Escritor aponta 84 exercícios para ativar o cérebro e o talento

Redação Central, 9 jul (EFE).- O cérebro, esse órgão branco e gelatinoso de apenas 1,3 quilo, é uma máquina fascinante, cheia de possibilidades, mas precisa de exercício.

O melhor de todos é pensar, algo teoricamente ao alcance de todos e que é, além disso, grátis.

É o que diz o publicitário Joaquin Lorente em seu livro “Piensa, es gratis” (Pense, é de graça), com uma capa amarela, cor tabu para os artistas, mas que não amedronta o autor.

“O que não pode haver é o medo intelectual. O pior do medo é o que te derrota antes da luta. É preciso tentar sempre”, disse.

Para vencer esse medo, mas, sobretudo, para potencializar o talento, Lorente propõe 84 princípios, anunciados como slogans, iniciando com “Começamos a pensar que devemos pensar?”.

O autor foi assessor pessoal dos ex-presidentes do Governo espanhol Felipe González e do catalão Jordi Pujol, e condensa a aprendizagem de sua bem-sucedida experiência de vida nesta obra, depois de “Tudo o que sei da publicidade” sobre seu saber profissional e em “Cidadãos da Terra.com”, que mostra sua visão sobre a futura evolução da democracia.

Seus 84 fundamentos de idéia práticas têm o objetivo de estimular as pessoas a alcançarem o sucesso através da inteligência, do trabalho bem feito, da dignidade.

Escrito em tom direto, cheio de imagens e com frases de efeito, como “só o concreto fura, penetra no cérebro”, seu livro não é um manual de autoajuda, mas de “autoconvicção”.

“Não se pode esperar que os outros o construam”, afirma, com veemência, em entrevista à Agência Efe. “Temos que começar a acreditar um pouco mais em nós mesmos. Não pode haver um cata-vento, é preciso uma âncora, pés no chão”.

Vários de seus princípios são baseados nesta idéia, como “Se você quer conhecer seu melhor professor de energia, olhe para o espelho”, “Se você não sabe o que busca, nunca saberá para onde vai”, “Sem personalidade você é uma mosca”, “Você é a direção que tomam seus pensamentos” e “Preste atenção na qualidade de sua energia. A positiva faz avançar; a negativa freia e faz retroceder”.

Suas reflexões partem da premissa de que, já desde a fecundação, a vida é puro acaso e que “a sorte é o acaso aproveitado”. Para que as coisas aconteçam, é preciso adotar uma atitude receptiva e ativa, de acordo com o escritor.

O triângulo do êxito, assegura Lorente, é “uma ideia, bastante olfato e muita coragem”, enquanto o do fracasso são “muitas ideias, bastante olfato e zero coragem”.

“O ato de pensar em liberdade, sem separação nem limitação, é o que faz realmente as pessoas serem grandes, assim como organizações e países”, diz.

Para não perder de vista a meta, é necessário projetar-se no futuro, e para isso recomenda escrever em um papel seu objetivo de vida pessoal, social e profissional.

“Há muita gente que não pensa, simplesmente vai vivendo. Os anos se passam e um dia a pessoa se dá conta de que está em um lugar para onde não queria ir, em uma relação que não lhe interessa e em um trabalho que não gosta”.

“Minha posição – conclui – é que se você não consegue pensar por si mesmo, os outros pensaram”, e deixa aberta uma porta à esperança, pois “você sempre pode mudar de caminho”.

E, para os supersticiosos, um último conselho – por causa do amarelo da capa do livro: “Não se deve ter superstições, mas prevenções. As prevenções não vêm de cores, nem de números, nem de gatos, nem escadas; as prevenções vêm de gente que não está bem consigo mesma, de pessoas ruins”.

Fonte: Portal G1

About these ads

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s