TV Cidade anuncia matéria com Romeirinha Escrachada viciada em crack, mas engana o telespectador

Não bastasse a crise de audiência por que passa a matriz, a TV Cidade, retransmissora da Rede Record em Fortaleza, mostrou hoje porque está muito, mas muito longe, de liderar a preferência dos cearenses. Durante toda a edição do sensacionalista programa Cidade 190 (que chegou a mostrar pedaços de massa encefálica depois de um assassinato), o apresentador fazia chamados de uma matéria exclusiva: Genézio Carneiro, humorista que deu vida à personagem Romeirinha Escrachada, foi preso durante uma operação policial no Lagamar, um dos bairros mais violentos de Fortaleza.

Em um teaser de quase 2 minutos, Evaldo Costa, um dos radialistas e apresentadores mais respeitados do Ceará, dá um emocionante depoimento sobre Romeirinha: “Ela trabalhou comigo no extinto Poupa Ganha. Naquela época, Romeirinha Escrachada fazia um belíssimo trabalho, já esteve também no Show do Tom contando piadas e em outros programas televisivos… já ganhou vários prêmios também”. E lamenta: “É lamentável perceber a situação degradante a que chegou este humorista, este grande talento do humor cearense”.

Ao fundo do cenário, na tela, aparece Genézio Carneiro magrinho. Antes, ele confessou estar viciado em crack.

> Envolvimento com drogas

O drama de Romeirinha na luta contra as drogas não é uma novidade. Em abril de 2009, oZONAMiX fez uma matéria sobre a participação da artista em um outro programa da TV cearense (leia aqui). Ela apareceu no Programa João Inácio Show (TV Diário), falando sobre o vício. Na oportunidade, recebeu a ajuda de outro grande cearense: Paulo Diógenes (Raimundinha), que também já passou pelo vício em drogas, ofereceu a ela uma internação em uma clínica de reabilitação.

Mas durou pouco. Em menos de duas semanas Romeirinha fugiu da clínica. Correram boatos de que ela tinha morrido. Havia até quem falasse que o corpo dela teria sido reconhecido no IML, mas nada disso foi confirmado oficialmente. Com esta matéria, temos uma notícia pelo menos boa: Genézio está vivo. Entregue totalmente às drogas, é verdade, mas está vivo.

> Programa enrolou demais
Os teasers da matéria foram exibidos durante toda a edição do programa nesta segunda-feira, 9 de julho de 2012. Ao final, Evaldo Costa pediu desculpas ao público e disse que a matéria será (ou seria?) apresentada no dia seguinte. Ele culpou “problemas técnicos”. A partir daí, choveram críticas.

Pelas redes sociais, amigos da artista lamentaram o desrespeito da TV Cidade com os telespectadores. “Assisti a essa porcaria todinha pra nada”, disse Igor Carneiro. “Concordo… falta de respeito com a gente!”, escreveu Luís Antônio, que dá vida à personagem humorística Aurineide Camurupim. Amenothep Rodrigues, também apresentador de TV, também criticou: “Faz o cara esperar o programa inteiro…#sacanagempelaaudiencia”.

Quem faz do telespectador um bobo pode até ter audiência, mas jamais vai ter credibilidade.

(Blog da Redação, Portal Zona Mix)

Conferências regionais preparam Campanha Nacional dos Bancários

Federações e sindicatos de todo o país estão promovendo conferências e encontros estaduais e regionais, aprofundando os debates e preparando a 14ª Conferência Nacional dos Bancários, o mais importante fórum de deliberações da categoria, que acontece entre os dias 20 e 22 de julho, em Curitiba. 

Neste final de semana acontecem eventos em Brasília, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Bahia/Sergipe e Santa Catarina. Confira:

Congresso começa nesta sexta em Brasília e prepara Campanha Nacional 

14ª Conferência dos bancários de Minas Gerais começa nesta sexta 

14ª Conferência dos bancários do RS ocorre neste sábado e domingo 

14ª Conferência dos bancários da BA e SE ocorre neste sábado e domingo 

Duas conferências de bancários de Santa Catarina ocorrem neste sábado 

De acordo com o calendário definido pelo Comando Nacional dos Bancários, coordenado pela Contraf-CUT, as conferências regionais devem acontecer até o próximo sábado, dia 14, quando se reúnem os bancários de São Paulo e do Nordeste.

No último final de semana, ocorreram as conferências dos bancários do Rio de Janeiro e Espírito Santo e Paraná, além dos encontros estaduais do Piauí e Pernambuco. Na quarta-feira, dia 4, foi realizada a conferência da Feeb SP-MS.

Quatro grandes temas estão em discussão: emprego; remuneração; saúde, condições de trabalho e segurança bancária; e sistema financeiro nacional. Eles devem ser abordados de forma transversal, levando em consideração as questões de gênero, raça, orientação sexual e pessoas com deficiência.

Nas conferências regionais são eleitos os delegados e as delegadas que participarão da 14ª Conferência Nacional.

Fonte: Contraf-CUT com federações e sindicatos

Moradores de rua encontram R$ 20 mil e ligam para PM

IMAGEM MERAMENTE ILUSTRATIVA

São Paulo – Dois moradores de rua encontraram um total de R$ 20.004,00, em notas de 100, 50, 20 e 10, e moedas, próximo ao Viaduto Azevedo, sob o qual eles residem, na Radial Leste, região do Tatuapé, na zona leste da capital paulista, e entregaram o valor apoliciais militares do 8º Batalhão na madrugada desta segunda-feira.

Os dois moradores de rua, ao encontrarem um saco plástico e um malote igual aos utilizados por bancos, abriram ambos e verificaram que neles havia diversos envelopes de depósito bancário contendo o dinheiro. Imediatamente ligaram para o 190 e acionaram a PM, que encaminhou todo o valor para o plantão do 30º Distrito Policial, do Tatuapé.

“Além do dinheiro, havia também notas fiscais de um restaurante que sofreu um furto. Estamos supondo que o dinheiro seja do mesmo estabelecimento, mas só teremos certeza quando o proprietário for localizado”, afirmou um tenente PM. Segundo a polícia, o furto teria ocorrido na tarde de domingo.

(Exame Online)

Travestis sofrem com exclusão diariamente e tem o cotidiano marcado pela violência

Ela nasceu como ele, mas, desde criança, se sentia como ela. Não via dentro de si o mesmo menino que enxergava no espelho. E, com o tempo, foi percebendo que a forma como se comportava incomodava às pessoas. “Desde criança eu ouço as pessoas cochichando se eu era ou não veado”, recordou G, adolescente de 17 anos, que desde os 15 abandonou o nome de batismo com o qual não se identificava e foi enfrentar a dura realidade de assumir publicamente a orientação sexual de travesti.

O DIÁRIO conversou com G. na madrugada da última quarta (04/07), enquanto ela fazia programa em uma rodovia de Belém, ao lado de outras travestis adolescentes. Em comum, mais do que saltos altos, roupas curtas e partes íntimas à mostra. Naquele mesmo ponto, biografias de pessoas marginalizadas, que resolveram enfrentar o que for para serem o que querem ser, eram compartilhadas. Com 15 anos, G. começou a usar prótese no corpo e assumir publicamente que era travesti. “Minha mãe foi ‘o doce’ pra aceitar. Tive muita dificuldade com ela. Já com meu pai, não”.

“Tu te decide o que quer ser. Ou vai ser uma bicha ou uma trava”, intimou a amiga de G, Daniele Barcelar, 23 anos. Com 17 anos, ela vivia com essa dúvida na cabeça, quando foi interpelada durante uma viagem ao município de Soure, no arquipélago do Marajó. No mesmo dia, segundo ela, ficou resolvido em seu íntimo que queria mudar de corpo. O “rito de passagem” desse processo foi quando ela recebeu a primeira dose injetável de um hormônio utilizado por pessoas do sexo masculino que buscam ter formas de mulher.

“No início eu resisti, porque minha mãe não sabia. Mas aí a ‘bicha’ me levou até uma farmácia e me convenceu a comprar o hormônio. E o resultado é imediato. A primeira coisa que sentimos é muita fome. Logo depois, aparece um carocinho no nosso peito, que é muito gratificante. Algumas se viciam, até”, explicou.

RUAS

Para Symmy Larrat, do Grupo de Resistência de Travestis e Transexuais do Pará (Gretta), o fato de as travestis e transexuais se assumirem cada vez mais cedo, ainda na adolescência, e entrarem para o mundo da prostituição está ligado diretamente à fama do “dinheiro fácil”, que existe na profissão.

“Aqui no Pará sempre encontramos uma trava ou uma trans que se deram bem lá fora. Por isso, cada dia mais cedo as bichas acabam criando coragem de se assumir mais cedo, porque existe uma rota consolidada de prostituição Pará/São Paulo. E elas sabem que se não for na rua, dificilmente elas vão conseguir grana em outro lugar, porque ninguém quer contratar travesti e transexual”, analisa Larrat.

Assim que chegou à Belém, vinda de Soure, Daniele resolveu contar para a família que resolvera assumir a orientação sexual de travesti. A reação da família foi instantânea. E, logo após a declaração, ela foi expulsa de casa. Como já tinha o contato de uma cafetina em São Paulo, resolveu ligar, e, no dia seguinte já estava viajado para um dos estados brasileiros que mais recebe jovens travestis.

PROGRAMA

Segundo as travestis que fazem programa nos pontos da BR-316, em média, o preço cobrado em São Paulo por um programa não é muito maior do que em Belém, ou seja, de R$ 50 a R$ 80 o programa completo.

“Muita bicha se vicia para poder aguentar tranco da noite. Não é fácil ter que sair com qualquer um que aparece. Mas, se quisermos ter o corpo que sonhamos, não podemos recusar”, confirmou L, 21 anos. Ela, que se declarou viciada em cocaína, revelou ainda que muitos clientes só saem com travas que cheiram pó.

L. explicou ainda que muitas começam a roubar porque não suportam mais fazer programa; outras porque precisam sustentar o vício. “Somos gente como todo mundo. Se você apanha a vida toda, na hora que tem oportunidade de bater você vai bater com toda força que tem. Eu dificilmente faço isso (roubar), mas tem dia que é o Ó ”, revelou.

Mesmo com todo esforço, grande parte delas mal consegue dinheiro para fazer implante com silicone industrial. “A gente compra gel lubrificante de pneu de carro. Em mim foi a minha cafetina mesma quem aplicou. É uma seringa enorme, com uma agulha grossa o suficiente pra passar o gel. A gente só recebe uma anestesia pra não sentir a agulhada. Mas a dor de sentir o silicone, se alojando entre a nossa pele e a nossa carne é inevitável”, recordou, com uma leve expressão de careta. O local onde é aplicado esse tipo de prótese sempre fica dolorido, partilhou Daniele. 
Antes de sair de casa para o trabalho, em uma das esquinas do bairro do Reduto, em Belém, a travesti Camila Ferraz, 20 anos, segue um ritual. Checa todo os utensílios que carrega na bolsa, pelo menos três vezes, e faz uma oração.”Eu sempre peço a Deus que abençoe o meu trabalho e me livre de qualquer situação de perigo”, afirma. Para ela, são essas orações que a protegem das constantes ameaças vividas pelas travestis nas ruas da Grande Belém. “É muito difícil uma travesti ou transexual que trabalha na noite e que nunca sofreu uma agressão. Seja física ou verbal, todas nós diariamente somos alvos da violência. A última que aconteceu comigo foi no início de junho, quando dois homens de carro pararam próximo ao local onde eu faço ponto, desceram do veículo e, do nada, começaram a me chutar e me jogar no chão”, revelou.

Os episódios descritos por Camila têm virado rotina nos pontos de prostituição de travestis e transexuais da Região Metropolitana de Belém. “Uma rotina, que permanece impune, pois nada é feito para acabar com essas constantes cenas de violência gratuita sofrida pelas travestis e transexuais profissionais do sexo. Sinais que demonstram claramente o crescente número de crimes com caráter de homofobia não só na capital, mas em todo o Estado”, afirmou Symmy Larrat, coordenadora do Grupo de Resistência dos Travestis e Transexuais da Amazônia (Gretta). Symmy informa ainda que, somente no ano passado, o Pará registrou 22 casos de homicídios envolvendo homossexuais e 50% desses registros foram com travestis.

De acordo com um relatório divulgado pelo Gretta no início de 2012, a Região Metropolitana possui três grandes prontos de prostituição de travestis e transexuais: rodovia BR-316, avenida Almirante Barroso e bairro do Reduto. “E são nesses pontos que mais encontramos histórias de violência sofrida por essa categoria. A prova disso foi a morte brutal da Bianca, ocorrida no último dia 17 de junho, numa travessa da Almirante Barroso”, ressaltou Larrat.

Testemunhas e vítimas do medo – Desde que começou a fazer programas nas ruas de Belém, aos 17 anos, a travesti Bruna Oliveira, 20, já perdeu a conta de quantas cenas de violência já foi obrigada a assistir. “E isso não tem hora para acontecer. As pessoas passam em seus carros, nos xingam, fazem chacota, atiram latinha, jogam água e muitas vezes, chegam ao cúmulo de sair dos veículos para partirem para agressões físicas, com socos, chutes e pedaços de pau. Uma realidade que, infelizmente, tem se tornado cada vez mais comum”, lamenta Bruna.

Apesar do medo, Bruna afirma que nunca passou por uma situação de violência. “Até eu mesma às vezes não acredito. Mas, no ponto onde trabalho, sou uma das poucas que nunca sofreu na pele nenhum tipo de agressão. Sempre quando percebo alguma situação de perigo saio correndo. Mas sei que nem todas às vezes terei a mesma sorte e tenho consciência que eu posso ser a próxima vítima”, declara.

Ao contrário de Bruna, a travesti Jennifer Lia, 25 anos, afirma que já foi agredida mais de dez vezes. E a maioria das agressões permanece impune, pois por medo de represálias de policiais, ela prefere não registrar o crime na delegacia. “Não adianta eu dar queixa, a polícia nunca faz nada. E para completar, eu sou hostilizada e sempre apontada como a acusada e nunca como vítima. Já cansei disso. No início das agressões até que eu procurava a polícia, mas depois de tanta humilhação, resolvi engolir a dor sozinha”, lamenta.

Segundo Jennifer, que faz programa na travessa Timbó, no bairro do Marco, a hostilidade de alguns integrantes da polícia é a maior causa para a inversão das acusações. E muitas vezes, a vítima é transformada em acusada. “Eu sei que existem muitos casos de travestis que roubam os clientes. Mas, assim como em qualquer outra profissão, existem profissionais e profissionais do sexo nas noites de Belém. Tem muita colega que rouba sim, mas a maioria trabalha direito. E por meia dúzia, todas pagam. Porque se uma travesti chegar à delegacia para registrar queixa contra o cliente, até que se provem, ou deixe provar, o contrário, a trava é a culpada”, denuncia.

Para a travesti Thayla Penélope, 21 anos, presa no final de mês de abril, suspeita de roubo qualificado, a maioria das travestis que fazem programa só roubam os clientes quando se sentem ameaçadas. “Existem muito casos de clientes que nos procuram, tem seus desejos saciados, mas na hora de pagar se negam e ainda nos humilham. Por isso muitas colegas se revoltam e pegam algum objeto deles, mas por uma questão de garantia. Sei que isso é lamentável e sei também, que não é regra, pois nem todas agem assim. Mas é terrível ser hostilizada por um cliente após um programa. A gente não obriga ninguém a nada, são eles que vão ao nosso encontro”, explica. 

Homofobia é principal causa da violência 

As denúncias apresentadas por Jennifer e Penélope são confirmadas pelo relatório do Gretta que aponta que 99% das travestis e transexuais que realizam programas na Grande Belém já tiveram problemas com clientes. Além disso, o estudo mostra que do grupo, 80% já sofreu abusos e maus tratos cometidos por policiais.

Para o psicólogo Carlos Alberto Amorim Caldas, o preconceito e a naturalização da homofobia é a maior causa dos crimes contra travestis e transexuais no Brasil. “A sociedade brasileira, preconceituosa, é cúmplice desses crimes, pois cada pai que diz que não aceita que seu filho estude com ou na mesma classe de homossexuais, cada médico que nos atende com discriminação nos serviços de saúde e, principalmente, cada família que não acolhe seus filhos homossexuais é cúmplice da violência homofóbica”, afirma.

Segundo ele, no caso específico de pessoas trans (travestis e transexuais) a homofobia assume um caráter muito mais forte. “Pois nesses casos, o preconceito também é machismo, racismo e misoginia (desprezo à figura da mulher) e o ódio naturalizado contra esse grupo de pessoas faz com que elas sejam discriminadas, espancadas e assassinadas todos os dias no país”. 
(Diário do Pará)

Homem despenca em penhasco de 400 metros, em Ibiapina, Ceará

Carro foi encontrado depois de uma trilha de 1.500 em mata fechada, após cair com o motorista, em um penhasco de 400 metros no Ceará
Foto: Polícia Civil/Divulgação

Um homem morreu após despencar dentro do carro em um penhasco de 400 metros de altura na frente da esposa e da filha, na cidade de Ibiapina, a 360 km de Fortaleza, na tarde de domingo (8). A família parou para apreciar a vista e, segundo o delegado da cidade, Márcio Fernandes, o motorista fez uma manobra errada jogando o carro no penhasco. O resgate do corpo durou cerca de oito horas.

De acordo com o delegado Fernandes, que acompanhou o resgate, o motorista tentava manobrar o carro quando ocorreu o acidente. “Não sabemos se ele passou a marcha errada, mas foi direto para o penhasco”, disse Fernandes. O homem estava em um passeio pela serra acompanhado da esposa, da filha e de um amigo. Ele ultrapassou a barreira de interdição e estacionou na beira do penhasco.

Ainda conforme o delegado, os quatro caminharam por todo o local até que o motorista foi buscar o carro para, em seguida, apanhar a família. “Acho que estavam cansados e ele foi sozinho, não sei. A esposa viu tudo e ficou em estado de choque, não pude falar com ela”, conta.

O trecho da estrada onde ocorreu o acidente está interditado há meses, de acordo com o delegado. “É uma serra. Foram colocadas barreiras para impedir a passagem, mas a população retirou e continua usando. Eles vão até para tirar fotos. Tem até D-20 que faz transporte pelo local”, denuncia o delegado.

Segundo a Polícia Rodoviária Estadual (PRE-CE), o acidente ocorreu no quilômetro 409 da CE-253. De acordo com a PRE-CE foi necessário realizar uma trilha de mais de 1.500 metros para conseguir retirar o corpo do motorista, o que levou cerca de oito horas. O carro vai ficar no local.

De acordo com a polícia, os quatro são da cidade de Tianguá. A esposa, o amigo e a filha do casal retornaram para casa ainda no domingo. A polícia pretende tomar o depoimento da esposa ainda nesta segunda-feira (9).

(G1 CE)

Qual o melhor perfume masculino? Escolha o seu.

E ai meus amigos perfumólatras! Provavelmente vocês já se perguntaram sobre qual é o melhor perfume…seja pro dia a dia, seja para prática esportiva, seja para uso casual, noites, baladas, e eventos de alta costura. Bom, como cada um tem a sua opinião, a minha resposta é: Não existe o melhor, existe aquele em que você se adequa bem com sua composição e que te causa bem-estar.

Tá, já sei o que você está pensando: Não respondi a sua pergunta e deixei grilos cantando no ar, certo? Pois bem, vamos então citar alguns perfumes para criar uma base para o nosso raciocínio inicial, mencionando cada situação:

PARA USO DIÁRIO

  • Extrême (Bvlgari): Amadeirado aromático, com notas de lavanda, coentro, cedro, sândalo, musgo de carvalho e almíscar. É uma fragrância requintada, elegante, cítrica com toques de musgo (que remete a uma sensação de status), o cedro que é uma madeira seca e bem citrus, e o sândalo que dá o toque sensual. Fixação absurda, fica o dia todo na pele, e arranca elogios. Pode ser usado a noite também.
  • Polo Blue (Ralph Lauren): Fresco especiarado, com notas de melão, pepino, tangerina, gerânio, manjericão, âmbar, patchouli e almíscar. Tem um cheiro excelente, marcante e suave, causa sensação de um cruzeiro marítimo, e não deixa de ser elegante. Perfeito para qualquer clima e qualquer ocasião.
  • Blue Seduction for Men (Antonio Banderas): Moderna e clean, esta fragrância reflete o frescor da água através da sua harmoniosa composição de aroma como as notas de bergamota, menta, groselha preta, melão e capuccino, combinadas com as marcantes notas amadeiradas. Super fresco, frutado, com presença realmente marcante de melão.
  • Burberry Summer: Com notas de cabeça de menta, bergamota, limão e abacaxi. Com notas de coração de tomilho e madeira. Com notas de fundo de madeira, cedro, almíscar e âmbar. Muito bom perfume! Conheci a pouco tempo e fiquei impressionado com o toque diferenciado dele, e bom fixador. Geralmente, toques mentolados e frescos me agradam demais no uso diário.
  • Polo Big Pony #3 (Ralph Lauren): Um aroma amadeirado com a eletricidade da menta e do gengibre. Simples, com presença maciça do início ao fim de menta bem herbal, como se você fosse um chiclete de menta ambulante. Fixador razoável.
  • Z di Zegna (Ermenegildo Zegna): Fresco sensual, com notas de bergamota, alecrim, fruta de Casuar, íris, noz-moscada, pimenta branca, madeira de cashmere, patchouli e musgo. Difere dos demais cítricos do mercado, pois tem um toque diferente que o torna único e exclusivo. Extremamente elegante e sensual, dá status mesmo. Use sem moderação, a mulherada agradece. Fixador muito bom, e projeta suavemente bem.
  • Allure Homme Sport (Chanel): Amadeirado especiarado, com notas de aldeídos, laranja, mandarina e água do mar; pimenta, néroli e cedro; fava tonka, âmbar, baunilha, vetiver e almíscar branco. Além do dia a dia, pode ser usado em qualquer ocasião sem qualquer restrição.

PARA PRÁTICAS ESPORTIVAS

  • Polo Sport (Ralph Lauren): O melhor e mais apropriado para essas ocasiões. É um aromático refrescante, com notas de limão, menta, algas marinhas, frutas exóticas, gengibre, flor de laranjeira, almíscar, musgo de carvalho, vetiver e sândalo. Muito bem distribuído em sua composição, o cheiro lembra “chiclete sem açúcar” e é formidável. Vale a pena ter na coleção.
  • Black Sun Sport (Salvador Dali): Possui em sua casa olfativa notas à base de âmbar, noz-moscada, gerânio, almíscar e cedro, que deixa a fragrância com frescor, energia e com um toque de sedução. Suave, fixa bem e mantém o toque masculino.

  • Style In Play (Lacoste): Possui notas de maçã verde, maclura, tuia congelada, folhas de cedro, jasmim, pinheiro da Sibéria, patchouli, vetiver e musgo. Tem um cheiro frutado, cítrico e maravilhoso. Bem jovial e remete a competições no clube em que você é sócio.

  • Allure Cologne Sport (Chanel): Cítrico aromático, com notas de cabeça de aldeídos, laranja, mandarina, grapefruit, néroli, bergamota e limão; notas de coração de especiarias resina de fir; notas de fundo de fava tonka, cedro do atlas, vetiver, almíscar branco e pimenta. Este perfume é um tônico revigorante sensacional.

PARA USO CASUAL

  • Lanvin L’Homme (Lanvin): Fougère amadeirado, suas notas de cabeça combinam mandarim, bergamota, neroli e lavanda. Notas de coração de menta, sage, pimenta e cardamomo. Notas de fundo de sândalo, baunilha, âmbar e almíscar. Consegue ser refrescante, elegante, sensual e levemente adocicado com a baunilha, que aveluda o perfume dando um toque exclusivo e arrematador. Usá-lo é certeza de elogios femininos em qualquer ocasião.

  • Versace Pour Homme (Versace): Classificado como um fougère amadeirado aromático, possui um acorde de notas composto por bergamota, néroli, cidra de diamante, folhas amargas de laranjeira, gerânio, sálvia, jacinto azul, madeira de cedro, âmbar mineral, fava tonka e almíscar. Analisando sua composição, é um perfume cítrico, azedinho mesmo, lembra um pouco cheiro de melancia, na linha do Acqua di Gio, mas deixa um rastro sensacional e não deixa de ser elegante. Não é o mais forte dos perfumes, mas marca presença com certeza.

  • F by Ferragamo (Salvatore Ferragamo): Amadeirado ambarado, com notas de lavanda, maçã, pimenta preta de Madagascar, láudano e âmbar. Uma das fragrâncias mais surpreendentes do mercado, pois consegue ser simples, refrescante, sensual e elegante, deixando um rastro maravilhoso e que fazem as mulheres se perguntarem sempre de onde vem aquele cheiro. É comprar de olhos fechados e ser feliz.
  • Allure Edition Blanche (Chanel): Oriental refrescante, com notas de limão, bergamota, cedro, sândalo, feijão tonka, almíscar branco, vetiver, gengibre, âmbar, baunilha, pimenta branca e rosa. Brinca com os contrastes, causando sensação de calor e refrescância, e com uma fragrância extremamente requintada e diferenciada. Você com certeza não irá passar desapercebido. Lembra uma mousse de limão. É bem limão mesmo, cremoso, com uma base adocicada.

  • Aqva Pour Homme (Bvlgari): Aquático Aromático, com notas de petit grain, laranja e mandarina; santolina, posidônia e flor de algodão; âmbar mineral, âmbar amadeirado e patchouli. Diferenciado, fresco e moderno. A Bvlgari costuma sempre emplacar um bom perfume para cada ocasião, e com o Aqva, não poderia ser diferente. Rastro muito bom e fixador que alterna entre 8 e 10 horas.

  • Polo Black (Ralph Lauren): Amadeirado aromático, com notas de limão, manga, tangerina, sálvia hispânica, sândalo, patchouli noir e fava tonka. Um aroma que agrada e muito ao sexo oposto. Cheiro que lembra manga gelada, muito bom. Sempre tenho um na coleção.

PARA USO NOTURNO

  • Chic for Men (Carolina Herrera): Amadeirado oriental, com notas de bergamota da Sicília, limão, mandarina italiana, melancia, canela, óleo de pimenta negra, madeira de cedro da Virgínia, madeira de sândalo, âmbar oriental e almíscar. Não há mulher que resista o charme e o poder persuasivo deste perfume. Invade sutilmente o ambiente, cria uma identidade, aquece e atrai a atenção das mulheres sem dúvida alguma. Compre-o e faça sua companheira feliz.

