you're reading...
Atualidades, Ciências Naturais & Sociais, Saúde e Comportamento, Sociedade

Saiba quais são os 10 nomes de pessoas mais usados pelos cearenses

Nomes com origem ou ligação religiosas são os mais usados para registrar as pessoas no Ceará. A afirmação é baseada em uma pesquisa que fez um levantamento em aproximadamente 165 milhões de CPFs em todo o Brasil e apurou os 50 nomes mais utilizados no País. No nosso Estado “Maria ” lidera o ranking, com mais de 1 milhão de registros. Em seguida vêm Francisco , com 500 mil, e José com quase 420 mil.

A pesquisa foi baseada em 3.582,872 registros de CPFs no Estado, de um total populacional de quase nove milhões de habitantes. O trabalho foi feito pela proScore, Bureau de Informação e Análise de Crédito.

Especialistas ouvidos pelo Diário do Nordeste Online indicam que os nomes usados pelos pais para registrar os filhos variam de acordo com a época vivida e com a devoção aos santos do catolicismo, por exemplo. No Ceará, com a forte devoção a São Francisco de Assis em Canindé e ao padre Cícero Romão Batista em Juazeiro do Norte, os nomes também acabam se propagando pelos cartórios.

Arte: Felipe Berlamino

“Escolha depende da época”, diz professora

De acordo com a coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Sociologia da UFC, Maria Neyára de Oliveira Araújo, a escolha dos nomes depende muito da época vivida. “É comum ver nas pessoas idosas nomes bíblicos. Já nos adultos, que nasceram na década de 1980 e 1990, nomes tidos da ‘moda’. E, nas crianças de até 10 anos, por exemplo, notamos a reutilização dos nomes religiosos”, informa.

Segundo Neyára, com o crescimento dos meios de comunicação e o acesso mais fácil da população as informações, os nomes de artistas e celebridades podem ser notados em boa parte dos jovens entre 18 a 24 anos, período que ingressam nas faculdades. “Nomes como Michael e Raísa são bastante comuns na lista de presença”, diz.

“Igreja Católica exerce forte influência”, afirma o professor Pinheiro

Para o doutor em História e secretário de Cultura do Ceará, professor Francisco José Pinheiro, há uma forte influência da Igreja Católica para a escolha dos nomes das pessoas no Ceará. “Dependendo da Região, nomes como Franscico e Cícero são muitos usados, devido a devoção do povo aos santos São Francisco de Assis e Padre Cícero”, explica.

Com o advento das mídias, a partir dos anos 1980, ocorre um novo fenômeno para a escolha dos nomes baseado na moda, ou seja, as celebridades da televisão são tidas como referência para a escolha. “A televisão, com sua forte influência, dita o que é legal, até mesmo não sendo”, comenta Pinheiro.

Do modo geral, na visão do professor, os pais se espalhem em três fatores para a escolha dos nomes de seus filhos: religiosidade, mídia e amor aos ídolos. “Quem é fã do Roberto Carlos, por exemplo, é provável homenageá-lo colocando o seu nome em seu filho”, diz.

(DIÁRIO DO NORDESTE)

 

About these ads

Discussão

Nenhum comentário ainda.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

VISITANTES TOTAIS

  • 8,649,021 visitas

VISITANTES ON-LINE

SAUDAÇÕES

Sejam tod@s muito bem vind@s!

O blog diálogos políticos é uma iniciativa da Secretaria de Formação do Sindicato dos Bancários do Ceará. Nosso objetivo é possibilitar o intercâmbio de informações entre as pessoas interessadas nos mais diversos temas da conjuntura brasileira.

MEDIADOR

. Geógrafo e Funcionário da Secretaria de Formação do SEEB/CE. Atua na CCP-Banco do Brasil e CCV-Caixa. Diretor da AESB e Delegado Sindical do SINTEC-CE.

MÚSICA

Direito a Liberdade de Expressão

"Todo o indivíduo tem direito a liberdade de opinião e de expressão, o que implica o direito de não ser inquietado pelas suas opiniões e o de procurar, receber e difundir, sem consideração de fronteiras, informações e idéias por qualquer meio de expressão". Art.19 da Declaração Universal dos Direitos do Homem, promulgada em 10 de dezembro de 1948.
free counters
%d blogueiros gostam disto: