you're reading...
Esportes e Lazer

Rafaela Silva: Judoca brasileira é desclassificada por golpe ilegal e chora no tatame

Londres – A brasileira Rafaela Silva protagonizou um momento confuso nos Jogos Olímpicos de Londres. A competidora nacional acabou eliminada da competição, válida pela categoria dos leves (até 57 kg), depois de aplicar um golpe ilegal, apontado pela arbitragem. Depois do anúncio da arbitragem, que a princípio havia marcado um wazari a favor de Rafaela, a carioca chorou copiosamente ainda no tatame e precisou ser consolada pela adversária, a húngara Hedvig Karakas.

Demonstrando a mesma postura agressiva da estreia, Rafaela Silva dominou o combate diante da adversária húngara até o momento em que aplicou o polêmico golpe. A competidora aplicou a entrada e conseguiu encaixar um wazari, anotado imediatamente pela arbitragem. Contudo, os árbitros laterais pediram revisão e flagraram o ataque da brasileira às pernas da rival, regra não permitida. Consequentemente, a competidora do Rio de Janeiro acabou eliminada.

O anúncio da arbitragem desesperou Rafaela Silva. Ainda no tatame, a brasileira se mostrou incrédula com a eliminação por conta de uma desclassificação. Deitada e chorando muito, a carioca precisou ser amparada pela própria adversária húngara, que, constrangida, comemorou discretamente a classificação às quartas de final.

Campanha

Na primeira rodada, a competidora do Rio de Janeiro venceu a alemã Miryam Roper por dois yukos de vantagem, em duelo pela categoria dos leves (até 57 kg). O triunfo de Rafaela Silva quebrou o jejum do último domingo, quando o Brasil, com Erika Miranda e Leandro Cunha na categoria meio-leve, acabou eliminado ainda nos primeiros combates.

As duas atletas evitaram qualquer tipo de ação no primeiro minuto de luta. A falta de atitude de ambas resultou em uma punição para cada, castigo que acordou a brasileira. Dona de um retrospecto de quatro lutas e quatro vitórias contra a alemã, Rafaela Silva controlou o ritmo do combate e somou o primeiro yuko por conta da falta de combatividade da rival, que buscou evitar o confronto direto.

A vantagem soltou o jogo de Rafaela até o final do combate. Com tranquilidade, a judoca brasileira conseguiu somar outro yuko, revertendo um uchimata da adversária, e praticamente definiu o combate. Nos segundos finais, a alemã se mostrou mais agressiva na busca pela reação. Contudo, extremamente segura, Rafaela Silva trabalhou no contra-ataque e segurou o resultado positivo no duelo pela categoria dos leves.

Na briga por um lugar nas quartas de final da competição, Rafaela Silva terá pela frente a húngara Hedvig Karakas. Mesmo sofrendo com um yuko de desvantagem durante a maior parte do combate, a competidora conseguiu encaixar um uchimata e garantir o triunfo por ippon sobre a espanhola Concepcion Bellorin.

(Jornal do Brasil Online)

About these ads

Discussão

Nenhum comentário ainda.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

VISITANTES TOTAIS

  • 8,663,783 visitas

VISITANTES ON-LINE

SAUDAÇÕES

Sejam tod@s muito bem vind@s!

O blog diálogos políticos é uma iniciativa da Secretaria de Formação do Sindicato dos Bancários do Ceará. Nosso objetivo é possibilitar o intercâmbio de informações entre as pessoas interessadas nos mais diversos temas da conjuntura brasileira.

MEDIADOR

. Geógrafo e Funcionário da Secretaria de Formação do SEEB/CE. Atua na CCP-Banco do Brasil e CCV-Caixa. Diretor da AESB e Delegado Sindical do SINTEC-CE.

MÚSICA

Direito a Liberdade de Expressão

"Todo o indivíduo tem direito a liberdade de opinião e de expressão, o que implica o direito de não ser inquietado pelas suas opiniões e o de procurar, receber e difundir, sem consideração de fronteiras, informações e idéias por qualquer meio de expressão". Art.19 da Declaração Universal dos Direitos do Homem, promulgada em 10 de dezembro de 1948.
free counters
%d blogueiros gostam disto: