archives

Arquivo para abril 29, 2011

Crise no PSDB paulistano atinge comando estadual

A exemplo dos vereadores paulistanos, a bancada de deputados federais do PSDB de São Paulo resolveu pleitear maior espaço na formação da nova executiva estadual, que será eleita daqui a uma semana. Inspirados pelas demandas dos vereadores, que conseguiram ampliar a influência na cúpula partidária municipal após racha que resultou na saída de seis parlamentares, os deputados decidiram pedir, na formação da executiva estadual, o mesmo espaço obtido pelos colegas tucanos da Câmara Municipal. A palavra de ordem é “isonomia”.

Em almoço na terça-feira, no Senado, os deputados Luiz Fernando Machado, coordenador da bancada paulista, Vaz de Lima e o senador Aloysio Nunes Ferreira avaliaram que os parlamentares devem ter mais representatividade na cúpula partidária, já que a presidência do partido ficará com um deputado estadual, Pedro Tobias, que conta com o apoio do governador Geraldo Alckmin.

A bancada federal quer na Executiva estadual pelo menos os cinco postos que os vereadores obtiveram na cúpula municipal. Entre eles, a vice-presidência, a primeira-tesouraria e a secretaria-geral, para a qual não há nome de consenso. O ex-governador José Serra chegou a ser procurado por deputados federais para tratar do assunto.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Brasil será 1º mundo em uma década, afirma presidente do BID

O Brasil pode se tornar um País de primeiro mundo em cerca de dez anos, se mantiver a atual trajetória de crescimento sustentado, segundo projeção feita nesta sexta-feira pelo presidente do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), o colombiano Luis Alberto Moreno.

Em entrevista exclusiva ao iG durante o World Economic Forum on Latin America, no Rio de Janeiro, Moreno disse não haver dúvida que este é um grande momento para o Brasil aos olhos do mundo. O grande desafio, segundo o presidente do BID, é melhorar a qualidade da educação para que os jovens possam ter uma melhor inserção no mercado de trabalho e investir em desenvolvimento tecnológico.

“Com mais investimentos em educação será possível elevar de forma substancial a renda per capita para algo acima de US$ 12 mil em até dez anos e isso colocará o país em outro patamar no mundo, com perfil de um país de primeiro mundo”, disse o executivo.

“Temos no Brasil um bônus demográfico, classe média ascendente, um mercado doméstico aquecido e em expansão. Temos aqui todas as coisas de que o mundo necessita, mas é necessário qualificar melhor a mão de obra para aproveitar as oportunidades que estão surgindo e que devem impulsionar mais o crescimento”, acrescentou Moreno.

Pensamento econômico

Na avaliação do presidente do BID, O Brasil tem muito a contribuir para um novo pensamento econômico em âmbito mundial. De acordo com Moreno, os países desenvolvidos, que durante muitos anos deram lições dizendo ao Brasil o que deveria ser feito, agora têm de recorrer à experiência do País.

“O Brasil adotou medidas no passado que garantiram a solidez do sistema financeiro durante a crise”, disse Moreno. “Em 25 anos a América Latina teve 31 crises financeiras. Aqui estão todas as lições. Portanto não há dúvida de que o Brasil, como a maior economia da região, tem muito a contribuir com um novo pensamento econômico como a voz da América Latina”, afirmou.

Moreno ressaltou que o atual momento vivido pelo Brasil foi gerado pelo que classificou de “uma revolução silenciosa” que passa por eleições diretas, fortalecimento da democracia e políticas de desenvolvimento inovadoras como o Bolsa Família. “Esses fatores, somados ao aprendizado que se obteve com as crises financeiras, as boas e as más lições, possibilitou esse ambiente positivo”, disse.

Infraestrutura

Outro desafio, segundo o presidente do BID, são os investimentos em infraestrutura para poder suportar os eventos esportivos como a Copa do Mundo em 2014 e os Jogos Olímpicos em 2016. “Esses investimentos vão gerar muitos empregos e elevar a renda da população, mas isso depende dos investimentos agora. E o Brasil vencendo esses desafios poderá encarar novas demandas com muito mais preparo”, destacou.

A previsão do BID é investir cerca de US$ 12 bilhões nos próximos quatro anos em projetos em parceria com o governo federal e em âmbito estadual, principalmente na região Nordeste. “Temos muitas prioridades no Rio de Janeiro devido à Copa do Mundo e Olimpíadas com projetos de despoluição da Baía de Guanabara, na área de transportes como melhoria da estrutura viária e expansão de linhas do metrô, projetos sociais nas favelas para melhorar as condições de vida da população, principalmente na área de saneamento”, afirmou o executivo da instituição internancional.

Inflação

Para Moreno, o avanço da inflação não deverá comprometer a trajetória de crescimento do Brasil no longo prazo. “Tenho grande respeito pelo governo Dilma, que tem um perfil muito técnico e demonstra muita solidez para que o País possa avançar com muito êxito”, disse.

De acordo com o presidente do BID, as demandas sociais exigem inflação baixa e a luta para combater a forte elevação de preços será durante muito tempo um tema central. “A economia tem muitas variáveis que tornam difícil a tarefa de receitar um remédio correto para controlar a inflação. Não há uma fórmula pronta”, avaliou Moreno. “O que é necessário fazer é um ajuste fino definido ao longo do caminho. Tenho certeza de que o governo do Brasil tem consciência disso e de que as medidas adotadas até aqui são as mais corretas para o atual momento”, acrescentou o presidente do BID.

(Ultimo Segundo)

Caixão de João Paulo 2° é retirado de túmulo para ser venerado em beatificação

Os restos do papa João Paulo 2° foram retirados do túmulo em que estavam sepultados nas Grutas Vaticanas para ser levados à Basílica de São Pedro, durante a cerimônia de beatificação do próximo domingo.

Foto: AP

O porta-voz do Vaticano, padre Federico Lombardi, informou que o túmulo de João Paulo 2° foi aberto na manhã desta sexta feira. O caixão onde estão os restos do futuro beato foi retirado da antiga sepultura, durante uma breve cerimônia presidida pelo secretário de Estado do Vaticano, cardeal Tarcísio Bertone.

“A urna foi depositada diante do túmulo de São Pedro, sempre nas Grutas vaticanas, e coberta com um pano bordado com fios de ouro”, disse padre Lombardi durante um encontro com os jornalistas.

O caixão de madeira será levado para dentro da Basílica de São Pedro no domingo pela manhã e será colocado no altar principal da catedral, onde receberá as homenagens dos fiéis após a cerimônia de beatificação.

Na segunda-feira os restos de João Paulo 2° serão colocados definitivamente ao lado da Pietá de Michelangelo, do lado direito da Basílica. Milhares de peregrinos tem lotado a praça de São Pedro e os arredores do Vaticano nos últimos dias, à espera da beatificação de João Paulo 2°, que também poderá ser vista pelo YouTube.

Muitos são da Polônia, terra do papa, como o pedreiro Pawel Kurylo, de 39 anos, que foi a pé de sua cidade até Roma percorrendo 2.300 quilômetros. 

Durante a cerimônia deste domingo, o cardeal-vigário de Roma, Agostino Vallini, pedirá oficialmente ao papa Bento 16 para inscrever o nome de João Paulo 2º no elenco dos beatos. Após a leitura de uma breve biografia de João Paulo 2°, o papa lerá a fórmula da beatificação anunciando que o novo beato será comemorado no dia 22 de outubro, data em que teve início seu pontificado, em 1978. Um grande retrato de João Paulo 2° será mostrado aos fiéis do balcão central da Basílica de São Pedro.

Segundo a prefeitura da capital italiana, 1 milhão de pessoas deve assistir à cerimônia durante a qual será exposta uma relíquia de João Paulo 2°, composta de uma ampola com sangue de Karol Wojyla, para a veneração dos fieis. Cerca de 62 delegações oficiais devem participar da cerimônia de domingo.

O Brasil será representado pelo vice-presidente, Michel Temer. Um esquema especial foi montado para organizar o fluxo de peregrinos e garantir a segurança na área em torno do Vaticano.

(Ultimo Segundo)

Governo regulamenta visita íntima para homossexuais em presídios do Rio de Janeiro

A Secretaria Estadual de Assistência Social e Direitos Humanos do Rio de Janeiro anunciou nesta sexta-feira (29) que os homossexuais reclusos em presídios fluminenses terão direito a visita íntima, com base em uma ação da Secretaria de Estado de Administração Penitenciária.

A resolução, que fora publicada no Diário Oficial no dia 28 de março, faz parte de um conjunto de iniciativas do programa “Rio Sem Homofobia”. O órgão estadual vai elaborar até maio uma cartilha informativa destinada a policiais e agentes penitenciários, que passarão por treinamento específico. A secretaria também quer organizar seminários e encontros de capacitação para orientar a recepção e abordagem dos detentos e companheiros.

Antes da permissão para visitas íntimas, lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais vão ter que agendar uma entrevista no Centro de Referência LGBT. Depois de um encontro com assistentes sociais, psicólogos e advogados, a entidade enviará um ofício para a direção do presídio. O documento deverá conter uma declaração de homoafetividade assinada pelo casal e por duas testemunhas.

Segundo o secretário de Estado de Administração Penitenciária (Seap), Cesar Rubens Monteiro de Carvalho, a medida não é um favor para os homossexuais e sim uma forma de garantir isonomia, já que a lei prevê “direitos iguais para todos”.

“A secretaria tem que se adequar às normas comportamentais de direitos hoje estabelecidas. Conforme preconiza o artigo 5º da Constituição Federal, direitos iguais para todos, e há que se fazer sem restrição, dentro do princípio de que todos são iguais perante a Lei, no gozo de seus direitos e cumprimento de seus deveres como cidadãos”, disse.

Para obter informações e consultas a respeito da nova resolução, os interessado devem entrar em contato com o Disque Cidadania LGBT (0800 0234567).

(Portal Uol)

Entenda o motivo pelo qual Kate Middleton não recebeu o título de princesa

O principal questionamento que surgiu após o casamento do príncipe William com Kate Middleton, realizado nesta sexta-feira (29), foi o porquê ela não recebeu o título de princesa e sim o de duquesa.

Nesta manhã, a rainha Elizabeth 2ª nomeou William como duque de Cambridge e automaticamente sua mulher ganhou o título de duquesa de Cambrigde. Kate não ganhou o título de princesa, como “Lady Di” (mãe de William), por exemplo, porque ela não é de nenhuma família real. Agora, William acumula dois títulos: o de príncipe e o de duque, assim como seu pai, Charles, que tem dois títulos: o de príncipe de Gales e duque de Rothesay.

Oficialmente, William não é o ‘príncipe reinante’, pois é o segundo na sucessão ao trono britânico. Se a rainha Elizabeth 2° falecer, seu filho Charles, irá se tornar rei, pois é o primeiro herdeiro do trono, conforme explica o historiador Paulo de Assunção.

Ainda de acordo com o especialista -  “Os cargos mudam conforme a linha sucessória. Caso William vire rei, Kate será considerada rainha consorte (nome dado à mulher de um monarca reinante), assim como acontece com Philippos (rei consorte da rainha Elizabeth 2ª), que tem o título de duque de Edimburgo e não o de rei”.

(Portal Uol)

ANS amplia possibilidade de trocar plano de saúde sem nova carência

A ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar) publicou uma resolução nesta sexta-feira, no “Diário Oficial da União”, ampliando as regras de portabilidade de carências de planos de saúde –a carência é o período no qual o usuário paga as mensalidades, mas ainda não tem acesso a coberturas previstas no contrato.

Com a norma, os beneficiários têm o direito de mudar de plano de saúde sem cumprir novos prazos de carência.

Desde de abril de 2009 isso já era permitido para planos contratados a partir de 2 de janeiro de 1999. A nova resolução amplia esse direito. A agência estima que cerca de 12 milhões de pessoas sejam beneficiadas com a medida.

Um dos critérios que deixam de ser exigidos para a portabilidade é a abrangência geográfica do plano –ou seja, não faz mais diferença para pedir a portabilidade se o plano é estadual, municipal ou nacional.

A permanência mínima no plano é reduzida de 2 anos para 1 ano a partir da segunda portabilidade. A operadora do plano de origem também deve comunicar aos beneficiários o prazo exato estabelecido para solicitar portabilidade de carências.

Com a norma, o direito à portabilidade também é estendido aos planos de saúde coletivos por adesão (contratados por pessoa jurídica de caráter profissional) e aos clientes de planos que foram extintos pela morte do titular.

(Folha Online)

Artur Bruno confirma pré-candidatura a Prefeitura de Fortaleza

O deputado federal Artur Bruno (PT) se declarou pré-candidato à Prefeitura de Fortaleza, para as eleições do próximo ano. Mais do que isso, afirmou que independentemente de quem seja o candidato que o seu partido lance ao Paço Municipal, caberá a este defender a gestão da prefeita Luizianne Lins (PT), sobre quem recairá todo o trabalho de condução do processo de candidatura.

De acordo com o deputado, a executiva estadual do PT montou uma comissão especial para as eleições de 2012, que será comandada por Joaquim Cartaxo. A legenda pretende anunciar o nome definitivo até o fim deste ano.

Bruno disse que o PT pretende chegar a um consenso, sem a realização de prévias. Segundo ele, este mecanismo, embora democrático, em alguns momentos “divide” o partido que busca a unidade neste momento.

Dentre os argumentos apresentados para justificar sua candidatura, Bruno destacou sua densidade eleitoral, tendo sido o deputado federal mais votado em Fortaleza, nas últimas eleições. Além disso, afirmou ter facilidade de relacionamento com as forças políticas internas do PT, e também fora dele, o que inclui o governador Cid Gomes (PSB) e os partidos da base aliada, com quem pretende negociar alianças.

(Thiago Paiva, especial para O POVO)

Prazo de validade da carteira estudantil é prorrogado até 14 de maio

O prazo de validade das carteiras estudantis será prorrogado até 14 de maio. A  decisão foi tomada pela Empresa de Transporte Urbano de Fortaleza (Etufor) nesta sexta-feira, 29, em consenso com as entidades estudantis.

A nova carteira de estudante começa a valer no dia 15 de maio deste ano para alunos veteranos, que terão o documento desbloqueado automaticamente no próprio validador do ônibus ou van. Já os novatos, que não possuíam o documento antigo, poderão utilizá-lo assim que receber.

Solicitação

De acordo com a Etufor, os estudantes que fizeram a solicitação previamente e tiveram suas matrículas confirmadas pelas escolas e universidades devem aguardar o recebimento da carteira na própria instituição de ensino.

Em casos de dúvida e para maiores esclarecimentos, os alunos podem entrar em contato com a entidade estudantil responsável, secretaria da sua instituição de ensino e Unidade de Atendimento ao Estudante (Unae) da Etufor.

Informações

Unidade de Atendimento ao Estudante (UNAE)
Tel: (85) 3452 – 9310 / 9301 / 9324 / 9222 /9202 ou 9200
Endereço: Av. dos Expedicionários, 5677 – Vila União

Mundo tem 102 homens para cada 100 mulheres

Rio – O mundo tem 102 homens para cada 100 mulheres. O número é resultado de um estudo apresentado nesta quarta-feira pela Organização das Nações Unidas, que mostra que o planeta tem 57 milhões de homens a mais que mulheres.

Segundo o estudo, a maioria dos países do mundo tem mais mulheres do que homens. No entanto, as pátrias mais populosas contam com muito mais pessoas do sexo masculino do que feminino, o que explica o resultado da contagem.

O Brasil tem 97 homens para cada 100 mulheres, mas os países mais populosos do mundo, como a China e a Índia contam respectivamente com 108 e 107 homens para cada 100 mulheres.

A pesquisa mostra ainda que a maioria das pessoas do sexo masculino estão entre os mais jovens. enquanto as do sexo feminino estão entre as mais velhas.

(O Dia Online)

Consulte a população de sua cidade de acordo com o Censo 2010

A população brasileira cresceu, em 138 anos, quase 20 vezes, segundo apontam os resultados do Censo Demográfico 2010, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Em 2010, atingimos a marca de 190.755.799 habitantes. Dados preliminares divulgados pelo IBGE em novembro do ano passado apontavam 190.732.694. Em 1872, quando foi realizado o primeiro recenseamento, éramos 9.930.478.

Os dados fazem parte da Sinopse do Censo Demográfico 2010, divulgada nesta sexta-feira (29) pelo IBGE. O documento, segundo o instituto, apresenta os primeiros resultados definitivos do último recenseamento. Alguns números divulgados preliminarmente em novembro de 2010 foram ajustados, a exemplo do total da população, com a inclusão de estimativas sobre a população dos domicílios considerados fechados durante a coleta de dados.

Os censos demográficos são realizados no Brasil a cada dez anos. Participaram desta edição, segundo o IBGE, cerca de 230 mil recenseadores, supervisores, agentes censitários e analistas censitários. A coleta do Censo 2010 foi realizada entre 1º de agosto e 30 de outubro de 2010.

Desde 1872, o maior índice de crescimento da população brasileira foi registrado na década de 50, quando o Brasil crescia 2,99% ao ano. Isso, de acordo com Fernando Albuquerque, gerente da Coordenação de População e Indicadores Sociais, porque o Brasil registrou o declínio de mortalidade após a Segunda Guerra Mundial, em 1945 e manteve altos os níveis de fecundidade.

Albuquerque explica ainda que a fecundidade só começa a declinar no início dos anos 60. “Com isso, há diminuição da taxa de crescimento. Já o declínio de fecundidade se acentua no início dos anos 80″, afirma.

Matéria completa aqui:

http://g1.globo.com/brasil/noticia/2011/04/ibge-atualiza-dados-do-censo-e-diz-que-brasil-tem-190755799-habitantes.html

Clique aqui para ver os dados em formato .xls

(Portal G1)

Rui Falcão é eleito presidente do PT e vai comandar o partido até 2013

Depois de o presidente nacional do PT, José Eduardo Dutra, ter oficializado a renúncia ao cargo por problemas de saúde, o Diretório Nacional da sigla aprovou, por unanimidade, nesta sexta-feira (29) a efetivação no cargo do vice-presidente Rui Falcão. Ele vai comandar o partido até 2013, quando deve ocorrer novo processo de eleições diretas para o comando da sigla.

Ligado ao PT paulista, Falcão já comandava o PT durante o período em que Dutra permaneceu licenciado das atividades para se tratar de um quadro de hipertensão crônica.

O novo presidente petista foi nome de consenso durante a reunião da chapa Partido que Muda o Brasil (PMB), composta pelas correntes Construindo um Novo Brasil, Novos Rumos e PT de Luta e de Massa.

Durante a reunião do Diretório Nacional, que começou na manhã desta sexta e só deve terminar no final da tarde de sábado, coube ao ex-deputado José Genoino a missão de apresentar o nome de Falcão à cúpula petista. “É um militante de larga experiência na militância de esquerda, que tem o compromisso do fortalecimento do PT”, afirmou Genoino.

A eleição de Falcão tornou-se praticamente certa desde que o atual líder do PT no Senado, Humberto Costa (PE), recusou a possibilidade de ocupar o cargo. Costa afirmou que tinha um compromisso com seu estado e que iria continuar senador para reestruturar a liderança petista na Casa.

Delúbio Soares
Eleito durante reunião de pouco mais de uma hora nesta sexta, Falcão terá como primeira missão conduzir os debates em torno do possível retorno do ex-tesoureiro Delúbio Soares ao PT.

Expulso em 2005 após acusação de envolvimento no escândalo do mensalão, Delúbio apresentou carta pedindo a refiliação na manhã desta quinta-feira (28). Na parte da tarde, o ex-tesoureiro foi ao Diretório Nacional do PT em Brasília e chegou a fazer um depoimento emocionado aos petistas solicitando a aprovação de sua volta.

Em três parágrafos, o ex-tesoureiro argumenta na carta que nunca procurou outra legenda e que se manteve fiel ao PT durante todo o tempo em que permaneceu fora do partido. Redigida pelo próprio Delúbio, a carta chegou a ser discutida nesta quinta, mas nenhuma decisão foi tomada. A expectativa entre os petistas é que o pedido de Delúbio só seja analisado pelo Diretório Nacional na reunião deste sábado (30).

(O Povo Online)

Primeiro shopping de Sobral será entregue em 2012

Com obras já iniciadas, a cidade de Sobral terá um complexo construído pela empresa Cameron, sendo a inauguração prevista para novembro de 2012 no bairro Dom Expedito.
Toda a área construída é de 61.535 metros quadrados (m²), com 150 lojas, 13 quiosques, mais quatro lojas âncoras (Americanas, Esplanada, Supermercado Lagoa e outra loja ainda em negociação) e um estacionamento de 915 vagas numa área de 20 mil m².

O projeto engloba o shopping, um hotel e uma torre empresarial, com investimento estimado em R$ 60 milhões e 800 empregos diretos durante as obras. De acordo com o diretor da construtora Cameron, Antônio Câmara, após o funcionamento das lojas serão cerca de 1.200 empregos.

Ele comenta que para adquirir o terreno do shopping, houve licitação pública da Prefeitura de Sobral. Conforme o diretor, uma pesquisa realizada em dezembro de 2010 revelou que a renda per capita da cidade é de R$ 1.800.

O shopping tem foco no lazer. A afirmação é da direção da empresa I Malls, encarregada pela administração do Sobral Shopping. “É o primeiro shopping do interior do Estado que tem cinco salas de cinema e boliche. Hoje é o maior projeto do interior do Ceará. Na administração vamos trabalhar com reaproveitamento da água do ar condicionado e gerenciamento de resíduos sólidos”, explica João Graciliano, diretor da I Malls.

Com obras já iniciadas, a cidade de Sobral terá um complexo construído pela empresa Cameron, sendo a inauguração prevista para novembro de 2012 no bairro Dom Expedito. Toda a área construída é de 61.535 metros quadrados (m²), com 150 lojas, 13 quiosques, mais quatro lojas âncoras (Americanas, Esplanada, Supermercado Lagoa e outra loja ainda em negociação) e um estacionamento de 915 vagas numa área de 20 mil m².

O projeto engloba o shopping, um hotel e uma torre empresarial, com investimento estimado em R$ 60 milhões e 800 empregos diretos durante as obras. De acordo com o diretor da construtora Cameron, Antônio Câmara, após o funcionamento das lojas serão cerca de 1.200 empregos.

Ele comenta que para adquirir o terreno do shopping, houve licitação pública da Prefeitura de Sobral. Conforme o diretor, uma pesquisa realizada em dezembro de 2010 revelou que a renda per capita da cidade é de R$ 1.800.

O shopping tem foco no lazer. A afirmação é da direção da empresa I Malls, encarregada pela administração do Sobral Shopping. “É o primeiro shopping do interior do Estado que tem cinco salas de cinema e boliche. Hoje é o maior projeto do interior do Ceará. Na administração vamos trabalhar com reaproveitamento da água do ar condicionado e gerenciamento de resíduos sólidos”, explica João Graciliano, diretor da I Malls.

Sobralenses

A expectativa quanto à construção do primeiro shopping de Sobral está gerando muitos comentários por parte da população sobralense. A secretária Maria Helena opina que o centro será favorável à economia local. “Já era algo esperado, porque a cidade vem crescendo muito”. Para ela, a localização foi bem planejada.

O empresário João Sales Filho diz que a instalação do empreendimento vem na hora certa. “Nós já tínhamos isso na cabeça há muito tempo, mas agora que a cidade está mais desenvolvida, é um bom momento”, comenta.

Dono de um bufê de festa, Sales é um dos que já compraram uma “luva” (montante pago com antecedência para adquirir a locação de um espaço) para montar uma loja no Sobral Shopping.

Fonte: O POVO

Magazine Luiza volta seus investimentos para o Nordeste

Emanoela Moreira, 31, é trabalhadora autônoma. “Sacoleira”, ela explica. Revende roupas que compra no Centro dentro da sua casa e consegue tirar uma renda mensal de R$ 1200. Ontem, por volta das 11 horas, resolveu interromper o trabalho na sua casa, no bairro Sapiranga, para conferir de perto a inauguração da primeira loja Magazine Luiza do Nordeste, ali mesmo, na Avenida Washington Soares. “Fiquei sabendo pelo anúncio no carro de som que está passando direto aqui”.

 A vendedora autônoma foi uma das primeiras a fechar a compra na nova loja, resultado da transformação que a rede quer implantar no Nordeste desde que comprou as Lojas Maia em julho do ano passado. A aquisição de Emanoela foi uma câmera digital Sony de R$ 300, “para bater muitas fotos no dia das mães”. A compra foi parcelada em oito vezes no cartão da loja, feito minutos antes. A sacoleira estava consciente da fusão, e que agora estava comprando na Magazine Luiza, e não mais nas Lojas Maia. “Eu vi no Faustão”, explica.

A nova loja vai aos poucos ganhando o modelo que a rede Magazine Luiza quer implantar no Nordeste. Mais funcionários (pelo menos o dobro dos que trabalhavam nas unidades das Lojas Maia), produtos à disposição para o consumidor tocar e mexer, ar condicionado, uma nova seção com brinquedos e utensílios do lar. Por enquanto, a logomarca das Lojas Maia será mantida, junto com o nome Magazine Luiza, mas dentro de pouco mais de um ano deverá eliminar o nome por completo e cerca de 40 lojas no Nordeste terão que ser remodeladas e entrar no padrão da Magazine.

O gerente regional de vendas da Magazine Luiza, Elton Soares, classifica o Nordeste como o lugar que é “a bola da vez”. “Vamos expandir e investir aqui. O Nordeste é a menina dos olhos”, diz. Marcelo Maia, diretor regional do Magazine Luiza na Região, complementa: “As maiores taxas de crescimento estão aqui, mais do que no Sul e Sudeste. Ainda há muito mercado para expandir”. Maia diz que a rede não sentiu o impacto das medidas tomadas recentemente pelo Banco Central para conter o crédito e que isso não tem prejudicado os negócios. “O impacto em um bem de R$ 500, R$ 600 não é muito e as pessoas não deixaram de comprar. Não há retração do consumo”, afirma.

ENTENDA A NOTÍCIA

 A disputa pela vice-liderança no varejo é acirrada. As redes Máquina de Vendas (fusão da Ricardo Eletro, Insinuante e City Lar) e Magazine Luiza (que comprou a Lojas Maia no ano passado) lutam pelo posto e têm um “empate técnico”.

NÚMEROS

143

LOJAS

é o número de unidades que o Magazine Luiza tem agora no Nordeste

611

É O NÚMERO TOTAL

de lojas da rede no Brasil, sendo 476 delas no Sudeste.

24

PARCELAS

é o máximo de vezes que o consumidor pode dividir uma compra na loja

 (Mariana Penaforte – O Povo Online)

Doenças não transmissíveis, as mais perigosas no mundo

O câncer, a diabetes ou as doenças cardiovasculares matam 36 milhões de pessoas no mundo e sua incidência cresce, revelou hoje a Organização Mundial da Saúde (OMS).

Estas doenças crônicas representam uma ameaça maior que as infecções como a malária, o Vírus da Imunodeficiência Humana (VIH) ou a tuberculoses, segundo o Primeiro Relatório Global das Doenças Não Transmissíveis da OMS.

As enfermidades não transmissíveis causaram a morte de 36,1 milhões de pessoas e 80 por cento dessas perdas humanas se produziram em países de médios e baixos ganhos, revelou o texto que recolheu as estatísticas de mortalidade em 2008.

Conforme a diretora da Organização Mundial da Saúde (OMS), Margaret Chan, esta situação representa um grande desafio porque em alguns países não exageramos ao descrever a situação como um desastre iminente, para a saúde, a sociedade e principalmente para as economias nacionais .

Entre as doenças não transmissíveis, as cardiovasculares- que incluem enfartes, cardiopatias e derrames cerebrais- são as mais letais com 17 milhões de óbitos (48 por cento) no mundo.

A segunda posição é ocupada pelo câncer que provocou 7,6 milhões de mortes, as doenças respiratórias como asma e Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (EPOC) com 4,2 milhões de mortes e a diabetes com 1,3 milhões.

A maior parte destes falecimentos, produziram-se em nações de baixos e médios ganhos, segundo o relatório.

As Américas e a Europa são as regiões do mundo com maior incidência de mortes por todos os tipos de câncer, principalmente os de pulmão entre os homens e de mama entre as mulheres.

A diabetes também constitui um problema importante, nomeadamente nas Américas pelas complicações associadas como amputações, cegueira e enfermidades cardiovasculares.

Muitas das pessoas que falecem por causa destas doenças são menores de 60 anos, demarcou o relatório, o que não só afeta à família, senão à força trabalhista de um país.

(Correio do Estado)

PMDB perde Funasa para petistas, mas ganha Dnocs

Brasília (AE) – Depois de quatro meses de uma intensa disputa com o PMDB, o PT tomou do aliado a presidência da Fundação Nacional da Saúde (Funasa). A presidente Dilma Rousseff nomeou para o cargo o engenheiro Gilson Queiroz Filho, ligado ao ex-ministro Patrus Ananias (Desenvolvimento Social). A Funasa administra um orçamento de R$ 4,7 bilhões e desde 2005 era controlada pelos peemedebistas.

Em compensação, o PMDB assegurou lugar na diretoria da fundação para dois de seus afilhados: Ruy Gomide, indicado pela bancada goiana, e Marcos Mofarrej, pela do Rio de Janeiro. Os dois chegaram a ser lembrados pelos dirigentes peemedebistas para ocupar a presidência da Funasa, mas a presidente Dilma decidiu fazer um agrado a Patrus, a quem ainda não contemplou com nenhum cargo.

Maior defensor do PMDB na presidência da Funasa, o líder do partido na Câmara, Henrique Eduardo Alves (RN), desistiu da disputa com o PT, embora tenha retardado as mudanças por quatro meses. Admitiu que se envolveu numa luta desigual. Alves pensou também no futuro. Ele deverá ser candidato a presidente da Câmara para o biênio 2013/2015. Nesse caso, é importante não desagradar nem a presidente da República nem os petistas.

Com o recuo na briga pela presidência da Funasa, Henrique Alves garantiu de vez a manutenção de Elias Fernandes na diretoria-geral do Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (Dnocs). Fernandes está no posto desde o governo de Luiz Inácio Lula da Silva, por indicação de Henrique Alves. O cargo dele, como o do presidente da Funasa, era um dos mais cobiçados. O PSB o reivindicou para o partido; o PT também. Mas, nesse caso, Dilma manteve o PMDB à frente da autarquia.

Outro agrado da presidente Dilma Rousseff foi feito ao PMDB do Paraná. Ela nomeou o advogado Nildo José Lubke para o cargo de diretor jurídico de Itaipu Binacional. Lubke é ligado ao ex-governador Orlando Pessuti (Paraná), adversário do senador Roberto Requião (PMDB-PR).

(Tribuna do Norte)

Ceará subiu para 5° lugar no ranking dos estados mais populosos, segundo IBGE

O Ceará subiu para o 5° lugar no ranking dos estados mais populosos em 2010, com 8.452.381 de pessoas. À frente estão São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro e Pará, respectivamente. Em 2000, o Ceará estava no 8° lugar do ranking. As informações foram divulgadas nesta sexta-feira, 29, pelo Censo Demográfico 2010, realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Fortaleza é o quinto município mais populoso do País, com 2.452.185. Entre os municípios mais populosos, 15 apresentaram população superior a 1 milhão de habitantes, contra 13 em 2000. Somente este grupo reunia 40,2 milhões de pessoas em 2010, o que corresponde a 21,1% da população total do País. Os três municípios mais populosos continuaram sendo São Paulo (11.253.503 habitantes), Rio de Janeiro (6.320.446) e Salvador (2.675.656). Belo Horizonte (2.375.151) passou a ser o sexto mais populoso em 2010, sendo superado por Brasília (2.570.160) e Fortaleza.

Os dados mostram uma explosão de crescimento da população das Regiões Norte e Centro-Oeste, onde ficam biomas importantes, como a Amazônia e o Cerrado. Segundo o instituto, os 10 Estados que mais cresceram de 2000 a 2010 estão nas duas regiões, que ainda têm, porém, a menor proporção de moradores do País. O levantamento também aponta redução no número de moradores em 25% das cidades brasileiras e o crescimento mais acentuado dos municípios médios.

O Estado que mais cresceu no País em população de 2000 a 2010 foi o Amapá, com quase 3,45% ao ano, em média. Em termos absolutos, porém, o Sudeste teve o maior aumento de população – absorveu 37,9% do crescimento, menos que na década anterior (42,1%). Somadas, as regiões Sudeste e Nordeste, de ocupação mais antiga do Brasil, ficaram com 63,4% do aumento da população brasileira na última década – 13,3 milhões de pessoas.

Mesmo assim, é uma queda em relação ao censo anterior, quando as duas regiões somaram 64,9% do incremento (14,9 milhões de habitantes). O Brasil atingiu, no período pesquisado, o menor crescimento populacional da sua história: 1,17% em média por ano, contra 1,64% na década anterior. Somente Norte e Centro-Oeste permaneceram com taxas acima da nacional, mesmo assim mais baixas que no Censo 2000: respectivamente, 2,09% (antes, 2,86%) e 1,91% (antes, 2,39%). A Região Sul atingiu a menor taxa regional (0,97%, contra 1,43% anterior), sendo o Rio Grande do Sul o Estado que menos cresceu (0,49%, contra 1,23% anterior).

A população de autodeclarados pretos (14.517.961) e pardos (82.277.333) já representa 50,7% dos 190,7 milhões de brasileiros, segundo resultados preliminares do universo do Censo 2010. A maior concentração de pardos foi verificada no Nordeste, e o maior número absoluto de autodeclarados pretos estava na região Sudeste.


Municípios

O País vive uma espécie de gangorra populacional. As cidades menores, sobretudo até 10 mil habitantes, registraram a maior parte do crescimento negativo (redução de população) no período. Do total, 1.372 cidades perderam gente, o que corresponde a 25% dos municípios. Na faixa até 2.000 habitantes, 61% das cidades perderam população. As cidades que mais tiveram perda populacional tinham de 5.001 a 10.000 habitantes (perda média anual de 0,97%).

Há acentuado crescimento das cidades médias, de 100.001 a 500 mil habitantes (mais de 2% anuais). Das 15 cidades que mais cresceram em população, 13 ficam no Norte e no Centro-Oeste. Nas 15 que mais perderam gente, só três são do Norte e Centro-Oeste. Dentre as capitais com mais de 1 milhão de moradores, a que mais cresceu foi Manaus. Se forem incluídas todas as capitais, a dianteira é de Palmas, com 5,21% anuais.

Em vários Estados, a população do interior cresceu mais que a da capital. Os dez Estados que mais cresceram são do Norte e Centro Oeste: pela ordem, Amapá, Roraima, Acre, Distrito Federal, Amazonas, Pará, Mato Grosso, Goiás , Tocantins e Mato Grosso do Sul. No mesmo período, a população das 27 capitais apresentou crescimento médio anual idêntico ao nacional: 1,17%. A população das capitais subiu de 40.464.098 (no Censo 2000) para 45.466.045 (em 2010); a dos demais municípios, de 129.335.072 para 145.289.754. Ou seja, a população fora das capitais cresceu três vezes mais. Em termos proporcionais, porém, a participação das capitais no total da população do Brasil ficou em 23,8%.

Campo x Cidade

A população rural brasileira diminuiu em 2 milhões de pessoas no período pesquisado. O Sudeste foi a região que mais perdeu gente no campo, passando de 6,9 milhões para 5,7 milhões. O Sul perdeu 600 mil pessoas, chegando a 4,1 milhões. O Nordeste perdeu 500 mil, no entanto, continuou com quase metade da população rural do Brasil, ou seja, 14,3 milhões de pessoas. Na contramão dessa tendência, que se acentua no Brasil inteiro desde os anos 70, Norte e Centro-Oeste aumentaram suas populações rurais respectivamente em 313.606 e 31.379 habitantes.

A taxa de urbanização do Brasil continuou a subir: de 75,6 em 91 para 81,2% em 2000 e para 84,4% em 2010. A região mais urbana é a Sudeste (92,9%), e a menos é o Nordeste (73,1%). Rio de Janeiro, Distrito Federal e São Paulo são as três unidades mais urbanizadas da Federação, com 96,7%, 96,6% e 95,9% das suas populações nas cidades, respectivamente.

Homem x Mulher

A proporção homens/mulheres no País passou de 96,9/100 para 96/100. O motivo para isto é a grande mortalidade dos homens, em parte em decorrência de causas externas, como a violência urbana. O censo encontrou 3.941.819 mulheres a mais que homens no País.

A Região Norte é a única que tem mais homens que mulheres, mas isso não é homogêneo, embora em todos os Estados da região a razão de sexo seja de mais de 100. No Centro Oeste, a razão de sexo é acima da nacional, sendo 98,6 homens para 100 mulheres. Em Mato Grosso são 104 homens para 100 mulheres, enquanto no Distrito Federal o dado se inverte, sendo 91,6 homens para 100 mulheres. A unidade com menor razão de sexo é o Rio de Janeiro: 91,2 homens para 100 mulheres.

Observou-se ainda a mudança, já apontada nas Pesquisas Nacionais por Amostra de Domicílios (PNADs), da pirâmide etária brasileira. A base, formada pelos mais jovens, foi reduzida, enquanto e o meio aumentara. Em 1991, 34,7% dos brasileiros tinham menos de 15 anos; em 2010, eles eram 24,1% da população. Já a faixa de 65 anos ou mais foi de 4,8% para 7,4%.

Redação O POVO Online

No Ceará a população feminina supera a masculina em 200 mil

O Ceará tem 212.205 mulheres a mais que homens. É o que mostra os dados divulgados pelo Censo Demográfico 2010 nesta sexta-feira, 29, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Dentre as cidades com maior número de mulheres estão Fortaleza (156.349 a mais que homens), seguido por Juazeiro do Norte (13.233), Caucaia (6.245), Crato (6.196) e Sobral (5.309).

O Brasil passou a ter quase 4 milhões de mulheres a mais do que homens em dez anos. A relação entre os gêneros, segundo o estudo, é de 96 homens para cada 100 mulheres.

“Isso já vem ao longo dos censos e é em função da mortalidade. Apesar de nascer mais homens, como a mortalidade dos homens é superior a das mulheres ao longo da vida, no final, você tem um contingente maior de mulheres”, explicou Fernando Albuquerque, gerente de projetos da Coordenação de População e Indicadores Sociais do IBGE.

De acordo com Albuquerque, nascem 105 homens a cada 100 mulheres, mas como eles estão mais vulneráveis a situações de violência, por exemplo, o número de mortes é maior.

 Norte/Nordeste

No cenário brasileiro, apenas no Norte e no Nordeste ainda mantêm uma base mais larga, ou seja, um contingente de jovens ainda maior do que em outras regiões. De acordo com o gerente de projetos do IBGE, a justificativa é que estados da região norte e nordeste iniciaram o processo de transição demográfica mais tarde do que no Sudeste, Sul e Centro-Oeste. “O declínio da fecundidade foi posterior ao das outras regiões isso faz com que o número de filhos ainda seja mais alto do que em outras regiões.”

Segundo Fernando Alburquerque, a tendência é de uma convergência no País, “com redução da diferença entre fecundidade e mortalidade entre as grandes regiões brasileiras”.

A Região Norte é a única do País onde o contingente masculino é superior ao feminino. Segundo Fernando Albuquerque, esse fenômeno ocorre “em função dos movimentos migratórios e também do tipo de atividade – extrativa e de mineração –, em que os homens são a grande maioria”.

Outra constatação do levantamento que verificou a situação demográfica do País e as mudanças ocorridas entre 2000 e 2010 foi o envelhecimento da população brasileira que somou cerca de 190 milhões de habitantes (190.755.799) no ano passado. De acordo com o IBGE, o crescimento absoluto da população adulta e o aumento da participação da população idosa no país foram os fatores que mais contribuíram para o aumento da população brasileira.

A capital carioca foi apontada no levantamento como a unidade da Federação com a menor proporção entre pessoas do sexo masculino e feminino, ao concentrar 91,2 homens para cada 100 mulheres.

O Censo Demográfico mostra que os grupos etários de menos de 20 anos vêm diminuindo no contingente populacional. “Em cada censo, a base (do gráfico demonstrativo onde a base representa a população mais jovem) se estreita mais em função da queda da fecundidade e o topo se alarga mais, com indicativo de maior longevidade”, explicou Albuquerque.

 Agência Brasil

Censo revela os extremos do Brasil

Os primeiros resultados definitivos do Censo 2010 divulgados nesta sexta-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostram os grandes extremos do Brasil, um país de 8.502.729 km2 e 190.755.799 habitantes.

A cidade de São Paulo segue como a mais populosa do Brasil, com 11.253.503 habitantes. Em 2000, no último Censo, a capital paulista contava com 10.434.252 moradores. No mesmo Estado também está o menor município do País. A pequena Borá ganhou 10 habitantes desde o último levantamento e tem atualmente uma população de 805 pessoas.

Em São Paulo também estão os extremos em relação à concentração de sexo na população. Enquanto em Santos, no litoral sul, 54,24% da população é do sexo feminino, com 191.912 homens e 227.488 mulheres, a pequena cidade de Balbinos tem um número muito maior de homens. Dos 3.702 habitantes, 3.002 são do sexo masculino e 700 são mulheres. A explicação para essa discrepância está no fato da cidade contar com duas penitenciárias que somam mais de 2 mil detentos.

Outro Estado que abriga extremos do Brasil é a Bahia. Nele estão os municípios que apresentaram o maior salto populacional e o que mais perdeu habitantes. Luís Eduardo Magalhães conta com a taxa anual de crescimento da 12,44%. Antigo Mimoso do Oeste, na época distrito Barreiras, o município passou de aproximadamente 18 mil habitantes, em 2000, para mais de 60 mil em 2010. Já o município de Maetinga diminui 6,43% ao ano desde 2000, passando de 13.686 para 7.038 habitantes.

O processo de urbanização no País faz com que 68 cidades do País tenham 100% da sua população morando na zona urbana, não apresentando nenhuma área rural. Mesmo assim, ainda há muitos municípios com a zona rural mais forte que a cidade. É o caso de Careiro da Várzea, no Amazonas, que tem apenas 4,18% da população em área urbana.

No Amazonas também está a cidade com a menor densidade demográfica do Brasil. Em Japurá, a média de habitantes por quilômetro quadrado é de apenas 0,13. Os 7.326 habitantes moram em 55.791,9 quilômetros quadrados. Já em São João de Meriti, no Rio de Janeiro, os 458.673 habitantes dividem os 35,2 quilômetros quadrados da área da cidade, que resulta na maior densidade demográfica do Brasil, com 13.024,56 habitantes por quilômetro quadrado.

Por fim, nos Pará e em Minas Gerais estão a maior e menor cidades do Brasil em extensão. A cidade paraense de Altamira tem 159.533,4 quilômetros quadrados de área, enquanto a pequena Santa Cruz de Minas possui uma área de apenas 3,6 quilômetros quadrados, onde moram mais de 7 mil pessoas.

(Ultimo Segundo)

Brasil chega ao século XXI com padrão de país desenvolvido

O Brasil teve, na primeira década do século XXI, a menor taxa de crescimento populacional desde 1872, quando foi realizado o primeiro censo nacional. Entre 2.000 e 2010, a população brasileira cresceu 1,17% ao ano – taxa que equivale a praticamente um terço da registrada na década de 1950. A redução no crescimento, que se acentuou a partir dos anos 1980, confirmou-se de forma inequívoca no Censo de 2010, cujos resultados foram divulgados nesta sexta-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Trata-se de uma boa notícia. O menor crescimento demográfico é resultado de uma drástica queda na taxa de fecundidade – de 5,8 filhos por mulher em 1970 para 1,8 atualmente – o que significa população mais educada, com mais acesso a informação e serviços de saúde, e mulheres participantes da força de trabalho. Um conjunto de indicadores que aproxima o Brasil dos países desenvolvidos.

Outro aspecto positivo do grande retrato produzido pelo IBGE entre julho e outubro de 2010 é o crescimento das cidades médias, aquelas que têm entre 100.000 e 500.000 habitantes. Esses municípios já abrigam 48.565.171, ou 25,4% dos 190.755.799 habitantes do país, e são os que mais crescem. Ao contrário do que aconteceu ao longo da maior parte do século XX, quando a migração interna fez explodir a população das capitais e suas periferias, com todos os mais que conhecidos problemas daí decorrentes, agora o crescimento se dá principalmente nas cidades médias. Elas cresceram à taxa de 2,05% ao ano, contra 1,79% ao ano nas 38 cidades com mais de 500.000 habitantes. Enquanto isso, o número de residentes nas duas maiores cidades do país, São Paulo e Rio de Janeiro, ficou praticamente estável: 0,76% ao ano, em ambas.

Um exemplo do fenômeno das cidades médias é Rio das Ostras, município da Região dos Lagos do Rio de Janeiro. Em 10 anos, a população local saltou de 36.419 para 105.757 pessoas, um avanço surpreendente de 190,39%. Situada na região da Bacia de Campos, a cidade foi fundada em 1992, ao se emancipar da vizinha Casemiro de Abreu. De lá para cá, os royalties do petróleo viabilizaram uma série de investimentos em infraestrutura que transformou o lugar. O caso de Sumaré (SP), segundo maior município da região metropolitana de Campinas, também impressiona. Na última década, a população da cidade cresceu 22,67%, passando de 196.723 para 241.311 habitantes. O aumento é reflexo direto dos investimentos de uma única empresa. Entre 2002 e 2007, uma montadora de automóveis, já instalada, quintuplicou sua produção, alavancando toda a economia da região.

Rio das Ostras e Sumaré são parte de uma mudança histórica no padrão de desenvolvimento brasileiro, tradicionalmente concentrado nas capitais. O crescimento das cidades médias significa a chance de desinchar as regiões metropolitanas e, também, de melhorar a distribuição de riqueza pelo território nacional: a profusão de cidades médias se dá em todas as regiões do país. O Sudeste lidera o ranking com 122 cidades médias, sendo que 24 delas surgiram nos últimos 10 anos. Em seguida, aparece o Nordeste, onde esse número subiu de 37 para 47. No Sul, já são 44 cidades médias contra 37 em 2000. Por fim, o Norte passou de 12 para 18 municípios nessa condição, enquanto no Centro-Oeste o aumento foi de nove para 14.

Tendências - Desde o último censo, o número de residentes no Brasil aumentou em cerca de 21 milhões de pessoas, saltando de 169.799.170 para 190.755.799. O arrefecimento do ritmo de crescimento da população é fruto de uma tendência que teve início ainda em meados do século passado, e está diretamente ligado ao comportamento das taxas de fecundidade e mortalidade ao longo das décadas. Os baixos níveis dessas duas variáveis estabeleceu um novo padrão de taxa de crescimento da população, com níveis cada vez menores.

Os dados do Censo 2010 também reforçam mudanças importantes na participação relativa das regiões na população geral. Apesar de ainda serem as duas regiões as menores fatias da população brasileira, o Centro-Oeste e o Norte continuam ganhando espaço. O Centro-Oeste agora responde por 7,4% dos habitantes do país, contra 6,9% em 2000. Já o Norte aumentou sua participação de 7,6% para 8,3%.

Enquanto isso, as outras regiões mantêm a tendência de queda verificada nos últimos censos. A participação do Sudeste caiu de 42,6% (2000) para 42,1% (2010). O Nordeste registrou situação semelhante, com redução de 28,1% para 27,8%. Já o Sul diminuiu sua participação de 14,8% para 14,4%.

(Rafael Lemos – Veja Online)

Brasil tem quase 4 milhões de mulheres a mais que homens

A diferença entre o número de mulheres e homens na população aumentou nos últimos 10 anos, informou nesta sexta-feira o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que divulgou os primeiros resultados definitivos do Censo 2010, realizado entre agosto e outubro de 2010, em 5.565 municípios brasileiros.

Veja aqui a lista das populações de todas as cidades brasileiras

Atualmente, há 96 homens para cada 100 mulheres. Em 2000, eram 96,9 para casa 100 mulheres. No total, o Censo contabilizou 97.348.809 mulheres e 93.406.990 homens no País. Em 2010, a população feminina brasileira ultrapassou em 3,9 milhões a masculina.

A região Norte é a única que apresenta em sua composição populacional o número de homens superior ao de mulheres. A região Centro-Oeste revelou uma quantidade de 98,6 homens para cada grupo de 100 mulheres, o que não ocorre de forma homogênea, já que essa região contém o Estado com a maior razão de sexo do País, Mato Grosso (com 104,3 homens para cada 100 mulheres), e a segunda menor, que é o Distrito Federal, com apenas 91,6 homens para cada 100 mulheres. O Estado que apresenta a menor razão de sexo é o Rio de Janeiro (91,2 homens para cada 100 mulheres), o que de certa forma influencia na razão de sexo da região Sudeste, que é de 94,6 homens para cada 100 mulheres. As regiões Sul e Nordeste têm razão de sexo de 96,3 homens para cada 100 mulheres, e 95,3 homens para cada 100 mulheres, respectivamente.

O Censo também apontou que cerca de 80% dos municípios com menos de 5 mil habitantes têm mais homens do que mulheres em suas populações. Em compensação, todos os municípios com mais de 500 mil habitantes tem mais mulheres do que homens.

O Estado de São Paulo apresenta os extremos quando o assunto é razão de sexo. Enquanto em Santos, no litoral sul, 54,24% da população é do sexo feminino, a pequena cidade de Balbinos, de 3.702 habitantes, tem 3.002 homens e 700 mulheres. A explicação para essa discrepância está no fato da cidade contar com duas penitenciárias que somam mais de 2 mil detentos.

(Ultimo Segundo)

Brancos são menos da metade da população pela primeira vez no Brasil

No total, 91.051.646 habitantes se declararam brancos no Censo, enquanto outros 99.697.545 disseram ser pretos, pardos, amarelos ou indígenas.

Os brancos ainda são a maioria (47,33%) da população, mas a quantidade de pessoas que se declaram assim caiu em relação ao Censo 2000, quando foi de 53,74%. Em números absolutos, foi também a única raça que diminuiu de tamanho. No Censo 2000, 91.298.042 habitantes se consideravam brancos.

O número de pessoas que se declaram pretas, pardas, amarelas ou indígenas superou o de brancos no Brasil, de acordo com os resultados preliminares do Censo 2010, divulgados nesta sexta-feira (29), pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). É a primeira vez que isso acontece desde que o Censo passou a ser organizado pelo IBGE, em 1940.

Por outro lado, em dez anos, a porcentagem de habitantes que se classificam como pardos cresceu de 38,45% (65,3 milhões) para 43,13% (82,2 milhões). Já os pretos subiram de 6,21 % (10,5 milhões) para 7,61% (14,5 milhões) da população brasileira.

O Brasil também tem mais moradores que se consideram amarelos (1,09% ou 2,1 milhões). No Censo 2000, apenas 0,45% (761,5 mil) se classificavam assim. Em dez anos, o número de amarelos superou o de indígenas, que subiu de 734,1 mil para 817,9 mil.

A região Norte é a que tem, proporcionalmente, o maior número de pardos no país, com 66,88% de habitantes que se consideram assim. Nas regiões Nordeste e Centro- Oeste o número de pardos supera o de brancos.

Já a região Sul é a com a maior porcentagem de brancos do Brasil, com 78,47% que se classificam como sendo desta raça. No Sudeste, o número de brancos também supera o de pardos.

A Bahia é o Estado que tem a maior população que se declara como preta no Brasil, com 3,11 milhões de pessoas. Já o Amazonas tem o maior número de habitantes que se classificam como indígena (168,6 mil). Proporcionalmente, Roraima tem a maior população indígena do Brasil (11%).

São Paulo, que tem a maior população do Brasil, tem o maior número de brancos (26,3 milhões) e de pardos (12 milhões). No entanto, proporcionalmente Santa Catarina (83,97% da população) tem mais brancos e o Pará (69,51%) tem mais pardos dos que os outros Estados do país.

No Censo 2000, 1,2 milhão de pessoas não declararam raça. Já no Censo do ano passado, o número foi de 315,1 mil. Pela primeira vez, perguntas sobre cor e raça fizeram parte do questionário básico, respondido por todos os habitantes do país.

(Portal Uol)

População do Rio Grande do Sul cresce a “ritmo suíço”, aponta IBGE

A população do Estado do Rio Grande do Sul foi a que menos cresceu nos últimos dez anos no país, de acordo com dados do Censo 2010 divulgados nesta sexta-feira (29) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

De 2000 a 2010, o crescimento populacional médio do Estado ficou em 0,49% ao ano. Na década anterior, a velocidade de crescimento era quase três vezes maior: 1,23%. A média brasileira anual foi de 1,17% na última década.

No mesmo período, o crescimento populacional no Estado foi de 5,03% – o que significa um acréscimo de pouco mais de 512 mil habitantes. A taxa é similar à de países europeus, como Suíça – o país tem a menor taxa do continente, com 0,54% ao ano.

Os números do Rio Grande do Sul

População total (ano 2000) População total (ano 2010) Variação
10.181.749 10.693.929 5,02%

Dados preliminares divulgados no final de 2010 já haviam apontado que o Rio Grande do Sul vivia uma situação de estabilidade populacional. Em muitos casos, segundo o levantamento, houve diminuição: 275 municípios (dos 496 do Estado) registraram menos moradores do que dez anos atrás.

A queda populacional na maior parte dos municípios decorre, de acordo com especialistas, de uma combinação de natalidade mais baixa – influenciada pelos indicadores educacionais e de desenvolvimento humano – com maciças ondas migratórias para novos polos de crescimento, no Estado e fora dele.

Esse elemento pode ser evidenciado pelos casos de Porto Alegre e Caxias do Sul: a capital, que continua sendo o município mais populoso do Estado, passou de 1.360.033 pessoas em 2001 para 1.409.351 no levantamento atual. A taxa de crescimento em dez anos foi de apenas 3,63%.

Já Caxias do Sul, que é um importante polo metal-mecânico da serra gaúcha, teve expansão populacional de 20,8% no mesmo período, passando de 360.419 habitantes para 435.482.

A competitividade econômica está mudando o mapa gaúcho. Em algumas cidades, principalmente nas pequenas, só ficam idosos e crianças. O resto, de acordo com especialistas, está migrando com mais intensidade para polos regionais em busca de renda e segurança econômica.

A queda da natalidade impede muitos municípios de repor a população que migra, como ocorria em décadas passadas. Antes, a alta natalidade compensava. Mas agora, com fecundidade mais baixa e aumento da migração por questões econômicas, o problema tem ficado mais evidente.

Capital

Porto Alegre foi a capital que menos aumentou sua população na década no país, segundo o IBGE – e não se trata de percentual. Em 11 anos, entre os dois últimos grandes censos realizados no país, a capital gaúcha recebeu apenas mais 49 mil moradores.

Os números da capital gaúcha

População total (ano 2000) População total (ano 2010) Variação
1.360.033 1.409.351 3,63%

Só Vitória, capital do Espírito Santo, cresceu menos em termos populacionais: 35,8 mil pessoas. Em termos relativos, porém, a cidade ampliou sua população em 12,3% entre 2000 e 2010. A capital gaúcha avançou apenas 3,63% nesse período.

A estagnação se explica pelo rumo que a cidade tomou e pelo desenvolvimento de polos no interior. No passado, a cidade crescia movida pelos migrantes que chegavam de todos os cantos à procura de emprego na indústria ou de escolas e faculdades.

De lá para cá, as fábricas foram embora e o ensino superior, que também servia como um atrativo, espalhou-se pelo Estado. O fluxo migratório se inverteu. Milhares de moradores de Porto Alegre foram morar em municípios vizinhos, onde estão os empregos industriais.

A capital virou uma espécie de cidade-dormitório para parte de sua população: todos os dias, segundo estudos de especialistas, cerca de 90 mil pessoas viajam a municípios da região metropolitana para trabalhar. A Grande Porto Alegre concentra cerca de 4,5 milhões de habitantes.

Outro fator foi a debandada de pessoas cansadas da violência. Municípios menores da região metropolitana, como Nova Santa Rita, receberam uma avalanche de ex-moradores de Porto Alegre à procura de qualidade de vida.

Caso de Jonas Oliveira dos Santos, 37. Ele saiu com a esposa Michele da Silva e Silva e o filho, Mateus, da periferia de Porto Alegre para viver no município. Sem casa, recebeu ajuda da assistência social da prefeitura para construir um sobradinho de madeira num dos bairros da cidade, de 20 mil habitantes e a 25 quilômetros da capital.

“Vim fugindo da violência e das drogas e encontrei apoio aqui em Nova Santa Rita. É um bom recomeço de vida para toda a família”, diz Jonas, que vive como catador. Ele pretende voltar a trabalhar com pecuária, atividade que mantinha antes de desembarcar em Porto Alegre há 15 anos.

(Portal Uol)

Palmas, no Tocantins, registra o maior crescimento populacional na década

Rio de Janeiro – Oportunidades de trabalho e emprego fizeram com que Palmas fosse apontada como a capital cuja população mais cresceu no Brasil na última década, de acordo com o Censo Demográfico 2010, realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O levantamento mostrou que a população da capital de Tocantins apresentou uma taxa de crescimento de 5,21%, enquanto que a média em todo o país foi de 1,17% ao ano, de 2000 a 2010, – a menor taxa registrada desde que o estudo começou a ser realizado.

“O crescimento de Palmas é basicamente em função dos movimentos migratórios. Tocantins é um estado criado mais recentemente, então está se construindo, por isso tem muito movimento migratório em direção a Palmas”, explicou o gerente de projetos da Coordenação de População e Indicadores Sociais do IBGE, Fernando Albuquerque.

O mesmo motivo explica o fato de o Norte e o Centro-Oeste do país terem apresentado maior aumento populacional em relação às demais regiões, no período entre 2000 e 2010.

Além do caso de Palmas, os municípios mais populosos, ou seja, com mais de 100 mil habitantes, foram os que mais cresceram. Nesses casos, a taxa média anual foi de mais de 2%. E de 2000 para 2010, o número de municípios que integram esse grupo, que responde por mais de 21% de toda a população brasileira, passou de 13 para 15. Entre eles, destacam-se “Manaus, que cresceu 2,51% ao ano, passando de nono para sétimo mais populoso, e Brasília que passou de sexto para quarto, tendo apresentando um crescimento médio anual de 2,28%”.

Os três municípios mais populosos continuam sendo São Paulo, Rio de Janeiro e Salvador. No caso das capitais paulista e carioca, tradicionalmente conhecidas como áreas de atração migratória, a pesquisa do IBGE revelou uma redução lenta na participação populacional ao longo das últimas décadas.

“São Paulo vem diminuindo esse número de entradas em função de migração. Desde o Censo 2000 observamos essa diminuição no ritmo porque é um mercado que exige maior escolaridade então o migrante tem dificuldade de se inserir e volta para terra natal ou vai para novas etapas migratórias”, afirmou Fernando Albuquerque.

Ainda assim, o Sudeste mantém-se com o maior contingente e, por isso, “responsável pela maior parcela do incremento populacional, tendo absorvido 37,9% do crescimento total do país”.

No total, a taxa média de crescimento da população brasileira nos últimos dez anos, foi de 12,3%, atingindo a marca de 190.755.799 habitantes no país. Segundo o levantamento, a redução do crescimento da população vem acontecendo desde os anos de 1960 quando os níveis de fecundidade começaram a apresentar queda.

(Portal Exame)

Brasil tem hoje 60 mil casais gays com união estável

RIO – O Brasil possui hoje 60.002 casais homossexuais com união estável. É o que revela o resultado preliminar do Censo 2010 divulgado pelo IBGE na manhã desta sexta-feira. Pela primeira vez, a pesquisa incluiu uma amostra referente à relação de pessoas do mesmo sexo no país. Segundo o Censo, o número de relacionamentos gays representa 0,16% da população brasileira se for comparado aos 37.487.115 casamentos entre os heterossexuais.

A região Sudeste concentra mais da metade dos registros de casais homossexuais. Ao todo, o IBGE contabilizou 32.202 relacionamentos de pessoas do mesmo sexo. A maior parte está no estado de São Paulo, que registrou 16.872. Em seguida, aparece o Rio de Janeiro, com 10.170. Minas Gerais possui 4.098 e, o Espírito Santo, 1.062 relações.

Dos 60.002 casais declarados gays, os estados do Nordeste agrupam 12.196. A Bahia lidera o ranking na região, com 3.029. Ceará e Pernambuco têm 2.620 e 2.571, consecutivamente. Depois, a lista segue com os estados do Rio Grande do Norte (982), Paraíba (885), Maranhão (717), Sergipe (440) e Piauí (312).

- Essa pesquisa revela apenas a ponta de um iceberg que diz respeito à presença homossexual no país. Certamente, um grande número de casais do mesmo sexo não se assumem perante à sociedade. Os números são bem maiores. Mas, por outro lado, os dados destroem o estereótipo do gay promíscuo, instável sexualmente, o que mostra uma realidade muito semelhante à união entre os heterossexuais – afirma o antropólogo Luiz Motti, fundador do Grupo Gay da Bahia.

Região Norte tem o menor número de casais identificados

De acordo com o Censo 2010, a região Sul do Brasil já conta com 8.034 casais gays com união estável. O Rio Grande do Sul possui 3.661, seguido por Paraná (2.363) e Santa Catarina (2.010). O resultado no Centro-Oeste foi de 4.141 relações homossexuais. Goiás lidera com 1.593. Aparecem ainda o Distrito Federal (1.239), o Mato Grosso do Sul (742) e o Mato Grosso (567).

Em último, está a região Norte, com um total de 3.429 casais gays identificados pela pesquisa. O estado do Pará tem 1.779. A lista segue com Amazonas (811), Rondônia (250), Amapá (188), Acre (154), Tocantins (151) e Roraima (96).

(O Globo Online)

Truculência e abuso de poder no metrô carioca

Uma oportuna e providencial atitude de um repórter da ‘TV Globo’ mostrou, ontem, na estação Botafogo do Metrô do Rio, o que todo mundo já sabia que ocorre em qualquer canto do país: o desequilíbrio e o despreparo de agentes de segurança e policiais em lamentáveis intervenções, onde a truculência e o abuso de poder ficam claramente caracterizados. É inadmissível e, sobretudo, desproporcional a agressão sofrida por um passageiro -era negro- envolvendo agentes de segurança do metrô. Um outro passageiro, indignado com a atitude agressiva dos ditos agentes contra o passageiro, também acabou detido e registrou queixa de agressão na delegacia policial. Um agente de segurança também se disse vítima de lesão corporal.

Não é a primeira vez que fatos semelhantes ocorrem no Metrô do Rio. O fato -quando é filmado todos tomam providências imediatas- está sendo apurado agora na esferas administrativa e policial. Parece mesmo que os resquícios da ditadura permanecem ainda arraigados à cultura policial brasileira. Esquecem-se os senhores agentes da lei que há limites de atuação no exercício do poder de polícia, mormente num estado democrático de direito. Fizesse o que tivesse feito o passageiro em questão, o uso da força teria que ter sido comedido, proporcional e seletivo. Não excessivo e arbitrário. Ningúém está acima do bem e do mal por encontrar-se investido do poder de polícia, fazendo uso de um vistoso uniforme e de um cassetete e/ou de uma arma e uma algema.

Caso o lamentável incidente não tivesse sido filmado provavelmente prevaleceria o dito pelo não dito. Dias atrás, as câmeras também mostraram a ação absurda e desequilibrada de policiais militares, em Manaus, numa covarde agressão a um menor indefeso e encurralado numa parede, ao ser abordado pelos truculentos agentes da lei. Covardemente foi agredido a tapas e atingido por disparo de arma de fogo desferido por um dos policiais. Também dias atrás em São Paulo um rapaz, que participava de uma festividade entre jovens, foi espancado até morte por seguranças do evento e seu corpo deixado junto a um barranco próximo ao local. Absurdo, truculência e covardia com todas as letras.

O Metrô do Rio, e não podia ser diferente, afasta agora os seguranças envolvidos no episódio. O presidente da Comissão de Transportes da Assembléia Legislativa do Rio (ALERJ), deputado Marcelo Simão (PSB) cobra, com toda razão, explicações à direção do órgão sobre o preparo de seus agentes de segurança.

A ditadura acabou. Policial não se faz respeitar pelo medo e pela truculência, mas sobretudo pelo exemplo de suas atitudes, pelo equilíbrio de suas intervenções. Quem detém o poder de polícia o detém para servir e proteger, não para ameaçar e agredir. O uso da força policial tem que ser o necessário para repelir uma injusta agressão e conter, quando for o caso, a resistência à prisão. Nada além disso.

A polícia e a justiça agora que façam o seu dever de casa. Apure-se e puna-se, com todo rigor, os que se exorbitaram de suas funções de segurança. O Brasil é um estado democrático de direito onde os direitos civis precisam ser devidamente respeitados pelos que detém o poder discricionário de polícia. Policiais e agentes de segurança não são sinônimos de gorilas. A ditadura acabou. Melhor seria se o Metrô do Rio não aparecesse na mídia por lamentáveis incidentes como este mas pela prestação eficaz de seus, até agora, precários serviços.

(Milton Correa – O Globo Online)

Turista morre ao cair de Torre de Pisa na Itália

FLORENÇA, Itália – Uma pessoa morreu nesta sexta-feira ao cair da Torre de Pisa, que fica na região italiana da Toscana. De acordo com informações preliminares, a pessoa caiu do quarto andar da torre, mas ainda não se sabe se foi acidente ou suicídio. A identidade da vítima também é desconhecida.

Testemunhas disseram que um turista holandês, de cerca de 21 anos de idade, teria se jogado da torre, segundo a agência de notícias italiana Ansa. Duas pessoas o viram andar pelos balaústres.

Os trabalhos de restauração da Torre de Pisa, que duraram cerca de 20 anos, foram encerrados no início desta semana. Na ocasião, inspetores disseram que a torre, de 56 metros de altura, cumpria com as condições de segurança e não deveria inclinar mais.

(O Globo Online)

William e Kate serão Duque e Duquesa de Cambridge

LONDRES – O Palácio de Buckingham informou nesta sexta-feira que o príncipe William e Kate Midleton receberão o título de duque e duquesa de Cambridge. O título é um dos três concedidos pela Rainha Elizabeth II ao neto no dia de seu casamento. Todos os títulos também foram concedidos a Kate.

William também se tornará o conde de Strathearn e Barão de Carrickfergus. O título de duque é o mais alto da hierarquia da nobreza britânica, somente abaixo de reis e príncipes.

O Ducado de Cambridge foi criado em 1801 e extinto após a morte de seu segundo duque, em 1904. Este último foi o príncipe Adolphus Frederick, sétimo filho do Rei George III. Desafiando o Royal Marriage Act, ele se casou com sua amante, Sarah Louisa Fairbrother, uma atriz e plebeia, em 1847. Como o casamento não foi legal, seus filhos eram todos ilegítimos.

A concessão de títulos de nobreza aos membros da família real britânica no dia de seu casamento é uma tradição de longa data. O príncipe Andrew, irmão do príncipe Charles, tornou-se duque de York, conde e barão Killyeagh quando se casou com Sarah Ferguson.

O Príncipe William, por sua vez, não recebeu título adicional ao se casar com Lady Diana Spencer, em 1981, uma vez que já ostentava a condição de Príncipe de Gales, Duque da Cornualha, Duque de Rothesay, Conde de Carrick, Barão de Renfrew, Lord das Ilhas e Príncipe da Escócia e Conde de Chester.

(O Globo Online)

Brasil vai dobrar população em 2070 se continuar a crescer no mesmo ritmo; país tem 190.755.799 de habitantes

RIO – O Brasil alcançou a marca de 190.755.799 habitantes. Segundo os dados preliminares do Censo 2010 divulgados nesta sexta-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o país cresceu quase 20 vezes desde o primeiro recenseamento, realizado em 1872. O maior pico foi constatado entre as décadas de 50 e 60 do século passado, quando o crescimento populacional chegou a quase 3% ao ano. Entre as de 2000 e 2010, no entanto, a média foi a mais baixa desde a criação do Censo – apenas 1,17%. Se o ritmo de crescimento permanecer ao longo dos anos, o Brasil duplicará a sua população em 60 anos. Ou seja, em 2070, o país terá 380 milhões de habitantes.

O IBGE verificou que as regiões do país não cresceram de maneira uniforme: Norte e Centro-Oeste foram as que mais aumentaram suas populações (2,09% e 1,91%, respectivamente) , em grande parte pelo fator migratório. As regiões Sudeste e Nordeste apresentaram taxas semelhantes, de pouco mais de 1,0% ao ano. A Região Sul foi a que menos cresceu (0,87%), puxada pelo Rio Grande do Sul (apenas 0,49%).

No último período intercensitário, em termos absolutos, a Região Sudeste foi responsável pelo maior incremento populacional, já que possui o maior número de habitantes do país: A região proporcionou 37,9% do crescimento total do país. Porém, entre 1990 e 2000, respondia por 42,1%.

As dez unidades federativas que mais cresceram entre 2000 e 2010 são da Região Norte e Centro-Oeste. O Amapá lidera o ranking (3,45%), seguido de Roraima (3,34%), Acre (2,78%), Distrito Federal (2,28%), Amazonas (2,16%), Pará (2,04%), Mato Grosso (1,94%), Goiás (1,84%), Tocantins (1,80%) e Mato Grosso do Sul (1,66%).

As seis cidades mais populosas do Brasil são: São Paulo (11.253.503 de habitantes), Rio de Janeiro (6.320.446), Salvador (2.675.656), Brasília (2.570.160), Fortaleza (2.452.185) e Belo Horizonte (2.375.151). Entretanto, em 2000, a lista era diferente: Brasília era a sexta colocada, Fortaleza a quinta e Belo Horizonte a quarta. As demais cidades estavam na mesma posição de hoje.

Nas capitais, a maior diferença entre as taxas de crescimento foi observada no Tocantins, onde Palmas apresentou uma taxa de 5,21%.

População está mais velha

Entre 2000 e 2010, houve um declínio contínuo no nível de fecundidade e um aumento na longevidade da população. Este dado pode ser visto na comparação entre as pirâmides etárias

(O Globo Online)

Transpetro abre concurso público para 206 vagas

A Transpetro, subsidiária de logística da Petrobras, abriu nesta quinta-feira (28) concurso para 206 vagas de nível médio e superior. Os aprovados irão atuar na sede da companhia, no Rio de Janeiro, ou em terminais localizados em vários estados do país. A remuneração varia de R$ 2.114,66 a R$ 6.056,30  (veja aqui o edital).

Transpetro
Inscrições
De 3 a 22 de maio
Vagas
206
Salário
De R$ 2.114,66 a R$ 6.056,30
Taxa
De R$ 36 a R$ 50
Prova
10 de julho

As vagas de nível médio são para técnico ambiental, técnico de administração, técnico de contabilidade, técnico de enfermagem do trabalho, técnico de faixa de dutos, técnico de inspeção de equipamentos e instalações, técnico de manutenção para as áreas de automação, elétrica, instrumentação e mecânica, técnico de operação, técnico de segurança, e técnico químico.

Para o nível superior, os cargos disponíveis são de administrador, analista de sistemas, contador, economista, médico do trabalho, profissional de meio ambiente, químico de petróleo, e engenheiros para as áreas de análise e projetos de investimento, automação, civil, elétrica, geotécnica, mecânica, naval, processamento, produção e segurança.

As inscrições devem ser feitas de 3 a 22 de maio no site www.cesgranrio.org.br. A taxa de inscrição é de R$ 36 para os cargos de nível médio e R$ 50 para os de nível superior.

O processo seletivo será constituído de provas objetivas e qualificação biopsicossocial, composta por avaliação psicológica, exames médicos e levantamento sociofuncional, de caráter eliminatório.

A aplicação das provas objetivas será no dia 10 de julho, em 31 cidades e em Brasília.

A empresa oferece diversos benefícios, como plano de saúde, seguro de vida em grupo, benefício-farmácia, benefício educacional para os dependentes (auxílio creche, ensino pré-escolar, fundamental, médio e programa jovem universitário), programa de assistência para portadores de necessidades especiais e plano de previdência complementar.
(Portal G1)

Falta documento para o Imposto de Renda? Saiba o que fazer

O prazo para a entrega da declaração do Imposto de Renda termina às 23h59 desta sexta-feira e a multa mínima para quem perder o prazo é de R$ 165,74, podendo chegar a 20% do imposto devido. Como nos anos anteriores, milhões de brasileiros deixaram a declaração para a última hora. Nesses casos, dizem os especialistas, resta agora correr contra o tempo e tomar todos os cuidados necessários para que a pressa não provoque erros no preenchimento da declaração.

