Viçosa do Ceará: Princesa da Ibiapaba

VIÇOSA DO CEARÁ é um município do estado brasileiro do Ceará. Localiza-se na microrregião de Ibiapaba, Mesorregião do Noroeste Cearense. O município tem 46.832 habitantes (2003) e 1.302 km². Foi criado em 1882. É terra de Clóvis Beviláqua.



Mapa do Ceará – Localização

HISTÓRIA – Viçosa do Ceará é o primeiro município criado na Serra da Ibiapaba, inicialmente habitada por índios Tabajaras pertencentes ao ramo Tupi, anacé, arariú e croatá do ramo Tapuia. Viçosa foi antiga aldeia de índios dirigida por padres da Companhia de Jesus(Veja Missão da Ibiapaba). Foi desbravada ao findar o século XVI, quando do contato dos índios com os franceses, vindos do Maranhão entre 1590 e 1604, data em que foram expulsos por Pero Coelho de Sousa, quando este fazia tentativas de colonização portuguesa no Ceará.

Marco importante da história de Viçosa do Ceará foi a construção da Igreja de Nossa Senhora da Assunção, conta-se que existem túneis subterrâneos embaixo da Igreja que dão acesso a várias casas antigas da Cidade. Estes túneis eram usados pelos jesuítas para escapar dos ataques indígenas. Conforme informações do Padre Ascenso Gago, sua fundação data do ano de 1695. Nesse contexto, o dia 15 de agosto de 1700 deve ser tomado como marco da fundação oficial da aldeia da Ibiapaba, futura cidade de Viçosa do Ceará. O padre Ascenso Gago, como Superior da Aldeia da Ibiapaba, dirigiu todo o processo de formação da futura Vila. Foi o grande missionário da Ibiapaba.

Em 1759, são abolidas, no Brasil, as missões da Companhia de Jesus, por determinação de Marquês de Pombal, ministro do rei de Portugal, D. José I. Com isso, também foram abolidas as aldeias que tinham o comando dos jesuítas, sendo as mesmas substituídas por vilas e povoados. Á 7 de julho de 1759, a Aldeia da Ibiapaba foi elevada à categoria de Vila, recebendo o nome de Vila Viçosa Real da América, cuja instalação foi feita pelo o Ouvidor da Comarca de Pernambuco, Desembargador Bernardo Coelho da Gama Casco, que esteve na Vila para instala-la, em comunicado feito ao povo na Igreja Matriz.

GEOGRAFIA:

Relevo - A maior parte do território está localizado na Chapada da Ibiapaba, o resto da área é de relevo característico das Depressões Sertanejas.

Clima - Tropical quente semi-árido brando nas regiões de menor altitude (próximas à divisa com o Piauí) e tropical quente sub-úmido nas regiões de maior altitude e nas encostas da Chapada/Serra da Ibiapaba. A precipitação pluviométrica média é de 1.349 mm, sendo concentrada principalmente de janeiro a abril. A temperatura média anual situa-se entre 22 e 24°C na maior parte do território.

Demografia - A população estimada para 2006 foi de 48.799 habitantes, sendo a densidade demográfica de 37,2 hab/km². A população urbana está estimada em 31,9%, o que o caracteriza como município com predominância rural.

Divisões Administrativas - O município de Viçosa do Ceará está subdividido em sete unidades, sendo a sede e mais seis distritos: General Tibúrcio, Lambedouro, Manhoso, Padre Vieira, Passagem da Onça, Sítio Topi e Quatiguaba.

BANDEIRA – A Bandeira de Viçosa do Ceará é um dos símbolos oficiais do município de Viçosa do Ceará, estado do Ceará, Brasil. Foi idealizada por Manoel José da Rocha Neto em 1983, na gestão do Prefeito Francisco Haroldo de Vasconcelos.

Descrição - Seu desenho consiste em um retângulo com proporção largura-comprimento de 7:10 dividido e três faixas verticais de mesma largura na cores verde, branco e verde. No centro da faixa branca está o Brasão Municipal.

Simbolismo - Isoladamente cada cor tem um significado:

  • O verde simboliza as matas que circundam a cidade e que foram a origem do nome Viçosa;
  • O branco simboliza o eterno sonho da paz e também a neblina que nas frias noites de inverno cobre a região ibiapabana, e sobre o qual se encontra o escudo municipal, que tem como apoio dois ramos de café.

O escudo apresenta uma cruz latina ao centro, que simboliza a tradição cristã do povoamento, tendo sido a aldeia da Ibiapaba fundada pelos jesuítas no século XVII. As seis estrelas à esquerda inferior do escudo representam os distritos municipais: Quatiguaba, Lambedouro, Padre Vieira General Tibúrcio, Manhoso e Passagem da Onça. Abaixo, um listel com a inscrição Viçosa do Ceará, nome adquirido após a emancipação do município, na década de 1940. Sobre o escudo, uma faixa com a sigla VVRA, que significa Vila Viçosa Real da América, nome histórico do povoamento.

BRASÃO – O brasão de Viçosa do Ceará apresenta um escudo com fundo azul sobre o qual está uma cruz latina branca, que simboliza a tradição cristã do povoamento, pois a cidade foi fundada pelos jesuítas no século XVII. O escudo está cercado por dois ramos de café.

As seis estrelas brancas dispostas em círculo à direita inferior do escudo representam os distritos municipais: Quatiguaba, Lambedouro, Padre Vieira, General Tibúrcio, Manhoso e Passagem da Onça. Abaixo, um listel azul com a inscrição VIÇOSA DO CEARÁ em letras pretas não serifadas, nome adquirido após a emancipação do município, na década de 1940. Sobre o escudo há uma faixa azul com a sigla VVRA, que significa Vila Viçosa Real da América, nome histórico do povoamento.