  • The One (Dolce & Gabbana): Um dos raros clássicos descontraídos, caindo tão bem em um terno e gravata quanto em um conjunto descolado e jovial. Possui notas de toranja, cardamomo, gengibre, cedro, tabaco e âmbar. Marque presença, seja único e seja feliz. Cai bem em baladas de alto nível também.

  • Presence (Montblanc): Oriental especiarado, com notas de gengibre, canela, bergamota e cardamomo; notas de coração são sálvia, maçã e heliotropo, notas base são de madeira de teca, sândalo, fava tonka, âmbar e almíscar branco. Como diz meu amigo Condé, esse perfume tem cheiro do Céu.

  • La Nuit de L’Homme (Yves Saint Laurent): Amadeirado especiarado, com notas de bergamota, cardamomo, lavanda, cedro da Virgínia, cominho e vetiver. Não tenho nem o que discutir sobre esse perfume. Mereceu um post único porque é um aroma sensacional.

  • V Pour Homme (Valentino): Amadeirado oriental, com notas de tamarindo, pimenta rosa, mandarina, manjericão e bergamota; sândalo, âmbar, almíscar e cedro; cominho, patchouli, baunilha, jasmim, heliotrópio e cacau. Um perfume sutil, doce, viril e totalmente sedutor. Tem baixo custo e coloca muito perfume caríssimo no bolso.

  • Dior Homme (Dior): Floral amadeirado, é a primeira fragrância “powdery” para homens. O perfume tem notas de acordes aromáticos de bergamota, lavanda, sálvia, cardamomo, íris, cacau, âmbar, vetiver, patchouli e couro. Tem o famoso cheiro de maquiagem, ou estojo de lápis de cor…mas seja como for, ele evolui para um amadeirado gourmand, que lembra um chocolate meio amargo cremoso, fantástico, maravilhoso. Muita gente pode estranhar as notas de entrada dele, mas a sua evolução é de fato uma obra de arte.

PARA USO EM BALADAS

  • 1 Million (Paco Rabanne): Campeão de elogios nas nights, este não pode ser esquecido. As notas de cabeça iniciam com o frescor do pomelo, da menta picante e da mandarina, passando pelo coração que traz uma intensidade rara, composta de rosas, canela e acordes condimentados. A composição se fecha com o toque do couro aveludado, madeiras brancas, âmbar e patchouli da Indonésia. É doce, amadeirado, forte, marca presença e deixa rastro. Imbatível. Use e abuse.

  • Antidote (Viktor & Rolf): Oriental amadeirada. Possui um generoso bouquet de violetas, peônias, frésias e flores de laranjeira. As especiarias traduzem a virilidade da composição, graças à presença da canela, do cardamomo, da pimenta preta e da noz moscada. Os acordes amadeirados refletem a peculiaridade da alta costura da marca com a madeira de guaiaco, cedro branco, almíscar, assim como o âmbar. Você com certeza irá marcar presença em qualquer evento que comparecer usando esta jóia.

  • Le Male (Jean Paul Gaultier): Fougère oriental, com notas iniciais deartemísia, lavanda, menta, bergamota e cardamomo. O coração é composto de canela, cominho, e flor de laranjeira. A base contém baunilha, fava tonka, âmbar, sândalo e cedro. Apesar de não ser um dos meus favoritos, desperta muitos olhares das mulheres ao seu redor.

  • Black XS (Paco Rabanne): Amadeirado oriental, com notas de cabeça vibrantes e energéticas como o limão da Calábria e o Kalamanzi. As notas de coração são sensuais e envolventes com destaque para a canela, o cardamomo negro e o praline. As notas de base são viris e potentes, com o âmbar negro e o patchouli. Esse perfume é um sucesso anunciado desde seu lançamento, presença garantida nas baladas de todas as partes do mundo, pois é extremamente descolado e jovial. Doce como um morango, e as mulheres curtem demais! Uma outra alternativa para ele é o Azzaro Twin Men, bem parecido só que menos doce.


PARA USO FORMAL

  • Safari (Ralph Lauren): Aromático amadeirado, com notas de bergamota, limão, artemísia, cravo, canela, vetiver e sândalo. É de uma linha mais madura, forte, invasiva, mas sem perder a elegância. Cheira a riqueza, poder, vale muito a pena.

  • London (Burberry): Amadeirado ambarado, com notas de folhas de canela, lavanda, pimenta preta, bergamota, couro, mimosa, vinho do Porto, madeira de Guáiaco, folhas de tabaco, musgo de carvalho e opopânace. Para homens modernos que apreciam a alta costura, de ternos sob medida a um clássico sobretudo descontraído. O cheiro baseado em notas de bebida gera uma sensação de exclusividade interessante.

  • Jazz (Yves Saint Laurent): Amadeirado aromático, com notas de noz-moscada, artemísia, coentro, canela, lavanda, manjericão, anis, bergamota e cardamomo; cravo-da-índia, lírio, jasmim e gerânio; couro, madeira de sândalo, fava tonka, âmbar, almíscar, musgo de carvalho, cedro e tabaco. Um perfume antigo, que jamais será ultrapassado. Cria identidade com seu dono.

  • Azzaro Pour Homme (Azzaro): Fougère aromático, com notas de cominho, íris, lavanda, sálvia, manjericão, anis, bergamota e limão; sândalo, bagas de zimbro, patchouli, cedro, vetiver e cardamomo, couro, fava tonka, âmbar, almíscar e musgo de carvalho. Foi lançado em 1978 mas há quem seja eternamente fiel a ele. Meu pai é um exemplo claro. Perfume que merece respeito, e é um dos mais vendidos da história da perfumaria até os tempos de hoje. Por que será, né?

  • Tsar (Van Cleef & Arpels): Amadeirado aromático, para o homem determinado, elegante e sedutor. Suas notas combinam alecrim, chicória, sândalo e musgo de carvalho. Para mim, não tem só essas notas, ele é a versão mais verde e intensa do Jazz, e diga-se de passagem, que perfume!

  • Soir (Bvlgari): Floral amadeirado, com notas de bergamota, chá de darjeeling, madeira de papyrus e âmbar. Um cheiro metalizado interessante baseado em chá, que combina perfeitamente com trajes finos e acessórios de alto luxo, com grande fixador e projeção na pele. Quem acha o Bvlgari tradicional e o Extrême fracos, vai gostar deste, pois é o mais forte dos criados pela grife.

  • For Him (Narciso Rodriguez): Fougère aromático, com notas de violeta, almíscar, âmbar e patchouli. Um perfume texturizado, amadeirado, forte, e com um toque agressivamente másculo e elegante. Sedutor, arrebatador. Vista um bom terno e use For Him. Sucesso garantido.
  • Encre Noire (Lalique): Amadeirado aromático, com notas de cipreste, vetiver, almíscar e madeira de casimira. Um amadeirado seco, forte e esfumaçado pelo vetiver, com um toque cinzento e super diferenciado, de fumaça mesmo. Três borrifadas ao redor do pescoço são mais do que suficientes. Fixação e projeção show.

Perfumes nunca são demais. É difícil falar de um ou de outro, seria mais legal se todos pudessem ter vários para poder escolher, mas como não é possível em vista de nosso mercado, fica-se um pouco mais restrito. Espero ter ajudado a todos com essa pequena lista de indicações. Faltou algum? Opinem!

(Créditos: http://perfumolatras.blogspot.com.br/2010/07/masculinos-qual-o-melhor-perfume.html)

Dado Dolabella é acusado de agredir filho de 2 anos

A estudante Fabiana Vasconcellos Neves registrou queixa no último dia 30 contra Dado Dolabella por suposta agressão ao seu filho com ator. Eduardo Neves Dolabella, de 2 anos, teria levado um tapa na cabeça e sido chamado de “débil mental” pelo pai. Duas babás foram testemunhas.

O motivo da agressão, segundo Dado, que falou à coluna “Retratos da Vida”, do jornal “O Dia”, teria sido uma mordida no braço do irmão, João Valentim, da mesma idade. O ator garante que estava apenas reprimindo uma atitude violenta do filho e afirma que Fernanda quer apenas “tirar dinheiro” dele, se aproveitando de problemas na Justiça que teve no passado.

Dado tem cinco registros de queixa contra ele na Polícia Civil. Dois deles sobre a agressão à atriz Luana Piovani e à camareira Esmê, em 2008, que correm em segredo de Justiça.

(Portal do Sidney Rezende)

Carta indica que Bruno e Macarrão tinham um caso, diz advogado

Poucos dias após o surgimento da informação de que o goleiro Bruno teria pedido em carta ao amigo Luiz Henrique Romão, o Macarrão, para assumir o assassinato da ex-amante Eliza Samudio, o advogado do atleta vem a público e afirma que os dois mantinham uma relação amorosa. Segundo Rui Pimenta, a suposta mensagem não seria um “plano B”, conforme a revista “Veja” publicou na edição deste fim de semana.