Uma das alternativas para escapar da multa por atraso é enviar a declaração dentro do prazo – mesmo que o contribuinte não tenha em mãos todas as informações necessárias – e depois retificar o documento, de forma que não haja nenhuma pendência que possa levá-lo a cair na malha fina. A prática, que não é recomendada por consultores da área tributária pelo fato de que o contribuinte pode se esquecer de corrigir a declaração após o envio, é adotada por muitos declarantes no último dia.

“É comum que isso aconteça no final do prazo, quando o contribuinte ‘descobre’ que faltam documentos e que não conseguirá reuni-los a tempo. Entretanto, é importante ressaltar que o declarante que enviar o documento para retificá-lo precisa estar seguro do modelo escolhido, seja a declaração completa ou a simplificada”, diz Juliana Fernandes, especialista em Imposto de Renda da consultoria MG Contécnica.

Juliana explica que a Receita não aceita que a pessoa mude o modelo de declaração após a confirmação de envio do documento. “Se o contribuinte perceber que escolheu um modelo que não era o mais adequado, ela terá que pagar a multa por atraso, pois o site da Receita interpreta que aquele ‘novo’ documento’ foi entregue em atraso”, afirma Juliana.

(Ultimo Segundo)

Governo dará bolsas e financiamento para ampliar ensino técnico

Estudantes do ensino médio de escolas públicas e trabalhadores serão beneficiados pelo Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec), lançado nesta quinta-feira pelo ministro da Educação, Fernando Haddad, e pela presidenta Dilma Roussef. Para ampliar a educação técnica no País, serão criados 3,5 milhões de bolsas, no estilo do Prouni, e um Financiamento Estudantil (Fies) técnico. As vagas serão oferecidas na rede pública (federal e estaduais), em escolas privadas e pelo Sistema S – conjunto de entidades como o Senac, Sesc, Senai, SESI – e a intenção é que 8 milhões de brasileiros possam ter formação profissional em quatro anos.

Serão ministrados dois tipos de cursos, os técnicos – mínimo de 800 horas –, e os de
formação inicial e continuada (FIC) – mínimo de 160h. Os estudantes selecionados para as bolsas em escolas públicas ou do Sistema S terão que frequenta-los no turno contrário ao das aulas de ensino médio. A escolha dos beneficiários será feita nos Estados. O ministro acredita que a ação vai ajudar na qualificação do ensino médio. “Será um “choque de qualidade no ensino médio e na inserção soberana do trabalhador no mercado de trabalho”, disse. A presidenta Dilma completou: “Ele (o Pronatec) fará pelo ensino médio o que o Prouni fez e vem fazendo pela educação superior”.

Também poderão ser contemplados com cursos trabalhadores que estejam recebendo o seguro-desemprego pela segunda vez e beneficiários de programas de inclusão produtiva, como o Bolsa Família.

Financiamento para estudantes e empresas

Quem não for contemplado com uma bolsa, poderá optar por um financiamento para fazer formação técnica em uma das 2.435 escolas privadas credenciadas pelo MEC ou 580 do Sistema S. Os alunos terão 18 meses de carência para começar a pagar em 6 vezes o tempo do curso, mais 12 meses. Os critérios de seleção do Fies técnico serão os mesmos do financiamento estudantil para curso superior.

O Pronatec permite ainda que as empresas adquiram crédito para custear cursos para seus funcionários pela mesma taxa de juros, de 3,4% ao ano. A novidade foi bem recebida pelo setor industrial, que já costuma investir de 3% a 4% do faturamento em formação de pessoas, mas agora poderá contar com recursos do governo.

Ampliação da rede técnica

Para atender a demanda gerada pelo Pronatec o governo federal pretende atuar em várias frentes. Além de ampliar a própria rede de educação profissional e tecnológica, fará convênios com Estados para reformar 500 escolas e construir 129 novas em quatro anos.

Um maior número de vagas no Sistema S será garantido por acordo já existente para oferecer matrículas gratuitas a alunos do ensino público, que será ampliado. Pelo pacto firmado no governo anterior, as entidades do sistema devem aplicar dois terços de seus recursos advindos do imposto sobre a folha de pagamentos do trabalhador na oferta de cursos gratuitos. O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) também vai financiar um aumento da infraestrutura das escolas do Senai, Sesi, Senac e Sesc.

Segundo Robson Andrade, presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), os focos de expansão do Senai vão ser as regiões com maior demanda por capacitação: Centro-este, Norte e Nordeste. “Queremos chegar até 2014 a uma capacidade de formação de 4 milhões de pessoas por ano”, adiantou. Os setores de formação onde será feito maior investimento são construção civil, móveis, petróleo e gás, siderurgia e moda.

Outra ação prevista pelo Ministério da Educação para fortalecer o ensino técnico é o programa de expansão de escolas técnicas. Oitenta já estão em construção e, segundo o ministro, devem ser inauguradas até o começo de 2012. Mais 120 unidades serão criadas nos outros dois anos. Com isso, a rede federal deverá contar com quase 600 escolas administradas pelos 38 institutos federais de educação, ciência e tecnologia, e atenderá mais a 600 mil estudantes.

O ensino a distância será ampliado com a criação de vagas na Escola Técnica Aberta do Brasil (E-Tec), que instalou 259 polos em 19 estados até 2010, atendendo a cerca de 29 mil estudantes. Para 2011, estão prometidas mais de 47 mil vagas; 77 mil em 2012; mais de 197 mil em 2013 e cerca de 263 mil em 2014.

O projeto de lei que cria o Pronatec será agora encaminhado ao Congresso Nacional, onde tramitará em regime de urgência.

Benefícios do Pronatec Favorecidos
Bolsa Formação Estudante Para estudantes do ensino médio de escolas públicas que queiram cursar um curso técnico no contraturno do horário de aulas
Bolsa Formação do Trabalhador Para trabalhadores que estão desempregados e são reincidentes no seguro-desemprego
Bolsa Formação Trabalhador (Inclusão produtiva) Para capacitar pessoas atendidas por programas de inclusão produtiva do Ministério do Desenvolvimento Social, como o Bolsa- família
Fies Técnico Linha de crédito para alunos do ensino médio ou pessoas com este nível de formação
Fies Empresa Linha de crédito para custear a formação de trabalhadores de nível médio em cursos técnicos. Empresas poderão deduzir do imposto de renda o investimento na capacitação de seus funcionários

Fonte: MEC

Bolsas para intercâmbio

Durante o anúncio do Pronatec, a presidenta voltou a falar sobre a criação de bolsas de estudo no exterior. Além das 75 mil já prometidas, Dilma afirmou que está pedindo apoio a empresas privadas para enviar mais 25 mil jovens para estudar no exterior, permitindo que 100 mil brasileiros ampliem sua formação e seus horizontes até o fim de 2014.  Todos os países que se desenvolveram tiveram uma política de formação de jovens no exterior”, afirmou.

* Com reportagem de Danilo Fariello

(Ultimo Segundo)

Deborah Guerner, promotora acusada de agir em mensalão do DEM é solta

O ministro Napoleão Maia, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), determinou hoje a soltura da promotora de Justiça Deborah Guerner, e do marido dela, o empresário Jorge Guerner.

Investigados por suspeita de envolvimento num esquema de corrupção no Distrito Federal que ficou conhecido como mensalão do DEM, os dois estavam presos desde o dia 20 por ordem do Tribunal Regional Federal (TRF) da 1ª Região.

O TRF tinha concluído que os dois tentaram atrapalhar as investigações e que havia o risco de fuga. Reportagem publicada ontem pelo jornal O Estado de S. Paulo revelou documentos e imagens que comprovam que Deborah teve a ajuda de um psiquiatra para simular um distúrbio mental e atrapalhar as investigações.

Deborah e Jorge Guerner estavam presos na Superintendência da Polícia Federal em Brasília. A prisão preventiva tinha sido pedida pelo Ministério Público, que acusou o casal de forjar provas para simular uma incapacidade mental. Os dois foram presos em casa logo após retornarem de uma viagem pela Itália.

De acordo com a defesa do casal, ao conceder uma liminar determinando a soltura dos Guerners, Napoleão Maia concluiu que eles nunca estiveram impedidos de sair do País e que, se houvesse falsidade nos atestados, isso não influenciaria na perícia oficial.

Segundo o ministro, a prisão foi decretada de forma antecipada, o que não está de acordo com a proteção que o sistema jurídico garante ao direito de ir e vir.

(Ultimo Segundo)

O que acontece com quem não declara o Imposto de Renda? Saiba as consequências

São Paulo – Termina hoje o prazo para o contribuinte entregar a declaração de Imposto de Renda à Receita Federal. O envio pela internet só será permitido até às 23h59. Para quem optar pela entrega por CD ou disquete nas agências da Caixa ou do Banco do Brasil, o prazo será ainda mais apertado, obedecendo o horário de funcionamento dos bancos.

Os atrasados arcarão com multa mínima de 165,74 reais, independente de terem ou não imposto a pagar. A penalidade será de 1% ao mês (ou fração por dia de demora), limitada a 20% do valor do imposto apurado no ano, ainda que ele tenha sido quitado na íntegra.

O Darf com a multa poderá ser impresso no próprio programa da declaração, sendo que o prazo para pagamento é de 45 dias. Depois disso, haverá incidência de juros de mora. Quem tiver imposto a restituir e não respeitar esse prazo, terá a pendência abatida dos recursos que serão pagos pelo governo.

Mas as consequências de não entregar a declaração dentro da data limite não terminam por aí. Até enviar o formulário, o contribuinte pode ter problemas para viajar para fora do país, comprar a casa própria e contratar financiamentos.

“Quando você vai tirar o visto, o documento mostra toda a renda que você gerou e o seu patrimônio. Isso dá a confiança para provar que você não quer imigrar, pois está deixando bens no país”, explica o professor de ciências contábeis Eugênio Ribeiro Junior, da Trevisan Escola de Negócios.

A declaração do IR é necessária, por exemplo, para conseguir o visto norte-americano e de alguns países asiáticos, como o Japão. Para os financiamentos habitacionais, o formulário serve para comprovar a capacidade do mutuário de arcar com uma dívida de tão longo prazo e é uma exigência para a concessão do crédito.

Muitas imobiliárias também pedem uma cópia da declaração antes de aprovar o contrato de aluguel. Da mesma forma, interessados em contratar financiamento estudantil podem ter o pedido indeferido por falta de comprovação de renda.

Plano B

Para escapar da cobrança da multa e de eventuais transtornos futuros, uma saída é enviar a declaração ainda hoje, mesmo que o formulário estiver incompleto. Isso porque a Receita dá ao contribuinte o direito de corrigir as informações lançadas por meio da declaração retificadora, que funciona como uma segunda versão da original.

Para fazê-la, basta acessar o mesmo programa da Receita e marcar na ficha “Identificação do Contribuinte” que o formulário é retificador, informando em seguida o número do recibo da última declaração entregue.

O novo documento substituirá integralmente aquele que foi enviado inicialmente. Como a ordem do envio é determinante para o recebimento da restituição, quem tiver pago imposto além da conta em 2010 e optar pela declaração retificadora necessariamente irá perder o lugar na fila conquistado com o envio do primeiro formulário.

De qualquer forma, a retificação também é uma boa pedida para contribuintes que querem evitar a malha fina. Acessando o Centro Virtual de Atendimento ao Cidadão (e-CAC) será possível verificar se a declaração tem pendências ou está correta. A plataforma foi desenhada para promover a autorregulamentação, de modo que os próprios contribuintes corrijam as falhas antes de serem intimados pelo Fisco.

O extrato com as informações de cada declaração ficará disponível até três dias depois da entrega. Para utilizar o e-CAC, será preciso indicar o título de eleitor e o número do recibo das declarações enviadas nos últimos dois anos. A partir daí, o contribuinte ganhará um código digital para entrar no sistema e verificar o processamento do seu formulário.

A Receita irá tirar o programa de declaração do ar depois das 23h59 de hoje para colocar em seu lugar o software que já considera que as novas declarações estão atrasadas. Por isso, as retificações e os formulários enviados fora do prazo só poderão ser submetidos a partir da próxima segunda-feira, dia 02 de maio.

