Argentinos riem do Brasil após derrota para o México

Os argentinos riram da seleção brasileira depois da decepcionante derrota para o México na final do futebol na Olimpíada de Londres, por 2 a 1, no estádio Wembley.

A provocação coube ao principal jornal esportivo do país, o ‘Olé’, que não perdeu a chance de cutucar o Brasil e estampou logo no principal destaque do seu site: ‘Me Rio 2016’, brincando com a queda do rival e fazendo menção aos próximos Jogos Olímpicos, no Rio de Janeiro.
 
Reprodução

'Me Río 2016' foi a chamada do jornal argentino Olé
‘Me Río 2016′ foi a chamada do jornal argentino Olé
 
Na matéria, o periódico avalia que ‘não existe ouro possível para o Brasil nem para nenhuma outra equipe atuando desta forma. Se a energia só aparece nos minutos de desespero, o ouro está bem com o México”, diz o primeiro parágrafo do texto.
O jornal também não perdeu a oportunidade de alfinetar Neymar. As tentativas de drible do atacante santista foram descritas como “ fantasias tão isoladas que não serviram para inquietar ninguém”. 
 
Outros jornais esportivos destacaram os seguidos fracassos brasileiros nas finais dos Jogos Olímpicos. O ‘Marca’, da Espanha, destacou: ‘O eterno drama do Brasil nos Jogos’. Já o L’Equipe, da França, preferiu chamar a seleção de amaldiçoada: ‘A maldição do Brasil’. 
(ESPN)

Brasil perde para o México e segue sem ouro olímpico no futebol

Por Pedro Fonseca

LONDRES, 11 Ago (Reuters) – Parecia ser a melhor chance para o Brasil finalmente acabar com o tabu de jamais ter conquistado uma medalha de ouro no futebol em Jogos Olímpicos, mas acabou em nova decepção com uma derrota por 2 x 1 para o México na final dos Jogos de Londres, disputada em Wembley, neste sábado.

Considerados os maiores rivais do Brasil na busca pelo ouro, Espanha e Uruguai ficaram pelo caminho e o time do México, desfalcado de Giovani dos Santos, um de seus principais jogadores, não estava cotado para bater Neymar, Oscar e outros. Mas, a exemplo do time principal, o México mais uma vez causou problemas para o Brasil.

“Era uma chance única para todos porque daqui a quatro anos quase ninguém vai ter idade de disputar uma Olimpíada de novo. Perdemos uma chance de conquistar o ouro”, disse após a partida o atacante Neymar, símbolo da geração e um dos mais abatidos entre os brasileiros no 2o degrau do pódio.

Essa foi a terceira derrota em três presenças do Brasil numa final olímpica, após ficar com a prata também em Los Angeles-1984 (2 x 0 para a França) e Seul-1988 (2 x 1 para a União Soviética). O Brasil ainda tem dois bronzes, em Atlanta-1996 e Pequim-2008.

“Pela minha fisionomia não é difícil de analisar como estou me sentindo muito triste, porque fizemos um excelente trabalho até chegarmos na partida final, o que nos permitia uma grande confiança que poderíamos conquistar finalmente a medalha de ouro para o futebol brasileiro, mas não conseguimos”, lamentou o técnico Mano Menezes após a partida, que encerrou uma sequência de 5 vitórias da equipe em 5 jogos na Olimpíada até então.

Com menos de 30 segundos de jogo o Brasil já estava perdendo em Wembley.

Rafael, que segurou demais a bola, ficou preso pela marcação mexicana na lateral direita e fez um passe apertado para Sandro, que não conseguiu dominar e deixou Javier Aquino desviar. Oribe Peralta pegou a sobra, avançou, e bateu da entrada da área, no canto do goleiro Gabriel, para marcar o gol.

O Brasil levou tempo até conseguir encaixar um primeiro ataque, dando sinais de nervosismo com a desvantagem. Só conseguiu chutar ao gol adversário aos 19 minutos, numa jogada de Leandro Damião pela esquerda finalizada dentro da área por Oscar. O goleiro Jesús Corona encaixou.

HULK

Assim como na semifinal contra a Coreia do Sul, o técnico Mano Menezes barrou o meia-atacante Hulk –um dos três jogadores com mais de 23 anos– e escalou em seu lugar Alex Sandro, que tem mais característica de marcação.

Logo aos 31 minutos, o treinador foi obrigado a reverter a mudança e colocou Hulk em campo para tentar mudar o quadro da partida. Num chute dele de fora da área, Corona espalmou e Damião chegou no rebote, obrigando o goleiro a outra defesa.