“Ela parece mais uma carta de amor, uma referência a uma relação homossexual entre eles. Ele fala ‘perdoe’, fala de amor, filhos, família. O plano B seria uma referência à separação dos dois. O Bruno já está pronunciado e não pode sair da cadeia, a não ser que seja inocentado no júri, portanto esse plano B não existe. Isso é uma interpretação equivocada da revista”, disse Pimenta, de acordo com o site do jornal “O Dia”.

O advogado disse que ainda acredita na inocência de Bruno, que está noivo da dentista Ingrid Calheiros. Durante as investigações sobre a possível morte de Eliza Samudio, foi revelado que Macarrão tinha uma tatuagem em homenagem ao goleiro com os seguintes dizeres: “Bruno e Maka. A amizade nem mesmo a força do tempo irá destruir. Amor verdadeiro”.

(Portal do Sidney Rezende)

Cafetões de Nova York criam “bordéis móveis” e delivery de prostitutas

As autoridades de Nova York tentam combater os chamados “bordéis móveis”, serviços de prostituição oferecidos em caminhões que circulam pela cidade. O problema tem chamado a atenção das autoridades em particular no bairro de Queens, para onde migraram cafetões e prostitutas depois da “limpeza” feita pela polícia em Times Square, em Manhattan.

Muitas das prostitutas são vítimas de tráfico humano, trazidas ilegalmente do México para Nova York, onde são obrigadas a trabalhar em turnos de 12 horas, prestando serviços a entre 25 e 30 homens por dia. Cafetões também oferecem garotas de programa em serviços de entrega em domicílio.

Discretos cartões distribuídos nas ruas contém o número de um cafetão, que fornece os horários e dias livres das prostitutas. Uma vez agendado, um motorista leva a prostituta até o local combinado. Apelidados de “chica cards”, os cartões são camuflados com imagens singelas, como uma pomba branca. Outros parecem cartões de visita.

“Alguns cartões vêm com a foto da mulher pelada. A maioria, porém, vêm com anúncios de chocolates, flores e até de aniversários infantis”, disse à BBC a advogada Lori Cohen, do Sactuary of Families, grupo que defende vítimas de tráfico humano. Muitas das mulheres forçadas a se prostituir acabam sendo assaltadas pelo cafetão ou pelo próprio cliente.

“Muitas prostitutas são levadas a casas de festas e depois estupradas por cerca de quinze homens.

O motorista recolhe o dinheiro de cada ato”, explica Lori. O Centro Nacional de Pesquisa do Tráfico estima que a atividade ilegal fatura cerca de US$ 5.250 (R$ 10.500) por semana, com uma única prostituta.

(PORTAL TERRA)

Suplemento alimentar só pode ser indicado por médico ou nutricionista

Apesar de estarem na moda e serem vendidos em muitas academias do país, os suplementos alimentares são feitos apenas para atletas de alto rendimento, profissionais ou não, e só podem ser recomendados por médicos ou nutricionistas.

“O professor de educação física não deve prescrever nada, senão se torna um desvio de função. Nós trabalhamos com prevenção, o nutricionista atua com alimentos e o fisioterapeuta, com patologias”, afirma o presidente do Conselho Regional de Educação Física do Estado de São Paulo (Cref/SP), Flavio Delmanto.

Ele destaca que esse procedimento é divulgado aos profissionais filiados e que o mercado tem espaço para todos, desde que respeitada cada atribuição. Em relação à venda dos suplementos nas academias, Delmanto diz que a fiscalização deveria ser feita pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

O educador físico Mauro Guiselini complementa: “Existem personal trainers que aprendem as regras básicas da suplementação e sugerem aos alunos. Isso é ruim para a profissão, pois é o mesmo caso de praticar medicina ilegalmente. Tanto que alguns profissionais já foram advertidos e até suspensos”, diz. De acordo com Guiselini, o grande problema é vender anabolizantes e hormônio do crescimento no lugar de suplemento. “Aí o professor vira o cara que vende a droga.”

Além disso, esses produtos não podem fazer propagandas enganosas, prometendo no rótulo uma eventual perda de peso ou ganho de massa muscular. A Anvisa proíbe palavras ou imagens que façam referência a hormônios ou induzam o consumidor sobre eventuais efeitos. Estão vetadas, portanto, expressões como “anabolizantes”, “massa muscular”, “hipertrofia muscular”, “queima de gorduras” ou “fat burners”, e “aumento da capacidade sexual”.

Segundo a nutricionista da área esportiva Mirtes Stancanelli, que atua na Seleção Brasileira de Basquete Feminino, a idade média dos principais usuários no país vai dos 20 aos 35 anos, e as mulheres já são um público-alvo considerável.

O professor de educação física não deve prescrever nada, senão se torna um desvio de função. Nós trabalhamos com prevenção, o nutricionista atua com alimentos e o fisioterapeuta, com patologias”
Flavio Delmanto,
presidente do Cref/SP

Na hora de determinar o que e quanto uma pessoa vai tomar de suplemento, é fundamental saber se ela está desprovida de algum nutriente, se a atividade que desempenha envolve força, e qual o tempo e a intensidade do exercício.

“Quem consome esses produtos sem indicação de um profissional pode ter problemas no fígado, nos rins e no coração. Ferro demais, por exemplo, pode se depositar nas artérias e causar cansaço. Muita vitamina C é capaz de aumentar o risco de pedras nos rins. E, no fígado, pode haver um acúmulo de gordura. O que a ciência coloca não é de agrado da indústria, mas a verdade é essa”, explica.

Além disso, se o indivíduo for mal orientado, pode aumentar o percentual de gordura, ter acne, gases e alergias respiratórias, no caso de consumir um excesso de proteínas. Pode, ainda, apresentar dificuldade de digestão.

No caso da creatina, por exemplo, é permitido tomar por dia apenas 0,3 mg por quilo de peso corporal, ressalta Mirtes. Quanto ao isotônico, ele só deve ser uma opção quando há realmente uma desidratação, ou seja, perda de 2% a 3% de peso corporal em uma única atividade.

Outro ponto que deve ser observado é que, quando a pessoa para de usar o suplemento, pode levar até dois anos para readquirir a forma anterior, já que os produtos servem para acelerar esse processo.

Para quem quiser opções naturais e mais saudáveis de vitaminas e proteínas, a nutricionista sugere suco de frutas, leite, iogurte, queijo, carne vermelha e ovos.

Suplementos e anabolizantes 1 (Foto: Arte/G1)

Seis categorias
A Anvisa divide os suplementos alimentares em seis categorias diferentes: hidroeletrolíticos (isotônicos, que hidratam as células), energéticos (basicamente carboidratos, como maltodextrina, em géis, pó ou suco), suplementos de proteínas (barrinhas de proteínas e gorduras para recuperação pós-treino), produtos para substituição parcial de refeições (shakes ou pós capazes de suprir eventuais necessidades de proteínas, carboidratos e gorduras), complementos de creatina (proteína para liberação rápida de energia em atividades de alta intensidade, como atletismo e natação) e bebidas com cafeína (energéticos e estimulantes).

No Brasil, essas substâncias estão isentas de registro, mas devem seguir umregulamento técnico da Anvisa de abril de 2010, que estabelece critérios de classificação, indicação, composição e rotulagem. Também precisam de um número de notificação junto ao órgão de vigilância sanitária estadual ou municipal sobre o início da fabricação ou a importação.

Cada produto deve informar esse número de notificação, a lista de ingredientes, as informações nutricionais e o prazo de validade.

Já os suplementos vitamínicos ou minerais – cápsulas que podem suprir demandas de ferro, cálcio, zinco, etc – não precisam de registro se os nutrientes não ultrapassarem 100% da ingestão diária recomendada. Se isso ocorrer, o produto é considerado um medicamento e necessita de autorização da Anvisa.

Caso as normas para os suplementos alimentares sejam descumpridas, como no caso de propaganda enganosa, o infrator deve ser penalizado, segundo uma lei de 1969 e outra de 1977. Também deve ser aberto um processo administrativo sanitário.

Multas são analisadas individualmente, e a empresa pode ter o produto suspenso por oferecer risco à saúde da população. A fiscalização deve ficar a cargo da vigilância sanitária local, que precisa encaminhar os dados à Anvisa, responsável pelas autuações e publicações no Diário Oficial da União.

Suplementos e anabolizantes 2 (Foto: Arte/G1)

Complemento dos treinos
O maratonista Solonei Rocha da Silva, vencedor dos Jogos Pan-Americanos de 2011 e da 18ª edição da Maratona de São Paulo, realizada no dia 17 de junho, é um dos milhares de atletas brasileiros que usam suplementos para melhorar o desempenho físico.

Aos 30 anos, o ex-catador de lixo que hoje mora em Bragança Paulista (SP) corre todos os dias cerca de 30 km, além de fazer fortalecimento muscular uma vez por semana. Para aguentar a rotina pesada, ele recebe acompanhamento nutricional na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), onde foi orientado a tomar isotônicos, proteínas, sachês e pós de carboidratos.

Isso tudo serve para dar um ganho energético rápido, o que pode ser feito antes, durante e/ou depois dos exercícios, dependendo de cada caso. No de Solonei, a suplementação ocorre após o treinamento. E ele já mira na São Silvestre, em 31 de dezembro.

“Também passei a ter mais nutrientes dos alimentos, como suco de laranja e leite de vaca e de soja, que eu não ingeria antes. O cálcio do leite ajuda a fortalecer os ossos, que sofrem muito impacto na corrida. E todo o conjunto de suplementos faz com que meu corpo responda melhor, sem ficar musculoso”, diz o maratonista, que tem 59 kg em 1,77 m.

Os suplementos atraem também quem não é profissional. Ao frequentar a academia seis vezes por semana, o estudante de administração Renato Escudero, de 21 anos, não lembra em nada o adolescente sedentário e obeso que foi um dia.

Renato Escudero (Foto: Arquivo pessoal)
Renato Escudero vai à academia seis vezes por semana e enxugou 20 kg. Há cinco anos, ele foca no ganho de massa magra e está tomando proteínas, aminoácidos, energéticos e isotônicos  (Foto: Arquivo pessoal)

Há quase cinco anos, o morador de São José dos Campos (SP) trocou as comidas gordurosas e calóricas por proteínas, aminoácidos, energéticos e isotônicos. Com isso e muita malhação, enxugou 20 kg e começou a focar no ganho de massa magra. Hoje, exibe 92 kg em 1,87 m de altura.

De segunda a sábado, Renato faz 40 minutos de musculação e 10 minutos de esteira. Geralmente depois do exercício, ele toma proteína de soro de leite, glutamina e um complexo de aminoácidos para recuperação muscular. Os produtos vêm em pó e são misturados com água. “Quando chego em casa, como um sanduíche de pão integral, queijo branco, peito de peru, atum ou frango”, cita.

O estudante começou a tomar os suplementos por conta própria: interessou-se pelo assunto, pesquisou e foi atrás. “No começo, tive problema de estômago, desconforto, passei mal. Mas foi só no primeiro mês. Acho até que foi psicológico”, diz Renato.

Os produtos para complementar os treinos na academia também caem no gosto das mulheres que buscam um corpo mais definido. É o caso da fisioterapeuta e personal trainer Luana Veronesi, de 28 anos, adepta dos suplementos há um ano e meio. Ela malha desde os 16 anos, mas de dois anos para cá intensificou a rotina.

Luana Veronesi suplementos (Foto: Arquivo pessoal)
A fisioterapeuta e personal trainer Luana Veronesi malha há 12 anos, mas intensificou a rotina de treinos há dois. Como complemento, ela toma aminoácidos, carboidrato, proteínas e vitaminas (Foto: Arquivo pessoal)

Luana toma aminoácidos líquidos pré-treino. Antes e depois, aposta em proteínas isoladas (com sabor de chocolate, baunilha, limão, uva ou tangerina), que ajudam a queimar apenas a gordura, deixando a massa magra intacta. Além disso, ela consome o carboidrato maltodextrina antes, durante e depois da malhação. Quando treina muito pesado, ainda ingere creatina.

A jovem também toma cápsulas manipuladas de vitamina C e E e um polivitamínico, sempre depois da atividade física. Segundo ela, os comprimidos ajudam na imunidade e na construção muscular.

“Todos esses suplementos são muito calóricos, por isso diminuí os carboidratos da alimentação. Não dá para usar isso tudo e ainda ter uma dieta ruim”, diz Luana, que mora em Mogi-Mirim (SP) e vai à academia de segunda a sábado.

A fisioterapeuta pesa 69 kg em 1,74 m de altura, mas quem avalia seu peso pela balança se engana. Ela tem apenas 17,5% de gordura no corpo, um padrão considerado ideal.

Todo o conjunto de suplementos faz com que meu corpo responda melhor, sem ficar musculoso”
Solonei Rocha da Silva,
maratonista

“Antes eu tomava sem orientação, mas parava, não sabia ao certo o que poderia acontecer: engordar, inchar. Agora tenho acompanhamento”, revela.

Substâncias proibidas
Nas normas da Anvisa, também há uma lista de substâncias que não podem entrar na composição dos alimentos para atletas. Entre elas, estão: guaraná, erva-mate, ginseng, gengibre, chá verde e aminoácidos como leucina, isoleucina e valina – que, neste último caso, podem ser registrados como novos alimentos.

A taurina é permitida em energéticos desde que dentro de um limite de 400 mg para cada 100 ml de produto. A regra vale tanto para as marcas nacionais quanto importadas. Outro aminoácido, a carnitina, não pode entrar nesses suplementos específicos para atleta, mas tem previsão de uso em outras categorias, como remédios emagrecedores.

Outros tipos de aminoácidos podem ser usados combinados, para melhorar a qualidade de proteínas do produto, mas não devem ser consumidos de forma isolada. No caso do ginseng e de outras substâncias, como efedrina e garcinia cambogia, o uso está liberado na área de medicamentos.

Regras específicas
Sobre os isotônicos, a resolução da Anvisa diz que eles não podem ultrapassar 1.150 mg/l de sódio, e a concentração de potássio não pode ser superior a 700 mg/l. Por outro lado, podem ser adicionados de vitaminas e minerais, mas não de fibras. As regras também falam sobre o limite máximo de carboidratos e frutose (açúcar das frutas) no preparo desses líquidos.

No caso dos energéticos ou carboidratos, o suplemento não pode conter mais de 75% do valor energético proveniente dessa fonte. Em gramas, não deve passar de 15 g na porção pronta para o consumo. A Anvisa diz, ainda, que esses produtos podem ter gorduras e proteínas, mas não fibras e substâncias consideradas “não nutrientes”.

Quanto aos suplementos de proteínas, devem ter pelo menos 10 gramas do componente em cada porção. Metade das calorias precisa ter origem proteica e também não é permitido adicionar fibras ou não nutrientes.

Em relação aos suplementos para substituição parcial de refeições, os famosos shakes, existe uma quantidade máxima permitida de carboidratos (de 50% a 70%), proteínas (de 13% a 20%) e gorduras (até 30%) sobre o total do valor energético. O produto deve fornecer pelo menos 300 kcal por porção. Além disso, o teor de gorduras saturadas e trans não pode ultrapassar 10% e 1%, respectivamente. E, ao contrário dos anteriores, esses complementos podem ter fibras.

A Anvisa também prevê critérios para os suplementos de creatina, cuja concentração deve ficar entre 1,5 g e 3 g por porção. O grau de pureza da substância precisa chegar a 99,9%. E não podem ser adicionados carboidratos nem fibras.

Por fim, os complementos de cafeína não podem ficar abaixo de 210 mg nem acima de 420 mg por porção. Não pode haver adição de nutrientes ou não nutrientes.

Alimentos que exigem registro no Brasil
Os alimentos que são obrigados a ter registro da Anvisa no país são: produtos funcionais (aqueles com ação comprovada sobre colesterol, intestino ou envelhecimento), substâncias probióticas (iogurtes que facilitam o funcionamento intestinal), alimentos infantis (como papinhas), produtos para nutrição enteral (por sonda em pacientes hospitalizados), embalagens recicladas para contato com alimentos e os chamados novos alimentos ou ingredientes (cápsulas, comprimidos e tabletes de vários componentes, como óleos, derivados de soja, fitoesteróis, quitosana e licopeno).

Nessa última categoria, encontram-se também produtos feitos de frutas ou vegetais submetidos a processamento de secagem ou desidratação.

(Bem Estar, Portal Globo.com)

Pesquisadores desenvolvem anti-inflamatório capaz de aliviar dores crônicas

Um potente anti-inflamatório capaz de aliviar dores de difícil controle está sendo desenvolvido por pesquisadores do Instituto Butantan. Os primeiros testes em animais comprovaram a eficácia do medicamento, que usa uma proteína presente no sangue. De acordo Renata Giorgi, pesquisadora do Laboratório de Fisiopatologia do instituto, essa descoberta é um avanço em relação às drogas disponíveis no mercado, pois, além de ser mais potente, pode ser administrada por via oral.

“Descobrimos que algumas células dos glóbulos brancos contêm uma proteína capaz de inibir dor proveniente de processo inflamatório. Com a síntese de um pedacinho dessa proteína, a gente conseguiu que houvesse viabilidade de administração”, disse a pesquisadora à Agência Brasil. Segundo Giorgi, o tratamento de dores crônicas, de lesão de nervos, é difícil, pois algumas drogas, como morfina, perdem a efetividade com o tempo.

Ela destacou que o estudo é inovador ao sintetizar uma proteína, chamada ligante de cálcio S100A9, produzida pelo próprio organismo. “Isso demonstra que, em determinadas condições, o próprio organismo tem capacidade de controlar a dor”, disse. Para fabricação do medicamento, os cientistas identificaram que apenas um pequeno pedaço da proteína é suficiente, o que viabiliza os custos de produção. “Em termos de proporção de dose, essa droga é mais potente”, declarou Giorgi.

