Ainda assim, a cobertura midiática de Madre Teresa poderia ter sido um pouco mais rigorosa.”

Mais informações: A versão impressa, disponível apenas em francês, será publicada em março de 2013 na pauta 42 de Estudos da Religião / Sciences religieuses. Pela Universidade de Montreal

Este texto é uma tradução de Researchers dispell the myth of altruism and generosity surrounding Mother Teresa , em Phys.org

Matéria original: http://phys.org/news/2013-03-dispell-myth-altruism-generosity-mother.html#jCp

Incêndio destrói Casa dos Milagres de Juazeiro do Norte

“Há 10 dias para o início da maior romaria de Juazeiro do Norte, a Romaria de Nossa Senhora das Dores, o Patrimônio Cultural e Religioso desta cidade perdeu nesta madrugada um importante centro de visitação de romeiros. A Casa dos Milagres, que a cada romaria recebe milhares de visitantes, foi totalmente destruída por um incêndio na madrugada desta sexta-feira (23). O local é considerado o terceiro maior centro de visitas de romeiros perdendo apenas para ao Horto e a Igreja Matriz de Nossa Senhora das Dores.

A Casa dos Milagres ficava localizada no largo do Socorro, no Centro da cidade. O local possui várias lojas de artigos religiosos e do Memorial Padre Cícero. Segundo vizinho, o fogo começou por volta das 2 horas da manhã e só foi debelado quase quatros horas pelo Corpo de Bombeiros com ajuda de moradores. Há indícios de que uma vela acesa tenha caído do castiçal e queimado um banco e uma cruz de madeira dando início ao incêndio. Na Casa dos Milagres estavam em exposições peças sacras, artigos religiosos, livros e objetos que representavam alguns milagres alcançados por fiéis. Tudo foi consumido pelo fogo, menos um quadro de Nossa Senhora das Dores, padroeira de Juazeiro de Norte. O quadro ficou intacto.”

(Blog Flavio Pinto News)

Bispo Edir Macedo, da Universal, depõe na Justiça sobre falsidade ideológica

O líder e fundador da Igreja Universal do Reino de Deus, Edir Macedo, esteve na tarde de ontem na 1ª Vara da Justiça Federal, na cidade de Chapecó, em Santa Catarina, para depor num processo sobre falsidade ideológica em que é réu. A ausência do pastor no local era dada como certa, já que Macedo havia faltado a todas as audiências anteriores, mas ele surpreendeu ao chegar no local na hora exata. Edir Macedo foi o primeiro réu a ser ouvido pelo juiz Guilherme Gehlen Walcher e se declarou inocente no processo que tem como autor o Ministério Público Federal. Além do dono da Record, o ex-diretor de uma afiliada da emissora Júlio César Ribeiro e o pastor Marcelo Nascentes Pires também são acusados de apresentarem documentos falsos perante a Junta Comercial de Santa Catarina e o Ministério das Comunicações para a compra da TV Xanxerê, uma afiliada da emissora adquirida em 1996 e que fica na cidade de mesmo nome.

Depois de dar sua versão sobre o fato, o pastor deixou o local mesmo antes que os demais réus fossem ouvidos. A sentença deve sair até o fim do ano. A pena prevista para o crime é reclusão de 1 a 5 anos, além de multa. Caso seja absolvido, o Ministério Público poderá recorrer da decisão do juiz. A coluna procurou a advogada de Edir Macedo, que não foi localizada para falar sobre o caso.

Via http://blogs.odia.ig.com.br/leodias/

A primavera árabe virou um inverno de sangue

Uma trágica viragem, que vai demorar anos para o Egito se recuperar. Depois do massacre do Cairo, que muçulmano acreditará jamais numa eleição? 

Por Robert Fisk,

O cadinho egípcio partiu-se. A “unidade” do Egito – essa cola abrangente, patriótica e essencial que tem mantido unida a nação desde o derrube da monarquia em 1952 e do governo Nasser – derreteu-se no meio de massacres, tiroteios e da fúria provocada pela repressão contra a Irmandade Muçulmana. Uma centena de mortos – 200, 300 “mártires” – o resultado não faz diferença: para milhões de egípcios, o caminho da democracia foi desviado no meio do fogo e da brutalidade. Que muçulmano em busca de um Estado baseado na sua religião confiará mais alguma vez nas urnas?

Esta é a verdadeira história do banho de sangue de quarta-feira. Quem pode ficar surpreendido com alguns partidários da Irmandade Muçulmana a brandirem kalashnikovs nas ruas do Cairo? Ou de que os partidários do Exército e do seu “governo interino” – só nas áreas de classe média da capital – tivessem pegado em armas ou produzido as próprias e começado a disparar? Não se trata de Irmandade contra o Exército, ainda que essa seja a forma como os nossos estadistas ocidentais vão enganosamente retratar esta tragédia. A violência de hoje criou uma cruel divisão dentro da sociedade egípcia que levará anos a curar; entre a esquerda e os seculares e os cristãos coptas e os muçulmanos sunitas, entre as pessoas e a polícia, entre a Irmandade e o Exército. Por isso, Mohamed El Baradei renunciou ontem à noite. O incêndio de igrejas foi um corolário inevitável deste terrível assunto.

Na Argélia em 1992, no Cairo em 2013 – e quem sabe o que acontecerá na Tunísia nas próximas semanas e meses? – os muçulmanos chegaram ao poder com justiça e democraticamente através de eleições gerais e foram afastados. E quem pode esquecer o nosso cruel assédio de Gaza quando os palestinianos votaram, de novo democraticamente, no Hamas? Por mais erros que a Irmandade tenha cometido no Egito – não importa quão promiscuo ou estúpido tenha sido o seu governo, o presidente Mohamed Morsi, democraticamente eleito, foi derrubado pelo Exército. Foi um golpe e John McCain teve razão ao usar essa palavra.

A Irmandade, evidentemente, há tempos que devia ter sofreado o seu amor próprio e tentado ficar dentro da concha de pseudodemocracia permitida pelo Exército no Egito, não porque fosse justo ou aceitável, mas sim porque a alternativa seria forçosamente o regresso à clandestinidade, às detenções à meia-noite, à tortura e ao martírio. Este tem sido o papel da Irmandade – com períodos de vergonhosa colaboração com os ocupantes britânicos e os ditadores militares egípcios – e um regresso à escuridão sugere apenas dois cenários: a extinção da Irmandade pela violência ou, num futuro longínquo – que os céus salvem o Egito de tal destino – a criação de uma autocracia islamista.

Os especialistas fizeram o seu venenoso trabalho antes de que o primeiro cadáver chegasse ao túmulo. Pode o Egito evitar uma guerra civil? Será a “terrorista” Irmandade varrida pelo Exército leal? E os que se manifestaram antes do derrube de Morsi? Tony Blair foi apenas um dos que falaram do “caos” iminente ao dar apoio ao general Abdul-Fattah Al Sissi. Cada incidente violento no Sinai, cada arma nas mãos da Irmandade Muçulmana será usada agora para persuadir o mundo de que a organização – longe de ser um movimento islamista mal armado mas bem organizado – era o braço direito da Al Qaida.

A história pode ter uma visão diferente. Certamente será difícil explicar como muitos milhares – sim, talvez milhões – de egípcios educados e progressistas continuavam a apoiar de alma e coração o general que passou muito tempo após o derrube de Mubarak a justificar os testes de virgindade das manifestantes femininas na praça Tahrir. Al Sissi estará sob grande escrutínio nos próximos dias; sempre teve a reputação de ser simpático à Irmandade, ainda que esta ideia possa ter sido causada por sua mulher usar o niqab. E muitos dos intelectuais de classe média que deram apoio ao Exército terão de espremer as suas consciências dentro de uma garrafa para acomodar futuros acontecimentos.

Poderia o Prémio Nobel e especialista nuclear Mohamed El Baradei, a personalidade mais famosa – aos olhos do Ocidente, não dos egípcios – do “governo interino”, cuja visão social e integridade pareceram tão assustadoramente em desacordo com as ações governamentais, ter-se mantido no poder? Claro que não. Tinha de sair, porque nunca quis este resultado para a sua aposta política quando aceitou apoiar a seleção de ministros feita pelo Exército após o golpe do mês passado. Mas o círculo de escritores e artistas que fizeram questão de ver o golpe como apenas outro estágio da revolução de 2011, terão – depois do banho de sangue e da renúncia de El Baradei – de usar uma linguística muito angustiada para escapar à responsabilização moral por estes acontecimentos.

Esperem, evidentemente, pelas perguntas rituais. Significa isto o fim do Islão político? No momento, certamente, a Irmandade não tem disposição para tentar qualquer outra experiência de democracia, uma recusa que é o perigo imediato no Egito. Porque sem liberdades, há violência. Converter-se-á o Egito noutra Síria? Improvável. O Egito não é nem um Estado sectário, nunca foi, nem mesmo com 10 por cento de população cristã – nem essencialmente violento. Nunca experimentou a selvageria dos levantes dos argelinos contra os franceses ou as insurreições de sírios libaneses ou palestinianos contra britânicos e franceses. Mas muitos fantasmas vão assombrá-los e envergonhá-los hoje; o do grande advogado revolucionário do levante de 1919, por exemplo, Saad Zaghloul. E o general Muhammad Neguib, cujos panfletos revolucionários de 1952 diziam coisas semelhantes às exigências dos manifestantes da Praça Tahrir em 2011.