Erros de confecção - O brasão de Viçosa do Ceará possui erros crassos, considerando-se as convenções da heráldica municipal (também denominada “civil”) brasileira:

  • O brasão não apresenta uma “coroa-mural“, peça utilizada pela maioria dos municípios brasileiros. Tal convenção é herança da heráldica portuguesa, presente por exemplo, nos brasões de Itabuna (BA), Alta Floresta (MT) ou então Cachoeirinha (RS). Neste caso, utilizaria-se uma coroa de cor prata, por não ser uma capital.
  • A pequena faixa na parte superior deveria ser removida. O seu significado, em extenso, deveria vir no lugar da atual faixa na parte inferior do brasão
  • A estrela que aparece logo acima do escudo deveria ter um local especial reservado dentro deste mesmo escudo

IGREJA MATRIZ DE NOSSA SENHORA DA ASSUNÇÃO: Historia – A Igreja Matriz de Nossa Senhora da Assunção é um templo católico construída nos séculos XVII e XVIII situada no município de Viçosa do Ceará, estado do Ceará. Foi construída por índios e jesuítas e, durante os séculos XVII e XVIII, foi a Igreja da Ibiapaba, sendo uma das mais antigas igrejas cearenses.

O dia 15 de agosto de 1700 é considerado o dia da fundação da aldeia da Ibiapaba, que viria a ser a cidade de Viçosa. Habitavam a localidade quatro tribos indígenas, os Camocins, os Anacés e os Ararius do grupo Tapuia, além dos Tabajaras do grupo Guarani. Nessa época a igreja estava sendo construída, ao lado da residência dos Padres, que era de madeira e barro, coberta de folhas de palmeiras, colocou-se na Igreja a imagem de Nossa Senhora da Assunção, hoje no Museu Diocesano de Sobral e fez-se uma festa de três dias, segundo carta assinada pelos Padres Ascenso Gago e Manuel Pedroso[5].

Em 1759 o templo estava construído, conforme descrito no ofício do emissário da coroa Lobo da Silva ao Ministro da Corte-Real datada de 22 de maio de 1759[5]:

“A igreja da aldeia da Ibiapaba estava fundada em uma planície no alto da serra, e com 40 palmos de intervalo seguia-se-lhe a habitação dos missionários. Tinha ela de comprido do arco ou cruzeiro à porta principal 110 palmos de vão e de largo 45 palmos. A capela-mor tinha 41 palmos de comprido e 31 de largura e a tribuna 10 palmos de comprido de forma que era quadrado o corpo da capela-mor da face da tribuna para baixo. Para se poder ir ao trono era preciso passar pelas portas que havia nas duas sacristias de um e outro lado em paralelo com a capela-mor. Tinha o altar principal 13 palmos de comprido, e subia-se a ele por 5 degraus de madeira. Ornavam-no as imagens de Santo Antônio, S. José, S. Francisco Xavier e Santo Inácio de Loiola. Nos altares laterais viam-se Santa Ana e N.ª Sª, de rara perfeição, e o arcanjo S. Miguel. O coro estendia-se por toda largura da igreja sobre 17 palmos de comprimento e tinha 2 janelas botando para a rua. As 2 sacristias tinham o comprimento da capela-mor e de largura cada uma 20 palmos ambas com portas para o corpo da igreja e para a rua e ambas com janelas para a cerca dos Rev. Padres. Ao lado ficavam o presbitério com suas paredes de pedra de alvenaria e um pequeno cemitério com 78 palmos de comprido e 45 de largura ostentando na extremidade uma elegante cruz de pau. Aos lados da Igreja estendiam-se em 3 carreiras as casas ou antes as cabanas cobertas e feitas de palha, que compunham a aldeia, cujos habitantes eram tabajaras ,6 anacés, cariús e coaçus ou camaçus. Estes mui desprezados das outras tribos e constantemente a revoltarem-se contra os tabajaras, que os traziam subjugados. Não havia muito que os padres tinham construído aí o seu hospício. É fato que para ereção dele haviam sido expedidas ordens desde os tempos de el-Rei D. Pedro, mas só tiveram elas execução decorridos muitos anos.”

Tombamento e restauração - De modo geral a igreja permaneceu com as características originais, o altar-mor é original do século XVII, e mesmo tendo acontecido vários desmoronamentos no corpo da igreja a estrutura central foi mais ou menos preservada. A igreja foi tombata pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional em 2002[6]. Foi com base no documento citado acima que o IPHAN e o Governo do Estado do Ceará iniciaram a restauração em 2005[7] e concluída em 2006[2], devolvendo a igreja para a comunidade com o aspecto original aproximado, não obstante haver modificado elementos que foram adicionados ao longo de três séculos, como por exemplo os altares laterais de 1908, que foram demolidos, substituindo-se por nichos modernos de aço pouco condizentes com o panorama global. O resgate da estrutura antiga também atingiu o teto e o piso, assim como os painéis pintados do forro em madeira da capela-mor. O assoalho da capela-mor foi rebaixado, e mantidos os degraus em madeira e piso com antigas tijoleiras. Já os altares do centro e dos corredores foram demolidos, e as imagens postas em suportes[2].

Fonte: Wikipédia

About these ads

4 opiniões sobre “Viçosa do Ceará: Princesa da Ibiapaba”

    1. Cidade histórica, de grandes personalidades, berço de de cultura, belas paisagens, lindas mulheres, clima ameno. A minha cidade! Uma das mais belas do planeta!

      Parabéns pela página!

      Ernane Pereira

  1. Hoje, está precisando de um plano diretor para evitar ocupação desordenada. Mesmo assim, continua linda. Cuidemos de nossa cidade.
    Alfredo Cavalcante.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s