Até aspectos culturais podem complicar fusão “Carreçúcar”

são paulo – Novas ameaças rondam o plano de Abílio Diniz de fundir o Grupo Pão de Açúcar (GPA) ao Carrefour. O sócio Casino, cujo presidente, Jean-Charles Naouri, esteve ontem em Brasília, entrou com o segundo pedido de arbitragem contra a proposta de fusão. Também na capital, um grupo de políticos, composto por base aliada e oposição, convidou o presidente do Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico (BNDES), Luciano Coutinho, a explicar, hoje, a intenção da entidade de emprestar R$ 4,5 bilhões ao negócio.

Os responsáveis pelo requerimento são os senadores Ricardo Ferraço (PMDB-ES) e Álvaro Dias (PSDB-PR). Os parlamentares Acir Gurgacz (PDT-RO) e Ana Amélia (PP-RS) também se posicionaram contra o empréstimo. Enquanto o Legislativo se manifestava, ontem, por outro lado o Poder Executivo declarou, na voz do ministro Fernando Pimentel (Desenvolvimento), que não irá mais comentar o caso.

Se conseguir passar por cima das vozes dissonantes do governo e do próprio sócio, Casino, o empresário Abílio Diniz poderá encontrar novos problemas, lá na frente, quando tiver conquistado sua fusão. O choque entre diferentes culturas de varejo é mais um fator que dificulta e até inviabiliza a união entre as redes de supermercado Carrefour e Pão de Açúcar. Assim pensam especialistas em governança corporativa.
Para o sócio da Mesa Corporate Governance, Luiz Marcatti, os casamentos corporativos são sempre arriscados. “Toda vez que ocorre fusão, as partes se perguntam: qual modelo prevalecerá? Isso, internamente, gera disputa, abrindo conflitos”, afirmou o especialista.

No caso do “Carreçúcar”, Marcatti observou que há três focos de discórdia em potencial. O primeiro, na cúpula, envolve a nacionalidade das diretorias, que, se fundidas, teriam que se relacionar, numa integração de dirigentes franceses e brasileiros. “O jeito de conduzir os negócios é muito diferente”, disse.

O segundo empecilho tem a ver com o tipo de gestão, centralizada numa companhia e descentralizada na outra. “Todo empresário que está a frente do seu negócio [como Abílio Diniz] cria laços com seus executivos. Enquanto numa multinacional [o Carrefour], a relação é diferente”, explicou Marcatti.

Os problemas não chegam aos pontos de venda, pois “o jeito de tocar as lojas é parecido”, mas afetam os cargos de média gerência e superiores. “O pessoal administrativo sentiria mudanças importantes com a fusão”, afirmou o sócio da Mesa Corporate Governance, empresa especializada em due diligence, tipo de auditoria que busca compreender a cultura de uma companhia e prepará-la para fusões.

As divergências culturais, no caso de duas empresas que pretendem se tornar uma só, “ajudam a decretar o fim do processo de fusão”, analisou Marcatti. “E um processo de fusão fracassado gera perda para os dois lados”, concluiu.

Monopólio

Antes que as questões de cultura empresarial afetem a escalada de Abílio Diniz, barreiras jurídico-econômicas podem impedi-lo de construir o segundo maior império varejista do mundo. Quem acompanha o caso está atento à avaliação do Cade, que determinará se a proposta de fusão é é legal ou não.

“Acho muito pouco provável que o Cade aprove essa operação sem fortes restrições, que quase a inviabilizem”, opinou o ex-secretário de Direito Econômico, órgão ligado ao Ministério da Justiça, José del Chiaro. O advogado observou que a concentração de caixas registradoras (levada em consideração pelo Cade) dos supermercados Carrefour e Pão de Açúcar chega a 80% em algumas cidades, como São Paulo.

Del Chiaro estimou que o julgamento do processo de fusão, se for levado adiante no Cade, deve demorar em média dois anos para ser concluído. “Devido ao tamanho do negócio, em qualquer lugar do mundo demoraria isso e haveria fortes restrições”, disse o especialista.

Não faltam casos para ilustrar esta possibilidade: a Sadia e a Perdigão ainda enfrentam restrições e exigências do Cade para tornar legítima a fusão BR Foods, que ontem propôs ao órgão antitruste a venda de dez fábricas, dez centros de distribuição e todas as marcas controladas pela companhia – exceto Sadia, Perdigão e submarcas, como Chester e Nuggets. Ainda assim, o Cade pede mais concessões.

O advogado Valdo de Rizzo, especialista em fusões e aquisições, aponta para os problemas mais explícitos que a fusão “Carreçúcar” traria: excessivo poder econômico nas mãos de uma só empresa, perante fornecedores que perderiam poder de negociação; controle de preços, sem ameaça de perder clientes, no que diz respeito ao consumidor; e concorrência desigual.

No Rio Grande do Sul, o presidente da Associação Gaúcha de Supermercados (Agas), Antônio Longo, declarou-se contra a união entre o Carrefour e o Pão de Açúcar. “Uma empresa com esse gigantismo vai impor preços”, advertiu o representante, que teme consequências para o varejo, a indústria e os consumidores.

(DCI Comunicação)

Assaltos a banco com morte crescem 81% no País, aponta pesquisa

Vinte pessoas foram mortas em assaltos envolvendo bancos no primeiro semestre deste ano em todo País, de acordo com pesquisa da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf), divulgada nesta terça-feira. A maior incidência foi o crime de “saidinha de banco”, que fez 11 vítimas.

O número corresponde a um crescimento de 81% das ocorrências em relação a 2010, quando foram contabilizadas 11 mortes no mesmo período. Em todo ano passado, 23 pessoas morrreram.

“Uma média de mais de três mortes por mês é assustador e preocupante”, avalia o diretor da Contraf e coordenador do Coletivo Nacional de Segurança Bancária, Ademir Wiederkehr. Para ele, “a estatística comprova o descaso e a escassez de investimentos dos bancos em medidas e equipamentos de prevenção contra assaltos e sequestros, bem como revela a precariedade da segurança pública diante da falta de mais policiais e viaturas nas ruas e ações de inteligência para evitar ações criminosas”.

O levantamento mostra que nove clientes morreram em função da violência nos bancos, o maior número entre as vítimas. Também foram mortos seis policiais, um bancário, um vigilante e três outras pessoas.

A maioria das mortes aconteceu no Estado de São Paulo, com 12 casos. Os demais crimes ocorreram no Rio de Janeiro (2), Rio Grande do Sul (1), Santa Catarina (1), Bahia (1), Minas Gerais (1), Pará (1) e Piauí (1).

A Contraf defende medidas preventivas que visem enfrentar a “saidinha de banco”. “Esse crime começa dentro dos bancos e, para evitá-lo, é preciso dificultar a visualização de olheiros das operações dos clientes nas agências e postos, por meio da instalação de divisórias individualizadas nos caixas, inclusive eletrônicos, e biombos entre a fila de espera e os caixas”, diz Wiederkehr.

“É fundamental a colocação de portas de segurança com detectores de metais antes do autoatendimento, câmeras de filmagem com monitoramento em tempo real nos espaços de circulação de clientes, nas calçadas e áreas de estacionamento, e vidros blindados nas fachadas.”, completa.

(Ultimo Segundo)

Dr. House vira garoto-propaganda da L’Oréal Paris

 Hugh Laurie: ator é o novo embaixador da L’oréal Paris

São Paulo – Famoso por representar o sarcástico Dr. Gregory House na série americana House, o ator Hugh Laurie passará a atuar também como embaixador da marca L’Oréal Paris em sua linha de produtos masculinos Men Expert.

Com o contrato, Laurie passa a fazer parte da lista especial de porta vozes de L’Oréal Paris, ao lado de Gerard Butler, Beyoncé Knowles, Aimee Mullins, Jennifer Lopez, Patrick Dempsey, Gwen Stefani, Jane Fonda e Rachel Weisz.

O desempenho do ator na série já lhe rendeu dois Globos de Ouro, dois prêmios no Screen Actors Guild, dois prêmios do Television Critics Association Television e o People’s Choice em 2009.

Hugh Laurie também integra uma banda de caridade, chamada Band From TV, que doa todos os lucros para organizações sociais.

Seu primeiro álbum solo de blues Let Them Talk foi lançado com o selo Warner Bros.

(Portal Exame)

Alagoas terá mais dez novas agências bancárias do BB

O Banco de Brasil anunciou a instalação de 281 novas agências bancárias em todo o país, dez delas em municípios alagoanos. Proporcionalmente, o maior número de agências por estado em toda a Federação. A informação foi dada pelo superintendente do Banco do Brasil em Alagoas, Eduardo Sant Anna, durante reunião convocada pelo governador Teotonio Vilela Filho nesta terça-feira (5), no Palácio República dos Palmares, que contou também com a presença de dez prefeitos dos municípios contemplados com as novas unidades. 