(Portal Exame)

Kate Middleton encanta Abadia de Westminster vestida de Alexander McQueen

O príncipe William sussurrou para sua noiva Kate: "Você está linda" - Getty Images

Londres – Kate Middleton chegou à Abadia de Westminster nesta sexta-feira em um Rolls Royce acompanhada de seu pai, Michael, para casar-se com o príncipe William, duque de Cambridge, com um vestido desenhado por Sarah Burton, diretora de criação da marca fundada por Alexander McQueen.

O vestido da agora Duquesa de Cambridge exibiu uma cauda de 2,70 metros acompanhado de um véu de tule com uma tiara de diamantes Cartier de 1936, emprestada para a ocasião pela rainha Elizabeth II.

Após ser recebida pelo reverendo de Westminster, John Hall, a noiva percorreu o tapete vermelho até o altar ao lado de seu pai e seguida pela sua irmã e dama de honra Philippa e dois pequenos pajens.

Com os convidados em pé, enquanto soava o hino “I Was Glad”, Kate caminhou sorridente até o altar, onde o príncipe William e seu irmão e seu padrinho de casamento Harry a recepcionaram.

Como pôde ser visto pelos convidados e através da transmissão da cerimônia, ao vê-la a seu lado, o príncipe William sussurrou: “Você está linda”.

(Portal Exame)

Sob os olhos do mundo, Kate Middleton e príncipe William viram marido e mulher

Kate Middleton e o príncipe William trocaram votos nesta sexta-feira na abadia de Westminster, em Londres, convertendo-se marido e mulher.

Cerca de 1,9 mil convidados compareceram à cerimônia, enquanto as estimativas são de que as imagens da união seja vista por 2 bilhões de pessoas em todo o mundo.

Multidões se aglomeraram no centro de Londres para assistir ao casamento. Estima-se que entre 3 mil e 5 mil pessoas tenham acampado durante a noite ao redor da abadia.

Toby Melville/Reuters

Príncipe William deixa Abadia ao lado de Kate Middleton; casal se une sob olhos do mundo - Foto: Toby Melville/Reuters

Outros milhares dormiram acampados ao longo da rota do casal, entre a igreja e o Palácio de Buckingham.

Kate Middleton chegou à abadia usando um vestido longo e branco, de mangas rendadas, deixando entrever os ombros.

Sob o véu de 2,7 metros, Kate usava uma tiara de diamantes –emprestada pela própria rainha– e dois delicados brincos de brilhantes.

A peça foi desenhada por Sarah Burton, diretora de criação da grife fundada por Alexander McQueen, um ícone da moda britânica falecido no ano passado.

O próprio estilista foi uma figura “emergente” na sociedade britânica, criado em um bairro modesto no leste de Londres.

Na peça da sua grife, a filha de Carole e Michael Middleton foi alçada a Duquesa de Cambridge.

O título passou a ser dela depois que o príncipe recebeu da rainha Elizabeth 2ª o título de duque de Cambridge, nesta sexta.

O príncipe também se tornou conde de Strathearn e Barão Carrickfergus, transformando Kate em Condessa de Strathearn e Baronessa Carrickfergus.

RENOVAÇÃO

Para analistas, mais que uma simples união, o casamento real representa uma esperança de renovação da monarquia britânica.

Kate e William acenam em carruagem que os levou ao pálácio após cerimônia - Ben Stansall/France Presse

Outros milhares dormiram acampados ao longo da rota do casal, entre a igreja e o Palácio de Buckingham.

Kate Middleton chegou à abadia usando um vestido longo e branco, de mangas rendadas, deixando entrever os ombros.

Sob o véu de 2,7 metros, Kate usava uma tiara de diamantes –emprestada pela própria rainha– e dois delicados brincos de brilhantes.

A peça foi desenhada por Sarah Burton, diretora de criação da grife fundada por Alexander McQueen, um ícone da moda britânica falecido no ano passado.

O próprio estilista foi uma figura “emergente” na sociedade britânica, criado em um bairro modesto no leste de Londres.

Na peça da sua grife, a filha de Carole e Michael Middleton foi alçada a Duquesa de Cambridge.

O título passou a ser dela depois que o príncipe recebeu da rainha Elizabeth 2ª o título de duque de Cambridge, nesta sexta.

O príncipe também se tornou conde de Strathearn e Barão Carrickfergus, transformando Kate em Condessa de Strathearn e Baronessa Carrickfergus.

RENOVAÇÃO

Para analistas, mais que uma simples união, o casamento real representa uma esperança de renovação da monarquia britânica.

Há perguntas sem resposta, como qual será o futuro papel de Kate na família real? Ou como o casal lidará com a demanda cada vez maior por visibilidade, à medida que a rainha –já octogenária– inevitavelmente for reduzindo suas atividades públicas? E quais são os riscos de um casal jovem ofuscar o homem que será o futuro rei, o príncipe Charles?

As respostas surgirão nos próximos meses e anos. Sabe-se de imediato que William tem um destino a cumprir, como piloto da Força Aérea Britânica e segundo na linha de sucessão do trono britânico. Seu destino é, um dia, ser rei.

Já Kate terá que conquistar seu papel como membro sênior da realeza, e achar algumas causas de caridade para representar.

Acredita-se que William –que se ressente da perseguição dos paparazzi à sua mãe, a princesa Diana– tente obter um acordo para aplacar o sempre voraz apetite da imprensa britânica, e assim conseguir viver sua vida de casado com relativa privacidade.

Alguns especialistas acreditam que a opção do casal pela discrição já tenha sido demonstrada no planejamento do casamento – que será repleto de pompa e circunstância, mas não muito extravagante.

Sabe-se que a crise econômica vivida pelo Reino Unido não permitiria um casamento extremamente luxuoso.

Mas analistas insistem em afirmar que a escolha da Abadia de Wesminster – em vez da Catedral de Saint Paul, onde Charles e Diana se casaram – e por um coquetel seguido de jantar no palácio de Buckingham após a cerimônia religiosa, se deve também ao fato de que William e Kate querem ser a cara de uma monarquia mais simples, contemporânea e mais “pé no chão”.

VISITANTES

Muitos acreditam que o casamento dê um impulso à economia britânica, que passa por uma das mais graves crises de sua história – com turismo, vendas e comunicação entre os setores que seriam mais beneficiados.

Analistas de varejo estimam que cerca de 707 milhões de euros (cerca de R$ 1,6 bi) sejam gastos no Reino Unido como resultado do casamento. Segundo projeções, donos de restaurantes e hotéis podem esperar dois anos de aumento nas cifras do turismo, com o casamento em 2011 seguido pelas Olimpíadas, em 2012.

Empresas de mídia também podem esperar números de audiência excepcionais. Alguns economistas acreditam que o evento possa até mesmo estimular a confiança dos consumidores, levando pessoas a gastar mais.

“Eventos extemporâneos podem aumentar a sensação de bem-estar econômico, além de outras sensações de bem-estar”, diz o professor Stephen Lea, da Universidade de Exeter, especializado em psicologia econômica.

A agência de promoção do turismo na Grã-Bretanha, VisitBritain, estima que 600 mil pessoas a mais que o normal tenham vindo para a capital na sexta-feira.

As autoridades ferroviárias estimaram que cerca de 400 mil pessoas usem esse meio de transporte para se deslocar para o centro de Londres, 15% a mais que em outro feriado normal.

Mas alguns são mais cautelosos, afirmando que os gastos serão tanto modestos quanto temporários.

Segundo eles, o casamento real não deve mudar o rumo da economia britânica, que encolheu 0,5% no trimestre final de 2010. Além disso, afirmam, qualquer benefício vindo do evento pode ser ofuscado pela perda de produtividade durante o feriado decretado no dia do casamento pelo premiê David Cameron.

(Folha Online)

Correios poderão ter frota de aviões de carga e criar banco

Os Correios serão autorizados, a partir de amanhã, a ter uma frota de aviões para o transporte de carga aérea postal, criar seu próprio banco, investir em negócios como a construção do trem-bala e se associar a outras empresas.

A permissão consta de medida provisória assinada hoje pela presidente Dilma Rousseff.

(Folha Online)

Carteiras de estudante 2010 perderão a validade no domingo, dia 01/05

Faltam apenas dois dias para terminar o prazo de validade da carteira estudantil de 2010. E a Empresa de Transporte Urbano de Fortaleza (Etufor) ainda espera que algumas escolas e universidades confirmem a matrícula de muitos estudantes que solicitaram o documento de 2011. Só após esse procedimento, as carteiras poderão ser desbloqueadas e liberadas. O novo documento começa a valer a partir de domingo, dia 1º de maio. Até ontem à tarde, cerca de 50 mil carteiras prontinhas ainda estavam armazenadas na sede do órgão aguardando as confirmações.

Conforme Ivanderly Carvalho, chefe da Divisão de Atendimento ao Estudante da Etufor, só após ser feita essa confirmação pela direção das instituições de ensino é que as novas cédulas são entregues às entidades estudantis para que estas façam a distribuição às escolas. É nas escolas e universidades que os estudantes receberão o documento que garante o direito ao pagamento da meia passagem em ônibus e vans, explica.

Ivanderly alerta que dessa vez, em hipótese alguma haverá prorrogação do prazo de validade das antigas carteiras de estudante. Por isso, avisa ser necessário que a direção das escolas e universidades confirmem urgentemente as matrículas dos seus alunos no site http://www.etufor.ce.gov.br. “Se essa confirmação não ocorrer, o entendimento da Etufor é o de que o aluno não está matriculado”, diz.

Ela afirma que desde o dia 15 de março passado as novas carteiras estão chegando às mãos dos alunos. Nesse caso, são estudantes que solicitaram o documento obedecendo aos prazos e que já tiveram suas matrículas confirmadas pelos estabelecimentos onde estudam .

Até ontem, mais de 250 mil carteirinhas de 2011 já haviam sido repassadas às entidades estudantis para entrega nas unidades de ensino. São 16 as entidades envolvidas no processo, e destas, nove são secundaristas e sete universitárias. As entidades representativas dos estudantes são as responsáveis pela emissão das identidades estudantis. A Etufor compete a fiscalização dessa emissão. Esse controle é mantido com base nas listas de alunos matriculados enviadas à Etufor pelas instituições de ensino de Fortaleza.

Ivanderly esclarece que se a partir da próxima segunda-feira, 2, algum aluno que solicitou sua carteira de 2011 não tiver recebido o documento, deve primeiramente procurar a secretaria da sua escola ou universidade e se informar se sua matrícula foi confirmada para a Etufor. Caso alguém vá diretamente à sede da Etufor, será orientado a buscar informações nas instituições de ensino., reforça.

Alunos veteranos terão suas carteiras de 2011 desbloqueadas automaticamente no próprio validador do ônibus ou van. Já os novatos, que não possuíam o documento antigo, puderam utilizar o novo tão logo receberam. Quem solicitou a carteira pode acompanhar o andamento do pedido no site da Etufor – http://www.etufor.ce.gov.br.

ENTENDA A NOTÍCIA

A carteira de estudante é uma Identificação estudantil que garante o pagamento da meia passagem ilimitada no Sistema de Transporte Público de Passageiros (ônibus) e Sistema de Transporte Complementar (vans) de Fortaleza. Esse direito está assegurado pela Lei Orgânica do Município.

(Rosa Sá – O Povo Online)

VISITANTES TOTAIS

  • 8,671,275 visitas

VISITANTES ON-LINE

SAUDAÇÕES

Sejam tod@s muito bem vind@s!

O blog diálogos políticos é uma iniciativa da Secretaria de Formação do Sindicato dos Bancários do Ceará. Nosso objetivo é possibilitar o intercâmbio de informações entre as pessoas interessadas nos mais diversos temas da conjuntura brasileira.

MEDIADOR

. Geógrafo e Funcionário da Secretaria de Formação do SEEB/CE. Atua na CCP-Banco do Brasil e CCV-Caixa. Diretor da AESB e Delegado Sindical do SINTEC-CE.

MÚSICA

Direito a Liberdade de Expressão

"Todo o indivíduo tem direito a liberdade de opinião e de expressão, o que implica o direito de não ser inquietado pelas suas opiniões e o de procurar, receber e difundir, sem consideração de fronteiras, informações e idéias por qualquer meio de expressão". Art.19 da Declaração Universal dos Direitos do Homem, promulgada em 10 de dezembro de 1948.
free counters