archives

Categoria Bancária

Esta categoria contém 937 posts

Itaú é multado por querer reduzir tempo de férias de funcionários

O Itaú Unibanco foi condenado em R$ 21 milhões pela 5ª Vara da Justiça do Trabalho de Florianópolis por dano moral coletivo por não permitir que os funcionários tirem 30 dias de férias, exigir horas extras em número superior ao limite legal e cortar intervalos.

A decisão obriga que a instituição financeira permita que os funcionários tirem 30 dias de férias, impedindo a indução da conversão de dez dias em abono.

De acordo com a Justiça, foram verificadas jornadas de trabalho das 8h às 19h ou mais, com intervalo de 20 minutos a uma hora. A jornada legal dos bancários é de seis horas, com 15 minutos de intervalo.

Segundo o processo, a empresa concedia aos empregados o título de gerente para “se esquivar” das normas bancárias, o que diferenciaria a sua jornada. Contudo, os trabalhadores não contavam com poderes gerenciais nas agências, informa o MPT.

Procurado às 18h30 desta terça-feira (15), o Itaú Unibanco afirmou não querer se posicionar.

(Folha do Sertão)

 

Banco do Brasil treina funcionários para evitar lavagem de dinheiro

O Banco do Brasil treinou mais de 37 mil funcionários em 2013 em pelo menos um evento de capacitação sobre Prevenção e Combate a Lavagem de Dinheiro e ao Financiamento do Terrorismo (PLD/FT). A Instituição disponibiliza cursos, workshops, seminários e certificação de conhecimentos sobre o tema.

“Funcionários aptos a identificar situações suspeitas envolvendo lavagem de dinheiro, além de preservar a Instituição, contribuem diretamente com os esforços do País para a repressão e punição de diversos crimes”, avalia o diretor de Gestão de Segurança do Banco do Brasil, Marcos Ricardo Lot.

Segundo Lot, o BB contribui ativamente com as ações no âmbito do Sistema Nacional de Prevenção e Combate à Lavagem de Dinheiro, por meio da participação nas reuniões de elaboração e implementação da Estratégia Nacional de Combate à Corrupção e à Lavagem de Dinheiro (Enccla) e da formalização de Acordos de Cooperação Técnica com instituições como o Ministério da Justiça, o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), vinculado ao Ministério da Fazenda, e o Ministério Público do Estado de São Paulo. 

Atualmente, dos 112 mil funcionários do BB, 105 mil possuem treinamentos dessa espécie. Mais de 20,4 mil possuem certificação interna de Prevenção e Combate a Lavagem de Dinheiro e ao Financiamento do Terrorismo e quase 3 mil realizaram esse treinamentos sobre este assunto nos idiomas inglês ou espanhol.

O BB oferece diversos cursos nesses idiomas com o objetivo de atender os cerca de mil funcionários do banco no exterior e àqueles do Brasil que desejam aproveitar os treinamentos para prática desses idiomas.

Além da capacitação para prevenção e combate à lavagem de dinheiro, no ano passado, a Universidade Corporativa do Banco do Brasil (UniBB) ofertou 7,8 milhões de horas em ações de capacitação, tanto na modalidades autoinstrucional, como na presencial, além de programas de ensino superior, idiomas e certificações. O investimento em educação corporativa foi de R$ 91,7 milhões, ou seja, R$ 796 por funcionário, no período.

Fonte:
Banco do Brasil 

Banco do Nordeste deve publicar edital de novo concurso em abril

O Banco do Nordeste definiu, nesta sexta (21), por meio de publicação em diário oficial, a contratação da Fundação Getúlio Vargas (FGV) como organizadora para novo concurso público para o cargo de analista bancário. Segundo responsáveis pelo setor de recursos humanos do órgão, a publicação do edital deverá ocorrer ainda em abril. A expectativa é de que o concurso seja  para formar cadastro reserva de pessoal e as localidades abrangidas ainda serão definidas.

Para concorrer ao cargo basta possuir ensino médio e os vencimentos iniciais são de R$ 2.858, com jornada de trabalho de 30 horas semanais. Os aprovados poderão participar de plano assistencial de saúde e plano de previdência complementar, de forma contributiva.

As atribuições do cargo são as seguintes: atuar em projetos e processos típicos de uma organização de desenvolvimento regional, em termos de concepção, desenvolvimento, implementação, operacionalização e monitoração, nos níveis operacionais, tático e estratégico do BNB, bem como realizar atividades operacionais, executando as rotinas  e os processos de serviços da unidade de atuação, dentro dos padrões de qualidade, produtividade e tempestividade estabelecidos pelo BNB, para atendimento de clientes internos e externos, além de auxiliar o especialista técnico e o especialista bancário na execução de suas atividades.

O último concurso para o cargo ocorreu em 2010 e foi organizado pela Associação Cearense de Estudos e Pesquisas (ACEP).  A seleção contou apenas com prova objetiva, composta de 80 questões, versando sobre língua portuguesa (20 questões), matemática (16), conhecimentos gerais (14) e  conhecimentos bancários (30). Língua portuguesa  contou com peso dois; matemática e conhecimentos gerais, com peso um, e conhecimentos bancários, com peso três.

As oportunidades foram para os estados de Alagoas, Bahia, Ceará, Espírito Santo, Maranhão, Minas Gerais, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte e Sergipe.  

As contratações serão feitas de acordo com o regime da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT).

(Fernando César Alves, Via http://jcconcursos.uol.com.br)

Assembleia debate adequações ao Estatuto do Sindicato dos Bancários do Ceará

Em cumprimento a uma proposta de campanha eleitoral da atual gestão do Sindicato dos Bancários do Ceará, a entidade realiza no próximo dia 21/3, às 18h30 em primeira convocação e às 19h em segunda convocação, assembleia para apreciação de alterações no seu Estatuto.

A reforma é necessária para que sejam realizadas adequações ao Código Civil e a normas e portarias do Ministério do Trabalho e Emprego. Contempla também atualizações necessárias à continuidade do processo de luta da categoria e de gestão da entidade.

Reformado em 1991, após 23 anos, o Estatuto necessita adequar-se às mudanças na legislação trabalhista do País. O Estatuto atual é omisso a algumas exigências do Código Civil e do Ministério do Trabalho, entre elas as portarias 186 (que estabelece procedimentos para concessão, alteração, cancelamento e gerenciamento do código sindical) e 326 (solicitação de registro sindical).

“Todos os grandes sindicatos, especialmente de bancários (DF, SP, MG, RJ, PE, PI), estão promovendo alterações estatutárias para se adequar às exigências legais do Código Civil, do Ministério do Trabalho e às necessidades de atuação com unidade de classe entre as categorias para enfrentar o patronato. Ou nós nos organizamos por ramo ou o patronato vai nos dividir”, afirma o presidente do Sindicato dos Bancários do Ceará, Carlos Eduardo Bezerra.

Para apresentar essa proposta estatutária, a diretoria do Sindicato dos Bancários procurou utilizar de toda a transparência possível, publicando o edital de convocação da assembleia no Diário Oficial da União e em dois jornais de grande circulação. Além disso, no site do Sindicato (www.bancariosce.org.br), há, além do edital, o texto completo da proposta de mudança. Essa é uma forma de envolver o bancário, para que ele participe e se possa avançar na luta com a ajuda de todos.

De 1991 até os dias atuais, novos municípios foram criados ou desmembrados e a inclusão da representatividade desses locais no Estatuto do Sindicato é de fundamental importância sob pena de deixar desprotegidos, de fato e de direito, os trabalhadores dessas regiões.

Além disso, uma das propostas a serem apreciadas inclui a mudança no nome do Sindicato e também na sua área de atuação, para incluir todo o ramo financeiro. Essa medida englobaria os trabalhadores de financeiras, cooperativas de crédito e casas de câmbio que, a partir dessa mudança, poderiam se filiar ao Sindicato. Essa é uma necessidade estratégica no enfrentamento aos bancos nas suas tentativas de desqualificar a representação e retirar direitos desses trabalhadores.

Como se encontra hoje, o Estatuto não permite a filiação de bancários aposentados que não eram filiados à entidade quando na ativa. Essa alteração, permitindo a filiação de aposentados, traria para o Sindicato esses trabalhadores que, além de poder ser representado juridicamente, poderiam ainda aproveitar as vantagens oferecidas pelos convênios bem como outros benefícios de ser associado.

Ainda nessa discussão de representatividade, a reforma estatutária prevê a criação do Conselho de Delegados Sindicais. Essa medida é extremamente importante porque, de acordo com o precedente normativo nº 86 do TST e o artigo 543 da CLT, legitima a organização por local de trabalho em todos os bancos.

Também na reforma estatutária há uma preocupação com a necessidade de políticas relativas às mulheres, ao combate ao racismo, ao preconceito, à discriminação por etnia ou por orientação sexual diferenciada. Essa atuação seria viável com a criação da Secretaria de Igualdade e da Diversidade, voltada exclusivamente para essa questão.

Politicamente, a proposta de reforma estatutária a ser analisada no próximo dia 21/3 permite fortalecer a democracia, a representatividade e a participação dos bancários, além de modernizar a gestão do Sindicato em todas as suas ações.

(Sindicato dos Bancários do Ceará)

Banco do Brasil indenizará cliente que teve conta movimentada por terceiros

A 1ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Maranhão (TJMA) manteve sentença de primeira instância que condenou o Banco do Brasil a pagar R$ 6.728,74, por dano material, e R$ 5 mil, por dano moral, além de restituição em dobro de quatro prestações de empréstimo descontadas indevidamente dos vencimentos de uma cliente da instituição financeira.

A autora da ação na Justiça de 1º grau alegou que teve seus documentos furtados em 20 de janeiro de 2011, fato comunicado à polícia no mesmo dia e ao banco no dia 22, segundo ela. A cliente afirmou que em 29 de dezembro do mesmo ano detectou várias transações realizadas em sua conta corrente, inclusive um empréstimo consignado em seus vencimentos, não contratado por ela.

O banco apresentou apelo, argumentando que agiu no cumprimento do dever legal. Informou que as operações foram realizadas por cartão magnético, apontando culpa da autora, que não teria sido diligente com sua senha e cartão. Sustentou, ainda, que poderia ter sido culpa de terceiro, configurando caso fortuito que afastaria sua condenação.

FALHA – O relator, desembargador Jorge Rachid, disse que as provas constantes nos autos cuidam de falha na prestação de serviço bancário, consistente na utilização de dados de cliente de forma fraudulenta, sem autorização deste.

O magistrado verificou que a cliente sofreu diversos saques, compras em débito e contratação de empréstimo vários meses depois, apesar de ter comunicado o fato à polícia e ao banco. Acrescentou que a instituição não apresentou defesa e, portanto, assumiu o ônus da sua revelia.

Rachid entendeu que não prosperam as alegações do banco, de que não estão presentes os pressupostos para a indenização por danos morais. Disse que a instituição financeira responde pelo defeito na prestação do serviço, independentemente da existência de culpa, nos termos do artigo 14 do Código de Defesa do Consumidor (CDC).

O relator citou precedentes do Superior Tribunal de Justiça (STJ) e ainda considerou o valor determinado como dano moral como estabelecido com razoabilidade. Ressaltou que, comprovadas as transações indevidas, é plenamente devida a indenização pelos danos materiais.

Os desembargadores Kleber Carvalho e Ângela Salazar também votaram pelo improvimento do recurso do Banco do Brasil.

(Âmbito Jurídico)

Quadrilha assalta agência bancária do Santander em Maracanaú

FOTO MERAMENTE ILUSTRATIVA

Quatro homens armados de pistola assaltaram uma agência do banco Santander, no distrito de Pajuçara, em Maracanaú, Região Metropolitana de Fortaleza (RMF). A ação dos bandidos ocorreu na manhã desta sexta-feira, 28. Após o assalto, o grupo fugiu e levou vários malotes de dinheiro. De acordo com o capitão Cavalcante, do Grupo de Ações Táticas Especiais (Gate), os assaltantes levaram em torno de R$ 180 mil a R$ 200 mil.

O grupo rendeu o vigilante quando ele estava a caminho da agência. Em seguida, eles esperaram o gerente, o renderam e entraram no banco.

Os homens armados ameaçaram o gerente para ele abrir o caixa forte. Alguns funcionários da agência também foram feitos de reféns. Segundo o capitão Cavalcante, a ação dos bandidos durou cerca de 30 min.

Antes de fugir, o quarteto avisou para ninguém ligar para Polícia sob a ameaça de que o local estava cercado por explosivos e, caso alguém ligasse, o banco iria explodir. De acordo com capitão, os policiais só foram avisados da ocorrência após 40 min da ação criminosa. Ele ainda informou que houve uma varredura no local e nenhuma bomba foi encontrada.

Além das pistolas usadas no assalto, os assaltantes estavam com uma submetralhadora. De acordo com informações passadas pelo vigilante aos policiais, ele foi rendido e entrou em um veículo de modelo Gol, de cor verde, onde avistou a arma.

Segundo o capitão, a Polícia está realizando buscas na região para encontrar os suspeitos. Equipes da Delegacia de Roubos e Furtos (DRF), Coordenadoria Integrada de Inteligência (Coin) e do 14º BPM também trabalham no caso.

 

Balanço

Esta foi a 11ª ação contra banco registrada no Ceará em 2014. Os dados são do Sindicato dos Bancários do Ceará. No dia 26 de fevereiro, um grupo de assaltantes explodiu um caixa eletrônico do Banco do Brasil (BB), no município de Alto Santo.

No dia 14 de fevereiro, cerca de 12 homens armados explodiram o posto de atendimento do banco Bradesco de Aratuba e levaram o dinheiro de dois caixas eletrônicos.

No último dia 23 de janeiro, uma quadrilha de cinco homens atacou um posto de atendimento avançado do Bradesco, em Senador Sá. A detonação fez com que parte do teto do prédio desabasse e, após recolher o dinheiro do equipamento, os assaltantes fugiram.

Ataques em janeiro: Tejuçuoca (explosão), Senador Sá (explosão), Guaramiranga (explosão), Novo Oriente (assalto) e Redenção (assalto).

Ataques em fevereiro: Aratuba (explosão), Tabuleiro do Norte (tentativa de assalto), Altaneira (tentativa de assalto), Jardim (tentiva de explosão), Alto Santo (explosão) e Pajuçara (assalto).
 

Redação O POVO Online

 

Bancos fecharam 1.024 postos de trabalho no país em janeiro

Os bancos brasileiros fecharam 1.024 postos de trabalho no país em janeiro. Os estados onde houve mais cortes foram São Paulo (278 postos fechados), Rio de Janeiro (177) e Minas Gerais (114). O dado foi divulgado nesta quarta (26) pela Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT), por meio da Pesquisa de Emprego Bancário, feita em parceria com o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese).

Segundo a pesquisa, o número só não foi maior porque a Caixa Econômica Federal criou 521 vagas no período. O estado que apresentou o maior saldo positivo de contratações no sistema financeiro foi Rondônia, com a geração de sete postos. Os bancos contrataram 2.613 funcionários em janeiro, mas desligaram 3.637 no mesmo mês.

“Apesar dos lucros bilionários, os bancos brasileiros, principalmente os privados, continuaram reduzindo postos de trabalho, a exemplo de meses anteriores, o que é completamente injustificável. Dessa forma, eles travam a geração de empregos e renda, prejudicam o emprego dos bancários e não contribuem para o crescimento com desenvolvimento econômico e social do país”, disse Carlos Cordeiro, presidente da Contraf-CUT, por meio de nota.

A pesquisa, feita com base em dados coletados no Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho e Emprego, também apontou que o salário médio dos admitidos nos bancos foi menor do que o salário dos que foram desligados em janeiro. Os novos funcionários foram admitidos com salário médio de R$ 3.443,22, valor 36% menor que o salário médio dos funcionários que foram desligados, de R$ 5.407,07.

O estudo feito pelo Dieese também apontou uma grande diferença entre os salários recebidos pelos diretores de bancos e os bancários. No Itaú, por exemplo,  cada diretor recebeu um salário médio de R$ 9,05 milhões em 2012, valor 191,8 vezes maior que o piso salarial do bancário.

(Agência Brasil)

BNB lança seu programa de demissão voluntária

O presidente do Banco do Nordeste do Brasil, Ary Joel, lançou, nesta manhã de segunda-feira, em Brasília, o Programa de Incentivo ao Desligamento (PID) do banco, uma espécie de “demissão voluntária”.

O programa estará disponível para quem estiver com 30 anos de contribuição junto a Capef (caixa de previdência do BNB) e 35 anos de contribuição para o INSS.

Esse PID do BNB oferece oito salários brutos e 40% do FGTS para quem aderir.

Detalhe: Não é obrigatório.

(Blog do Eliomar de Lima)

Bradesco é condenado por reiterados interditos proibitórios durante greves

O juiz Alessandro da Silva, da 2ª Vara do Trabalho de São José, declarou o Banco Bradesco S.A. litigante de má-fé e o condenou ao pagamento de indenização ao Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos Bancários de Florianópolis e Região, por perdas e danos. Para o magistrado, a reiterada atitude de propôr interditos proibitórios demonstra abuso do exercício do direito de ação.

Durante a greve dos bancários, iniciada em 19 setembro de 2013, o banco propôs a ação possessória alegando que a posse dos estabelecimentos estava ameaçada. Na época, o pedido liminar foi negado pela juíza Maria Beatriz Vieira da Silva Gubert, depois de averiguação pessoal feita por um oficial de justiça. De acordo com a certidão, ele foi a diversas agências e constatou que elas abriram normalmente, sem nenhum empecilho por parte dos grevistas.

Agora, o juiz extinguiu o processo, sem resolução do mérito, e determinou a execução da sentença, que transitou em julgado. Para o juiz Alessandro, o interdito proibitório não pode ser utilizado como instrumento de inviabilização das atividades reivindicatórias. “Já é hora de superar as visões que qualificam a greve como ato ofensivo e antissocial, prejudicial à negociação coletiva, e perceber que se trata de um princípio fundamental de luta por melhores condições de trabalho, garantido pela própria Constituição Federal”, registra o juiz Alessandro na sentença.

O magistrado criticou o pedido de utilização de força policial para resguardar a propriedade privada, sem que houvesse uma efetiva ameaça de dano. Segundo seu entendimento, o Bradesco busca a intervenção do Estado no conflito social sob o pretexto de defesa da posse de seus bens, impedindo a livre manifestação dos trabalhadores.

Para aplicar a multa, o juiz Alessandro destacou que durante o movimento paredista ou mesmo no período que o antecede, o banco reiteradamente ajuíza este tipo de ação. O Banco foi condenado ao pagamento de multa equivalente a 1% e a indenizar o sindicato em 20%, ambos os percentuais incidentes sobre R$ 1 mil, que foi o valor da causa.

(Âmbito Jurídico)

Santander antecipa a PLR para o dia 20 e Itaú, dia 27

Os funcionários do Bradesco receberam antecipadamente a segunda parcela da PLR nesta sexta (7). No dia 3 passado os funcionários do Citibank também já haviam recebido. A Convenção Coletiva de Trabalho determina que os bancos têm até o dia 03 de março para efetuarem o pagamento. A Contraf-CUT, no entanto, tem pressionado pela antecipação e alguns bancos já confirmaram as datas em que efetuarão os pagamentos. 

O Santander informou que pagará no dia 20 e o Itaú no dia 27. O HSBC ainda não se posicionou em relação à reivindicação.

O Banco do Brasil e a Caixa Federal, que têm regras próprias, se posicionarão apenas após a publicação de seus balanços. O resultado do BB do ano passado será divulgado no dia 13 e o da Caixa, segundo informação do banco público, só ocorrerá na segunda quinzena deste mês.

A PLR é composta por regra básica e parcela adicional. A regra básica, que é paga em duas parcelas, corresponde a 90% do salário do bancário mais R$ 1.694. A primeira parcela (54% do salário mais R$ 1.016) foi acertada no final do ano passado e a segunda tem de vir até 3 de março.

O montante a ser distribuído aos trabalhadores deve alcançar pelo menos 5% do lucro líquido do banco. Se isso não ocorrer, os valores são aumentados até que atinjam os 5% do resultado ou cheguem a 2,2 salários dos funcionários, o que ocorrer primeiro.

A parcela adicional equivale à distribuição de 2,2% do lucro entre os funcionários – ou seja, todos recebem o mesmo valor -, com limite de R$ 3.388. Do valor total será descontada a antecipação feita ao final da Campanha 2013.

PLR sem IR 

Desde o início de 2013, os bancários também podem comemorar a mordida menor do leão na PLR. Com a criação de tabela de tributação exclusiva, está garantida a isenção para quem recebe PLR de até R$ 6.270 e descontos menores a partir desse valor. A isenção era a partir de R$ 6 mil, mas o valor aumentou devido à correção de 4,5% na tabela do IR. Assim, todos pagam menos imposto, independentemente de quanto recebem como participação nos lucros.

Fonte: Contraf-CUT

Apcef Ceará empossa nova Diretoria para gestão 2014/2016

A nova diretoria da Apcef Ceará tomou posse para o triênio 2014/2016 em solenidade realizada no último dia 31/1. A festa aconteceu no Clube da Caixa e contou com a presença de associados, do vice-presidente da Fenae, Jair Pedro Ferreira, do presidente do Sindicato dos Bancários do Ceará, Carlos Eduardo Bezerra, e de representantes de outras entidades associativas e sindicais dos trabalhadores, como Contraf, Fetrafi/NE, CUT e CTB.

Jair Pedro Ferreira falou sobre a consolidação da parceria entre as diversas entidades representativas dos empregados no fortalecimento da luta dos trabalhadores. “Todas as pessoas que dão vida a essas entidades alimentam a nossa luta. Temos um objetivo em comum que é defesa intransigente dos direitos dos bancários da Caixa e dos trabalhadores em geral”, afirmou. “Gostaria de parabenizar toda a Diretoria da Apcef Ceará por todo o trabalho realizado até aqui e desejar sucesso ao longo do novo mandato. Conte com a Fenae para os próximos desafios”, completou.

“Que essa seja uma gestão vitoriosa, de muito trabalho e de muitas conquistas. Os desafios dos trabalhadores da Caixa são grandiosos, mas sabemos que a Apcef estará junto ao Sindicato, e a todos que compõem a grande família Caixa, para enfrentá-los. Que 2014 seja um ano de lutas e conquistas para o povo brasileiro e para todos os empregados da Caixa. Esse é o papel que nós, diretores da Apcef, temos e vamos cumprir junto a todos aqueles que nos elegeram”, afirmou Elvira Madeira, diretora eleita.

Já o presidente do Sindicato dos Bancários, Carlos Eduardo Bezerra, parabenizou “a ousadia, a coragem e a luta” dos que constroem a gestão da entidade. “Parabenizo esse conjunto de companheiros que constroem não somente a gestão física e administrativa necessária para o atendimento dos interesses dos colegas da Caixa, mas que desenvolvem um trabalho para avançar na proteção dos direitos dos colegas da Caixa enquanto trabalhadores bancários e enquanto classe trabalhadora”.

Composição da Diretoria Executiva e dos Conselhos Fiscal e Deliberativo para a gestão 2014/2016:

Diretoria Executiva
Presidente: José Áureo de Oliveira Júnior
Vice-presidente: Antonio Sancho de Carvalho Araujo Filho
1º Secretário: Túlio Roberto Nogueira Menezes
2º Secretário: Francisca Edlania de Brito
1º Tesoureiro: Rochael Almeida Sousa
2º Tesoureiro: Mauro Barbosa Marques
Diretor de Relações de Trabalho: Marcos Aurélio Saraiva Holanda

Conselho Deliberativo
André Luis Meireles Justi
José Aloisio Alves Ferreira
Rubenita Alves Moreira dos Santos
Nelson Faria
Carlos Rogerio de Oliveira Montenegro
Elvira Ribeiro Madeira
Emanuel Martins Farias
Jefferson Tramontini
Carolina Nogueira de Amorim

Conselho Fiscal
Ricardo Lessa de Castro
Alexandre Roger Cardoso Albuquerque
Cícero Alves Correia
José Mário Pereira
Antonio Alex Queiroz de Oliveira
Marlucia Lima de Oliveira

==========

“Para este ano de 2014, temos grandes desafios e grandes ideias no campo da cultura, do esporte e do lazer, dando continuidade à ampliação das nossas instalações. Além disso, vamos manter a nossa atuação na defesa dos empregados da Caixa e na consolidação dos seus direitos”
Áureo Júnior, presidente reeleito da APCEF/CE e diretor do SEEB/CE

(Sindicato dos Bancários do Ceará)

Folga assiduidade: Bancários têm direito a usufruir do benefício até agosto

Durante a Campanha Nacional dos Bancários 2013, a categoria conquistou um importante direito: a folga assiduidade. Trata-se de um dia de ausência remunerada ao empregado que não tenha falta injustificada ao trabalho no período de um ano. O benefício está previsto na cláusula 24ª da Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) de 2013/2014.

O benefício, inclusive, já pode ser requerido e o direito pode ser exercido até o dia 31 de agosto deste ano para quem não tem falta no período de 01/09/2012 a 31/08/2013 e a data deve ser definida pelo funcionário em conjunto com o gestor. A folga é devida a todos os bancários com um ano de vínculo empregatício com o banco e em efetivo exercício no dia 18 de outubro de 2013, quando foi assinada a CCT.

Essa nova conquista não poderá ser convertida em pecúnia, não adquire caráter cumulativo e não poderá ser utilizada para compensar faltas ao serviço.

O Sindicato dos Bancários, entretanto, alerta para que a categoria faça valer seu direito, pois há casos em que os bancos ainda não orientaram seus gestores sobre a utilização da folga assiduidade e, por isso, muitos bancários ainda encontram obstáculos para usufruir o novo benefício. Qualquer problema deve ser denunciado imediatamente ao Sindicato, através do telefone (85) 3252 4266, para que se possa buscar uma solução.

É importante ressaltar que os bancos que já concedem folgas ao empregado, como “faltas abonadas”, “abono assiduidade”, “folga de aniversário”, ficam desobrigados do cumprimento deste benefício, sempre observando a fruição dessa folga em dia útil.

Confira a íntegra da redação da nova conquista:

CLÁUSULA 24ª – FOLGA ASSIDUIDADE

Os bancos concederão 1 (um) dia de ausência remunerada, a título de “folga assiduidade”, ao empregado em efetivo exercício na data da assinatura da Convenção Coletiva de Trabalho e que não tenha nenhuma falta injustificada ao trabalho no período de 01/09/2012 a 31/08/2013.

Parágrafo Primeiro – Para gozo do benefício, o empregado deverá ter, no mínimo, 12 (doze) meses de vínculo empregatício com o banco.

Parágrafo Segundo – O dia de fruição ocorrerá impreterivelmente no período de 01/09/2013 a 31/08/2014 e será definido pelo gestor em conjunto com o empregado.

Parágrafo Terceiro – A “folga assiduidade” de que trata esta Cláusula não poderá, em hipótese alguma, ser convertida em pecúnia, não poderá adquirir caráter cumulativo e não poderá ser utilizada para compensar faltas ao serviço.

Parágrafo Quarto – O banco que já concede qualquer outro benefício que resulte em folga ao empregado, tais como “faltas abonadas”, “abono assiduidade”, “folga de aniversário”, e outros, fica desobrigado do cumprimento desta cláusula, sempre observando a fruição dessa folga em dia útil e dentro do período estipulado no parágrafo primeiro.

===============

“Através da luta dos trabalhadores, a partir de agora, cada bancário terá pelo menos um dia de folga para resolver problemas, esticar o fim de semana ou tratar de assuntos pessoais. Isso é fruto da mobilização, da união e da resistência e é por esse caminho que a cada ano garantimos mais  direitos para todos”
Carlos Eduardo Bezerra, presidente do Sindicato dos Bancários do Ceará

(Sindicato dos Bancários do Ceará)

Banco do Brasil terá sua primeira agência em Shanghai, na China

Hoje trazemos uma entrevista exclusiva que toca a cooperação no âmbito financeiro entre a China e o Brasil. Nossa colega Rebeca Zhang entrevistou o chefe do escritório de representação do Banco do Brasil em Shanghai, Sérgio Quadros. O BB já obteve a licença das autoridades chinesas e vai fazer um upgrade de seu escritório e abrir sua primeira agência na China este ano.

Na entrevista, Sérgio Quadros, com sua experiência de quase 31 anos no setor bancário e seis de trabalho na representação do BB em Shanghai, fala do desenvolvimento do próprio banco na China e também nos apresenta sua opinião sobre as reformas econômicas do país asiático, a cooperação sino-brasileira neste momento histórico em que se completam quarenta anos de relação bilateral e muito mais.

 

Bradesco é condenado a pagar R$ 100 mil a funcionário por transporte de numerário

A juíza do trabalho Renata Nunes de Melo, da Vara do Trabalho de Ariquemes (Rondônia), condenou o Bradesco a pagar, a título de indenização por danos morais, R$ 100 mil a um funcionário que, por aproximadamente 10 anos, fez o transporte de numerários da agência daquele município para outras localidades.

De acordo com a ação judicial, o funcionário foi contratado em fevereiro de 1999 para a função de escriturário, mas no período de 2001 a 2011, acabou se vendo ‘obrigado’ a executar função totalmente diferente a da sua contratação, a de fazer o transporte de numerários para municípios circunvizinhos (Machadinho do Oeste, Campo Novo, Monte Negro, Buritis, Alto Paraíso, Cujubim e Cacaulância). Os valores eram, em média, de R$ 30 mil, e o transporte era feito pelo menos duas vezes por semana, com a utilização de carro próprio, táxi ou carro alugado pelo banco e, tudo com a companhia (eventual) de apenas mais um bancário.

A exemplo das testemunhas do reclamante, nem mesmo uma das testemunhas de defesa do reclamado (o banco) foi capaz de negar que o transporte de numerário era feito por funcionários daquela agência, sendo que até esta testemunha patronal também já o havia feito eventualmente.

“… Ora, é consabido que a atividade de transporte de valores é extremamente arriscada, tanto que é realizada por empresas altamente especializadas, por meio da utilização de carros-forte e por seguranças treinados e fortemente armados. Os riscos inerentes a tal atividade são por demais exacerbados já que os veículos que conduzem o numerário estão constantemente na mira de criminosos.”, diz trecho da sentença.

Para a magistrada, é absolutamente razoável pressupor que qualquer pessoa ficaria demasiadamente abalada ao se sujeitar, de forma habitual e por tão longo lapso temporal (incríveis 10 anos), ao transporte totalmente inadequado de altas quantias de dinheiro, expondo-se ao risco considerável de ser alvo de criminosos. “O medo, a angústia, a ansiedade e a insegurança são sentimentos que naturalmente brotam em qualquer ser humano nessas circunstâncias, desestabilizando emocionalmente a pessoa. É inegável que o trabalhador esteve exposto e vulnerável, em sua faina quase diuturna, à violência, circunstância que por si só causa tensão e stress. Ademais, importa consignar que não fora ele contratado para realizar transporte de valores, tendo laborado, pois, em total desvio de função e para cujo desempenho não recebeu qualquer treinamento”.

O banco foi condenado ao pagamento de R$ 100 mil por danos morais (sendo o cálculo baseado em R$ 10 mil pelos 10 anos de transporte ilegal de numerário), mais 15% do valor da condenação a título de honorários advocatícios.

A ação foi ajuizada pela advogada Karoline Costa Monteiro, do escritório Fonseca & Assis Advogados Associados, responsável pela assessoria jurídica do SEEB/RO.

(SEEB Roraíma)

Caixa muda data de concursos para técnicos bancários, médicos e engenheiros

A Caixa Econômica Federal mudou a data da prova dos concursos que vão preencher vagas de nível médio, para o cargo de técnico bancário, e superior, dos cargos de médico do trabalho e engenheiro.

A avaliação passou do dia 23 de março para o dia 30 de março, segundo retificação do edital publicada pela Cespe.

Informações sobre os locais e horários das provas serão divulgadas no dia 17 de março.

O resultado deve ser anunciado no dia 24 de abril. Para técnico bancário, a organizadora do certame mudou a pontuação e o peso da prova. Veja todas as mudanças no Banco de Concursos.

As inscrições terminam no dia 11 de fevereiro. Acesse material de estudo e informações no R7 Concursos.

(R7)

Confira dez dicas para passar em concursos públicos do Cespe/UnB

Diana Figueiredo, via Extra Online

Quem vai prestar concursos públicos como os da Caixa Econômica, do Ministério do Trabalho ou do Instituto Chico Mendes sabe que terá que enfrentar uma banca com um perfil diferenciado. O Cespe/UnB é a organizadora conhecida por aplicar questões de certo ou errado, onde uma questão em discordância com o gabarito oficial anula uma correta, o que requer mais atenção do concorrente.

O professor Rodrigo Menezes, diretor do curso online Concurso Virtual explica que “chutar”, portanto, é arriscado, pois o candidato perde ponto. Uma solução é deixar as questões em branco ou com marcação dupla (anulando a resposta), pois assim nem ganha nem perde ponto.

Ele também destaca que, numa prova com 120 itens, normalmente o Cespe colocará 60 questões com gabarito “certo” e 60, “errado”.

- Se o candidato “chutar” a prova inteira, como o gabarito só pode ser certo ou errado, terá 50% de chance de acertar cada questão. Mas o que acontece se você acertar a metade das questões da prova? É simples: acertando 60 questões, você ganha 60 pontos, mas os perde por causa das 60 erradas. Qual será sua nota? Zero – explica, destacando que é preciso ter técnica.

Veja dicas técnicas para fazer provas do Cespe *

1) O cartão de respostas do Cespe tem como opções: “C” e “E”. Se você assinalar uma das opções e depois perceber que deveria ter marcado a outra, preencha as duas. Isso significa que você não pontuará e nem perderá ponto, pois a questão estará sendo anulada. Da mesma forma, se você não preencher nenhuma das duas opções, a questão também será anulada. Portanto, se você acertar 60 questões e deixar as outras 60 em branco, ganhará 60 pontos (sem perder nenhum);

2) Resolva primeiro as questões que você considera que sabe. Deixe as questões que teve dúvidas, ou que você não sabe, para o final, mas já faça uma marcação na sua prova: escreva ao lado da questão “dúvida” (e a provável resposta) ou “não sei”.

3) Deixe questões que envolvem contas por último. Elas demandam muito tempo e é perigoso fazê-las primeiro que as questões que exigem apenas leitura. Se não, você pode acabar não conseguindo fazer várias questões simples, porque perdeu tempo em questões complicadas.

4) Ao se deparar com alguma que gere dúvida, pense: você não sabe a resposta ou apenas está em dúvida? No caso de apenas estar em dúvida, vale a pena arriscar (considerando que você se preparou bem para a prova e, portanto, há uma probabilidade grande de acertar a maioria das questões que gerem dúvida). Marque! Já no caso de realmente não saber a resposta, vale a pena deixar a questão em branco para não perder ponto.

5) Numa prova de 120 itens, tente não deixar mais do que 10 em branco. Duas são as razões para um candidato deixar muitas questões em branco: ele não está suficientemente preparado ou ele está com muito medo de marcar. O primeiro caso não tem jeito… ele terá que estudar mais para o próximo concurso, mas o segundo caso é que preocupa, porque ele sabe a matéria, mas “amarela” na hora da prova. Não faça isso! O único jeito de ser aprovado é fazendo muitos pontos e perdendo poucos. Você precisa fazer pontos e, se deixar muitas questões em branco, não terá pontos suficientes para passar.

6) Aceite um fato: haverá questões que você “terá certeza” de que acertou, mas errará, bem como acertará questões que estava em dúvida. Por isso, não esqueça das dicas 4 e 5.

7) Por mais que você estude, nunca conseguirá gabaritar uma prova do Cespe. Normalmente o primeiro colocar nos concursos organizados por essa banca fazem 80% dos pontos. Sendo assim, mesmo que você esteja sabendo muito bem a matéria, não se desespere ao se deparar com questões que você não sabe. Isso é normal.

8) Reserve uma hora para fazer a Redação e quarenta minutos para marcar a Folha de Respostas. Marque na Folha de Respostas todas que você tinha certeza. Se der tempo, revise as questões que você teve dúvida e marque-as também.

9) Essa dica é o grande diferencial. Preste muita atenção! Após preencher a Folha de Respostas (por exemplo: 100 itens respondidos e 20 em branco), conte a quantidade de itens que você marcou “C” e os que assinalou “E”. Por exemplo: 60 “E” e 40 “C”. Observe que há um número bem maior de alternativas “E” em relação às “C”. Se a prova tem 120 itens, a tendência é que no gabarito da banca haja 60 “E” e 60 “C”. Sendo assim, você vai assinalar “C” em todas as alternativas em branco. A probabilidade é de que você acerte a maioria dessas 20. Se você acertar 11 e errar 9, já terá valido a pena, pois ganhará 2 pontos. A tendência é que você acerte bem mais do isso e ganhe muitos pontos só com essa técnica! Resumindo: após contar quantos “C” e “E” você marcou, não deixe nenhum item “em branco”. Marque todos eles com a opção que você menos marcou na sua Folha de Respostas. Essa dica vale, inclusive, para a parte de Conhecimentos Básicos e Conhecimentos Específicos. Se forem 50 itens de Conhecimentos Básicos e 70 de Conhecimentos Específicos, o gabarito será meio a meio, ou seja 25 itens “C” e 25 “E” na primeira parte e 35 “C” e 35 “E” na segunda.

10) Treine bastante as dicas anteriores fazendo de provas de concursos já organizados pelo Cespe. Faça provas inteiras para aplicar as técnicas de forma completa. Lembre-se: poucos pontos podem fazer a diferença entre você conseguir ou não a sua vaga!

* Segundo o professor Rodrigo Menezes

Curso Preparatório para Certificação CPA-20 da ANBIMA; Início dia 17/02

CPA 20 PRESENCIAL – INÍCIO 17.02.2014 – PROF. JOÃO HENRIQUE LEMOS

Curso preparatório para a Certificação no CPA 20 pela ANBIMA em FEVEREIRO, conforme abaixo: 

Início: 17.02.2014 a 11.03.2014.  11 encontros nas seguintes datas: 

5 encontros na semana de: 17 a 21.02.2014 (segunda a sexta-feira); 
4 encontros na semana de: 24 a 27.02.2014 (segunda a quinta-feira); 
2 encontros finais nos dias 10 e 11.03.2014 (segunda e terça-feira, após o carnaval).

 

Local: Banco de Negócios – Av. Barão de Studart, 1135 – Aldeota

(Sentido praia – após a farmácia Extrafarma).

 

Horário das 19:00h as 22:00h.

Investimento:   R$ 350,00 – Podendo ser parcelado em até 12 (doze) vezes no cartão de crédito pelo Pagseguro.               

 

Inscrições Abertas exclusivamente no site: www.joaohenriquelemos.com

 

Material Didático:  * Apostila Completa (PDF) com 100% do conteúdo programático exigido pela ANBIMA;

* Cópia de todos os slides utilizados durante o curso;

* Exercícios e Simulados com aproximadamente 400 questões resolvidas e comentadas em sala de aula.

 

Conteúdo Programático:

 Módulo 1 : Princípios Básicos de Economia, Finanças e Estatística

Módulo 2: Fundos de Investimento

Módulo 3: Demais Produtos de Investimento

Módulo 4: Tributação

Módulo 5: Órgãos de Regulação, Aurorregulação, Fiscalização e Participantes do Mercado

Módulo 6: Compliance Legal, Ética e Análise do Perfil do Investidor

Módulo 7: Mensuração, Gestão de Performance e Risco

 

Maiores informações com o Prof. João Henrique – (85) 9925.9380

Banco do Brasil é processado por enviar até 80 torpedos por dia a funcionários cobrando metas

O Ministério Público do Trabalho do Piauí (MPT-PI) entrou com ação contra o Banco do Brasil pedindo uma indenização de R$ 10 milhões por dano moral. O motivo é o assédio moral que os funcionários da superintendência do Banco no estado têm sofrido com cobranças de metas a serem atingidas. A principal forma de pressão acontece por meio de mensagens SMS em aparelhos celulares corporativos. Caso o banco seja condenado, o valor da multa deverá ser revertido em campanha publicitária de combate ao assédio moral no trabalho e em programas de acompanhamento psicológico aos trabalhadores.

Iniciadas em janeiro de 2013, a partir de dados do Sindicato dos Bancários no Piauí, as investigações constataram que, apesar do plano de metas da empresa ser semestral, a exigência ocorria diversas vezes ao dia, tendo casos em que um determinado funcionário afirmou ter recebido mais de 80 mensagens seguidas. De acordo com o MPT, a pressão desencadeou doenças nos funcionários – alguns estavam tomando remédio controlado para trabalhar e outros chegaram até a antecipar a aposentadoria.

As cobranças também eram enviadas fora do horário de serviço, nos finais de semana e de madrugada. “Não conseguia mais dormir, vivia com uma sensação de frustração. A superintendência do BB cobrava de tal forma que me sentia incapacitado”, afirmou um dos bancários em depoimento. “Eu recebia tantas ligações e SMS no celular corporativo que já o deixava no ‘vibra’, porque o toque me dava tique nervoso”, informou um dos gerentes.

Para a procuradora do Trabalho Maria Elena Moreira Rêgo, responsável pela investigação, o tom de cobrança nas mensagens era agressivo, irônico, ameaçador e extrapola os limites do aceitável. “A pressão que esses trabalhadores sofreram é injustificável e insuportável. Ouvi relatos emocionantes de homens angustiados. Trabalhadores que começaram a ser cobrados e pressionados tão intensa e constantemente que não resistiram e desistiram”, afirmou.

Segundo o MPT, a procuradora relata na ação que os trabalhadores que prestaram depoimento são profissionais que dedicaram a vida ao Banco do Brasil e, ao longo de anos de serviço, apresentaram fichas funcionais impecáveis. “A partir de dezembro de 2011, com a nova gestão da administração regional, começou o período de terror psicológico, que provocou estragos irreversíveis na vida dos gerentes”.

Doenças
Dos funcionários ouvidos, quatro desenvolveram a Síndrome de Burnout (Síndrome do Esgotamento Profissional) em um período de 12 meses. A doença é caracterizada pelo estado de tensão emocional e estresse crônico, relacionados às condições desgastantes do trabalho. As vítimas da enfermidade, todas elas profissionais com histórico de sucesso no banco, tinham sentimento de incompetência, fracasso e desempenho insatisfatório no trabalho. Também foram detectados sintomas como depressão, tremores, comportamentos agressivos e impaciência.

Na ação, que foi ajuizada em 16 de dezembro de 2013 e distribuída para a 4ª Vara do Trabalho de Teresina, a procuradora pede ainda a quebra de sigilo de dados telefônicos de todos os celulares corporativos do Banco do Brasil no Piauí para a empresa Telemar Norte Leste S/A, a fim de verificar a frequência das ligações e envios de SMS. Se a empresa de telefonia não atender ao pedido, pode ser multada em R$ 1 mil por dia de atraso no envio dos relatórios com os registros das chamadas e mensagens.

(Época Negócios)

Banco do Brasil é condenado em R$ 2 milhões por ‘ridicularização pública’

A Justiça do Trabalho da Bahia condenou o Banco do Brasil a pagar R$ 2 milhões em indenização por dano moral coletivo pela prática de assédio moral. A condenação é uma ação civil pública movida pelo Ministério Público do Trabalho no Estado (MPT-BA).

Segundo nota publicada no site do MPT, foi comprovado em inquérito que a Superintendência Regional do Banco do Brasil ofendia os empregados para aumentar o volume de negócios do banco.

As principais ameaças, de acordo com o MPT, eram de perda de cargo comissionado, pressão para prática de atos contrários às normas internas do banco, “ridicularização pública”, “isolamento” e colocação de apelidos “ofensivos”, como dificultador, travador de crédito, entre outros “bem mais graves”.

Getty Images

BB deverá oferecer assistência médica, psicológica e psiquiátrica completa e gratuita aos funcionários

Para o procurador do Trabalho Luís Antônio Barbosa da Silva, autor da ação, o banco se revelou omisso e tolerante ao processo de assédio moral. “Os maus-tratos psicológicos afetaram a saúde e a autoestima dos trabalhadores, causando-lhes um quadro de estresse, depressão e ansiedade”, afirma o procurador.

Obrigações

Além da indenização, o Banco do Brasil fica obrigado a disponibilizar assistência médica, psicológica e psiquiátrica completa e gratuita a todos os empregados e ex-empregados que tenham sofrido assédio moral na empresa.

Para coibir a prática, a instituição também terá de promover campanha interna de conscientização com distribuição de cartilha informativa, realização de palestras sobre o tema a cada seis meses por dez anos, além de criar meios para recebimento e processamento de denúncias sobre a prática.

O BB terá ainda de publicar nota nos jornais de grande circulação pedindo desculpas aos funcionários ofendidos. Em caso de descumprimento, será cobrada multa de R$ 50 mil por item infringido.

Em nota, o Banco do Brasil afirma que “não compactua com qualquer prática de assédio moral, possuindo política interna para apuração de denúncias relacionadas ao assunto”.

Sobre a ação movida pelo MPT, o banco destaca que analisa a decisão e avalia as medidas jurídicas pertinentes.

(Patricia Basílio, IG Economia) 

Tribunal garante indenização de R$ 552 mil para ex-bancária do HSBC

O banco HSBC foi condenado pela 2ª Turma do Tribunal Regional do Trabalho em Mato Grosso (TRT-MT) a indenizar uma ex-funcionária em R$ 552 mil, por danos morais e materiais, horas extras, além de outros direitos reconhecidos.

A bancária, que atuava na empresa desde 1988, foi demitida após diminuir a capacidade de produção, devido à constatação de uma doença ocasionada pela função que ocupava.

A decisão reformou sentença de primeiro grau, que resultou na diminuição da condenação quanto aos danos materiais em cerca de R$ 72 mil

Na sentença anterior, proferida pelo juiz José Roberto Gomes, em atuação na 4ª Vara do Trabalho de Cuiabá, a trabalhadora teve reconhecidas as horas extras que não foram pagas e a ocorrência de danos material e moral.

A doença

Consta da petição inicial que a bancária começou a sentir dores resultantes da atividade que desenvolvia no banco em 2006, e iniciou tratamento sem se afastar do trabalho. 

Como passou a produzir menos e não cumprir as metas da agência, foi demitida sem justa causa, em 1º de junho de 2006.

No ato da homologação da rescisão, com a interferência do sindicato, o banco concordou em suspender a demissão até que o INSS realizasse perícia.

No laudo ficou constatada a ocorrência de doença de origem ocupacional. Por isso, foi-lhe concedido o auxílio-doença acidentário. 

O banco interpôs recurso administrativo para modificar o benefício para auxílio-doença previdenciário, mas o órgão negou o pedido.

Após quase quatro anos sem poder retornar ao trabalho, a bancária propôs a ação trabalhista em fevereiro de 2010.

O recurso

Condenada pela decisão da 4ª Vara, a empresa recorreu ao Tribunal requerendo reforma da sentença quanto às horas extras, à ocorrência de doença ocupacional e às indenizações por danos morais e materiais, além da condenação em honorários advocatícios.

A relatora, desembargadora Maria Berenice, analisou um pedido preliminar de desconsideração da perícia, descrevendo o tortuoso caminho até o laudo pericial, no qual o juízo de 1º grau fundamentou sua decisão.

A magistrada destacou que o primeiro perito informou que não estavam sendo agendadas perícias médicas e, por isso, foi destituído. Foi nomeada nova perita, que declinou do trabalho. 

A terceira perita realizou o exame, mas teve o laudo contestado por não ter permitido a presença do assistente técnico da trabalhadora e o juiz entendeu que deveria anular o laudo. 

O quarto perito nomeado realizou o exame, que também foi contestado pela bancária e anulado pelo juiz.

Somente o quinto perito nomeado levou a bom termo a missão, tendo seu laudo sido aceito pelo juiz. A relatora também considerou o laudo “esclarecedor e sem qualquer mácula”.

Quanto às questões de mérito, a desembargadora relatora manteve a condenação do banco para pagar horas extras, decidindo que a jornada da bancária era de seis horas.

Na questão da indenização por danos morais, a relatora manteve o valor de R$ 100 mil, assinalando que “há nos autos prova firme de que a patologia apresentada pela autora seja decorrente das atividades desenvolvidas”.

Sobre os danos materiais (lucros cessantes), o valor para cálculo foi reduzido em cerca de R$ 1 mil, tendo por base a efetiva quantia recebida pela empregada, sendo por isso determinado o refazimento dos cálculos.

Quanto aos honorários advocatícios, a relatora modificou a decisão de 1º grau, que concedera honorários de sucumbência, mas deferiu o pedido de honorários assistenciais, uma vez que a bancária foi assistida pelo advogado do Sindicato dos Bancários.

A Turma, por unanimidade, acompanhou o voto da relatora.

Bancos cortam 4.300 vagas em 2013 e contratam pessoal com salários menores

São Paulo – O setor financeiro fechou 4.329 postos de trabalho formais em 2013, segundo levantamento divulgado pela Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT), com elaboração do Dieese. Foram 38.563 contratações e 42.892 demissões. Além dos empregos a menos, o estudo detecta queda na remuneração, à medida que os admitidos têm salário médio menor que o dos dispensados. A diferença, para menos, é de 37,3%.

O corte de vagas se concentra justamente no segmento que concentra as principais instituições bancárias. Os chamados bancos múltiplos com carteira comercial fecharam 10.109 postos de trabalho. O resultado não foi pior porque a Caixa Econômica Federal criou 5.486 empregos.

O salário médio dos funcionários contratados foi de R$ 2.966,47. Já o ganho médio dos demitidos era de R$ 4.731,57.

“Os bancos privados seguiram abusando da rotatividade, esse mecanismo perverso usado para reduzir a massa salarial e turbinar ainda mais os lucros”, afirma o presidente da confederação, Carlos Cordeiro. Segundo a entidade, a concentração de renda, uma característica brasileira, é ainda maior no sistema financeiro. A diferença salarial entre executivos e caixas é de 119,2 vezes no Santander e de 106 vezes no Bradesco – no Itaú, a diferença entre ganho do executivo e o piso salarial foi de 119,8 vezes a favor do primeiro. A Contraf-CUT cita estudo do Dieese, com base no Censo de 2010, que aponta os 10% mais ricos com renda média mensal 39 vezes maior que a dos 10% mais pobres.

(Rede Brasil Atual)

MPF aciona ex-presidente do BNB e mais 10 por rombo de R$ 1,27 bilhão

Roberto Smith

O Ministério Público Federal no Ceará (MPF/CE) denunciou o ex-presidente do Banco do Nordeste do Brasil (BNB), Roberto Smith, e mais dez dirigentes da instituição financeira pela prática de gestão fraudulenta. Segundo a denúncia do procurador da República Edmac Trigueiro, os ex-gestores teriam praticado irregularidades na administração dos recursos do Fundo Constitucional de Desenvolvimento do Nordeste (FNE), provocando um desfalque superior a R$ 1,27 bilhão.

O rombo teria acontecido após os dirigentes do BNB autorizarem pelo menos 52 mil empréstimos, dentre eles repasses milionários, a empresários. Depois que os empréstimos eram realizados, os gestores bancários ignoravam os procedimentos de cobrança, encobrindo a real situação patrimonial do FNE.

De acordo com a denúncia, relatório de auditoria operacional do Tribunal de Contas da União (TCU) constatou a existência de clientes com dezenas e até centenas de operações baixadas em prejuízo, sem que tenha sido feita ação de cobrança judicial por parte do BNB, em detrimento dos normativos do banco. De 55.051 operações auditadas, somente 2.385 possuíam Autorização de Cobrança Judicial (ACJ).

Na ação penal ajuizada, o MPF solicitou ao TCU um laudo pericial que especifique o montante que estaria perdido dos cofres públicos devido à prescrição de possibilidade do banco exigir judicialmente o crédito. “Em alguns casos, o dinheiro pode não ser mais recuperado. A dívida não some, mas o banco não pode mais cobrar judicialmente o valor devido”, explica o procurar Edmac Trigueiro.

O MPF ainda investiga se há relação entre os inadimplentes beneficiários dos empréstimos com os gestores do BNB réus na ação.

Denunciados:

Roberto Smith, presidente do BNB à época dos fatos; Luiz Carlos Everton de Farias, compunha a diretoria do BNB à época dos fatos; Luiz Henrique Mascarenhas Correia Silva, compunha a diretoria do BNB à época dos fatos; Paulo Sérgio Rebouças Ferraro, compunha a diretoria do BNB à época dos fatos; Oswaldo Serrano de Oliveira, compunha a diretoria do BNB à época dos fatos; Pedro Rafael Lapa, compunha a diretoria do BNB à época dos fatos; João Francisco de Freitas Peixoto, superintendente de Controle Financeiro do BNB à época dos fatos; Jefferson Cavalcante Albuquerque, superintendente de Controles Internos, Segurança e Gestão de Riscos do BNB à época dos fatos; José Andrade Costa, superintendente de Crédito e Gestão de Produtos do BNB à época dos fatos; João Alves de Melo, presidente do Comitê de Auditoria do BNB à época dos fatos; Dimas Tadeu Fernandes Madeira, superintendente de Auditoria do BNB à época dos fatos.

Veja na íntegra a ação: http://noticias.pgr.mpf.mp.br/noticias/noticias-do-site/copy_of_pdfs/BNB.pdf

(PRCE)

SEEB-CE convoca beneficiários da Ação do Anuênio do BB para reunião no sábado 25/1

O Sindicato dos Bancários do Ceará convoca os beneficiários da ação do anuênio do Banco do Brasil que tenham valores incontroversos a receber (veja aqui se você está na lista) para virem à sede da entidade no próximo sábado, dia 25/1, às 9h. Ao todo, 95 beneficiários devem comparecer à reunião. Na ocasião, a Diretoria e o Departamento Jurídico do Sindicato irão prestar esclarecimentos sobre o processo e sobre o repasse das quantias. Antes das explanações, será oferecido um café da manhã.

A liberação dos valores incontroversos foi solicitada pelo Sindicato e o juiz de primeira instância expediu a ordem de pagamento referente a 11 ações com os cálculos do anuênio, das 84 ajuizadas pela entidade. Neste mês de janeiro, serão repassadas as quantias dos 95 beneficiários listados acima. O encontro de sábado será a segunda reunião para tratar sobre os repasses. A primeira aconteceu em dezembro passado com 17 beneficiários.

Na medida em que o juiz libere a parte incontroversa das demais ações, o Sindicato agendará outras reuniões, fará novas convocações para o restante dos beneficiários e entrará em contato com todos. Para isso, é fundamental que os beneficiários mantenham os dados (telefone, e-mail, etc) atualizados junto à entidade.

O Sindicato destaca que o momento da reunião é muito importante para os bancários tirarem dúvidas. Se você está na lista dos que devem comparecer na manhã de sábado, não deixe de participar.

Histórico – Em 1998, o Banco do Brasil retirou o anuênio de todos os funcionários. Diante disso, o Sindicato entrou com uma ação na Justiça requerendo o retorno do benefício – ação esta ganha em todas as instâncias. A partir da decisão judicial, o banco já fez um adiantamento do anuênio na folha de junho 2009 e a volta do benefício resultou num aumento em torno de 10,5% para o funcionalismo. Quanto aos valores atrasados, compreendidos entre o período de setembro de 1999 a maio de 2009, o banco deverá pagá-los integralmente e fará os cálculos relativos a quanto cada bancário tem direito a receber.

O que a ação postula? O restabelecimento do pagamento do anuênio tal como antes – com observância da correlação de seu valor e a elevação do tempo de serviço, considerando o período-ano como fato gerador de sua majoração. O pagamento das parcelas pretéritas devidas a título de diferença anuênio. O pagamento das repercussões das diferenças do anuênio sobre outras verbas: férias, 13º salário, FGTS, repousou semanal remunerado, licença prêmio, folgas, gratificação de função, adicional noturno, adicional de periculosidade, adicional de transferências, comissões, horas extras e verbas rescisórias. Pagamento da fração das contribuições que deixaram de ser prestadas à PREVI decorrentes do pagamento das diferenças do anuênio e seus reflexos.

(Sindicato dos Bancários do Ceará)

Como funciona o FGTS e como faço para sacar dinheiro do fundo?

O que é o FGTS? 

O governo federal criou o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) com o objetivo de formar uma reserva de dinheiro para o trabalhador. As contas de FGTS de todos os trabalhadores ficam na Caixa Econômica Federal (CEF). A soma de todas estas contas dá origem a uma única. Assim, quando o governo fala da utilização de recursos do FGTS está se referindo a essa conta.

Os recursos dela são utilizados pelo governo na área de habitação popular, saneamento básico e infra-estrutura urbana, como a pavimentação de estradas. Dessa forma, o dinheiro da conta do FGTS de cada trabalhador não fica parado na CEF.

De qualquer maneira, independentemente de onde o governo esteja aplicando os recursos do FGTS, todo trabalhador tem direito de sacar o dinheiro referente a sua conta quando é demitido sem justa causa, aposenta-se, quer comprar uma casa ou apartamento ou em caso de doença grave, como câncer e Aids.

Quem tem direito ao FGTS? 

Trabalhadores regidos pela CLT (Consolidação das Leis de Trabalho), trabalhadores rurais, temporários (trabalhadores urbanos contratados por uma empresa para prestar serviços por determinado período), avulsos (quem presta serviços a inúmeras empresas, mas é contratado por um sindicato e, por isso, não tem vínculo empregatício, como estivadores), os diretores não-empregados (empresas sujeitas ao regime da legislação trabalhista podem equiparar seus diretores não-empregados aos demais trabalhadores sujeitos ao regime do FGTS) e atletas profissionais (como os jogadores de futebol).

Quem tem empregada doméstica pode escolher pagar ou não o FGTS dela. Não há obrigatoriedade, mas se o patrão decide pagar, deve cumprir com isso enquanto a empregada trabalhar em sua residência.

Caso o patrão interrompa o recolhimento antes do término do contrato de trabalho, vai se tornar inadimplente perante o FGTS. Assim, o empregado poderá pedir esses recolhimentos na Justiça do Trabalho. O FGTS é pago pelo patrão, o trabalhador não pode pagar por conta própria.

Quem paga o FGTS? 

Os depósitos mensais para o FGTS são de responsabilidade do patrão e devem ser realizados, obrigatoriamente, na conta do FGTS de cada trabalhador. Quando o patrão começa a recolher o dinheiro para o fundo, a CEF abre uma conta do FGTS do trabalhador. Esses depósitos devem corresponder a 8% do salário da pessoa.

Por lei, todas as empresas têm um aplicativo distribuído pela CEF que é o Sistema Empresa de Recolhimento do FGTS e Informações à Previdência Social (Sefip). Nesse programa, mensalmente, o patrão preenche os dados do trabalhador e envia essas informações para a Caixa pela Internet por meio do programa Conectividade Social.

Na CEF, o empregador deve se cadastrar nesse serviço para ter acesso pelo site. Pelo Sefip, o patrão emite e imprime na própria empresa a Guia de Recolhimento do FGTS e de Informações à Previdência Social (GFIP) por meio da qual paga o FGTS em uma agência da CEF.

Os patrões de empregada doméstica que queiram pagar o FGTS podem utilizar o Sefip para emitir a GFIP ou comprá-la em papelarias. É por meio da Guia que o patrão paga o FGTS da empregada em uma agência da Caixa. O Conectividade Social só é oferecido para empresas.

Os empregadores podem baixar o Sefip e o Conectividade Social no site da CEF.

Como verificar se o patrão está pagando corretamente o FGTS? 

O trabalhador pode acompanhar se o patrão está pagando corretamente o FGTS:

  • Por meio do extrato bimestral de sua conta do FGTS, que é enviado por correio para sua casa
  • Por consulta no site da Caixa. Para isso, será necessário informar o Número de Identificação Social – NIS (PIS/Pasep/NIT).
  • Nos caixas eletrônicos instalados nas agências da CEF. Todos os terminais de atendimento possuem a opção consultar saldo ou extrato do FGTS por meio do cartão do cidadão.

    No caixa eletrônico, o trabalhador deverá inserir o cartão, digitar a senha e escolher a opção Extrato Social. Em seguida, deve escolher Créditos Complementares do FGTS ou Extrato do FGTS.

    Caso não esteja com o cartão, o trabalhador pode acessar o serviço com o número do PIS e a senha do cartão. No caixa, a pessoa deve apertar a tecla enter, digitar o número do PIS e a senha do cartão. Depois, escolher a opção Extrato Social e, em seguida, Créditos Complementares do FGTS ou Extrato do FGTS.

    Nestes dois últimos casos, é necessária a senha de um cartão que o trabalhador faz na CEF. Para obtê-lo, o trabalhador pode ir a qualquer agência da CEF levando a carteira de trabalho, RG e um comprovante de residência.

    Para consultar o saldo pela Internet, não é necessário ter a senha do Cartão do Cidadão, pois o trabalhador poderá cadastrar uma senha provisória no momento do acesso. Mas para consultar o extrato na Web é necessário que o trabalhador possua a senha do Cartão do Cidadão (para ter a senha, tem que ter solicitado o cartão do cidadão).

    Quando pode ser utilizado o FGTS? 

    O FGTS pode ser sacado pelo trabalhador nas seguintes situações:

  • Aposentadoria
  • Compra de casa própria
  • Demissão sem justa causa
  • Morte do patrão e fechamento da empresa
  • Término do contrato de trabalho de um trabalhador temporário
  • Falta de atividade remunerada para trabalhador avulso por 90 dias ou mais
  • Ter idade igual ou superior a 70 anos
  • Doenças graves (como Aids ou câncer) do trabalhador, sua mulher ou filho, ou em caso de estágio terminal em qualquer doença

 

Como sacar o FGTS?

O FGTS pode ser sacado em qualquer agência da CEF. As regras e os documentos variam conforme a razão para o saque. No caso de demissão, por exemplo, o trabalhador deve ir até o banco com RG, carteira de trabalho e Termo de Rescisão do Contrato de Trabalho (TRCT). O saque pode ser feito em até 5 dias úteis após a solicitação dele pelo trabalhador.

Veja aqui quais são os requisitos conforme cada situação.

As contas do FGTS têm rendimento? 

A atualização das contas vinculadas é mensal, sendo o índice composto por TR (Taxa Referencial) + 3% ao ano.

A atualização ocorre no dia 10 de cada mês, utilizando-se para tal o saldo do dia 10 do mês anterior, deduzindo-se os débitos que por ventura ocorreram na conta no período de 11 a 09 do mês do crédito.
Ex.: A atualização em 10/09 utiliza o saldo de 10/08, deduzindo os débitos ocorridos (por exemplo, se a pessoa tiver usado recursos de sua conta do FGTS para compra de casa) entre os dias 11/08 a 09/09.

Telefone e site para dúvidas

As dúvidas sobre FGTS podem ser tiradas de segunda a sexta-feira, das 7h às 20h, exceto feriados, pelo telefone 0800 – 726 0101.
Também há informações no site

(Economia Uol)

Concurso da Caixa: confira dicas de estudo para a prova de técnico bancário

Com a liberação do edital do concurso público para a Caixa Econômica nesta quinta-feira, dia 23, os candidatos devem intensificar os estudos. As provas para o cargo de técnico bancário, com exigência de nível médio, estão marcadas para 23 de março. Ou seja, são dois meses de preparação até o dia do exame.

Língua Portuguesa

O professor Marcio Coelho, da Academia do Concurso, lembra que as questões são de certo e errado, o que exige extrema atenção do concorrer, pois uma alternativa errada anula uma certa. A banca costuma trabalhar questões de interpretação e compreensão de textos e, ainda, com fatos gramaticais e aspectos linguísticos.

“Se o candidato estiver gostando da prova, mas houver um item que ele não saiba é melhor deixar em branco para não anular uma certa. Mas se, porventura, sentir que a prova está difícil, aparecendo uma questão que não saiba, é bom chutar pois ele tem cinquenta por cento de probabilidade de acertar a questão”, indica.

Conheça as regras para a realização de concursos públicos

Informática e Matemática Financeira

O professor Carlos Botelho, da Academia do Concurso, também destaca que a prova do Cespe/UnB é diferenciada. A de informática é uma avaliação com enfoque na prática, onde o examinador vai cobrar procedimentos, telas e botões.

Para o professor, os principais conteúdos cobrados em Informática são Segurança da Informação (Princípios, criptografia, assinatura digital e certificados), Internet e suas tecnologias (Navegadores, Motores de busca), Sistemas Operacionais (Windows e Linux ) e Planilhas .

Já a parte de Matemática Financeira costuma ter questões longas que envolvem interpretações misturando mais de um tópico do edital. “O aluno deve fazer muitos exercícios da banca e tirar o trauma da Matemática aos poucos. Nesse caso os principais conteúdos são: capitalização simples e composta, descontos simples e compostos, estudo das taxas, rendas certas e amortizações”, indica Botelho.

(Diana Figueiredo, Extra Online)

Caixa Econômica Federal divulga edital para concurso público; salário de até R$ 8 mil

A Caixa Econômica Federal lançou dois editais de concursos públicos para formação de cadastro de reserva para os cargos de técnico bancário novo, engenheiro agrônomo, civil, elétrico e mecânico e para médico do trabalho. Os concursos são para todo o país. Os editais foram publicados entre as páginas 78 e 92 da Seção 3 do “Diário Oficial da União” desta quinta-feira (23).

Os editais podem ainda ser acessados no site do Cespe/UnB (clique aqui para acessar o concurso para técnico e clique aqui para acessar o edital para engenheiro e médico).

O provimento das vagas estará sujeito ao planejamento estratégico e às necessidades da Caixa.

Caixa Econômica Federal
Inscrição
De 24 de janeiro a 11 de fevereiro
Vagas
cadastro de reserva
Salário
De R$ 2.025,00 a R$ 8.041,00
Taxa
R$ 37 e R$ 74
Prova
23 de março

Técnico bancário
O salário para técnico bancário novo é de R$ 2.025,00 para jornada de trabalho de 6 horas diárias, caracterizando 30 horas semanais. O candidato deve ter nível médio.

O aproveitamento dos candidatos será exclusivamente em vagas a serem criadas em unidades localizadas nos municípios discriminados em tabela a ser publicada no Diário Oficial da União e divulgada no endereço eletrônico http://www.cespe.unb.br/concursos/caixa_14_nm no dia 24 de janeiro de 2014, ou em municípios que vierem a fazer parte do respectivo polo.

O técnico bancário prestará atendimento e fornecer as informações solicitadas pelos clientes e público; efetuará todas as atividades administrativas necessárias ao bom andamento do trabalho na unidade; operará microcomputador, terminais e outros equipamentos existentes na unidade; instruirá, relatará e acompanhará processos administrativos e operacionais, entre outras atividades.

Ficam asseguradas as admissões, conforme necessidade de provimento, dos candidatos classificados no concurso público de 2012 para o cargo de técnico bancário novo até o término de sua vigência, ou seja, 14 de junho de 2014, ou até o esgotamento do cadastro de reserva no polo/macropolo de opção, prevalecendo o que ocorrer primeiro. O candidato será submetido à investigação social e(ou) funcional, de caráter unicamente eliminatório, no decorrer de todo o concurso público, desde a inscrição até o ato de admissão.

As vantagens oferecidas são participação nos lucros e nos resultados; possibilidade de participação em plano de saúde e em plano de previdência complementar; auxílio refeição/alimentação; auxílio cesta/alimentação.

As inscrições devem ser feitas pelo site http://www.cespe.unb.br/concursos/caixa_14_nm
de 24 de janeiro a 11 de fevereiro. A taxa é de R$ 37.

O concurso público terá duas etapas: provas objetivas e provas discursivas e exames médicos admissionais.

As provas objetivas e a prova discursiva terão a duração de 4h30 e serão aplicadas na data provável de 23 de março, no turno da manhã. Na data provável de 13 de março, será publicado no Diário Oficial da União e divulgado na internet, no endereço
eletrônico http://www.cespe.unb.br/concursos/caixa_14_nm, edital que informará a disponibilização da consulta aos locais e aos horários de realização das provas.

A prova de conhecimentos básicos (comuns a todos os polos) terá língua portuguesa, matemática, raciocínio lógico, atualidades, ética e legislação específica. A prova de conhecimentos específicos (para todos os polos, exceto para os de tecnologia da informação – DF, RJ e SP) terá atendimento e conhecimentos bancários. Já a de conhecimentos específicos exclusivamente para os polos de tecnologia da informação terá tecnologia da informação e conhecimentos bancários.

O concurso público terá validade de um ano, podendo ser prorrogado, a critério da caixa, uma única vez, por igual período, contado a partir da data de homologação do resultado final, previsto para 15 de maio.

Nível superior
O salário para engenheiro agrônomo, civil, elétrico e mecânico é de R$ 8.041,00 para jornada de 8 horas diárias e 40 semanais. Para médico do trabalho é de R$ 4.021,00 para jornada é de 4 horas diárias e 20 horas semanais.

As inscrições devem ser feitas pelo site http://www.cespe.unb.br/concursos/caixa_14_ns de 24 de janeiro a 11 de fevereiro. A taxa é de R$ 74.

Ficam asseguradas as admissões, conforme necessidade de provimento, dos candidatos classificados no concurso público de 2012 para os cargos de engenheiro até o término de sua vigência, ou seja, 8 de julho de 2014, ou até o esgotamento do cadastro de reserva no polo/macropolo de opção, prevalecendo o que ocorrer primeiro. O candidato será submetido à investigação social e(ou) funcional, de caráter unicamente eliminatório, no decorrer de todo o concurso público, desde a inscrição até o ato de admissão.

O concurso terá aplicação de provas objetivas, provas discursivas, avaliação de títulos e exames médicos admissionais. As provas objetivas, a prova discursiva e a avaliação de
títulos serão realizadas nas 26 capitais das unidades da Federação e no Distrito Federal.

As provas objetivas e discursivas serão aplicadas no dia 23 de março, no turno da manhã. Os resultados finais estão previstos para 27 de junho.

(G1 Concursos e Empregos)

Participe do I Passeio do MotoBancários 2014

Os bancários e bancárias adeptos do motociclismo estão convidados(as) a participar do I Passeio MotoBancários de 2014, que tem como finalidade proporcionar o congraçamento de adeptos do motociclismo dentro da categoria bancária.

O I Passeio deste ano ocorrerá no sábado, dia 1º/2, e a concentração será na sede do Sindicato dos Bancários do Ceará (Rua 24 de Maio, 1289 – Centro) a partir das 7h30, com roteiro para a serra de Guaramiranga.

Quem quiser participar deste movimento deve entrar em contato com os diretores Ribamar Pacheco (9155 3632) ou Bosco Mota (9155 4822) e fazer seu cadastro.

(Sindicato dos Bancários do Ceará)

SEEB-CE comemora Dia do Aposentado com café da manhã na sexta, 24/1

Para festejar o Dia do Aposentado, comemorado no dia 24 de janeiro, o Sindicato realiza nesta data, a partir das 8h da manhã, um café da manhã com apresentações, palestra e sorteio de brindes.

Na ocasião, o Coral do Sindicato faz uma apresentação especial para os aposentados bancários. Em seguida, haverá uma palestra com o tema “Técnicas do Envelhecimento Saudável”, tendo como expositora Ruthe Cavalcante.

“Queremos convidar todos os bancários aposentados para esse dia, pois essa é uma justa homenagem a quem trabalhou a vida inteira para construir o País. O Sindicato está sempre do lado do trabalhador tanto na luta quanto nos momentos de comemoração”, afirma o secretário de Aposentados, Océlio Silveira.

O evento acontece na sede do Sindicato (Rua 24 de Maio, 1289 – Centro).

História – A data para comemorar o Dia do Aposentado instituído pela Lei 6.926 de 1981 de autoria de Benedito Marcilio ex- presidente da COBAP foi escolhida para lembrar e comemorar a histórica data que foi aprovada a Lei Eloy Chaves em 24 de janeiro de 1923, criando a Caixa de Aposentadorias e Pensões para os empregados de todas as empresas privadas das estradas de ferro, dando origem à Previdência.

(Sindicato dos Bancários do Ceará)

Botequim dos Bancários do Ceará em clima de pré-Carnaval

Bloco Unidos da Cachorra

No próximo dia 31 de janeiro (última sexta-feira do mês), o Sindicato dos Bancários do Ceará realiza a primeira edição do Botequim dos Bancários em 2014. E para começar o ano com muita animação, a programação especial será composta por atrações pré-carnavalescas como a bateria do bloco Unidos da Cachorra e a banda Sambatuque.

No quadro “Conversa de Botequim”, o historiador e carnavalesco Paulo Tadeu, fundador dos Maracatus Vozes da África e Nação Iracema, conversa com o músico e carnavalesco Dílson Pinheiro, um dos fundadores do bloco “Quem é de Bem, Fica” e atual dirigente do bloco “Num Ispaia sinão Ienche”, na Praia de Iracema.

Em seguida, apresenta-se o Balé Arte Popular de Fortaleza, com coreografias de frevos e maracatus. A Bateria Sambatuke entra logo após para relembrar os “Muitos Carnavais” ao som dos melhores sambas-enredos. A bateria do bloco Unidos da Cachorra encerra a noite em grande estilo.

Vales-Conta, clone de bebidas e estacionamento – Para participar da tradicional promoção do Vales-Conta, o bancário sindicalizado deve se cadastrar no site do Sindicato http://www.bancariosce.org.br/sorteio.php) para, durante a programação do Botequim, concorrer a quatro vales-conta no valor de R$ 100,00 cada.

Estão garantidos no Botequim, clones de cerveja, água, refrigerantes e uísque, e estacionamento grátis em frente ao Sindicato para os 25 primeiros bancários sindicalizados a chegarem.

O Botequim dos Bancários abre às 18 horas na sede do Sindicato dos Bancários (Rua 24 de Maio, 1289 – Centro).

De Magote Não Tem Quem Derrote

A edição especial de pré-Carnaval dá o tom para a consolidação do bloco de carnaval dos bancários, “De Magote Não Tem Quem Derrote”, lançado em 2013. Durante o Botequim, o bloco estará disponibilizando sua camiseta oficial a preço de custo.

(Sindicato dos Bancários Ceará)

SEEB-CE ajuíza ação coletiva para rever perdas do FGTS dos bancários

O Sindicato dos Bancários do Ceará ajuizou no dia 22/1, uma ação coletiva na Justiça Federal para tentar recuperar as perdas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) dos bancários ligados a sua base de representação. A ação visa a substituição do índice de correção monetária do FGTS, que tem ficado abaixo dos índices inflacionários desde 1999. Assim, todos os bancários que possuem saldo de FGTS desde 1999 podem ser beneficiados pela ação.

O FGTS é corrigido com a aplicação da Taxa Referencial (TR). Ocorre que desde 1999, de acordo com estudos do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (DIEESE), este índice não reflete a real inflação acumulada nos períodos, em comparação com outros índices que medem a inflação oficial, tais como o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) e o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

A ação ganhou fôlego depois de uma decisão do Supremo Tribunal Federal, publicada em 19 de dezembro de 2013, que declarou que a TR não pode ser utilizada como índice de correção monetária para os precatórios, justamente porque a TR “é manifestamente incapaz de preservar o valor real do crédito de que é titular o cidadão”.

A estimativa é que a diferença, em alguns casos, possa chegar a 88,3% dos saldos do FGTS do período.

“O Sindicato ajuizou essa ação coletiva em nome de todos os bancários para recuperar as perdas do FGTS, e deve ajudar na pressão por uma solução para o FGTS de forma que os trabalhadores não percam nem agora, nem no futuro”, afirma Gustavo Tabatinga, secretário Jurídico do SEEB/CE.

Tire dúvidas sobre ação pela correção do FGTS
O Fundo de Garantia do Tempo de Serviço vem tendo rendimento abaixo da inflação e o Sindicato ingressou dia 22/1 com ação para tentar corrigir essa distorção. Confira aqui algumas perguntas e respostas sobre a ação.
1.  O que pede a ação?
A ação tem por objeto recompor o saldo das contas vinculadas ao FGTS de todos os trabalhadores pertencentes à categoria profissional e base representada pelo Sindicato – ainda que esses bancários estejam desligados ou aposentados.

2.  Sobre o período em que o trabalhador não era bancário, o que pode ser feito?
Quanto ao período que o trabalhador não pertencia a categoria bancária, a orientação é que procure o seu sindicato representativo, para maiores informações.

3.  Os não sócios estão representados?
Sim, todos os bancários da base do Sindicato no Ceará, sócios e não sócios, estão representados.

4.  O bancário precisa levar alguma documentação ao Sindicato?
Por ora, não há necessidade de apresentação de documentos ou relação de nomes para inclusão no processo.

5.  Como faço para acompanhar a ação?
O Sindicato disponibilizará informes via e-mail, site ou através da Tribuna Bancária e, caso o bancário queira mais detalhes, poderá procurar o departamento jurídico (de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h, na sede do Sindicato ou pelo telefone 85-3252 4266).

6.  Quanto tempo leva a ação?
Não há previsão do tempo que pode durar essa ação.

7. Quem já recebeu todo dinheiro do fundo, e era bancário, vai receber as diferenças?
Mesmo quem já sacou o FGTS, terá direito as diferenças relativas ao período.

(Sindicato dos Bancários do Ceará)

Correção do FGTS pela inflação: vitória causa romaria virtual de advogados ao PR

A 2ª Vara Cível de Foz do Iguaçu (PR) se tornou destino de uma romaria virtual de advogados nos últimos dois dias. O objetivo é copiar as quatro ações que obtiveram uma — até então – inédita correção do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) pela inflação. Em quatro dias, 400 profissionais já haviam consultado os quatro processos vitoriosos, segundo levantamento feito pelo iG.

Até quem não é da área se animou a engrossar a onda de quase 30 mil ações que pedem o mesmo em todo o Brasil.

“Trabalho com direito ambiental, mas o que motivou é que tenho alguns amigos e parentes que me pediram [para entrar com ação semelhante]”, conta Ana Rafaella Trindade, advogada de Belo Horizonte. “Já são sete, para mais.”

O objetivo dos processos é obrigar a Caixa Econômica Federal (CEF), presidida por Jorge Hereda, a corrigir o FGTS por um índice inflacionário, em substituição à Taxa Rerencial (TR). Embora previsto em lei, o uso desse indicador tem resultado em perdas desde 1999 de até 101%, segundo o Instituto FGTS Fácil.

Coletivas

Até o início deste ano, a Caixa havia saído vitoriosa em todas as 13.664 decisões já proferidas, segundo o banco. A primeira derrota veio no último dia 8, seguida de outras três no dia 15, todas proferidas pelo juiz substituto da 2ª Vara Cível de Foz do Iguaçu, Diego Viegas Véras. Ele obrigou a substituição da TR pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Especial (IPCA-E).

Do dia 17 até o fim da tarde desta segunda-feira (20), 400 advogados de nove Estados – de Alagoas  e Tocantins ao Rio Grande do Sul – pediram para consultar os quatro processos.  

As decisões do juiz Véras também devem ser usadas nesses segundos casos, diz Indira Ernesto Silva Quaresma, cujo escritório – Meira Morais – representa 300 sindicatos e cerca de 5 milhões de trabalhadores.

“[As decisões de 1ª instância] dão esperança porque o mérito é o mesmo: a TR não é índice de correção monetária”, diz a advogada. “A gente estava até discutindo de pedir a juntada de decisões favoráveis [aos processos coletivos].”

Estratégia é a mesma

Além das decisões paranaenses, uma quinta favorável à correção pela inflação – nesse caso, pelo INPC – foi dada no último dia 16 pelo juiz Márcio José de Aguiar Barbosa,  titular da 1ª Vara Federal de Pouso Alegre (MG). Segundo a Justiça Federal de Minas Gerais, entretanto, até esta segunda-feira (20) não houve consultas ao processo.

Segundo o iG apurou, as primeiras cinco derrotas não devem mudar a estratégia de defesa da Caixa Econômica Federal, que tem atuado sozinha nos processos, e pode sofrer um impacto bilionário caso a tese de revisão se consolide. Uma mudança de postura deve ocorrer quando o caso chegar ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) ou ao Supremo Tribunal Federal (STF).

As sentenças serão comunicadas formalmente ao Conselho Curador do FGTS, cuja próxima reunião, que acontece em março. A Caixa entende que apenas tem cumprido a legislação – que prevê o uso da TR – e que mesmo uma eventual derrota não seria assumida pelo banco, e sim pelo próprio fundo.

(Vitor Sorano, IG)

BB é acusado de usar SMS e celular corporativo para pressionar funcionários

O Ministério Público do Trabalho do Piauí (MPT-PI) entrou com ação contra o Banco do Brasil pedindo uma indenização de R$ 10 milhões por dano moral. O motivo é o assédio moral que os funcionários da superintendência do Banco no estado têm sofrido com cobranças de metas a serem atingidas.

A principal forma de pressão acontece por meio de mensagens SMS em aparelhos celulares corporativos. Caso o banco seja condenado, o valor da multa deverá ser revertido em campanha publicitária de combate ao assédio moral no trabalho e em programas de acompanhamento psicológico aos trabalhadores.

Iniciadas em janeiro de 2013, a partir de dados do Sindicato dos Bancários no Piauí, as investigações constataram que, apesar do plano de metas da empresa ser semestral, a exigência ocorria diversas vezes ao dia, tendo casos em que um determinado funcionário afirmou ter recebido mais de 80 mensagens seguidas. De acordo com o MPT, a pressão desencadeou doenças nos funcionários – alguns estavam tomando remédio controlado para trabalhar e outros chegaram até a antecipar a aposentadoria.

Para a procuradora do Trabalho Maria Elena Moreira Rêgo, responsável pela investigação, o tom de cobrança nas mensagens era agressivo, irônico, ameaçador e extrapola os limites do aceitável. “A pressão que esses trabalhadores sofreram é injustificável e insuportável. Ouvi relatos emocionantes de homens angustiados. Trabalhadores que começaram a ser cobrados e pressionados tão intensa e constantemente que não resistiram e desistiram”, afirmou.

Na ação, que foi ajuizada em 16 de dezembro de 2013 e distribuída para a 4ª Vara do Trabalho de Teresina, a procuradora pede ainda a quebra de sigilo de dados telefônicos de todos os celulares corporativos do Banco do Brasil no Piauí para a empresa Telemar Norte Leste S/A, a fim de verificar a frequência das ligações e envios de SMS. Se a empresa de telefonia não atender ao pedido, pode ser multada em R$ 1 mil por dia de atraso no envio dos relatórios com os registros das chamadas e mensagens.

*Com agências de notícias

Via Convergência Digital

BB cumpre jornada de seis horas após ação judicial do SEEB-CE

A partir de amanhã, todos os funcionários do Banco do Brasil que exercem a função de Assistente A em Unidades de Negócios dentro da base territorial do Sindicato dos Bancários do Ceará passarão para a jornada de seis horas.  Esta foi decisão judicial referente à ação coletiva de número 0000908-84-2012.5.07.0012, promovida pelo Sindicato, e atinge todos os bancários do BB nesta função.

“A decisão foi tomada em primeira instância e tem o objetivo de resguardar a jornada de trabalho dos bancários que são designados para trabalhar oito horas na referida função, mas que, por reconhecimento judicial, estão enquadrados na jornada de seis horas”, afirma advogada Ana Virgínia Porto, responsável pela ação judicial.

“Na prática, o banco infringia a lei e determinava que a jornada fosse de oito horas para esta função. Mas reconhecendo o perigo de pagar multa e aumentar um passivo trabalhista muito grande, o banco resolveu cumprir essa determinação. Com essa decisão, o Sindicato conseguiu o reconhecimento judicial de que, efetivamente, os bancários lotados nessa função devem trabalhar seis horas e não oito”, afirma o diretor jurídico do Sindicato, Gustavo Tabatinga.

Por ser em primeira instância, a decisão pode ser reexaminada a qualquer momento durante o processo, tanto para ser reafirmada como desconstituída. “A decisão se torna definitiva apenas após o transito em julgado, ou seja, apenas após o exame de todos os recursos possíveis e previstos em lei”, explica Virgínia. “A expectativa, porém, é de que essa decisão seja mantida nas próximas instâncias judiciais, pois todos os elementos que estão no processo se dirigem à sua manutenção”, completa.

Diante da decisão, desdobraram-se diversas dúvidas entre os bancários. O Sindicato reuniu as mais frequentes e, através do Departamento Jurídico, montou um conjunto de perguntas e respostas para tentar esclarecer a categoria. Confira:

Perguntas e Respostas

1 – Quem são os atingidos pela decisão?

São todos os funcionários que estão na ativa exercendo a função de Assistente A em Unidades de Negócios. Já os beneficiários da ação judicial em andamento são todos os funcionários que estavam na referida função trabalhando oito horas nos cinco anos anteriores ao ajuizamento da ação.

2 – Qual a repercussão na remuneração desses trabalhadores atingidos pela liminar? Haverá redução salarial com a redução da jornada?

O entendimento do Sindicato é de que não deve haver redução de salário. Não se pode assegurar que o BB não vá efetivar uma redução da gratificação correspondente à função, mas o entendimento é de que não pode haver redução salarial. Se houver redução, a questão será discutida dentro do processo. No normativo interno do BB, não há previsão de dois valores diferenciados para quem exerce a referida função em seis horas e para quem exerce a mesma função em oito horas – como existe na Caixa Econômica, onde existe a previsão de dois valores diferentes para a função. A interpretação do Sindicato é de que a jornada é de seis horas, o valor é único e não pode haver redução.

3 – No início de 2013, o banco lançou um novo Plano de Funções, onde os funcionários puderam optar pela adesão a uma nova função de seis horas com redução salarial. Esses trabalhadores são atingidos por essa decisão?

Não, pois essa decisão se refere apenas quem é Assistente A em Unidade de Negócios. Vale ressaltar que neste caso o funcionário não é atingido pela decisão, mas é beneficiário do processo final referente ao período que ele exerceu a função desde que dentro dos últimos cinco anos anteriores ao ajuizamento da ação.

4 – Em relação às horas extras, esses trabalhadores na jornada de seis horas ficam em que circunstâncias? Esses trabalhadores podem trabalhar oito horas, fazendo sétima e oitava horas por decisão do banco?

Se a hora extra for eventual, que não precisa ser de duas horas necessariamente, e for paga, não há qualquer problema. É hora extra legítima.

5 – O banco pode continuar exigindo as oito horas pagando as duas horas extras?

Se houver a concordância do bancário, sim, pode.

6 – O cálculo da hora extra sofre alguma mudança?

Como há redução da jornada de trabalho sem redução salarial, o cálculo mudará, sim, pois a “hora-trabalho” ficou mais cara. O cálculo vai diferenciar da hora extra que estava sendo paga até então, quando o banco tinha como base uma hora normal que remunerava oito horas. Antes, o valor da hora da jornada de trabalho era baseado no valor da remuneração dessa função dividido por oito horas. Agora, passa a ser dividido por seis horas, aumentando o valor da hora trabalhada. Vai ser alterado o chamado “divisor”.

7- Essa decisão é definitiva? Como está o processo?

O processo agora vai ser analisado em segunda instância, onde a decisão pode ser mantida ou reformada. Se a segunda instância reformar a decisão, o BB pode voltar a exigir a jornada de oito horas. Existe ainda uma série de espécies recursais que podem ser manejadas e, após o trânsito em julgado e se mantida essa decisão nesses moldes, é que o Sindicato vai passar à liquidação ou ao cálculo das diferenças salariais.

(Colaboraram: Ana Virgínia Porto, Anatole Nogueira e Rafael Sales)

Via Sindicato dos Bancários do Ceará

BANCÁRIOS DO ITAÚ TÊM PRAZO ATÉ DIA 17 PARA ADERIR AO VALE-CULTURA

O Itaú divulgou orientações aos funcionários sobre a adesão ao vale-cultura, conquistado na Campanha Nacional dos Bancários 2013 e que entrou em vigor no dia 1º de janeiro.

O valor mensal é de R$ 50,00 para salários até cinco salários mínimos (R$ 3.620) por mês e será repassado através de cartão magnético. Ao fazer a adesão, o funcionário terá os descontos previstos na lei e descritos no formulário apropriado.

O desconto e o crédito do vale-cultura serão realizados na data de pagamento do salário, no dia 27 ou no dia útil anterior de cada mês.

O recebimento ainda em janeiro está condicionado à adesão até o dia de fechamento da folha, o que ocorrerá no dia 17. Após essa data, o pagamento será feito somente em fevereiro. Não há possibilidade de pagamento retroativo.

Para receber este direito mensalmente é imprescindível fazer a adesão através do preenchimento do formulário, que deve ser enviado para:relacoessindicais@itau-unibanco.com.br ou através do fax (11) 5029-1174.