Segundo a superintendência do Banco do Brasil, a contrapartida dos municípios consiste em ceder um imóvel na cidade para reforma e implantação das agências. Durante a reunião, os prefeitos receberam as especificações e dimensões dos imóveis a serem cedidos para reforma e adequação ao modelo de agência complementar do Banco do Brasil, que deve contar com área de negócios, autoatendimento e transações financeiras. 

Para o governador Teotonio Vilela Filho, “cada agência funciona como um polo de desenvolvimento na vida cotidiana das cidades. É importante que os prefeitos articulem a sociedade civil e apoiem a agência de seu município”. 

Já o presidente da Associação dos Municípios Alagoanos (AMA), Abraão Moura, destacou o papel do Governo do Estado na chegada das novas agências em Alagoas. “O governador demonstra mais uma vez que está no caminho certo, um caminho de desenvolvimento, e a chegada destas dez agências, maior número de agências proporcionalmente no país, demonstra isso”. 

Ao final da reunião, ficou definido que as prefeituras e a superintendência do Banco do Brasil vão estabelecer um cronograma de visitas com o setor de engenharia da empresa aos locais de instalação das novas agências. Os municípios selecionados para a implantação das novas unidades são Porto Real do Colégio, Paripueira, Inhapi, Satuba, Maribondo, Passo do Camaragibe, Ouro Branco, Coité do Nóia, Pariconha e Joaquim Gomes.

Fonte:Marcelo Cabral/Agência Alagoas

Conheça as 90 faculdades que não aprovaram ninguém no exame da OAB

A OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) divulgou hoje (5) a lista com as 90 faculdades cujos estudantes de direito se submeteram à última edição do Exame de Ordem, mas não tiveram nenhum candidato aprovado após as duas etapas do exame. O índice representa 14,75% das 610 faculdades que tiveram alunos matriculados na prova.

A listagem, afirma a ordem, será encaminhada ao ministro da Educação, Fernando Haddad. A intenção da OAB é que elas sejam colocadas sob supervisão do MEC.

Caso seja constatada alguma irregularidade, as instituições podem sofrer sanções que vão da redução de vagas até o fechamento do curso, dependendo da gravidade da situação.

Veja as 90 faculdades que não aprovaram ninguém na OAB

UF Instituição Inscritos Aprovados na 1ª Fase Aprovados na 2ª Fase
AL Faculdade Raimundo Marinho – FRM 6 1 0
AP Faculdade de Macapá – FAMA 7 1 0
AP Instituto de Ensino e Cultura do Amapá – IECA 6 0 0
BA Faculdade Arnaldo Horácio Ferreira – FAAHF 1 1 0
BA Faculdade de Tecnologia Empresarial – FTE 4 0 0
BA Faculdade do Sul – FACSUL 1 1 0
BA Faculdade Maurício de Nassau de Salvador – FMN Salvador 14 3 0
BA Faculdade Metropolitana de Camaçari – FAMEC 44 4 0
BA Faculdade Nobre de Feira de Santana – FAN 1 0 0
BA Faculdade São Salvador – FSS 8 2 0
BA Faculdade São Tomaz de Aquino – FSTA 2 1 0
BA Faculdade Social da Bahia – FSBA 6 1 0
BA Instituto Salvador de Ensino e Cultura – ISEC 6 0 0
CE Faculdade Luciano Feijão – FLF 3 1 0
CE Instituto Ceará de Ensino e Cultura – ICEC 7 1 0
DF Faculdade de Administração Escola Superior Professor Paulo Martins – ESPAM 8 0 0
DF Faculdade Fortium – FORTIUM 2 0 0
DF Faculdades Integradas Unicesp – FACICESP 1 1 0
ES Faculdade de Castelo – FACASTELO 48 4 0
ES Faculdade de Direito de Guarapari – FADIG 1 1 0
ES Faculdade do Espírito Santo – UNES 2 0 0
ES Faculdades Integradas Norte Capixaba – Fanorte – FANORTE 52 4 0
ES Instituto de Ensino Superior e Formação Avançada de Vitória – FAVI 21 2 0
ES Instituto Vitória de Ensino e Cultura – IVEC 10 1 0
GO Faculdade Betel de Goianésia – FABEGO 15 1 0
GO Faculdade de Caldas Novas – UNICALDAS 35 8 0
GO Faculdade Raízes – SER 14 2 0
MA Faculdade São José – FSJ 7 1 0
MG Faculdade da Cidade de Santa Luzia – FACSAL 17 2 0
MG Faculdade de Ciências Gerenciais Alves Fortes – FACE – ALFOR 2 0 0
MG Faculdade de Ciências Sociais Aplicadas de Extrema – FAEX 5 0 0
MG Faculdade de Minas BH – FAMINAS-BH 23 4 0
MG Faculdade de Talentos Humanos – FACTHUS 12 3 0
MG Faculdade Pitágoras de Betim – PITÁGORAS-BETIM 1 0 0
MG Faculdade São Francisco de Piumhi – FASPI 25 4 0
MG Instituto de Ensino Superior João Alfredo de Andrade – IJAA 16 1 0
MG Instituto Superior de Educação do Alto São Francisco – ISEASF 1 0 0
MS Faculdades Integradas de Paranaíba – Fipar – FIPAR 10 0 0
MS Instituto Campo Grande de Ensino Superior – ICGES 46 4 0
MS Instituto Mato Grosso do Sul de Educação e Cultura – ISMEC 10 1 0
MT Faculdade de Ciências Sociais e Humanas Sobral Pinto – FAIESP 20 1 0
MT Faculdade para O Desenvolvimento do Estado e do Pantanal Mato-Grossense – FAP 1 0 0
PA Escola Superior Madre Celeste – ESMAC 1 1 0
PA Instituto de Ensino Superior do Pará – IESP 16 0 0
PB Faculdade Potiguar da Paraíba – FPB 21 3 0
PB Faculdade Reinaldo Ramos – FARR 4 0 0
PE Faculdade de Ciências Humanas e Sociais de Igarassu – FACIG 24 1 0
PE Focca – Faculdade de Olinda – FOCCA 23 3 0
PI Christus Faculdade do Piauí – CHRISFAPI 21 2 0
PI Faculdade de Tecnologia do Piauí – FATEPI 16 2 0
PI Instituto de Educação Superior Raimundo Sá – IESRSA 16 2 0
PR Faculdade Arthur Thomas – CESA 9 0 0
PR Faculdade de Ensino Superior de Marechal Cândido Rondon – ISEPE RONDON 4 0 0
PR Faculdade de Ensino Superior Dom Bosco – FACDOMBOSCO 16 1 0
PR Faculdade de Pato Branco – FADEP 8 2 0
PR Faculdades Integradas do Vale do Ivaí – UNIVALE 25 2 0
PR Faneesp – Faculdade Nacional de Educação e Ensino Superior do Paraná – FANEESP 6 0 0
PR Instituto de Ciências Sociais do Paraná – ICSP 4 0 0
PR Instituto de Ensino e Cultura do Paraná – Iecp – IECP 1 1 0
PR Instituto de Ensino Superior de Foz do Iguaçu – IESFI 32 5 0
PR Instituto Foz do Iguaçu de Ensino e Cultura – IFIEC 2 1 0
RJ Faculdade Gama e Souza – FGS 42 2 0
RJ Faculdade Paraíso – FAP 1 1 0
RJ Faculdade São José – FSJ 32 4 0
RN Faculdade de Ciências, Cultura e Extensão do Rio Grande do Norte – FACEX 5 0 0
RN Instituto Natalense de Ensino e Cultura – INEC 7 0 0
RS Faculdade Palotina – FAPAS 1 0 0
SC Centro de Educação Superior de Blumenau – CESBLU 8 1 0
SC Faculdade Exponencial – FIE 1 0 0
SE Instituto Sergipe de Ensino Superior – ISES 4 1 0
SP Centro Universitário Barão de Mauá – CBM 22 6 0
SP Centro Universitário Central Paulista – UNICEP 11 2 0
SP Faculdade Anhaguera de Jundiaí – UNIANHANGUERA 2 0 0
SP Faculdade Anhanguera de Osasco – FIZO 26 4 0
SP Faculdade Bertioga – FABE 4 1 0
SP Faculdade Campo Limpo Paulista – FACCAMP 73 10 0
SP Faculdade Carlos Drummond de Andrade – FCDA 11 1 0
SP Faculdade Cidade Luz – FACILUZ 2 0 0
SP Faculdade da Aldeia de Carapicuíba – FALC 23 4 0
SP Faculdade de Americana – FAM 3 0 0
SP Faculdade de Presidente Prudente – FAPEPE 6 0 0
SP Faculdade do Guarujá – FAGU 4 0 0
SP Faculdade Iteana de Ibitinga – FITI 1 0 0
SP Faculdade Politécnica de Campinas – POLICAMP 33 4 0
SP Faculdade Savonitti – FS 5 2 0
SP Faculdade Unidade de Suzano – UNISUZ 23 1 0
SP União das Escolas do Grupo Faimi de Educação – FAIMI 24 3 0
TO Faculdade Serra do Carmo – FASEC 5 0 0
TO Instituto Palmas de Ensino Superior – IPES 3 1 0
TO Universidade do Tocantins – UNITINS 1 0 0

Reprovações

No último exame, foram reprovados 9 em cada 10 bacharéis, o que levou a OAB ao pior resultado da história: apenas 9,74% dos candidatos foram aprovados. O número inclui os treineiros.

Em junho, a ordem decidiu reduzir o número de questões da prova em 20%. Advogados dizem que um dos motivos para a mudança é o alto número de reprovações no exame.

A prova objetiva, a primeira a ser aplicada em 2011, será no dia 17 de julho. O teste prático-profissional, que é a segunda etapa do exame, está previsto para acontecer no dia 21 de agosto. Os resultados devem ser divulgados em setembro.

Faculdades públicas têm melhor desempenho no Exame da OAB

Segundo dados divulgados pela Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) sobre o último Exame de Ordem, realizado em dezembro de 2010, os alunos de faculdades de Direito mantidas por universidades públicas apresentaram desempenho melhor do que aqueles que se formaram em instituições privadas. Balanço feito pela revista Consultor Jurídico, aponta que, das 20 instituições que mais aprovaram em termos proporcionais no último exame, 19 são públicas.

A Universidade de Brasília (UnB) é a campeã em desempenho. Dos 43 alunos formados pela universidade que fizeram as provas, 29 receberam a carteira da Ordem dos Advogados, o que representa índice de 67,4% de sucesso. De acordo com o levantamento, apenas universidades públicas obtiveram aprovação acima de 50% no exame.

A única instituição particular que aparece no ranking das 20 melhores é a Faculdade Baiana de Direito e Gestão, que ocupa o 20º lugar da lista. Após a UnB, estão a Universidade Federal de Juiz de Fora, com 67,35% de aprovação, a Universidade Federal de Minas Gerais (65,32%), a Universidade de São Paulo (USP) (63,46%), e Universidade Federal do Piauí (60,98%). As cinco primeiras colocadas formaram juntas 424 advogados.

Já em números absolutos, as faculdades privadas são as que mais colocaram profissionais da advocacia no mercado. No ranking das 20 faculdades neste quesito, os cinco primeiros lugares são ocupados por instituições particulares: Universidade Estácio de Sá, Mackenzie, Universidade Paulista (Unip), PUC de Minas Gerais e PUC de São Paulo. Juntas, as cinco universidades formaram 1.345 novos advogados. O número é três vezes maior do que o de bacharéis formados pelas cinco universidades públicas com melhor desempenho em termos proporcionais.

A tabulação feita pela revista Consultor Jurídico desconsiderou as faculdades que não tiveram pelo menos de dez candidatos nas provas. Há um único caso de 100% de aprovação, da Faculdade Alvorada, de Maringá (PR). Apenas um aluno da faculdade se submeteu ao exame, e foi aprovado.

Aprovação Zero
O presidente da OAB, Ophir Cavalcante, encaminhou nesta terça-feira ao ministro da Educação, Fernando Haddad, ofício com a lista das 90 faculdades que não tiveram alunos aprovados no exame. A entidade cobra que os índices de aprovação em “exames de proficiência” dessas faculdades passem a ser acompanhados de perto pelo MEC, devendo ainda cumprir algumas metas estabelecidas pelo ministério, sob pena de serem punidas com redução de vagas, suspensão de cursos e, em casos extremos, fechamento.

(Portal Terra)

OAB divulga lista de faculdades que tiveram aprovação zero em exame

A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) divulgou nesta terça-feira (5) a lista de 90 instituições de ensino superior com aprovação zero no último Exame de Ordem (confira link abaixo). Essas faculdades tiveram 1.153 do total de 106.891 inscritos na prova. Das 90, 51 registraram menos de dez participantes e 39 registraram dez ou mais inscritos.

Confira a lista completa divulgada pela OAB

Os estados com maior número de universidades “reprovadas” naa valiação são, em ordem: São Paulo (17), Bahia (10), Paraná (10), Minas Gerais (9), Espírito Santo (7), Distrito Federal (3), Goiás (3) e Rio de Janeiro (3).

O exame, realizado em dezembro de 2010, reprovou 88,275% dos 106.891 bacharéis em direito inscritos. Do total, apenas 12.534 candidatos foram aprovados, de acordo com a OAB. O índice de reprovação da edição anterior já havia chegado a quase 90%. A prova é realizada pela Fundação Getulio Vargas.

A assessoria da FGV informou que os nomes dos aprovados foram disponibilizados na internet em 19 de junho.

“O presidente (da OAB) vai notificar o Ministério da Educação para colocar todas elas em regime de supervisão, que pode levar ao cancelamento”, disse o secretário-geral da Ordem, Marcus Vinícius Furtado Coelho.

O MEC registra 1.120 cursos superiores de direito no país. São cerca de 650 mil vagas, segundo a OAB. Atualmente o MEC faz supervisões a instituições que têm mau desempenho no Exame Nacional do Desempenho dos Estudantes (Enade).

“Isso é reflexo, infelizmente, do ensino jurídico do Brasil”, disse o presidente nacional da OAB, Ophir Cavalcante. Os candidatos que fazem a prova pela segunda vez têm 7% de aprovação, em média, segundo a OAB. Aqueles que fazem o exame pela primeira vez ou estão no nono e décimo períodos da faculdade (treineiros) têm média de 25% de aprovação.

O presidente nacional da OAB, Ophir Cavalcante, durante reunião do Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral  (Foto: Wilson Dias/ABr)
Presidente nacional da OAB, Ophir Cavalcante, diz
que má qualidade de cursos motiva reprovação
(Foto: Wilson Dias/ABr)

De acordo com Cavalcante, um estudo feito por ele com dados dos últimos quatro exames anteriores ao de dezembro de 2010 mostra que as 20 melhores instituições de ensino superior públicas aprovam, em média, entre 70% e 90% dos candidatos inscritos. Nas 20 piores universidades públicas e as 20 melhores universidades privadas, a aprovação média é de 40% a 60%. Já as 20 piores instituições particulares aprovam entre 3% e 5%. “Isso puxa para baixo o número de aprovações. Infelizmente, o maior número de estudantes está nas faculdades privadas”, disse Cavalcante.

Segundo Coelho, um grupo de universidades teve aprovação média de candidatos entre 80% e 90%. De acordo com o secretário-geral da OAB, são elas: Universidade de São Paulo (USP), Universidade Federal da Bahia (UFBA), Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), Universidade de Brasília (UnB), Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Universidade Federal do Ceará (UFCE), Universidade Federal do Piauí (UFPI), Universidade Federal do Paraná (UFPR), Universidade Federal Fluminense (UFF), Universidade Federal da Paraíba (UFPB) e Universidade Federal de Sergipe (UFS). “Isso significa que as boas aprovam quase todos os estudantes na primeira tentativa”, disse Coelho.

O presidente da OAB disse que estuda a possibilidade de questionar na Justiça as aprovações de novos cursos feitas pelo Conselho Nacional de Educação “Não podemos conceber que o Conselho Nacional de Educação, fugindo dos parâmentos técnicos, autorize novas vagas”, afirmou.

Com relação às críticas de candidatos à dificuldade do exame, Cavalcante disse que não há reserva de mercado. “A OAB vive exclusivamente da contribuição dos integrantes. Os advogados pagam anuidade. Se tivéssemos dois milhões, teria recursos para desenvolver atividades bem maiores. Temos 700 mil advogados. Para a OAB, seria confortável. Nossa preocupação não se mede pelo número, mas pela qualidade”, disse.

A primeira prova do próximo Exame de Ordem da OAB está marcada para 17 de julho. A segunda fase está prevista para 21 de agosto.

(IG)

Tamanho do pênis está ligado ao dos dedos, diz nova pesquisa

A partir de agora, o dedo anular masculino servirá como mais do que um possível indicador de estado civil. Cientistas descobriram que, pela comparação entre ele e o indicador, é possível prever o tamanho do pênis ereto.

O cálculo não é feito pelo tamanho absoluto dos dedos, mas sim pela razão entre eles. A conta é feita dividindo o comprimento do dedo indicador pelo do anular. Quanto menor for resultado, maior deve ser o pênis. Ou seja: homens com o dedo indicador menor do que o anular tendem a ter o pênis ereto mais longo.

Editoria de Arte/Folhapress

De acordo com os pesquisadores, liderados por In Ho Choi, da Universidade Gachon (Coreia do Sul), o resultado tem a ver com o nível de exposição que os homens tiveram à testosterona quando ainda estavam no útero.