O final do primeiro tempo deu esperança aos brasileiros para a segunda etapa. Em três oportunidades o Brasil teve chances de empatar, com finalizações de Marcelo, Hulk e Neymar, transformando a maior posse de bola em lances de perigo para o gol adversário.

O início do segundo tempo foi no mesmo ritmo e com menos de três minutos Hulk já tinha sofrido, e cobrado com perigo, uma falta na entrada da área e Neymar arriscado um chute de fora da área.

Mais solto, o atacante do Santos conseguiu em dois lances mostrar o brilho que fez dele a estrela do futebol brasileiro, com dribles desconcertantes. Após um deles, levou falta violenta por trás de Israel Jiménez, que recebeu cartão amarelo. No geral, porém, Neymar teve uma atuação bem abaixo de suas possibilidades.

Apesar de o domínio da posse de bola ser brasileiro, o México por muito pouco não ampliou a vantagem após outro erro individual da defesa do Brasil. O capitão Thiago Silva perdeu a bola dentro da área para Marco Fabian, que acertou o travessão na sequência com um chute por cobertura.

“Obviamente não apagamos falhas individuais e nem há necessidade disso, mas também nossa maior falha individual foi a 30 segundos e tivemos 89 minutos a mais para reverter e não conseguimos. Perdemos todos e não apenas um”, afirmou o treinador.

Assim como no início do jogo, os jogadores do Brasil voltaram a mostrar nervosismo, precipitando as jogadas, enquanto o relógio se aproximava do final da partida. Aos 25 minutos, Mano arriscou ao colocar Alexandre Pato no lugar do volante Rômulo.

Mas não teve jeito. Quatro minutos depois, após uma cobrança de falta, Peralta subiu completamente livre no meio da área e cabeceou para o gol: 2 x 0.

O Brasil ainda diminuiu com Hulk, que tocou na saída do goleiro mexicano após lançamento longo aos 46 minutos. No último lance de ataque, Hulk, o melhor do time brasileiro, cruzou para Oscar, que, dentro da pequena área tocou de cabeça para fora, e o Brasil continua sem conquistar uma medalha olímpica de ouro no futebol.

“Tem dia que a bola ano entra”, disse Hulk. “Quando se toma um gol no começo muda a história do jogo. Menos de um minuto levamos o gol, tentamos reagir e tomamos outro.”

Reuters

Vôlei feminino do Brasil é bicampeão olímpico com virada sobre os EUA

LONDRES, 11 Ago (Reuters) – A seleção brasileira conseguiu uma virada incrível na partida contra os Estados Unidos e também no torneio para conquistar neste sábado o bicampeonato olímpico do vôlei feminino em Londres.

Depois de um primeiro set perfeito dos EUA, o time comandado pelo agora tricampeão olímpico José Roberto Guimarães se acalmou e fechou o jogo em 3 sets a 1, parciais de 11-25, 25-17, 25-20 e 25-17.

O confronto em Londres foi uma reedição dos Jogos de Pequim há quatro anos, quando o Brasil também foi campeão ao vencer as norte-americanas por 3 a 1.

Ao som de “o campeão voltou”, as brasileiras tiveram uma atuação impecável a partir do segundo set e comemoraram com muitas lágrimas e abraços na quadra.

Após uma campanha ruim na primeira fase, com duas derrotas em cinco jogos, a seleção brasileira dependeu de uma vitória dos EUA sobre a Turquia na última rodada para se classificar com a última vaga para as quartas de final.

Na primeira partida eliminatória dos Jogos, o Brasil enfim jogou bem e salvou seis match points para eliminar a Rússia no tie-break de um jogo dramático que devolveu a confiança ao time, que na partida da semifinal atropelou o Japão.

No entanto, contra as norte-americanas, que já haviam derrotado a equipe brasileira na primeira fase, o Brasil começou nervoso.

Os EUA iniciaram melhor a partida, abrindo 6-1, e se mantiveram na frente após sucessivos erros do Brasil, o que motivou o técnico José Roberto a pedir calma à equipe quando o placar apontava 13-5.

As principais atacantes do Brasil, principalmente Scheilla e Fernanda Garay, tiveram muitas dificuldades de colocar a bola no chão. Paula Pequeno entrou em quadra e também falhou, sendo substituída após dois ataques errados. Os EUA, então, fecharam a primeira parcial com extrema facilidade.