Mas é verdade que algo morreu no Egito na quarta-feira. Não a revolução. Porque através do mundo árabe o povo continua a exigir ser ele, e não seus líderes, o dono do país, mesmo que manchado de sangue. É verdade que morreu a inocência, como acontece após cada revolução. Não, o que expirou foi a ideia de que Egito era a eterna mãe da nação árabe, o ideal nacionalista, a pureza da história na qual o Egito considerava todo o seu povo como filhos. Porque as vítimas da Irmandade – junto com os polícias e os partidários do governo – eram também filhos do Egito. E ninguém o disse. Tinham-se tornado nos “terroristas”, nos inimigos do povo. Essa é a nova herança do Egito.

Via Esquerda.Net

Vereadora no Irã é proibida de assumir o cargo por ser “bonita demais”

Até que ponto a beleza ajuda – ou atrapalha? No caso de Nina Siahkali Moradi ela conta como ponto negativo. A candidata a vereadora no interior do Irã foi impedida de assumir o cargo por ser “bonita demais”, de acordo com informações da imprensa local.

Nina, de 27 anos, foi candidata em Qazvin, cidade localizada ao norte do país. Ela teve 10 mil votos na eleição, que aconteceu junto com a presidencial no último mês de junho, e terminou em 14º lugar dos 163 candidatos que concorreram. Isso lhe daria a primeira cadeira de suplente do conselho. Com a desistência do primeiro colocado, Moradi entrou na lista dos vencedores.

No entanto, Nina teve sua ida à prefeitura impedida pela ala conservadora. O motivo? “Não queremos modelos de passarela aqui”, teria afirmado o líder do conselho. Todos os votos de Nina foram anulados.

Os adversários de Nina já a haviam acusado de atrair comportamentos incompatíveis com valores islâmicos. A candidata conquistou apoio ao defender direitos da mulher e incentivos culturais. O slogan da sua campanha era: “Jovens ideias para um novo futuro”.

(Marie Claire)

Irmandade Muçulmana convoca “dia de cólera” no Egito

A Irmandade Muçulmana convocou seus seguidores para que ocupem as ruas do Cairo nesta “sexta-feira de cólera”, após o massacre provocado pela repressão aos partidários do presidente deposto, Mohamed Mursi, que na quarta deixou quase 600 mortos no país.

“As manifestações contra o golpe de Estado partirão de todas as mesquitas do Cairo e se dirigirão à Praça Ramsés após a oração, para uma “sexta-feira de cólera'”, disse o porta-voz Gehad El Haddad.

O chamado ocorre em meio à ação das forças de segurança contra os militantes da Irmandade Muçulmana, e após a polícia invadir uma mesquita no Cairo onde estavam os corpos de dezenas de manifestantes islâmicos mortos na véspera.

“Cercaram a mesquita e lançaram bombas de gás lacrimogêneo. Agora estão dentro e nós saímos”, disse Ibrahim, um médico que se encontrava dentro do prédio, de onde foram retirados os corpos de mais de 200 vítimas da repressão ao longo do dia.

Na quarta-feira, o Egito viveu o dia mais sangrento de sua história recente, que deixou quase 600 vítimas fatais. Pelo menos 300 pessoas morreram durante a ofensiva militar e policial contra os simpatizantes do ex-presidente islâmico Mohamed Mursi, deposto pelo Exército.

Nesta quinta, um ataque contra a sede administrativa do governo da província de Gizé, no subúrbio do Cairo, e a morte de nove policiais e militares, ambos atribuídos a grupos islâmicos, levou o ministério do Interior a autorizar seus homens a utilizar munição real contra qualquer um que atacar prédios governamentais ou as forças de ordem.

O banho de sangue provocado pelas forças da ordem chocou a comunidade internacional e foi condenado energicamente pelo presidente Barack Obama, que cancelou os exercícios militares conjuntos EUA-Egito e alertou que o país está em “um caminho muito perigoso”.

A presidência egípcia reagiu à condenação de Obama afirmando que este tipo de declaração, “que não se baseia em fatos, pode estimular grupos armados violentos”.

“A presidência agradece a preocupação dos Estados Unidos pelos acontecimentos no Egito, mas gostaria que tivesse esclarecido os fatos. O Egito enfrenta atos terroristas contra instituições governamentais e instalações essenciais”, declarou a agência oficial Mena.

Os membros do Conselho de Segurança das Nações Unidas, que se reuniram para consultas na noite desta quinta-feira, afirmaram a importância “de se acabar com a violência no Egito e que as partes demonstrem o máximo de contenção”.

O presidente francês, François Hollande, afirmou “que se deve fazer todo o possível para evitar a guerra civil” no Egito, e que “a França está comprometida em encontrar uma solução política e deseja que eleições sejam organizadas o quanto antes, conforme os compromissos assumidos pelas autoridades egípcias de transição”.

O primeiro-ministro turco, Recep Tayyip Erdogan, denunciou uma “matança muito grave” no Egito e pediu que sejam tomadas ações. O premier também criticou a “hipocrisia” da comunidade internacional.

Erdogan, chefe do Partido da Justiça e do Desenvolvimento (AKP), de inspiração islâmica, atacou desde o início a destituição de Mohamed Mursi, a qual classificou de “golpe de Estado” – ao contrário da postura prudente adotada pelas nações ocidentais.

O mundo ficou chocado com as imagens dos acampamentos de partidários de Mursi, em duas praças do Cairo, devastados após a ação do Exército e da polícia.

Imagens aéreas mostraram um mar de barracas em chamas na praça Rabaa al-Adawiya, ocupada por mais de um mês por milhares de manifestantes, incluindo mulheres e crianças.

Segundo o chefe dos serviços de emergência egípcios, mais de 200 pessoas morreram apenas na praça Rabaa al-Adawiya. A Irmandade Muçulmana indicou, por sua vez, 2.200 mortos e mais de 10.000 feridos.

Nesta quinta-feira, dezenas de pessoas tentavam identificar parentes tapando o rosto com lenços para evitar o forte cheiro. Entre eles, uma mulher afirmou à AFP que tinha ido buscar o corpo de sua filha. Uma outra mulher entrou em desespero ao encontrar um corpo calcinado sob um lençol.

Várias personalidades egípcias criticaram a intervenção das forças de ordem, principalmente o vice-presidente Mohamed ElBaradei, prêmio Nobel da Paz, que renunciou, e o grão-imã de Al-Azhar, a maior autoridade do Islã sunita.

A imprensa egípcia, entretanto, deu apoio ao Exército, como o jornal governamental Al-Akhbar, que destacou “O fim do pesadelo da Irmandade Muçulmana”.

A Irmandade denuncia um golpe de Estado militar liderado pelo general Abdel Fattah al-Sissi contra Mursi, o primeiro presidente democraticamente eleito do país, e se recusa a participar do processo de transição no Egito.

(AFP)

Veja o que abre e o que fecha no feriado desta quinta-feira em Fortaleza

Fortaleza comemora o dia de Nossa Senhora da Assunção, padroeira do município, nesta quinta-feira (15). Na ocasião, o comércio vai fechar as portas. Nos shopping, apenas praça de alimentação e áreas de lazer vão funcionar.

Supermercados
A Associação Cearense de Supermercados afirmou que o funcionamento dos supermercados será normal neste feriado em homenagem a Nossa Senhora de Assunção.

Postos de combustíveis

Nesta quarta-feira (15), apenas alguns postos vão funcionar (facultativo). A partir de sexta, o funcionamento deve ser normal.

Correios
Em Fortaleza, as agências dos Correios não vão realizar atendimento. Nas demais cidades onde não não for feriado, as agências funcionam normalmente.

Comércio
O comércio de Fortaleza também vai fechar as portas no feriado religioso em homenagem à Nossa Senhora da Assunção.

Shoppings
Nos shopping, as lojas fecham nesta quinta-feira. Apenas serviços das praças de alimentação e de lazer, como cinemas e teatros, vão funcionar.

Bancos
As agências bancárias de Fortaleza não vão funcionar nesta quinta (15).

Água e Luz
Nesta quinta, a Coelce vai fechar suas lojas em AiuabaApuiarésAquirazBarroquinha,BaturitéCaucaia, Fortaleza, GraçaGuaraciaba do NorteMassapêMombaçaNova RussasQuiterianópolisReriutabaTabuleiro do NorteTarrafasUruoca e Viçosa do Ceará. As unidades voltam normalmente na sexta-feira. As demais lojas no interior do Estado continuam abertas.

Em esquema de plantão, a Coelca disponibiliza o serviço de call center por meio do telefone 0800 285 0196. O serviço funciona para informações acerca de falta de energia, desligamento programado, fio partido, sugestões, denúncias de fraude, poste quebrado por acidente com automóvel etc. A ligação é gratuita.

A Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece) vai fechar suas lojas em Fortaleza durante o feriado. As solicitações dos clientes devem ser encaminhadas normalmente por meio do telefone 0800 275 0195. O serviço funciona 24 horas e é gratuito.

(G1 Ceará)