“Esses, no entanto, são apenas os experimentos básicos”, reforçou. A pesquisa parte agora para os testes de toxicidade. “Antes de qualquer coisa, tem que se realizado o estudo toxicológico. Estamos numa fase de programar o início desses estudos. Hoje em dia, leva algo em torno de 20 anos pra se comprovar a eficácia de uma droga e conseguir colocá-la no mercado como medicamento”, destacou Giorgi. Os estudos, que iniciaram há dez anos, continuam ainda com testes em animais.

Serão feitos ainda levantamentos sobre o nível de tolerância do medicamento. “O paciente que é submetido à droga que tem efeito analgésico pode, à medida que vai sendo administrada, ficar tolerante ao medicamento. Então, tem que ser aumentada a dose para que se tenha o efeito desejado. Nós ainda vamos fazer esses estudos”, informou a pesquisadora.

(Portal Correio do Estado)

Conheça 10 superalimentos aliados da saúde e da dieta

Alguns alimentos são indispensáveis na nossa alimentação. Além de saborosos, são bons aliados da saúde, retardam o envelhecimento, previnem doenças do coração e, para melhoras, ainda ajudam a manter a silhueta em ordem. Confira 10 superalimentos listados pelo site Huffington Post.

Melancia: doce e saborosa, a melancia contém alto teor de água e ajuda na hidratação. Para a saúde, é uma fruta rica em licopeno, um antioxidante que ajuda a proteger contra o câncer e problemas cardíacos.

Figo: alimento rico em vitamina A e B6, o que pode ajudar o corpo a transformar carboidratos em energia. Também é uma boa fonte de fibras, potássio, magnésio e clácio, o que proporciona saciedade, ajuda na digestão e aumenta absorção de ferro pelo organismo.

Tomate: além de gostoso, o tomate é nutritivo, contém vitamina E e o poder antioxidante.

Morango: o morango pode ser pequeno, mas seu poder nutritivo é enorme. É um dos melhores frutos com poder antioxidante, além de ser fonte de manganês e potássio. Segundo especialistas, oito morangos forcem mais vitamina C que uma laranja.

Framboesa: além de ser uma boa fonte de vitamina Ke magnésio, a framboesa é rica em fibras solúveis, que promove saciedade e é ótima para controlar a ansiedade e a vontade de comer o tempo todo.

Lichia: é uma fruta com baixo teor calórico (63 kcal a cada 10 unidades) que fornece vitamina C.

Alho: quando se trata da saúde do coração, o alho é uma boa aposta. De acordo com estudos recentes, ele ajuda a relaxar os vasos sanguíneos e aumenta o fluxo de sangue, o que pode diminuir o risco de doenças cardíacas.

Blueberries: segundo o Departamento de Agricultura dos EUA, os blueberries são “um dos melhores frutos antioxidantes”. Por isso, além de fazer bem para a saúde, retarda o envelhecimento.

Berinjela: alimento ideal para quem está de dieta, já que é rico em nutrientes e contém poucos carboidratos e calorias. Além disso, tem antocianina, fitoquímico antioxidante que previne contra doenças crônicas.

Amora: é rica em antioxidades e fibras, que retardam o envelhecimento e ajudam na digestão. As sementes da amora também contêm gorduras polinsaturadas, que mantêm a boa saúde do coração.

(Portal Terra)

Guerra declarada: Novais x Ferreira Gomes

O ex-presidente da executiva municipal do PSB, Sérgio Novais, abandonou o candidato Roberto Cláudio e surpreendeu o partido ao anunciar, na manhã deste sábado, o apoio da ala histórica do partido ao candidato Elmano de Freitas, do PT. Sérgio Novais, também, aproveitou o momento para anunciar que vai pedir a expulsão de Ciro Gomes do PSB.

“Nós estamos sendo perseguidos por esse grupo que entrou no PSB, dos Ferreira Gomes. Primeiramente, me destituíram da presidência do partido a nível municipal. Posteriormente, perseguiram a deputada Eliane, quando se quer deram o direito dela debater à sua pré-candidatura à prefeita de Fortaleza. E agora, mais recentemente, tiraram o nome do único candidato que nós iríamos apoiar para vereador, que era o companheiro Almir Santos. Portanto, um processo de perseguição perversa, de coronéis do interior. Tá ultrapassada essa fase! Eles vêm tentar em Fortaleza, essa violência?! Por isso, nós estamos indignados e vamos tomar nosso caminho. Eu vou a Brasília, na próxima segunda-feira. Vou levando esse posicionamento, os candidatos e vereadores de outros partidos que nós vamos apoiar e, também, o apoio ao candidato Elmano de Freitas, do PT. E vou levando, também, uma representação para expulsar o Sr. Ciro Gomes do PSB.”

(Roberto Moreira – Diário do Nordeste)

Fundação Terra promove bazar com produtos importados

A Fundação Terra, que tem como orientador espiritual o padre Airton Freire, realizará, até terça-feira (das 9 às 16 horas), bazar com produtos importados apreendidos sem nota fiscal na fronteira do Brasil com Paraguai, em um galpão no Bairro Jardim América (Rua Antônio Rodrigues, 90, próximo das caixas d´água). A mercadoria foi doada à instituição filantrópica pela Receita Federal. O bazar constará de uma variedade de produtos, entre os quais eletrônicos (celulares, relógios, som), brinquedos, perfumes, maquiagem, confecções femininas (como casacos) e masculinos, artigos de pesca, tecidos, edredons e cobertores.

A renda do bazar será investida nas obras sociais que a Fundação Terra mantém na localidade de Alto Alegre II, em Maracanaú (Região Metropolitana de Fortaleza), com a construção da creche Pleno Viver, para atender a 130 crianças; e no município pernambucano de Arcoverde, onde é mantida a Mensana, uma clínica de reabilitação de pacientes que sofreram acidente vascular cerebral (AVC).

SERVIÇO

Quem desejar adquirir os produtos importados pagará ingresso de R$ 5,00. O valor máximo para aquisição de mercadoria é de R$ 1 mil por CPF, podendo ser pago em dinheiro, cartão de débito ou cartão de crédito.

(Eliomar de Lima)

Fortaleza ainda não sabe o que fazer com o seu lixo reciclável

Diário do Nordeste Online

Apenas um caminhão é responsável pelo transporte do que vai para o recém-inaugurado Centro de Triagem de Sólidos no Bom Sucesso Foto: Alex Costa

Nas ruas, no mar, nas praças e praias, onde quer que esteja, o lixo incomoda. Entulhos expostos deixam o cenário urbano com ar de sujeira e abandono. O problema vai além dos acúmulos visíveis nos cantos da cidade.

Embora a coleta seletiva seja uma promessa antiga da Prefeitura, o processo ainda engatinha na Capital. Numa cidade com cerca 2,5 milhões de habitantes, apenas quatro veículos circulam para coletar material reciclável.

Em 2011, foram recolhidas cerca de 1,1 milhão de toneladas de resíduos em domicílios e pontos de depósito de Fortaleza, conforme a Autarquia de Regulação, Fiscalização e Controle dos Serviços Públicos de Saneamento Ambiental (ACFor). Uma média de 94 mil toneladas por mês enviadas direto para os aterros. Por não haver uma unificação, não se sabe quanto lixo é reciclado na Capital.

“No momento em que tivermos mais equipamentos e veículos, teremos condições de ampliar as ações de coleta seletiva em condomínios. Estamos à procura de empresas parceiras”, diz o coordenador de coleta seletiva da ACFor, Humberto Júnior. Ele lembra que, de acordo com a política nacional de resíduos sólidos, as prefeituras não são as únicas responsáveis pelo tratamento do lixo, os grandes geradores também devem se preocupar com o que produzem.

A Fundação Nacional de Saúde (Funasa) aprovou liberação de verba para a compra de mais um veículo para atender a Associação de Catadores do Jangurussu (Ascajan), que, atualmente, conta apenas com um caminhão da Empresa Municipal de Limpeza Urbana (Emlurb), com a qual mantem parceria.

O engenheiro mecânico da Emlurb, Sérgio Firmeza, reconhece que a falta de transporte configura um dos maiores desafios da coleta seletiva.

Os fortalezenses não têm o hábito de separar a matéria orgânica da inorgânica, o que gera ainda mais desperdício. A maior parte da população não sabe o que fazer com o que descarta. Enquanto a conscientização não bate à porta da maioria, todos sofrem as consequências da poluição. Diversos bairros são afetados pelo descaso e pela falta de responsabilidade ambiental.

É o caso da comunidade que vive em torno do Morro Santiago, na Barra do Ceará. Apesar de receber visitas semanais de caminhões coletores de lixo, o local já se tornou um verdadeiro depósito de resíduos a céu aberto. Na encosta, em frente à praia, não se vê areia ou grama, apenas um monte de detritos. De acordo com o morador Daniel Souto, a culpa é dos próprios habitantes do lugar. “O pessoal joga lixo de novo. O caminhão vem, mas não dá conta de levar tudo. Quando chove, se a água não escoasse em direção à praia, a gente estaria perdido. Os bueiros estão cheios de entulho”, afirma.