No segundo set, as brasileiras fizeram 3-0, e, embora as norte-americanas tenham chegado ao empate em 12-12, abriram boa vantagem com o apoio das centrais e de Jaqueline e empataram o jogo.

O Brasil seguiu bem no terceiro set, novamente com Jaqueline bem no ataque — ela fez 18 pontos e foi a maior pontuadora da partida –, enquanto nos EUA a destaque Hooker, que jogou pelo Osasco a última Superliga, não tinha a facilidade que apresentou no set inicial.

Sem titubear no quarto set, a equipe brasileira fechou o jogo, e José Roberto Guimarães tornou-se o primeiro brasileiro tricampeão – além dos títulos de 2008 e 2012, ele foi campeão com a seleção masculina em 1992.

(Por Tatiana Ramil, em São Paulo – Reuters Brasil)

O fracasso quase consumado de Cid Gomes

Da coluna Política, no O POVO deste sábado (11), pelo jornalista Érico Firmo:

O governo Cid Gomes (PSB) já assegurou alguns legados importantíssimos e tem outros muito bem encaminhados. Para ficar nos mais relevantes, os indicadores de qualidade na educação melhoraram de forma generalizada e está em construção uma notável rede de saúde.

Todavia, está praticamente consumado o fracasso naquela que foi a prioridade número um da eleição de Cid: a segurança. Gastou-se muito, como nunca antes. Mas o resultado é pífio – pior ainda diante da despesa feita.

Aqui cabe um parêntese: quando Luizianne Lins (PT) acabara de ser reeleita prefeita, Ivo Gomes (PSB), irmão do governador e ainda aliado do PT na época, fez crítica bastante pertinente à educação municipal. Queixou-se da ênfase dada a coisas relevantes, mas acessórias, como fardamento e material escolar. E, sem desmerecer a importância desses aspectos, cobrava atenção à qualidade. Pois bem, o irmão de Ivo incorreu no mesmo erro na segurança. Deu atenção demais aos equipamentos de ponta, às delegacias. Mas não conseguiu resolver o essencial, embora tenha tentado.

Cid sabia que a formação policial era crucial e, por isso, construiu a nova academia. Contudo, mais uma vez, só o concreto não foi solução. Encaminhando-se para a reta final de mandato, o comando da academia é substituído. Para além de nomes, há um cavalo de pau no perfil. Junto com César Barreira, sai a universidade, o conceito. Com Roosevelt Alencar, certo estilo “pé de boi” chega à formação policial.

A guinada é significativa e dificilmente haverá tempo para a mudança mostrar resultado. Sobretudo perto da eleição de 2014, é bem provável que haja a intensificação do policiamento ostensivo nas ruas, com previsível melhora nos indicadores. Nesse caso, será mero analgésico que adormece a dor sem curar o mal.

Mas o tempo para melhorias efetivas e estruturais com resultados ainda nesse governo parece perto do fim. O prazo para evitar o fracasso na prioridade número um do governador começa a se exaurir.

Ministério Público do Ceará pede prisão de José Juacy Cunha, o fraudador do Banco do Nordeste

10 de Agosto de 2012 às 20:18

PE 247 - Apontado como um dos líderes de um esquema que teria desviado mais de R$ 100 milhões do banco do Nordeste em operações de crédito, José Juacy Cunha Pinto Filho, teve o seu pedido de prisão preventiva solicitado pelo Ministério Público do Ceará.  O pedido de prisão qualifica o empresário como “especialista em falsificação de documentos públicos e particulares, formação de quadrilha, estelionatos e fraudes financeiras, indivíduo que inequivocamente causa prejuízos a particulares, e danos devastadores ao patrimônio público”. O Ministério público cearense suspeita, inclusive, que o empresário tenha deixado o País.De acordo com reportagem da revista Época, que noticiou a fraude há cerca de dois meses, as empresas Ceará Indústria e Comércio de Embalagens, Flecar Comércio e Locação de Veículos, R & J Locações Investimentos e Incorporações, C4 Contruções, JPCF e Empreendimentos Imobiliários e Nordeste Indústria de Embalagens, pertencentes a José Juacy, também são acusadas de improbidade administrativa junto de mais 25 supostos envolvidos nas fraudes, entre eles 20 gerentes ou técnicos do banco.

De acordo com o Banco do Nordeste, todos os funcionários envolvidos teriam sido afastados de suas funções no final de junho.

(Brasil 247)

Veja adota tática do avestruz no caso Policarpo

MONTAGEM 247

247 – Na próxima terça-feira, o deputado Doutor Rosinha (PT-PR) apresentará o pedido para convocação do jornalista Policarpo Júnior, chefe da revista Veja em Brasília, pela CPI da Operação Monte Carlo. Durante anos, o bicheiro Carlos Cachoeira, useiro e vezeiro de grampos clandestinos e ilegais, foi a principal fonte de Policarpo. O argumento pela convocação de Policarpo foi reforçado pela capa da revista Carta Capital deste fim de semana, que traz um grampo em que Policarpo pede a Cachoeira que levante algumas ligações de um deputado: o goiano Jovair Arantes, do PTB. O bicheiro promete resolver o assunto com o araponga Idalberto Matias, o Dadá, especializado em arapongagem clandestina.

Há, no entanto, um pacto de silêncio na imprensa brasileira. Nenhum veículo que integra a chamada “grande mídia” – ou o chamado “Partido da Imprensa Golpista”, como alegam seus críticos – repercute notícias da revista Carta Capital. Foi assim, por exemplo, na lista recente sobre o mensalão mineiro e o mesmo ocorre no caso Policarpo. Alguns jornais, como a Folha de S. Paulo, por exemplo, já decretaram que há apenas uma relação “fonte-jornalista” no envolvimento Policarpo-Cachoeira.

No resto do mundo, no entanto, escândalos que atingem a mídia são cobertos por todos os veículos – a começar por aqueles que são atingidos pelas denúncias. Nesta semana, por exemplo, a revista Time e a televisão CNN decidiram suspender o colunista Fareed Zakaria, um dos mais consagrados comentaristas norte-americanos, porque ele está envolvido num caso de plágio. Na Inglaterra, a ex-toda-poderosa Rebekah Brooks, que comandava o império de tabloides de Rupert Murdoch, terminou no banco dos réus porque estava envolvida, também, num escândalo de grampos ilegais contra celebridades. Murdoch pediu desculpas e fechou um jornal.

Tática do avestruz

No Brasil, o jogo é muito diferente. Embora o caso Policarpo-Cachoeira tenha se espalhado como pólvora na internet e nas redes sociais, a revista finge que não é com ela. Falou uma vez, no início da crise, citando um trecho parcial de um grampo, em que Cachoeira dizia que “Policarpo nunca vai ser nosso”, e na semana retrasada, quando Andressa Mendonça, esposa do bicheiro, chantageou um juiz, ameaçando soltar, pelas mãos de Policarpo, um dossiê negativo contra ele, em Veja.

Nesta semana, seria natural que Veja voltasse a falar sobre o caso. Afinal, não é normal que um jornalista peça a um bicheiro que levante ligações de um deputado democraticamente eleito. O crime não pode ser colocado a serviço da agenda política de uma revista. Por mais que isso pareça óbvio, Veja decidiu se calar. E a Editora Abril, comandada pelo executivo Fábio Barbosa, antes um porta-voz da transparência corporativa, cada vez mais adota a estratégia do avestruz, enfiando a cabeça debaixo da terra.

Mais do que simplesmente não se posicionar, há também um intenso jogo de pressões. Barbosa, no início do CPI, foi a Brasília e falou com líderes de vários partidos, para que nem Policarpo nem Roberto Civita fossem convocados. O vice-presidente, Michel Temer, foi também procurado por João Roberto Marinho, das Organizações Globo, que apresentou a mesma demanda: imprensa na CPI, jamais!

Quem ganha com isso? A internet, que se consolida como terreno da liberdade, onde todos os assuntos podem ser tratados sem nenhum tipo de censura.

Neste fim de semana, Veja não fala sobre o caso Policarpo-Cachoeira. Mas declara seu apoio à presidente Dilma Rousseff. A capa, que trata de um suposto “choque de capitalismo” promovido pelo governo, aborda o plano de concessões que será divulgado na quarta-feira. “Está aí uma batalha para a qual a presidente vai precisar do apoio da opinião pública. O de Veja fica desde já aqui hipotecado”, escreve Eurípedes Alcântara, em sua Carta ao Leitor.

No momento em que sua imagem é abalada por um escândalo, Veja “dilmou”.

(Brasil 247)

Justiça Eleitoral determina que Facebook saia do ar por 24h

A rede social Facebook poderá ter que suspender o acesso dos usuários em todo o País por 24 horas por descumprimento da legislação eleitoral. A decisão é do juiz da 13ª Zona Eleitoral, de Florianópolis, Luiz Felipe Siegert Schuch. No final da tarde desta sexta-feira (10), o Facebook apresentou a Schuch pedido de reconsideração da decisão. O juiz ainda analisa o caso, que só deve ser decidido na próxima segunda-feira (13).

Se a decisão do juiz for mantida, o Facebook deverá interromper o acesso à rede social e apresentar a informação de que o site está fora do ar por descumprir a legislação eleitoral. Se essa determinação não for atendida, a empresa terá que pagar multa diária de R$ 50 mil e o prazo de suspensão do Facebook no País será duplicado.

De acordo com a decisão, o Facebook descumpriu uma liminar anterior que determinou que fosse retirada do ar a página “Reage Praia Mole”. A suspensão foi solicitada pelo vereador Dalmo Deusdedit Menezes (PP), de Florianópolis, que concorre à reeleição. O parlamentar argumentou que houve veiculação de “material depreciativo” contra ele, feita de maneira anônima por um usuário. O juiz eleitoral também determinou a identificação das pessoas que criaram a página no Facebook.

Segundo o TRE-SC, o Facebook poderá recorrer ao tribunal regional ou ainda ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE). A assessoria de imprensa do Facebook no Brasil informou que ainda aguarda um posicionamento oficial da sede, na Califórnia (Estados Unidos), para se manifestar.

(Ultimo Segundo)

 

Universidades Federais são campeãs de aprovação no exame da OAB

As universidades federais são as que mais aprovam estudantes e bacharéis em Direito no Exame de Ordem Unificado, prova da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) com aprovação obrigatória para obter a carteira de advogado. O ranking geral de aprovação no exame elaborado pelo iG com dados da OAB de todas as seis edições concluídas até o momento aponta que, entre as 20 instituições que mais aprovam, 16 são federais, quatro estaduais e nenhuma é particular.

Uma ferramenta exclusiva permite consultar o desempenho pelo nome completo da instituição, por Estado e por faixa de índice de aprovação (veja abaixo). Ao clicar no nome da instituição, uma ficha com o desempenho em cada edição do Exame de Ordem é apresentada. Os câmpus das universidades foram agrupados por cidades, para preservar as especificidades das regiões.

A pedido do iG , os dados da OAB foram analisados estatisticamente pelo professor Sebastião Amorim, do Departamento de Estatística da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e diretor técnico da Tecnométrica. Como os participantes reprovados no exame podem prestar a prova novamente, os números apresentados no ranking se referem à quantidade de participações de estudantes e bacharéis, e não ao número absoluto de candidatos. “O índice baixo de aprovação de uma instituição também é fruto da repetência acumulada. Aqueles que fazem a prova mais de uma vez puxam o índice para baixo”, avalia o coordenador-geral do Exame de Ordem, Marcus Vinicius.

Para o matemático Sebastião Amorim, o inverso também é verdadeiro. Um estudante que presta o Exame pela segunda ou terceira vez tem estatisticamente mais chances de ser aprovado do que um que realiza a prova pela primeira vez, pois conhece o exame e se preparou por mais tempo para realizá-la. “Mesmo com as ponderações, os dados são riquíssimos em valor informativo. Os extremos mostram diferenças brutais”, diz.

Melhores posições

Em primeiro lugar no ranking geral do Exame de Ordem ficou a Universidade Federal de Viçosa (UFV), de Minas Gerais, com índice de aprovação de 74,5% – de 149 participantes, 111 foram aprovados. O diretor da Faculdade de Direito da UFV, Fernando Laércio Alves da Silva, atribui o resultado há três fatores: o vestibular bastante seletivo e concorrido (cerca de 37 candidatos por vaga), o baixo número de alunos (60 por turma e corpo discente de 300 alunos) e a boa infraestrutura do curso.

A UFMG foi a federal de maior porte melhor classificada, em 7º lugar. A instituição tem cerca de 2,5 mil alunos e atingiu índice total de 64% de aprovação, com 687 aprovados em 1073 participações. “Atribuo o resultado ao compromisso dos professores e a inquietude intelectual dos alunos, que procuram os problemas e as questões jurídicas do momento e as trazem para a sala de aula”, destaca a diretora da Faculdade de Direito da UFMG, Amanda Flavio.

A instituição de um plano de carreira atraente, reivindicação principal da greve nacional dos docentes federais, seria fundamental para manter o nível de excelência das federais, na avaliação de Fernando Laércio Alves da Silva, da UFV. “Ao longo dos últimos anos temos observados o sucateamento e o desestímulo para o ingresso dos novos docentes. Se não há valorização daqueles que formam os profissionais, me pergunto que nível de formação os alunos terão daqui a 10 ou 15 anos.”

O desempenho das maiores

Na análise feita pelo professor Amorim, as instituições com maior número de inscrições foram a Universidade Paulista (Unip), com um total de 24.965 inscrições e 3.023 aprovados (12%), a universidade e faculdade Estácio de Sá, com 21.007 participações e 3.986 aprovações (19%), e a Universidade Salgado de Oliveira (Unisal), com um total de 12.739 participações e 1.248 aprovados (9,8%).

A diretora nacional de Ciências Jurídicas do Grupo Estácio, Solange Moura, defende que as instituições particulares têm um trabalho acadêmico “muito mais duro”, porque recebem majoritariamente os egressos do ensino público, ao contrário do que acontece com as universidades públicas, e precisam fazer um trabalho de nivelamento das competências dos alunos. “Nos primeiros anos trabalhamos fortemente leitura e redação. A formação específica é feita de forma contextualizada. A cada semana eles resolvem um caso concreto jurídico”, destaca. No último exame da OAB, o câmpus de Petrópolis da Estácio alcançou 45,83% de aprovação. O desafio é melhorar os índices de forma homogênea.

Desde 2010, quando foi instituído, o Exame de Ordem Unificado recebeu 628.731 participantes, dos quais 111.738 foram aprovados, um índice médio de aprovação de 17,7%. Na ferramenta abaixo há dados de 935 faculdades, das quais 691 têm índices de aprovação inferiores a 20% e 203 estão abaixo dos 10%. Constam no ranking somente instituições que tiveram mais de 20 inscritos em cada edição do Exame de Ordem (para evitar distorções estatísticas, a OAB não divulga dados das faculdades com menos de 20 inscritos). Para consultar o desempenho de uma instituição, escreva o nome completo (siglas não são consideradas).

Link: http://ultimosegundo.ig.com.br/educacao/2012-08-11/ranking-geral-de-aprovacao-no-exame-de-ordem-exame-da-oab.html

 

Ana Beatriz de Sousa: Menina morta a socos por amante da mãe deixou carta para a assassina

A adolescente morta a socos por uma boxeadora, namorada da própria mãe, deixou duas mensagens em um caderno escolar poucos dias antes de morrer em Praia Grande, no litoral de São Paulo. Uma das cartas seria entregue para Ana Luiza Ferreira, mãe da vítima, e a outra para Elizabeth Fernandes dos Santos, suspeita de ser a assassina. Segundo o delegado responsável pelo caso, as cartas foram anexadas ao processo e provam que a garota não tinha um bom relacionamento com a família.

Ana Beatriz de Souza foi morta no último dia 15 de julho, dentro da própria casa, no Jardim Anhanguera. Além da mãe, que já está presa, Elizabeth e José Bento de Souza, ex-marido de Ana Luiza, também são suspeitos de participar do crime e estão foragidos. O corpo da menina foi encontrado na Rodovia Anchieta com várias fraturas e ferimentos pelo corpo, além de sinais de esganadura.

A jovem escreveu dois bilhetes em cadernos escolares, que foram encontrados na mochila deixada ao lado do corpo da menina. Em uma das cartas, que seria entregue para a mãe, Ana Beatriz de Souza afirma, entre outras coisas, que se sente uma intrusa na família. Já na outra, que seria entregue para Elizabeth, a criança afirma gostar muito da namorada da mãe. Para o delegado responsável pelo caso, Luiz Evandro Medeiros, as cartas serão fundamentais para o desfecho da história. “Os bilhetes vão mostrar para o juíz e para o promotor que a garota estava tentando se reconciliar com a mãe e com a futura assassina. Mandei juntar os documentos ao processo, porque fica claro que a garota estava pedindo desculpas por algum desentendimento”, explica.

Adolescente assassinada em Praia Grande, SP (Foto: Reprodução/TV Tribuna)Jovem foi assassinada pela amante da mãe
(Foto: Reprodução/TV Tribuna)

Ex-marido
Segundo o delegado, quatro investigadores foram até o bairro Jardim Real, em Praia Grande, para apurar a denúncia anônima de que o pai adotivo de Ana Beatriz esteve no local. A polícia confirmou que o suspeito de participação no crime esteve no bairro até a última terça-feira (7), mas depois disso desapareceu.