Essa relação entre o tamanho dos dedos e a exposição ao principal hormônio masculino já era conhecida. Além de fornecer pistas sobre o tamanho do órgão sexual, conhecer o nível de exposição à testosterona pode ajudar no diagnóstico de doenças ligadas ao hormônio, como câncer de próstata.

A pesquisa, publicada no “Asian Journal of Andrology”, analisou o tamanho do órgão sexual de 144 homens com mais de 20 anos e com doenças urológicas.

Embora os cientistas digam que nenhuma dessas doenças interfira no tamanho dos pênis, eles admitem que o universo da pesquisa é restrito e pode estar enviesado.

Antes de terem seus órgãos sexuais medidos, todos os pacientes foram anestesiados. Para que não houvesse interferência da temperatura, a medição foi feita logo após eles terem sido despidos.

(Folha Online)

Silvia Novais: Brasileira vence concurso Miss Itália no Mundo 2011

A brasileira Silvia Novais foi eleita Miss Itália no Mundo 2011, um concurso de beleza realizado entre descendentes de italianos que moram fora do país.

Silvia, 25, é estudante de educação física e trabalha como modelo em São Paulo. Ela é bisneta por parte de pai de Maria Francisca da Silva e Francesco Milani, originário da região de Florença, na Toscana.

O concurso, realizado nesta segunda-feira, foi transmitido pela emissora estatal italiana RAI em uma cerimônia em Reggio Calábria conduzida pelos apresentadores Pupo e Elisa Isoardi.

A brasileira, que foi Miss São Paulo em 2009, entrou no concurso como Miss Itália/Amazônia. Ela competia com 39 mulheres, entre elas outras três brasileiras –Carla Isabele Dutra (Miss Itália/Mercosul), Priscylla Vitorassi (Miss Itália/Brasil) e Vitoria Bisognin (Miss Brasil São Paulo).

Adriana Sapone/Associated Press
Silvia Novais concorria com 39 mulheres pelo título de descendente de italiana mais bonita
Silvia Novais concorria com 39 mulheres pelo título de descendente de italiana mais bonita

A escolha foi feita por um jurado composto pelo ator Gerar Depardieu e por Carlo Conti. Em segundo lugar ficou a Miss Argentina, Valentina Di Paola, e em terceiro, a Miss Espanha, Iride Fontana.

A modelo, de 1,77m de altura, disse não ter mais contato com a parte de sua família que permaneceu na Itália e revelou que nunca havia visitado o país.

“É uma oportunidade para conhecer uma história e uma cultura que, por não viver lá, só levo no DNA”, disse Silvia, acrescentando que está muito feliz pela receptividade na Calábria. Ela foi condecorada como “embaixadora da Região Calábria em giro pelo mundo”.

Ela contou que, logo após a vitória, a primeira coisa que fez foi telefonar para sua mãe.

A nova miss disse que aproveitará todas as oportunidades que aparecerem, mas tentará fazer teatro ou cinema.

(Folha Online)

Ceará tem 4º pior rendimento domiciliar per capita do País

Na proporção de domicílios com rendimento nominal mensal domiciliar per capita de R$ 1 a R$ 70, o Litoral Oeste, que não tem problemas de seca, concentra o segundo maior percentual (23,45%) da população do Estado nessas condições de extrema pobreza. Essa foi uma foi das contatações do estudo sobre renda domiciliar dos municípios e macrorregiões de planejamento do Estado do Ceará, com base nos dados do Censo Demográfico 2010 disponibilizados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), apresentado ontem pelo Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará (Ipece).

O Litoral Oeste, onde chove acima da média, aparece ao lado Sertão Central e Sertão dos Inhamuns, que estão entre as mais secas.Além disso, na zona urbana, a maior proporção de domicílios com renda entre R$ 1 e R$ 70 está localizada na macrorregião do Litoral Oeste (16,22%).

Para o diretor Geral do Ipece, Flávio Ataliba, as condições climáticas podem influenciar mas não são determinantes para a situação em que se encontram muitos municípios cearenses. “A gestão pública tem papel fundamental na melhoria da renda”, observa, destacando que Litoral Oeste não existe problema de falta de água mas tem cidades em situação de pobreza extrema.

Considera que o combate á pobreza no Nordeste deve incluir ações microeconômicas específicas a partir de um mapeamento. “Não existe receita de bolo para acabar com a pobreza cada sociedade tem que ter um tratamento específico”, comenta, ressaltando que investir em educação é uma das soluções.

A análise do Ipece mostra que mais da metade dos domicílios do Ceará (53,66%) possuem rendimento inferior a meio salário mínimo – R$ 255 considerando o mínimo de R$ 510. Do total de domicílios, 4,45% não possuem rendimento, 26,25% têm rendimento inferior a 1/4 de salário mínimo. Somente 18,42% apresentam rendimento superior a um salário mínimo. A pobreza é maior na zona rural, onde está o maior número domicílios com rendimento nominal mensal per capita entre R$ 1 e R$ 70.

O estudo mostra também que o Ceará, que possui o quarto mais baixo nível de rendimento domiciliar per capita (R$ 492,36) entre as 27 unidades federativas do País, tem três municípios no ranking dos mais pobres do Brasil – Miraíma (35º), Salitre (41º) e Choró (49º). Fortaleza foi o único município cearense a figurar entre os 1.000 com melhor nível médio de rendimento domiciliar per capita, ocupando a 353° posição.

Sobre os domicílios particulares permanentes com rendimento nominal mensal domiciliar per capita de R$ 1 a R$ 141, o Ipece avalia que as macrorregiões com menor proporção são a Região Metropolitana de Fortaleza (RMF) e a macrorregião do Litoral Leste-Jaguaribe. “Analisando os municípios, constata-se que os três com maiores proporções de domicílios nessa faixa de renda foram Miraíma, Choró e Granja, enquanto os municípios com menor proporção de domicílios foram Fortaleza, Maracanaú e Eusébio.”

ENTENDA A NOTÍCIA

A renda no Ceará, a quarta menor do Brasil, fica ainda pior na zona rural. A queda pode chegar a mais de 50%. O o melhor rendimento nominal médio domiciliar per capita do Estado está em Fortaleza (R$ 857,54), seguido de Eusébio (R$ 663,17), que não têm área rural.

(Artumira Dutra – O Povo Online)

Uece abre inscrições para cursinho Pré-Vestibular

As inscrições para o cursinho Pré-Vestibular (UeceVest) da Universidade Estadual do Ceará (Uece) estão abertas até o dia 25 de julho. Os interessados podem dirigir-se à coordenação do cursinho, que funciona no Campus do Itaperi, no horário das 8h às 11h30 e das 13h às 20h.

O UeceVest oferece preparação para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). As aulas, que acontecem também aos sábados, podem ser acompanhadas de laboratório de redação, teste vocacional, minicursos e disciplinas específicas dos diferentes cursos, no período entre primeira e segunda fase do Vestibular da Instituição. Para ter direitos aos benefícios, o aluno terá de pagar uma taxa extra.

O cursinho UeceVest é intensivo, e tem duração de seis meses. O início das aulas está marcado para o dia 1º de agosto. O aluno tem direito a material didático, camisa e carteira de estudante. A identificação estudantil deve ser adquirida mediante pagamento de taxa estipulada pelo Diretório Central dos Estudantes (DCE) e a Empresa de Transporte Urbano de Fortaleza (Etufor).

Taxas
A taxa de matrícula no valor de R$ 70 pode ser paga no Bradesco, agência 0649-1 conta de nº 10906-1. O aluno que optar pelo turno da manhã ou da noite pagará cinco parcelas de R$ 70. Se a opção for pelo turno da tarde, o valor da parcela é de R$ 55.

A coordenação do cursinho, que está a cargo da Pró-Reitoria de Políticas Estudantis (Prae) da Uece, informa quer os alunos de escolas públicas do Estado do Ceará ficam isentos do pagamento da última parcela. No ato da matrícula, o candidato deve apresentar os seguintes documentos: cópia da Carteira de Identidade, do CPF, do Certificado de Conclusão do Ensino Médio ou outro documento comprobatório, duas fotos 3×4 e comprovante de endereço.

Mais informações podem ser obtidas pelo telefone 3101.9658

(O Povo Online)

 

Antônio Carlos Pierre: Policial baleado durante assalto em Viçosa tem perna amputada

O comandante do Ronda do Quarteirão de Viçosa do Ceará, Antônio Carlos Nunes Pierre, 42, baleado durante um assalto a banco, teve que amputar uma das pernas, segundo informações do Instituto José Frota (IJF).

De acordo com o hospital, o estado do policial é estável. Ele está na sala de recuperação do hospital, em observação. Ainda não há previsão de alta médica.

O comandante foi atingido na perna por um tiro de fuzil na manhã desta segunda-feira, 4, durante um assalto ousado ao Banco do Brasil de Viçosa do Ceará. Na ação, cerca de 12 homens fortemente armados fizeram reféns e trocaram tiros com a Polícia.

(O Povo Online)