A mudança de postura, através da educação, dá certo. Foi o que aconteceu com o pessoal do Pirambu. O clima de sustentabilidade da conferência internacional Eco92 chegou até eles por meio de um curso de Educação Ambiental, ministrado dois anos após o evento, em 1994.

“Aprendemos que tudo que a gente jogava fora valia dinheiro”, diz Francinete Cabral, fundadora e presidente da Sociedade Comunitária de Reciclagem de Lixo do Pirambu (Socrelp).

Apoio

Ainda hoje, a iniciativa gera renda para as dez pessoas que trabalham no galpão. Porém, segundo Francinete, as contas estão sempre no limite. “Se quebra uma prensa ou um carro, nós ficamos numa situação complicada”, desabafa.

Sem a ajuda do Governo, a entidade conta com o apoio de universidades, organizações não-governamentais (ONGs) e doações de sólidos reaproveitáveis, em especial papel. “O governo? Ele só nos dá o lixo, que é o bem sem dono”, completa. Mas nem sempre a consciência cidadã é suficiente. O jornalista Zacharias Bezerra faz a separação de sólidos há anos e ainda encontra dificuldade para se livrar de alguns itens.

“Tenho muitos remédios vencidos. Não sei o que fazer com eles. Já liguei para a Vigilância Sanitária e outros órgãos, mas ninguém quer receber. Me mandaram incinerar. Acho que é prejudicial jogar isso no lixo comum”, lamenta.

Enquanto a coleta seletiva não deslancha de vez, interessados em reciclar podem se dirigir a postos de coleta. A Rede de Catadores de Resíduos Sólidos do Ceará conta com representantes em vários bairros da Capital.

Seletores sobrevivem com renda mensal de R$ 140

Apesar do salário baixo, a seletora de materiais recicláveis Maria Luceni Rodrigues, 28, se diverte no galpão. Ela sustenta os três filhos com o salário que recebe pela Associação de Catadores do Jangurussu (Ascajan) FOTO: Waleska Santiago

Até os anos 1990, o Jangurussu era conhecido pela enorme rampa de lixo que atraía catadores. O antigo lixão deu lugar a um centro de triagem de sólidos. Os homens e as mulheres, que antes lutavam pela sobrevivência, uniram-se para formar a Associação de Catadores do Jangurussu (Ascajan). Agora eles dividem igualmente todos os lucros da venda de material para reciclagem.

Em turnos de quatro horas, a média de ganhos quinzenais é de R$ 70 por seletor. Valor abaixo do que ganham os trabalhadores avulsos, aqueles que empurram as carroças nas ruas.

“Quando é muito bom mesmo, conseguimos R$110 numa quinzena”, afirma o coordenador da Ascajan, Manoel Ferreira.

Desde os 11 anos de idade no ramo, Manoel lamenta que a categoria ainda seja discriminada. “Passei minha mocidade em cima de lixo, hoje, eu não consigo mais emprego em firma nenhuma. Nem aposentar posso”, diz. Para o coordenador financeiro da associação, Adalto Barbosa, os ganhos não contam muito para o orçamento, mas contribuem com a natureza e, por isso, o trabalho vale a pena. A educação ambiental do homem que nem terminou o Ensino Fundamental surpreende.

“Nós já temos idade avançada, mas estamos aqui porque temos de cuidar do meio ambiente. Se não nos preocuparmos, quem salvará o planeta? Podemos até não sofrer isso agora, mas nossos filhos vão passar por coisa ruim”, argumenta Adalto.

A seletora Maria de Jesus contou que a situação era difícil na época do lixão, mas disse sentir falta do que costumava ganhar.

A companheira de trabalho Maria Iracy discordou. “Sou catadora desde 1973. Antes, eu me via como um bicho. Agora, eu fui reciclada também”. Ela relembrou os riscos do antigo espaço. “Aqui, a gente não está exposta ao sol, nem à sujeira, nem a um corte de garrafa ou outra coisa para se contaminar. O dinheiro, ainda é pouco, lá no lixão tira mais. Se Deus quiser, a coleta, agora, vai desabrochar. As pessoas vão ter mais consciência”, discursa, esperançosa.

Todo o material que chega no local já vem pré-selecionado de doadores. Logo, não há mau-cheiro e os riscos de se ferir são reduzidos, mesmo que os seletores não usem qualquer tipo de proteção. “A gente já se acostumou sem a luva e quando bota na mão, a gente fica todo sem jeito”, diz Manoel.

Doações

A Ascajan depende inteiramente do que recebe de parceiros. Quando o número de doadores cai, os ganhos do pessoal também declina. A venda do material é feita para atravessadores a um preço mais baixo, porque a indústria requer uma quantidade que eles não podem prover. Afinal, sobrevivem dos ganhos quinzenais e afirmam não poder esperar um mês para acumularem mais produto. Há, também, segundo Manoel, perda de 30% do que chega no galpão.

E é nessa busca pela sobrevivência que os seletores beneficiam a todos. “A sobra da sociedade é a sobrevivência do catador”, reflete a experiente Iracy.

QUATRO CEARENSES VÃO PARTICIPAR DOS JOGOS OLÍMPICOS DE LONDRES

O Ceará deve ter quatro representantes nas Olimpíadas de Londres, em julho. No atletismo, Laila Ferrer e Silva (lançamento de dardo) e Ana Cláudia Lemos (200 metros rasos e revezamento 4×100 metros) estão asseguradas. No tênis de mesa, Thiago Monteiro perdeu o pré-olímpico, mas recebeu o convite para disputar as Olimpíadas. E por fim, Fernanda da Silva Souza conseguiu uma vaga na prova de ciclismo de estrada. No vôlei de praia, o Ceará ainda terá duas atletas que adotaram Fortaleza como local de treinamento e moradia. A paulista Juliana e a capixaba Larissa serão uma das quatro duplas brasileiras em Londres. O cearense Márcio Araújo, que fazia parceria com Pedro Solberg, não conseguiu se classificar pelo ranking mundial.

Com duas representantes no atletismo, o Ceará vê boas chances de trazer medalhas na modalidade. Tanto Laila Ferrer, quanto Ana Cláudia Lemos residem e treinam no Sudeste do País. Laila é natural de Pacatuba, enquanto Ana Cláudia nasceu em Jaguaruana. As duas moram em São Paulo. No caso de Ana Cláudia Lemos, ela se mudou ainda na infância para Santa Catarina.

A classificação de Laila Ferrer para as Olimpíadas de Londres se deu no Troféu Brasil de Atletismo, na capital paulista, com a marca de 55m29 no lançamento de dardo. Já Ana Cláudia Lemos confirmou a vaga nos 200 metros rasos e no revezamento 4×100 metros. No último Troféu Brasil de Atletismo, ela conquistou a medalha de prata nos 200 metros ao fazer a sua melhor marca deste ano: 23s01. Ana Cláudia é a atual recordista sul-americana dos 200 metros e dos 100 metros.

No tênis de mesa, Thiago Monteiro vai em busca de uma boa participação nas Olimpíadas. O mesa-tenista cearense já esteve nos Jogos Olímpicos de Pequim, em 2008, e de Atenas, em 2004. Thiago teve uma lesão na mão, perdeu o pré-olímpico, mas recebeu convite e vai jogar por equipe em Londres. Thiago, que conquistou este mês a Copa Latina, e a chinesa recém naturalizada brasileira Gui Lin ficaram com as duas vagas por indicação técnica. Eles vão participar apenas da disputa por equipes ao lado dos mesa-tenistas Gustavo Tsuboi, Hugo Hoyama, Ligia Silva e Caroline Kumahara, classificados no Pré-Olímpico.

A ciclista Fernanda da Silva Souza, que é do município de Iguatu, mora em Rio Claro (SP). A cearense é atleta da equipe de Pindamonhangaba (SP) e da Seleção Brasileira de Ciclismo. Nas disputas em El Salvador, Colômbia, Argentina e Venezuela, a equipe brasileira somou um total de 351 pontos e garantiu o 12º lugar no ranking mundial no ciclismo de estrada feminino. Assim, a equipe nacional conquistou três vagas para os Jogos Olímpicos de Londres. Uma delas, para Fernanda da Silva. 

NOSSOS REPRESENTANTES

 

ANA CLÁUDIA

Nome: Ana Cláudia Lemos da Silva

Naturalidade: Jaguaretama (CE)

Nascimento: 6/11/1988

Em Londres: Prova dos 200m rasos e Revezamento 4×100 metros

 

LAILA FERRER

Nome: Laila Ferrer e Silva

Naturalidade: Pacatuba (CE)
Nascimento: 30/7/1982

Em Londres: Prova do lançamento de dardo

 

THIAGO MONTEIRO

Nome: Thiago Farias Monte Monteiro

Naturalidade: Fortaleza (CE)

Nascimento: 15/6/1981

Em Londres: Tênis de mesa por equipe

(Rogério Gomes _ O Povo Online)