Pastor racista e homofóbico assume Direitos Humanos e se compara a Martin Luther King

Via Pragmatismo Político

Depois de quase três horas de reunião, o Partido Social Cristão (PSC), sem consenso, indicou Marco Feliciano (SP) para presidir a Comissão de Direitos Humanos. O anúncio foi feito pelo líder da legenda, André Moura (SE), que afirmou ter sido uma decisão de consenso, ainda que alguns deputados emitiram voto em outros nomes, mas foram vencidos.

O pastor Marco Feliciano é conhecido por ataques contra os homossexuais, quando afirmou que a “Aids é um câncer gay” (ver aqui), além de manifestações ofensivas contra negros (ver aqui).

pastor marco feliciano homofobia

Em entrevista coletiva, Feliciano citou pastor protestante e ativista político americano Martin Luther King como um exemplo igual ao seu.

- Disseram ser da Idade da Pedra ou dos tempos de caça às bruxas a escolha de um pastor para presidir a Comissão de Direitos Humanos. Lembro que o maior defensor dos direitos humanos de todos os tempos foi um pastor: Martin Luther King. Não me comparo a ele, mas era também um cristão – disse Marco Feliciano.

O deputado disse que não é e nunca foi racista e nem homofóbico, mas não negou as frases sobre negros que inseriu em seu Twitter na internet.

Uma petição com quase 65 mil assinaturas exige a imediata destituição do Pastor Marco Feliciano da presidência da Comissão de Direitos Humanos.

- Não neguei o que escrevi e não nego agora. Foi só um post.

Feliciano voltou a afirmar que a Comissão de Direitos Humanos é monotemática e que dá espaço excessivo para apenas um movimento. Ele evitou de citar, mas se referia aos temas relacionados a gays, lésbicas, transsexuais e outros setores desse movimento.

- Mesmo meu partido sendo conservador e de direita, ninguém será tolido na comissão.

O deputado voltou a afirmar ser contra a união civil do mesmo sexo.

- Casamento civil é entre um homem e uma mulher. E ponto final. É o que diz nossa Constituição. Fora disso, nada existe. Defendo o plebiscito e vou ver em que pé está meu projeto, que estava parado na comissão.

Ele afirmou também que a sociedade conhecerá, “de fato”, quem é Marco Feliciano.

- Vou dignificar a Nação. Sou muito querido dentro do Parlamento. Tive 210 mil votos.

O deputado Jean Wyllys (PSOL-RJ), na semana passada, disse que pode não integrar a comissão se confirmada a indicação de Feliciano, que respondeu.

- Gostaria de tê-lo na comissão. Mas se ele fugir da raia vai ficar feio para ele – disse.

Chico Alencar (PSOL-RJ), também integrante da comissão, criticou a indicação de Feliciano.

- Essa indicação vai inviabilizar a comissão que é dos direitos humanos. Será a comissão dos valores religiosos, do fundamentalismo e da higienização da raça. Foi uma insensatez do PSC – disse Chico Alencar.

Manifestantes protestam contra Marco Feliciano presidir comissão de Direitos Humanos da Câmara

Um grupo de manifestantes lotou a sala da Comissão de Direitos Humanos na Câmara dos Deputados, nesta quarta-feira (6), em protesto contra a indicação do deputado federal Marco Feliciano (PSC-SP) para presidência do órgão.

O parlamentar é acusado de dar declarações racistas e homofóbicas à imprensa e nas redes sociais. Os manifestantes alegam que o comportamento de Feliciano contraria o objetivo da comissão de Direitos Humanos, que é defender as minorias.

Além do protesto, a primeira reunião foi marcada pelo debate entre deputados que também querem a indicação de outro parlamentar para o cargo.

Agências

About these ads

Uma opinião sobre “Pastor racista e homofóbico assume Direitos Humanos e se compara a Martin Luther King”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s