Dilma quer Transnordestina pronta em 2014

A presidente Dilma Rousseff, que faz uma visita ao Nordeste, afirmou nesta quinta-feira (9) que o governo federal “não pretende ficar elevando indefinidamente” o preço da Ferrovia Transnordestina, atualmente orçada em R$ 5,4 bilhões.

- A gente sabe que uma obra desse tamanho, dessa dimensão, tem sempre coisas não planejadas que ocorrem, mas hoje temos certeza de que o orçamento está bem próximo da realidade.

Em Parnamirim, município que fica a 561 quilômetros de Recife (PE), a presidente acompanhou a colocação de dormentes nos trilhos da ferrovia, que é um dos principais projetos do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento).

- O governo quer a obra realizada sem interrupções e o objetivo é concluir essa obra até o final de 2014. Não há limites para o que faremos.

Dilma ressaltou que o governo vai tomar todas as medidas necessárias para que os prazos traçados sejam cumpridos.

Com um atraso de dois anos – o prazo inicial de conclusão era dezembro de 2012 – a ferrovia terá 1.700 quilômetros de extensão e vai ligar o interior do Nordeste aos portos de Pecem (CE) e Suape (PE).

São dez lotes em Pernambuco, 11 no Piauí e 12 no Ceará. Com 35% da obra pronta, todos os lotes dos dois primeiros Estados (PE e PI) estão contratados.

No Ceará, dois estão contratados e dez em contratação. Hoje, a ferrovia conta com cerca de 10 mil trabalhadores, 7.000 deles em Pernambuco.

Cancelamento

Dilma cancelou a visita que faria hoje a São José do Belmonte (PE) e seguiu direto de Parnamirim para Salgueiro, também em Pernambuco.

Em Belmonte, ela também visitaria as obras da ferrovia. Mas, como veria a mesma coisa que viu em Parnamirim, resolveu antecipar a agenda e seguir direto para Salgueiro.

Acompanham a presidente os governadores do Ceará, Cid Gomes; do Piauí, Wilson Martins; e de Pernambuco, Eduardo Campos (todos do PSB), além dos ministros dos Transportes, Paulo Sérgio Passos; e da Integração Nacional, Fernando Bezerra Coelho.

Na chegada de Dilma a Salgueiro, um grupo de 50 manifestantes protestava, na entrada do canteiro administrativo da Transnordestina, contra a falta de recursos para a educação no campo.

Eram alunos de um programa de nível médio chamado Procampo, que denunciam a falta de recursos federais, neste ano, para os cursos de formação de professores no campo.

Após encontro de trabalho com os responsáveis pela Transnordestina, Dilma se reuniria com os trabalhadores e embarcaria para Juazeiro do Norte (CE), de onde seguiria para Brasília.

(PORTAL R7)

About these ads

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s