“O vale-cultura foi mais uma importante conquista da Campanha 2013, que registrou a maior mobilização dos últimos 20 anos e foi fundamental para garantir avanços frente à intransigência dos bancos”, salienta Wanderley Crivellari, um dos coordenadores da Comissão de Organização dos Empregados (COE) do Itaú, que assessora a Contraf-CUT nas negociações com o banco.

 Contraf-CUT

Saiba como será o funcionamento dos bancos no Natal e no Ano Novo

A Federação Brasileira de Bancos – FEBRABAN esclarece o atendimento bancário em relação aos feriados do fim de ano. Nos feriados nacionais dias 25/12 (Natal) e 01/01 (Dia Mundial da Paz) os bancos fecham. No dia 31/12 (último dia útil do ano) não haverá atendimento ao público.

No dia 24/12, seguindo a resolução Nº 2.932, os bancos podem estabelecer horários especiais, desde que garantam ao público um atendimento mínimo de duas horas, conforme abaixo especificado:

As agências localizadas nos Estados que seguem o horário de Brasília irão abrir ao público das 9h às 11h. Veja a lista das cidades que seguem horário de Brasília:

Espírito Santo (ES);
Goiás (GO);
Mato Grosso (MT);
Mato Grosso do Sul (MS);
Minas Gerais (MG);
Paraná (PR);
Rio de Janeiro (RJ);
Rio Grande do Sul (RS);
Santa Catarina (SC);
São Paulo (SP);
Tocantins (TO);
Distrito Federal (DF).
As agências localizadas nos demais Estados, como o Ceará, o atendimento será das 8h às 10h seguindo o horário local.

Agências localizadas em Estados (região Norte do País) com diferença de 3 horas em relação à Brasília – DF irão atender o público das 7h às 9h.

A população pode utilizar os canais alternativos de atendimento para realizar operações bancárias, como caixas eletrônicos, Internet Banking, Mobile Banking, banco por telefone e correspondentes (casas lotéricas, agências dos Correios, redes de supermercados e outros estabelecimentos comerciais credenciados).

As contas de consumo (água, luz, telefone e TV a cabo, por exemplo) e os carnês que vencerem nestas datas poderão ser pagas no próximo dia útil (26/12 e 02/01), sem a incidência de multa. Os tributos, normalmente, já estão com a data ajustada pelo calendário de feriados (federais, estaduais e municipais).

Os clientes também podem agendar nos bancos os pagamentos das contas de consumo ou pagá-las (as que têm código de barras) nos próprios caixas automáticos, ou em correspondentes. Já os boletos bancários de clientes cadastrados como sacados eletrônicos poderão ser agendados ou pagos por meio do DDA (Débito Direto Autorizado).
Mais informações – Federação Brasileira de Bancos
Diretoria de Comunicação – (11) 3244-9831/9942

(Febraban)

Ceará registra o 139º assalto a banco em 2013

Banco do Brasil de Ocara – foto: João Paulo Maciel

Outro assalto a banco foi registrado em Fortaleza às 7h, em Fortaleza, na avenida Washington Soares. Um grupo de quatro assaltantes armados invadiram a área onde ficam os caixas eletrônicos da agência bancária e ainda assaltaram os clientes que estavam no local. A quantia do roubo não foi informado.

Esta é o 139º de ataque a banco no Ceará, somente em 2013. São 41 casos em Fortaleza e 98 no interior.

 

(Renato Ferreira, Tribuna do Ceará)

Santander destina 200 bolsas de estudo para professores e pesquisadores

A Divisão Global Santander Universidades, do Banco Santander, está com as inscrições abertas para a concessão de 200 bolsas de estudo para professores e pesquisadores. O projeto de pesquisa será conduzido em universidades da comunidade ibero-americana, sendo que as inscrições permanecem abertas até o dia 3 de março de 2014. 

Para participar, os interessados devem se inscrever exclusivamente online, enviando todos os documentos necessários. É importante lembrar que os selecionados deverão, ao término da pesquisa, elaborar um resumo da atividade realizada. Esse documento deve ter uma extensão de aproximadamente 5 folhas.

O objetivo do programa é incentivar a colaboração entre as universidades ibero-americanas, bem como a pesquisa realizada por jovens professores e pesquisadores com base na inovação. Para mais informações, acesse o edital da chamada.

(Paraíba Total)

 

Bradesco terá que pagar R$ 200 mil a ex-funcionário por desvio de função e transporte de numerário

Porto Velho – Rondônia: O Bradesco foi condenado, no último dia 29 de novembro, a pagar uma indenização por danos morais no valor de R$ 200 mil a um ex-funcionário, demitido ainda em 2007. A decisão partiu do Juiz Federal do Trabalho Maximiliano Pereira de Carvalho, da 4ª Vara do TRT 14ª Região, Rondônia e Acre.

O magistrado entendeu que o banco teve culpa objetiva em duas situações que culminaram com o desligamento empregado, sendo a primeira um claro caso de desvio de função, já que o bancário foi contratado como assistente administrativo II mas, na agência do município de Cruzeiro do Sul (AC), ele exercia o cargo de gerente administrativo.

Com isso, a Justiça condenou o banco a pagar as diferenças salariais do ex-funcionário no correspondente ao período de agosto de 2007 a julho de 2009, com reflexos no aviso prévio, férias e adicional de 1/3, 13º salário, além do FGTS e multa de 40%.

Em seguida o banco foi condenado pelo fato de, praticamente, confessar que havia o transporte de numerário feito pelo funcionário, atividade ilegal dentro do sistema financeiro.

“Em setembro de 2008 ou 2009… funcionário em Rondônia, que sofreu acidente de carro… transportava valores”, menciona um trecho da defesa do banco na ação.

Por isso o banco acabou sendo condenado ao pagamento de reparação de danos morais, no valor de R$ 200 mil e mais o pagamento dos honorários advocatícios sucumbenciais em 15% do valor do crédito do reclamante.

A ação foi ajuizada pela advogada Karoline Costa Monteiro, do escritório Fonseca & Assis Advogados Associados, responsável pela assessoria jurídica do SEEB/RO.

Autor: SEEB

Conquista da greve, bancários já estão usufruindo da folga assiduidade

A força da greve nacional dos bancários arrancou importantes conquistas econômicas e sociais para a categoria. Uma delas é a folga assiduidade, prevista na cláusula 24ª da Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) de 2013/2014. Trata-se de um dia de ausência remunerada ao empregado que não tenha falta injustificada ao trabalho no período de 01/09/2012 a 31/08/2013.

“É uma nova conquista dos bancários na luta pela concessão do abono assiduidade de cinco dias por ano, já garantido em acordos coletivos assinados com vários bancos públicos. Agora, cada bancário terá pelo menos um dia de folga para resolver problemas, esticar o fim de semana ou tratar de assuntos pessoais”, destaca o presidente do Sindicato dos Bancários do Ceará, Carlos Eduardo Bezerra.

A folga é devida a todos os bancários com um ano de vínculo empregatício com o banco e em efetivo exercício no dia 18 de outubro deste ano, quando foi assinada a CCT. O direito precisa ser exercido até o dia 31 de agosto de 2014 e a data será definida pelo funcionário em conjunto com o gestor.

Essa nova conquista não poderá ser convertida em pecúnia, não adquire caráter cumulativo e não poderá ser utilizada para compensar faltas ao serviço.

O banco que já concede folgas ao empregado, como “faltas abonadas”, “abono assiduidade”, “folga de aniversário”, fica desobrigado do cumprimento desta cláusula, sempre observando a fruição dessa folga em dia útil.

(SEEB-CE)

SEEB/CE participa do 3º Encontro Nacional de Mulheres Bancárias

O Sindicato dos Bancários do Ceará participa, entre os dias 25 e 27 de novembro, do 3º Encontro Nacional de Mulheres Bancárias, que será realizado pela Contraf-CUT no Instituto Cajamar, em São Paulo. O tema do evento este ano é “Não mexe comigo que eu não ando só”. A expectativa é reunir cerca de 150 participantes. O SEEB/CE será representado pelas diretoras Carmem Amélia, Marlúcia, Rita Ferreira, Bernadete, Rafhaela Castro, Maria Cristina e Léa Patrícia.

“Esperamos que esse Encontro ajude a fortalecer esta luta em todos os sindicatos, aumentar a pressão sobre os bancos e acabar com a discriminação às mulheres”, diz Carmem Amélia, diretora do SEEB/CE.

O Encontro – Os temas do Encontro defendem a autonomia das mulheres como fator fundamental para garantir o exercício de seus direitos humanos em um contexto de plena igualdade. Também fazem parte desta autonomia o controle sobre seu próprio corpo, a geração de renda e de recursos próprios e a participação na tomada de decisões que afetam sua vida e sua coletividade.

A palestra de abertura será “Rosa Luxemburgo na atualidade”, com a especialista Isabel Loureiro. “Ficamos sempre encantadas com as frases de Rosa Luxemburgo estampadas nas camisetas e será um ótimo momento para conhecer um pouco da vida e obra desta revolucionária”, afirma Deise Recoaro, secretária da Mulher da Contraf-CUT.

Entre os participantes estão Sonia Montaño, diretora da divisão de gênero da Cepal; Juvandia Moreira, presidente do Sindicato dos Bancários de São Paulo; Erika Kokay, deputada federal (PT-DF); Marilane Teixeira, economista e pesquisadora da ESIT/Unicamp; Giovanni Alves, docente da Unesp de Marília; e Carmem Foro, vice-presidente da CUT Nacional.

Ainda no Encontro será debatida a formação do Coletivo Nacional de Mulheres, com aprovação de calendário de atividades, com a finalidade de dinamizar as campanhas e formular políticas para a categoria, que sempre foi referência na luta por igualdade.

(Sindicato dos Bancários do Ceará)

Sindicato dos Bancários do Ceará seleciona estagiários do curso de Direito

O Departamento Jurídico do Sindicato dos Bancários do Ceará vai selecionar dois estudantes de Direito para seu quadro de estagiários. As inscrições começam na próxima segunda-feira, dia 25/11 e vão até o dia 15/12, das 9h às 15h, na sede da entidade (Rua 24 de Maio, 1289 – Centro).

Poderão inscrever-se estudantes regularmente matriculados no curso de Direito que tenham concluído no mínimo 80 e no máximo 150 créditos. A jornada de trabalho é de 30 horas semanais (6 horas diárias) e o valor da bolsa é de R$ 856,00 mais auxílio-transporte de R$ 48,40.

No ato da inscrição os interessados devem apresentar histórico escolar, curriculum vitae, cópia da carteira de identidade e declaração da Universidade com a quantidade de créditos cursados. O processo seletivo será conduzido por uma comissão mista formada por profissionais de Direito e diretores da entidade e constará de duas fases – uma prova escrita e uma entrevista com os aprovados na 1ª fase.

A prova escrita será aplicada no dia 18/12, às 9h, cujo resultado será divulgado no dia 27/12 às 14h. As entrevistas com os aprovados serão realizadas no dia 6/1, às 9h, na sede do Sindicato. A divulgação do resultado final será dia 8/1 e o início do estágio no dia 13/1.

Mais informações através do telefone (85) 3252.4266, falar com Daniela. 

(Sindicato dos Bancários do Ceará)

Bicbanco é vendido ao segundo maior da China por R$ 1,6 bilhão

A família Bezerra de Menezes, acionista majoritária e controladora do Banco Industrial e Comercial S.A. (Bicbanco) fechou ontem a venda da instituição para o China Construction Bank (CCB), segundo maior banco comercial na China e quinto maior do mundo. A operação, que marca a primeira aquisição do CCB na América Latina, envolve um montante de aproximadamente R$ 1,6 bilhão (US$ 740 milhões) pela parte adquirida.

Após a conclusão da transação, dentro de 30 dias, nos termos da regulamentação da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), o CCB fará uma oferta pública obrigatória para a aquisição das ações de emissão da Companhia pelos acionistas minoritários. O maior acionista depois da família Bezerra de Menezes, o empresário Deusmar Queirós, disse que, inicialmente, não pretende vender suas ações.

Hoje a direção do Bicbanco faz uma conferência, em São Paulo, detalhando para todos os funcionários como fica a operação e gestão do banco. Uma fonte do mercado financeiro disse ao O POVO que acredita que os cerca de 500 funcionários, espalhados pelas 43 agências, serão mantidos pelo menos pelos próximos dois anos. Adiantou que era grande o desejo dos chineses de entrar no Brasil e eles buscavam o Bicbanco desde 2011. Pactual, Bradesco e Itaú, dentre outros também cortejavam o maior banco médio em operação e o sétimo maior banco privado brasileiro.

O economista Célio Fernando Melo, diretor da BFA, disse que o banco estava bem mas, como outras instituições de porte médio do Brasil e do Exterior, enfrentava problemas com liquidez e captação desde a crise mundial de 2008. Outra fonte do mercado diz que a exemplo de outros bancos teve problemas por causa da inadimplência seguida nos anos de 2010, 2011 e também com reflexo em 2012. “Mas o banco tinha caixa e patrimônio de R$ 1,9 bilhão e o índice de Basiléia, de 18,5, era considerado muito bom”, diz, considerando que com a crise tinha perdido rentabilidade.

Negócio positivo

O empresário Deusmar Queirós, que é sócio minoritário do Bicbanco há 30 anos, afirma que o banco estava sadio e que o negócio foi bom. “Acho que com os chineses o banco vai crescer muito”, avalia, ressaltando que vai disputar mercado com os grandes. 

O CCB informa, por meio de sua assessoria, que o Brasil é estratégico e que o Bicbanco é o primeiro ativo da instituição de capital aberto, listada nas bolsas de Xangai e Hong Kong. Adianta que o CCB, com quase 60 anos de histórico operacional, deve ampliar a ações no Brasil. Seus principais negócios incluem serviços bancários corporativos e pessoais e operações de tesouraria.

O CCB está entre os líderes de mercado na China em diversos produtos e serviços, incluindo empréstimos para infraestrutura, financiamento imobiliário e cartões bancários, contando com uma extensa base de clientes, uma rede de mais de 14.000 filiais na China e em torno de 345 mil empregados. A estatal chinesa está expandindo ativamente sua presença no exterior e possui, atualmente, 68 instituições estrangeiras que cobrem 14 países e regiões. A rede do CCB no exterior inclui filiais em Hong Kong, Cingapura, Frankfurt, Johanesburg, Tóquio, Seul, Cidade de Ho Chi Minh, Nova York, Sydney, Melbourne e Taipé, bem como subsidiárias integrais e operacionais no exterior como CCB Ásia, CCB Rússia, CCB Internacional e CCB Londres.

(Artumira Dutra, O Povo Online)

 

Botequim dos Bancários (Edição Outubro Rosa) traz mistura de ritmos e muita animação

A sétima edição do Botequim dos Bancários acontece no dia 25/10, a partir das 18h30, e traz, como sempre, uma seleção de atrações para todos os gostos e muita animação.

O quadro “Conversa de Botequim”, receberá o médico Luiz Gonzaga Porto Pinheiro, professor titular de mastologia da UFC, líder do grupo e pesquisa Educação e Estudos Oncológicos (GEEN), presidente da Sociedade Cearense de Cancerologia e chefe do serviço de Mastologia da Maternidade Escola Assis Chateaubriand. Ele vai falar sobre a campanha “Outubro Rosa” que acontece mundialmente durante todo mês de outubro para chamar atenção para o câncer de mama e sobre projetos e campanhas desenvolvidas no Ceará na prevenção e combate ao câncer de mama. O Dr. Luiz Gonzaga Porto Pinheiro é graduado em medicina pela Universidade Federal do Ceará em 1975, tem mestrado em cirurgia pela Universidade Federal Fluminense em 1985 e doutorado em cirurgia pela Universidade Federal de Pernambuco em 2000. Ele será entrevistado por Sônia Olímpio, bancária aposentada da CEF, com atuação na ONG Moradia e Cidadania e em vários projetos sociais.

No quadro Talento Bancário, Francisco Vitor de Sousa Frota, funcionário do Bradesco, interpreta grandes sucessos da MPB, incluindo Caetano Veloso, Paralamas do Sucesso, Renato Russo, entre outros. Em seguida, o bancário do BNB, Gildomar Marinho, lança o CD Tocantes. Maranhense de Santa Inês, o bancário se apresentou na primeira edição do Botequim dos Bancários e agora lança seu terceiro trabalho acompanhado dos músicos Dudu Holanda (violão, guitarra e viola), Herlon Robson (teclados), Nélio Costa (baixo) e Hoto Júnior (percussão e bateria eletrônica). Seu trabalho tem raízes nas suas incursões pelo interior do Nordeste e moldado nos palcos e bares do Ceará e Maranhão.

Na sequência, o Balé Folclórico Arte Popular de Fortaleza faz uma apresentação especial.
Encerrando a noite, teremos o show da banda Mix Brasil, com uma fantástica mistura de ritmos e sons, incluindo samba, forró, axé, músicas caribenhas e sucessos internacionais.

O Botequim dos Bancários de outubro terá ainda a participação especial do humorista Titela.

Promoção Vale Conta – Quem é bancário sindicalizado pode se cadastrar no site do Sindicato (www.bancariosce.org.br/sorteio.php – em breve disponível no site) para, durante o Botequim, concorrer a quatro vales conta no valor de R$ 100,00 cada. As inscrições podem ser feitas até às 14 horas do dia da festa, 25/10.

Clone – O Sindicato dos Bancários do Ceará oferece desde a 1ª edição do Botequim clone de cerveja, refrigerante, água e whisky. Significa que ao adquirir umas das bebidas mencionadas, o bancário recebe outra grátis.

Estacionamento grátis – Os bancários sindicalizados terão acesso gratuito ao estacionamento localizado em frente à sede do Sindicato (Rua 24 de Maio, 1250 – esquina com a Rua Meton de Alencar), até a sua lotação. As vagas serão ocupadas por ordem de chegada e serão disponibilizadas mediante apresentação da carteira de sindicalização.

(Sindicato dos Bancários do Ceará)

SEEB-CE realiza Curso Preparatório ao Concurso da Caixa

Em parceria com a Academia dos Módulos (Master Concursos), o Sindicato dos Bancários do Ceará abre inscrições para curso preparatório ao concurso da Caixa Econômica Federal. Será ofertada uma turma para bancários sindicalizados e seus dependentes.

O Curso terá carga horária total de 220 h/a (aulas diárias de 45 min), com início programado para o próximo dia 4/11/2013 e término em 15/02/2014. O recesso acontecerá de 21/12 a 6/1. As aulas serão ministradas no auditório do Sindicato e acontecerão de segunda a sexta-feira, das 19h às 22h, e aos sábados, das 8h às 11h e de 14h às 17h; ressalvando o caso de feriados, que serão devidamente compensados em horários a serem acertados posteriormente. O curso iniciará com no mínimo 40 alunos e contemplará até 70 pessoas.

Do conteúdo programático constam disciplinas como Língua Portuguesa, Matemática, História e Estatuto da Caixa, Conhecimentos Bancários, Ética e Atendimento. Após a conclusão da carga horária total (220 h/a), será oferecido ainda um aulão específico de cada disciplina gratuito para todos os alunos.

Segundo a diretora da Secretaria de Formação, Iêda Marques, “esta parceria foi mais uma iniciativa do Sindicato em favor da categoria. Além da defesa pelos direitos dos trabalhadores, também é papel da entidade promover a qualificação do público bancário”, afirma.
Matrículas – As matrículas serão feitas diretamente na secretaria de Formação do Sindicato (Rua 24 de Maio, 1289 – Centro), pessoalmente, no período de 22/10 a 1º/11, obedecendo aos critérios das vagas disponíveis, de segunda a sexta, das 08h às 18h.

Desconto especial – O valor deste curso ofertado pela Academia dos Módulos (Master Concursos) em sua sede é de R$ 920,00. Através da parceria com o Sindicato, o valor cobrado será de R$ 440,00, sendo concedido ainda um percentual de desconto no valor do curso de 30% para os bancários sindicalizados e de 20% para os dependentes dos bancários sindicalizados. Com os descontos ofertados pelo SEEB/CE o bancário sindicalizado pagará pelo curso o valor de R$ 308,00 e os dependentes pagarão R$ 352,00. O pagamento será feito no ato da matrícula, em dinheiro ou cheque. Os alunos que desistirem do curso deverão arcar com a restituição do valor do desconto concedido pelo Sindicato.
Bolsas – Durante a aula inaugural será realizado o sorteio de cinco bolsas integrais entre os alunos devidamente matriculados e presentes em sala de aula. Os contemplados com as bolsas integrais terão ressarcidos os seus valores devidos no final do curso após comprovação de frequência mínima de 80% (oitenta por cento) das aulas.

Mais informações através do telefone: (85) 3252 4266, falar com a Secretaria de Formação.

(Sindicato dos Bancários do Ceará)

No Ceará, bancários da Caixa e BB encerram greve; BNB segue parado

Após nova assembleia dos bancários na noite desta segunda-feira (14), os trabalhadores da Caixa Econômica Federal e Banco do Brasil decidiram encerrar a greve. Segundo o sindicato, os bancários das duas empresas retornam às atividades na terça-feira (15).  Na sexta-feira (11), trabalhadores dos bancos privados do Ceará já haviam encerrado a greve. Apenas bancários do Banco do Nordeste do Brasil seguem as paralisações. Os bancários do BNB realizam nova assembleia nesta terça-feira (15).

“A direção do BNB nos apresentou uma proposta rebaixada que chega a ser inferior até mesmo se comparada aos demais bancos federais. A resposta para todos estes desmandos é fortalecer a greve”, diz o diretor do Sindicato dos Bancários e funcionário do BNB, Tomaz de Aquino.

O sindicato aceitou nesta segunda a mesma oferta da Federação Nacional dos Bancos recusada na sexta-feira. Os trabalhadores receberão 8% de reajuste salarial, 8,5% de aumento no piso da categoria, além de receber o valor do salário equivalente aos dias parados em greve.

A greve durou 23 dias na maior parte do país. No Ceará, a greve dos bancários teve forte adesão e 80% das agências de todo o estado chegaram a ficar fechadas.  Os comerciantes alegam prejuízo para o Dia das Crianças por causa greve dos bancários.

Nesta segunda-feira, após o retorno das atividades na maior parte dos bancos, houve grandes filas nas agências privadas. Já quem procurou bancos públicos não conseguiu ser atendido, como o caminhoneiro Acilon Tavares. Ele viajou até Juazeiro do Norte para dar entrada no Fundo de Garantia e chegou à fila às 5h. “Não teve ninguém para tomar providência. A moça chegou agora e disse que talvez, talvez na quarta-feira”, diz.

(G1 Ceará)

Acordo Aditivo Específico aprovado pelos empregados do Banco do Brasil

Os bancários do Banco do Brasil aprovaram, em assembleia realizada em 11 de outubro, proposta feita pela direção do banco para a renovação do acordo aditivo específico dos funcionários.

> Funcionários aceitam proposta e greve acaba no Banco do Brasil
 



 Sindicato dos Bancários de SP

Acordo Aditivo Específico aprovado pelos empregados da Caixa

Os empregados da Caixa Federal, reunidos em assembleia no dia 11 de outubro, aprovaram proposta da direção do banco para renovação do acordo aditivo específico.

> Proposta aprovada e fim da greve na Caixa Federal


Sindicato dos Bancários de São Paulo

Confira detalhes da Convenção Coletiva e Trabalho 2013 aprovada pelos bancários

Os bancários aprovaram, em assembleia realizada no dia 11 de outubro, proposta apresentada pela federação dos bancos (Fenaban) para renovação da Convenção Coletiva de Trabalho da categoria.

> Bancários aceitam propostas e encerram greve
 


 


Sindicato dos Bancários de SP

Rafael Matos toma posse no Conselho de Administração do BB

Eleito em junho último por votação direta do funcionalismo e com apoio da Contraf-CUT, Rafael Matos tomou posse no dia 8 de outubro no Conselho de Administração (Caref) do Banco do Brasil, a mais alta instância de decisão do BB. Rafael foi diretor do Sindicato de São Paulo, trabalhou na Gepes e na Previ, como assessor dos dirigentes eleitos.

“A minha atuação no Caref estará em sintonia com o movimento sindical e com os problemas sofridos pelos trabalhadores. Levarei ao conselho os anseios daqueles que estão na outra ponta”, promete Rafael, que terá mandato de dois anos. 

O Conselho de Administração do BB é composto de sete membros: três indicados pelo governo federal, o presidente do banco, dois indicados pelos acionistas minoritários (que hoje são indicados pela Previ) e um eleito pelos funcionários.

Rafael é o primeiro representante eleito dos funcionários do BB após a regulamentação da Lei 12.353 , que garante a representação dos trabalhadores em conselhos de administração de empresas públicas ou de economia mista com mais de 200 funcionários.

Conquista do movimento sindical

“A eleição é uma conquista das centrais sindicais, principalmente da CUT. É um avanço importante porque dará à representação dos trabalhadores o direito de participar da instância máxima do Banco do Brasil, onde são tomadas as decisões estratégicas, desde negócios, crédito, orçamento, investimentos e remuneração dos dirigentes, dentre outras questões”, afirma William Mendes, secretário de Formação da Contraf-CUT e coordenador da Comissão de Empresa dos Funcionários do BB.

Rafael assume o compromisso de, para se preparar para as reuniões do Conselho de Administração se reunirá regularmente com as entidades dos trabalhadores, com a Contraf-CUT e com o Dieese, para que tenha dados atualizados sobre a situação da categoria e do banco público.

O conselheiro conta que não poderá atuar em questões especificamente trabalhistas, pois há uma resolução que proíbe que representantes dos funcionários votem sobre esses temas. “Vamos tentar barrar essa restrição, em uma união com os demais eleitos em outras estatais. Porém, não vou deixar de opinar e de defender os interesses dos empregados no Caref”, diz.

Rafael afirma que fará a defesa do papel social que o Banco do Brasil deve cumprir no país. “Queremos um banco que cumpra seu papel social, com a redução de tarifas e dos juros e a participação em políticas públicas. Faremos parte da gestão estratégica do banco e essas decisões afetam o cotidiano do funcionalismo”, explica.

Entre os pontos que o conselheiro pretende apresentar ao Conselho Administrativo, estão a criação de um diretoria de sustentabilidade no banco e o aumento da participação das mulheres nos cargos de alta gestão. “Atualmente não existe uma mulher entre os 50 cargos de alta gestão do banco. Vamos lutar contra essa desigualdade”, garante.

Fonte: Contraf-CUT, com Seeb São Paulo

Bancários e Fenaban chegam a acordo, e greve pode acabar na segunda-feira

Os bancários e a Fenaban (Federação Nacional dos Bancos) chegaram, na madrugada desta nesta sexta-feira (11), a um acordo para o fim da greve, que já dura 23 dias, de acordo com o Comando Nacional dos Bancários, coordenado pela Contraf-CUT (Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro).

 

A paralisação dos funcionários do setor financeiro foi a mais longa desde 2004, quando os bancários paralisaram os serviços por 30 dias. No ano passado, os trabalhadores ficaram parados por nove dias e, em 2011, por 21 dias.

 

O Comando Nacional dos bancários aceitou proposta de reajuste de 8%, e vai sugerir às assembleias estaduais que aprovem o fim da greve até segunda-feira (14). Em São Paulo, a assembleia acontece nesta sexta (11), às 17h.

 

“A proposta tem avanços nas principais reivindicações dos bancários e vamos indicar a aprovação em assembleias”, disse Juvandia Moreira, presidente do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região e uma das coordenadoras do Comando Nacional dos Bancários, em nota à imprensa.

 

Os bancários devem compensar os dias de paralisação trabalhando no máximo uma hora a mais por dia até 15 de dezembro, segundo a nota da Contraf.

Acordo

Os bancários afirmam, em nota, que receberam proposta de reajuste de 8%, com ganho real de 1,82%, além de reajuste de 8,5% nos pisos, com ganho real de 2,29%.

A categoria já havia rejeitado duas propostas de reajuste salarial, de 7,1% e 6,1%, e reivindicava 11,93%.

 

Os dois lados acertaram que a regra básica do PLR (Participação nos Lucros e Resultados) será de 90% do salário mais valor fixo de R$ 1.694. A reivindicação era de três salários mais R$ 5.553,15.

 

Também recebem reajustes o auxílio-refeição (de R$ 21,46 para R$ 23,18) e a cesta-alimentação (de R$ 367,92 para R$ 397,36).

 

 Os bancários que recebem até 5 salários mínimos receberão o Vale-Cultura mensal, com valor de R$ 50. Todos os funcionários também terão direito a um dia de ausência remunerada a título de abono assiduidade, ainda segundo a nota.

 

Também foi acertado um grupo para debater as razões dos afastamentos por saúde, e a cobrança por metas via mensagem de celular foi proibida, conforme o comunicado.

 

Fonte: Uol

 

VISITANTES TOTAIS

  • 8,677,535 visitas

VISITANTES ON-LINE

SAUDAÇÕES

Sejam tod@s muito bem vind@s!

O blog diálogos políticos é uma iniciativa da Secretaria de Formação do Sindicato dos Bancários do Ceará. Nosso objetivo é possibilitar o intercâmbio de informações entre as pessoas interessadas nos mais diversos temas da conjuntura brasileira.

MEDIADOR

. Geógrafo e Funcionário da Secretaria de Formação do SEEB/CE. Atua na CCP-Banco do Brasil e CCV-Caixa. Diretor da AESB e Delegado Sindical do SINTEC-CE.

MÚSICA

Direito a Liberdade de Expressão

"Todo o indivíduo tem direito a liberdade de opinião e de expressão, o que implica o direito de não ser inquietado pelas suas opiniões e o de procurar, receber e difundir, sem consideração de fronteiras, informações e idéias por qualquer meio de expressão". Art.19 da Declaração Universal dos Direitos do Homem, promulgada em 10 de dezembro de 1948.
free counters