Para Luiz Evandro, as denúncias são positivas para o andamento do caso. “Isso é altamente positivo e estamos verificando todas as denúncias”. O delegado disse ainda que conta com a ajuda de outras delegacias para a solução do caso.

Leia os bilhetes na íntegra

“Mãe, não sou uma boa filha, mas não estou fazendo essa carta para que você chore ou fique com pena, só quero que saiba que eu te amo muito. Mesmo não acreditando. Sou sua filha, mas às vezes sinto como se fosse uma intrusa nessa família. Mesmo assim te amo e gosto muito de você, da Beth e do Luiz. Desculpa por ser assim tão desobediente, é meu jeito”.

“Beth, sei que tenho te tratado muito mal, mas quero que saiba que não é porque não gosto de você, mas sinto que às vezes sou intrusa. Fico muito sozinha e estressada. Mas eu gosto muito de você e sei que sente saudade das suas filhas”.

Jovem escreveu bilhete pedindo desculpas para a amante da mãe (Foto: Reprodução/TV Tribuna)Jovem também escreveu bilhete pedindo desculpas para a amante da mãe (Foto: Reprodução/TV Tribuna)
(G1)

 

Guaramiranga, no Ceará. tem mais eleitores do que habitantes

Dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) indicam que 305 municípios têm mais eleitores que habitantes, se levada em conta estimativa do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) da população residente por município para 2011 – os dados são os mais atualizados do instituto e foram publicados no “Diário Oficial da União”.

O percentual de municípios onde o total de eleitores é maior do que a população é de 5,5% dentre 5.564 cidades do país com ambos os números disponíveis – o IBGE possui dados de 5.568 municípios. O Brasil tem uma população estimada de 192.376.496 habitantes para 2011. O TSE contabilizou, em julho deste ano, 140.394.103 eleitores aptos a votar no país e outros 252.343 que votam no exterior – cerca de 70% da população brasileira.

De acordo com o TSE, nem sempre o domicílio eleitoral é o mesmo que o domicílio civil, e alguns municípios desenvolvem características específicas que levam a essa situação, o que, segundo o tribunal, não configura necessariamente fraude (leia mais abaixo a justificativa do TSE).

AS 20 CIDADES COM MAIOR DESPROPORÇÃO ENTRE ELEITORADO E POPULAÇÃO
Município População Eleitorado Relação eleitor/habitante
Oliveira de Fátima (TO) 1.043 1.986 1,90
Passagem (RN) 2.910 4.580 1,57
Águas de São Pedro (SP) 2.770 4.213 1,52
Chapada de Areia (TO) 1.340 2.025 1,51
Parari (PB) 1.242 1.868 1,50
Senador José Bento (MG) 1.829 2.525 1,38
Serra da Saudade (MG) 811 1.107 1,36
Guaramiranga (CE) 4.058 5.412 1,33
Borá (SP) 806 1.071 1,32
Senador Cortes (MG) 1.987 2.625 1,32
Córrego Novo (MG) 3.088 4.058 1,31
União Paulista (SP) 1.618 2.116 1,30
Avelinópolis (GO) 2.446 3.171 1,29
Lagoa de Velhos (RN) 2.669 3.426 1,28
Ermo (SC) 2.049 2.625 1,28
Brejo de Areia (MA) 5.264 6.700 1,27
Catolândia (BA) 2.631 3.337 1,26
Severiano Melo (RN) 5.801 7.347 1,26
Aroeiras do Itaim (PI) 2.441 3.081 1,26
Sem-Peixe (MG) 2.822 3.545 1,25
Fontes: IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatistica) e TSE (Tribunal Superior Eleitora

Oliveira de Fátima, no Tocantins, é a cidade com maior disparidade entre população e eleitorado. O município tem 1.986 eleitores contra 1.043 habitantes, quase o dobro do total de moradores.

O TRE de Tocantins diz que não é comum situação como a de Oliveira de Fátima, “mas que, devido ao conceito de domicílio eleitoral ser muito extenso, abarcando vínculos familiares, patrimonial, afetivo dentre outros, podem acontecer casos semelhantes”.

Em segundo lugar, está Passagem, no Rio Grande do Norte, com um total de 4.580 eleitores cadastrados junto à Justiça Eleitoral e uma população de 2.910 pessoas, segundo o IBGE.

A coordenação de Logística de Eleições do TRE do Rio Grande do Norte afirma que a situação da cidade de Passagem é normal, “pois, de acordo com a legislação, o domícilio eleitoral é permitido para quem tanto reside no município como também para quem tem vínculos trabalhistas, familiares, afetivos etc.”. “A pessoa pode transferir seu título se comprovar vínculos fortes com o município para o qual quer estabelecer como local de votação. Isso não configura fraude”, informou o tribunal.

São Paulo, maior cidade do país, conta com uma população estimada para 2011 de 11.316.149 de habitantes e 8.619.170 eleitores.

De acordo com os dados do IBGE e da Justiça Eleitoral, somente duas cidades têm o mesmo número de habitantes e de eleitores. Ambas ficam no Rio Grande do Sul – Nova Boa Vista, com 1.940 habitantes e eleitores, e São José do Inhacorá, com 2.184.

Nos estados
Por estado, Minas Gerais possui 74 cidades com mais eleitores do que habitantes, seguido de Goiás (43), Rio Grande do Sul (34), Rio Grande do Norte (31), Piauí (28), São Paulo (27), Santa Catarina (18) e Paraíba (15). Rio de Janeiro, Sergipe, Rondônia, Mato Grosso e Espírito Santo têm uma cidade cada nessa situação.

TSE justifica
Em nota, o TSE afirma que para votar em determinados municípios, vínculos como os profissionais são aceitos. “O cidadão não precisa ter residência no município onde pretenda fixar-se como eleitor, para isso bastando que comprove vínculos que abonem esse requisito (patrimonial, profissional, comunitário, entre outros).”

“Daí decorre que, em alguns casos, notadamente em municípios que apresentem características especiais geográficas, de desenvolvimento de atividade econômica ou produtiva, ou de atrativos de outra natureza, haja incremento no quantitativo de eleitores, superando a própria população residente”, informou o tribunal. “Não há proporção ideal ou legalmente definida.”

Ainda conforme o TSE, em razão disso, “a relação entre eleitorado e população não conduz, por si só, a indicativo de fraude no alistamento eleitorado” e a realização de revisão de eleitorado é de competência dos tribunais regionais eleitorais quando se tratar de suspeita de fraude.

Já as revisões que levam em conta os requisitos estatísticos, o TSE afirma que vem regulamentando essas revisões desde a implantação do Programa de Identificação Biométrica do Eleitorado. Diz ainda a nota que, salvo em situações excepcionais autorizadas pela Corte, estão vedadas revisões de eleitorado em anos eleitorais.

“Desde 2009, o tribunal vem admitindo tão somente a realização das revisões de eleitorado com identificação biométrica até o primeiro trimestre do ano eleitoral, de forma a assegurar a regularização de situação dos eleitores eventualmente cancelados nos procedimentos revisionais até o fechamento do cadastro imposto pelo art. 91 da Lei nº 9.504/97.”

Investigação de suposta fraude
No Rio Grande do Sul, 15 municípios com mais eleitores que habitantes são investigados pelo Ministério Público Estadual e pela Polícia Federal.

Em julho, o Gabinete de Assessoramento Eleitoral do MP recebeu da PF indícios de distorção nos números. Os dados foram repassados aos promotores dos municípios, que poderiam pedir ou não que a Polícia Federal a apurasse o caso.

Em contato com o G1, a PF disse que não vai se manifestar sobre a investigação, que ainda está em andamento. Os nomes das cidades são mantidos em sigilo para não atrapalhar o processo.

(G1)

Viçosa do Ceará: Estudante morre após cair de transporte escolar

Uma estudante de 16 anos morreu após cair de um transporte escolar e ter sido atropelada no município de Viçosa do Ceará, distante 365,8 quilômetros de Fortaleza, na noite desta sexta-feira, 10. Segundo o Comando de Policiamento do Interior (CPI), o acidente ocorreu por volta de 21h30, quando o veículo particular que prestava serviço à prefeitura de Viçosa transitava com a porta aberta na localidade de ‘Sítio Cajueiro do Neco’.

Ainda de acordo com o CPI, a estudante foi atropelada pelo próprio transporte escolar e chegou a ser socorrida pelo motorista do veículo, que a levou até o hospital municipal de Viçosa do Ceará e, depois, desapareceu.

  O CPI informou ainda que, durante a madrugada, a estudante ferida foi transferida para os hospitais de Tianguá e, depois, para a Santa Casa de Misericórdia de Sobral, onde morreu na manhã deste sábado, 11. O motorista do veículo segue foragido.

 (O Povo Online)